História I don't deserve you. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Nina, Simón
Tags Gastina, Lutteo, Romance, Simbar, Sou Luna
Exibições 178
Palavras 1.235
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


;)

Capítulo 9 - Trancados?


Fanfic / Fanfiction I don't deserve you. - Capítulo 9 - Trancados?

.Simón*

 

A semana seguinte passa voando. Ensaiava com meu grupo, tocava com os garotos e meus dias teste no Roller, chegam ao fim. Quase saio pulando quando Tamara diz que estou contratado. Havia dado tanto duro para conseguir aquele emprego que tinha esquecido um pouco de Luna e Matteo.

- Ei! Ei! – chama alguém na frente do balcão. Estávamos no Roller.

- O que foi Ámbar? – digo olhando para a loira.

- Por que não atrapalhou Luna e Matteo ontem? – pergunta irritada.

- Como? Eles estavam juntos ontem? – questiono franzindo a sobrancelha.

- Sim! Jazmín me disse que estavam passando a coreografia sozinhos! Só porque conseguimos convencer Tamara a mudar as duplas como antes, não significa que eles param de se ver!

- Desculpa, eu não vi, estava ocupado e... – falava, mas penso em uma coisa. – Na verdade, por que você não interrompeu eles!?

- Nem estava no Roller. – diz.

- Por que não? Sempre fica aqui a tarde. – comento.

- Tá, mas ontem estava ocupada, como você!

- Ocupada? Você não faz nada da vida. Tem tudo o que quer!

Ela olha para mim e por um momento, pensei que fosse me socar, mas apenas fala:

- Pense o que quiser.

Então se afasta e entra na pista para patinar. Talvez deva parar de se tão grosso. Antes, reclamava do jeito dela de tratar as pessoas, mas estava agindo da mesma forma.

- Droga! – digo para mim mesmo.

- O que foi? – pergunta Luna surgindo do meu lado.

- Nada.

- Parabéns pelo emprego! – sorri me abraçando.

- Obrigado! – sorrio também.

- Será que posso falar com você depois? – questiona desconfortável.

- É sobre a competição amanhã? Já consegui a roupa que Ámbar pediu. Não se preocupe.

- Não..., é sobre outra coisa. – fala.

- Ok, – dou um beijo nela. – tenho que trabalhar agora. – sorrio.

- Tá, tá bem. – diz um pouco desanimada.

Continuo atendendo as pessoas, mas estranho o comportamento de Luna, sempre estava tão alegre. 

*

Depois que meu turno no Roller acaba, eu, Luna, Matteo e Ámbar, passávamos a coreografia pela última vez antes da competição.

- Acho que já está bom. – fala a loira terminando o último movimento.

- Não se atrasem. A competição é sete horas, mas a gente se apresenta às oito. – avisa Matteo, tirando os patins.

- Já venham com os figurinos. – diz Luna pegando sua mochila.

- Beleza. – falo. – Só isso?

- Sim, até amanhã. – acena Ámbar caminhando até a saída com Matteo.

- Queria falar comigo? – pergunto à Luna.

- Sim! – responde nervosa.

- Vamos nos sentar então?

- Ok. – diz e seguimos em direção as mesas.

- Pode começar.

- É... acho que dev... – falava, mas Nico a interrompe.

- Vamos ensaiar aquela música nova?

- Ok, - sorrio. – depois de conversar com Luna, eu vou.

Ele se afasta e Luna faz uma careta. Parecia alguém com dor de barriga.

- Você tá bem? – pergunto.

- Tô.

- Tem certeza? – insisto.

- Olha, depois eu converso com você, acho que agora não é a melhor hora...

- Beleza. – digo me levantando. – Vou ensaiar com os garotos. – dou um beijo nela.

- Até mais. – ela dá um sorriso fraco.

*

No dia seguinte, acordo com uma mensagem de Luna. Queria fazer as tarefas à tarde e depois, ir direto à competição.

Chego na mansão às quatro horas. Cumprimento seus pais e encontra-a em seu quarto.

- Aah Simón! Por favor me ajude! – fala com um livro na mão.

- Qual é o problema? – pergunto.

- Matemática! Esse é o meu problema! – reclama.

