História I don't deserve you. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina, Simón
Tags Gastina, Lutteo, Romance, Simbar, Sou Luna
Exibições 305
Palavras 1.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


;)

Capítulo 7 - Minha cabeça só pensava em uma coisa...


Fanfic / Fanfiction I don't deserve you. - Capítulo 7 - Minha cabeça só pensava em uma coisa...

.Luna*

 

Acordo um pouco atrasada e me arrumo rapidamente. Passo pela cozinha.

- Bom dia filha! – sorri minha mãe.

- Bom dia. – sorrio. – Ámbar já foi?

- Não. Nem desceu ainda. – fala e me alivio.

- Ainda bem. Não sou a única atrasada.

- Estão atrasadas? – olha para o relógio. – Sua aula começa daqui a cinco minutos!

Ámbar aparece na porta.

- Vem comigo hoje? – dirige-se à mim.

- Sim. – falo seguindo-a. – Tchau mãe!

- Tchau.

- Desculpa, me atrasei demais hoje. – fala a loira batendo um lápis na mão.

- Não tem problema. – aponto para o lápis. – Estava estudando?

- Aah, não. Só... batendo ele na minha mão. – sorri.

- Está nervosa?

- Não, é só uma mania minha, sei lá. – dá de ombros entrando no carro.

Chegamos no Blake com o sinal ecoando pelos corredores.

- Bem na hora. – digo caminhando apressadamente até minha sala.

- Até depois. – fala ela andando para o lado oposto.

- Onde vai? – pergunto. – Sua aula não é em nenhuma dessas salas?

- É, claro que é, minha segunda aula é história, você está nela, não está? – pergunta.

- Sim, mas e a primeira aula? – questiono.

- Já tô atrasada, tenho que ir, até mais. – corre ela.

Estranho, penso.

Entro na sala e vejo Nina guardando meu lugar ao seu lado. Me aproximo.

- Se superou no atraso hoje. – diz ela.

- Desculpa. – falo. – Peguei carona com Ámbar.

- Ata, já entendi. – comenta.

As aulas passam rapidamente e na saída, Nina começa aquele assunto de dias atrás novamente.

- O que vai fazer com relação à Simón e Matteo?

- Estou confusa.

- Luna, não tem como gostar dos dois da mesma forma. – diz.

- Eu me divirto com Simón e esses dias eu até senti ciúmes dele. – continuo. – Mas também, quando estou perto de Matteo é diferente, nunca me senti assim. – sorrio, mas logo mudo de expressão. – Apesar de ser um mauricinho!

- Continua com a ideia de terminar com Simón então? – questiona.

- Sim, só não sei a hora certa. – falo.

- O quanto antes. – me avisa.

- Tem razão, eu só tenho que... – dizia.

- Luna. – Matteo me interrompe.

- Minha mãe está me ligando. – fala Nina olhando para o celular. – Tenho que atender. Te encontro no Roller. – se afasta e pisca pra mim.

- Fala mauricinho. – digo olhando-o.

- Está indo para o Roller? – pergunta e eu assinto com a cabeça. – Posso te acompanhar?

- Ok, mas o que aconteceu com Ámbar?

- Vai ficar no colégio. Mais tarde vai para o Roller ensaiar. – continua. – E Simón?

- Na verdade, - comento olhando para os lados. – nem o vi hoje.

- Não faltou. Ele estava na minha aula de matemática. – diz Matteo.

- Estranho.

*

Caminhávamos e conversávamos animadamente durante o percurso para o Roller. Pude senti-lo me observando várias vezes e eu fazia o mesmo.

- Minha mãe também não me deixa ficar fora até tarde. A não ser que eu pegue carona com Ámbar depois.

- Meu pai não se importa muito se chegarei tarde ou não. A não ser que tenha um jantar importante, o filho do empresário tem que comparecer. – comenta.

- Seus pais trabalham muito? – pergunto.

- Muito, mas eu agradeço que pelo menos eles passam uma ou duas horas comigo em casa

- Uma hora? – falo sem acreditar. – Não sei se suportaria ver meus pais somente uma hora por dia.

- Mas eu conheço pessoas que nem veem seus pais há anos. – fala pensativo entrando no Roller.

- Luna! – Simón me chama.

- Oi! Não te vi hoje. – sorrio e ele me beija.

- Desculpa, não te vi chegando no Blake e na saída vim correndo pra cá.

- Por que? – pergunto.

- Queria saber o que terei que fazer segunda, daqui três dias começa meu teste para conseguir emprego aqui. – fala.

- Ata, sem problemas.

- Oi Mattteo. – cumprimenta Simón percebendo sua presença.

- Olá! – ele sorri um pouco desconfortável. – Vou patinar.

- Tá bem. – digo vendo-o se afastando.

- Temos ensaio hoje? – questiona.

- Sim, mais tarde. – respondo.

- Beleza, vou tocar agora com os meninos. – comenta.

- Ok. Vou patinar. – ele me dá um beijo e se afasta.

Coloco meus patins que carrego todos os dias. Entro na pista e tento fazer alguns movimentos que Ámbar faz, mas sem sucesso.

- Precisa treinar antes. – diz Matteo passando por mim. – Além disso precisa ter postura e seu pé é um pouco mais para trás se quer fazer como Ámbar.

Reviro os olhos e tento o movimento como havia feito antes. Não consigo.

- Escutar também é bom. – sorri ele me observando.

- Para de me olhar mauricinho. Não preciso da sua ajuda! – falo irritada.

Dito isso, erro o passo pela terceira vez. Ele dá uma risada e pergunta.

- Tem certeza?

- Tinha dito que meu pé tem que ser mais para trás? – pergunto com um sorriso tímido.

Ainda sorrindo, ele se aproxima e para numa posição ao meu lado.

- Faz como eu. – fala e eu imito-o. – Isso, agora patina... gira e ... pula! – diz enquanto fazia o movimento perfeitamente.

Penso ser impossível, mas consigo, não tão perfeito como o dele.

- Viu só? Conseguiu! Precisa treinar um pouco mais agora. – continua. – Sua postura ter que ser mais ereta. – fala pegando na minha cintura por trás e ajeitando-a.

Arrepio e percebo a proximidade entre nós. Aquilo era jogo sujo, penso sentindo sua respiração no meu pescoço.

- O-obrigada. – digo me afastando e vendo Ámbar nos observando na arquibancada. – Vou tentar é.... re-repetir o passo agora.

- Tá legal. – diz desviando seu olhar de mim. – Vo-vou tomar alguma coisa.

Ele se afasta e eu não consigo repetir o movimento novamente. Minha cabeça só pensava em uma coisa naquele momento...

Saio da pista e vejo Ámbar. Ela não me cumprimenta, estava com uma cara não muito boa. Parecia irritada. Queria falar com ela, mas ao mesmo tempo não quis piorar as coisas.

Ámbar caminha em direção aos armários, onde Matteo estava e fico nervosa. Espero que não briguem por minha causa.

- O que foi? Por que está com essa cara? – pergunta Simón me assustando.

- Aah, nada. Só estou esperando para começar a ensaiar.

- É, vi Ámbar chegando. Ela não estava aqui? – pergunta.

- Acho que foi falar com Matteo. – coço a cabeça.

- Vamos começar nós dois então? Tamara está aqui, disse que vai nos ajudar.

- Ok. – falo insegura.

Ele entrelaça nossas mãos e seguimos em direção à pista. Tive certeza de que estava enganando-o. Não era de Simón que gostava, não deste jeito.

.


Notas Finais


J.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...