- Deveria ter chamado Nina, não eu. – sorrio.

- Acredite, eu chamei, mas ela está ocupada hoje.

- Talvez eu possa tentar te ajudar. – falo pegando seu livro.

Sento ao seu lado e começo a explicar o que lembrava daquele conteúdo, mas sem sucesso. Luna tinha muita dificuldade e eu não era o melhor professor.

- Já sei! – diz ela. – Ámbar tem aqueles livros mais completos, talvez eles expliquem melhor e me ajudem. Você pede emprestado pra mim?

- Não, eu não vou pedir nada para aquela garota. – falo.

- Por favor Simón. – implora Luna.

- Não sei se é uma boa... – falava, mas ela precisava de ajuda e fazia uma cara de dar pena. – Tá legal, eu vou.

- Obrigada! – sorri. – Ámbar deve estar em seu quarto, é só bater lá e perguntar.

- É lá em cima? – faço uma careta.

- É, é uma porta azul clara.

- Ok. – digo me levantando e saindo.

Subo todos aqueles lances de escadas e chego em um corredor largo e comprido. Havia várias portas, apenas para duas pessoas morarem ali. Caminho até o final, onde encontro uma porta azul, dou algumas batidas. Nada. Novamente bato, dessa vez mais forte e finalmente ela se abre.

- Você aqui? – pergunta Ámbar enquanto tirava os fones de ouvido.

Ela usava roupas mais simples, não tinha maquiagem e estava descalça. Atrás de si pude ver vários livros sobre sua cama que estava bagunçada. De todas as formas que imaginava vê-la, aquela com certeza, não havia passado pela minha cabeça.

- Desculpa se incomodei. – digo.

- Sem problema. – fala. – O que quer?

- Estou estudando com Luna, e ela me disse que tinha livros de matemática mais completos. – continuo. – Pode me emprestar?

- Ok. – responde caminhando até uma prateleira. Ámbar tinha muitos livros. Ela pega um deles e me traz. – Podem me devolver ainda hoje? Tenho que usar também.

- Claro, obrigado. – falo e ela acena fechando a porta.

Diferente, penso. Era uma Ámbar diferente do que imaginava.

Volto até o quarto de Luna e entrego o livro. Facilitou um pouco seus estudos, mas também não fez nenhum milagre.

- Já são seis horas. – aviso. – Temos que nos arrumar e a competição começa às sete.

- Ok. – diz fechando o caderno e guardando o material. – Trouxe sua roupa?

- Sim. – respondo. – Mas antes tenho que devolver para Ámbar. – pego o livro.

- Tá bem. Vou me trocar enquanto isso. Acho que vou um pouco mais cedo para falar com Nina.

- Beleza. Te encontro no Roller então. – dou um beijo nela e saio.

Subo as escadas e em minutos já estava batendo a porta do quarto de Ámbar novamente. Ela abre e eu entrego o livro.

- Obrigado. – falo.

- Por nada. – diz fechando a porta, mas a interrompo.

- Não vai se arrumar para a competição?

- Que horas são? – pergunta.

- Já é mais de seis horas. – digo.

- Nossa! Esqueci completamente.

- Bem que dizem que você é atrasada mesmo. – sorrio.

Ela ia falar algo, mas escutamos vozes das escadas. Ámbar arregala os olhos, coloca uma das mãos sobre minha boca e me puxa para dentro do quarto.

- Por que fez isso? – questiono tirando suas mãos do meu rosto.

- Se a minha madrinha te visse aqui em cima conversando comigo, ainda por cima, vestida desse jeito, me mataria. – responde num tom baixo.

- Nós temos que nos arrumar para a competição! – falo. – Não podemos esperar muito tempo.

- Shiuu! – diz ela fazendo sinal de silêncio.

Escutamos os passos até o final do corredor e uma porta se fechar.

- Pronto? – pergunto.

- Pronto. – diz.

Vou até a porta e tento abri-la, mas não consigo.

- O que foi? – questiona ela franzindo as sobrancelhas.

- Não abre. – falo.

- Como? – ela tenta abrir também, mas não consegue.

- Estamos trancados? – pergunto preocupado.

- Sim.

.


Notas Finais


J.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...