História I Don't Even Know Your Name - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Magcon, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Personagens Cameron Dallas, Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Cameron Dallas, Macgon, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 112
Palavras 1.120
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


CHEGUEEEEEIII!
Gente como voces sabem a fanfic ja passou pela metade, então pode acabar a qualquer momento, AINDA NÃO TENHO IDEIA DO FIM! TO MAIS PERDIDA QUE CEGO EM TIROTEIO!
Então me ajuuuudeeeeeem!!

Capítulo 25 - Neves Was


Fanfic / Fanfiction I Don't Even Know Your Name - Capítulo 25 - Neves Was

-VOCÊ É IDIOTA CRYSTAL? -Hanna grita tão alto que acho que a mulher do outro lado da rua pode ouvir. 

-Hanna... Menos. 

-Meu Deus Crystal, você transformou a vida amorosa desses dois meninos em um caos e agora simplesmente deixa eles no pier e sai andando? A gente é irmãs mesmo? 

Reviro os olhos andando pela cidade que começara a ficar escura, meu coração ta tão pesado e meus olhos tão inchados que prefiro simplesmente andar encolhida sem levantar o olhar. 

-Hanna, eu sei o que eu fiz... 

-Não, você não tem ideia do que ta fazendo com a sua vida, mas que merda. Dê meia volta, observe os dois e o que você quer corre e pula em cima oxe. 

-É o que você faria? 

-Se um deles fosse o Jonnhy Deep ou o Tom Cruise quem sabe... Mas menina tu é sortuda, provou o beijo e o corpo dos dois. -Dou uma risada pelo nariz. -Turtle... Você ama esses dois? Ou pelo menos gosta de um? 

-Eu amo como fã, isso é fato, agora de outro modo eu não tenho ideia, eu gosto deles, não sei o modo... -Passo as mãos pelos cabelos. -Eu te entendo Hanna de verdade, mas agora eu preciso de um tempo só meu, pra eu pensar sobre o que eu devo fazer... Eu falei com eles, falei que precisa pensar em mim antes de tudo, pensar na minha familia... Eles entenderam por que você não? 

-Eu entendo maninha, eu realmente entendo, mas eu só não suporto essa espera. Quero saber quem é o meu cunhado. 

Reviro os olhos e dou uma risada, olho envolta a procura de orientação, sai andando e nem sei onde estou, olho do outro lada da rua e sinto meu coração pular. 

-Eu conversei com eles Hanna, falei que ia colocar tudo em seus devidos lugares, Hanna eu preciso pensar, você sabe que eu não sou assim, sabe que eu sou como... como Steve. 

-Eu sei... 

-Então pela primeira vez na minha vida.... Deixa eu pensar no que eu vou fazer daqui pra frente... Eu preciso disso. -Solto um longo suspiro e fecho os olhos. -Preciso deixar ele ir.... 

Escuto Hanna suspirar do outro lado da linha. 

-Ok, ok, mas pense logo quero saber quem vou atormentar o resto da vida. 

-Já passou pela sua cabeça que talvez eu não fique com nenhum dos dois? 

-TU NEM É LOUCA CRYSTAL DAVIS! -Dou risada coçando um dos olhos ainda encarando a loja do outro lado da rua, vendo uma mulher com cabelos curtos e castanhos. 

-Olha eu só preciso pensar ok?! -Escuto ela bufar e já até vejo ela revirar os olhos. -To com muita coisa na cabeça e no coração... -Solto um longo suspiro. -Me da um tempo por favor... 

-E o que eu faço se eles perguntarem de você? 

-Eles não vão... -Encaro o ceu e balanço a cabeça. -Mas caso aconteça é so falar que eu não te disse nada, afinal... Eu não disse mesmo 

-Ok Turtle, ok.... Mas pensa direitinho heim... -Escuto Miranda chamar ela. -Tenho que ir.... Deste que você foi, tua chefe me pediu ajuda... Prefiro trabalhar com a mamãe. Tchau Turtle, beijos. 

-Beijos... 

Desligo e olho para frente, solto um longo suspiro vendo minha mãe do outro lado da rua dentro da joelharia, olho cada detalhe da loja, as portas e janelas de vidro, o grande lustre de pedras, observo ela atender uma mulher bem vestida. Atravesso a rua e paro na porta, penso em entrar, sinto meu corpo estremecer, já estava cansada de reviver o passado, passei tanto tempo tentando não lembrar desses momentos que acho que agora tudo que eu estava adiando resolver vir de uma vez. Balanço a cabeça e volto a caminhar com os braços cruzados. 

-Crystal? -Sinto um raio percorrer meu corpo fazendo eu parar e prender a respiração. Me viro lentamente como se alguém tivesse com uma arma apontada para o meu corpo e lá está ela, com os cabelos perfeitamente penteados, a maquiagem leve e bem feita, suas roupas sociais com cores neuras e marcadas no corpo. -Crystal... Você voltou? 

-Oi Mãe.... -Coloco as mãos nos bolsos do short sem jeito. Ela caminha na minha direção, mas eu me afasto fazendo ela parar. -Melhor não se aproximar... Eu posso te matar esqueceu? 

Ela solta um suspiro e desvia o olhar. 

-Crys... Eu... Eu sinto muito pelo que eu disse... Você não tem ideia de como eu me arrependo de dito cada uma daquelas palavras... 

Fico em silencio observando ela, sei que perder o amor de sua vida e seu filho é devastador, mas não apenas ela que perdeu as pessoas que mais amava na vida e suas palavras apenas pioram a minha situação, a minha mente que até hoje escuto sua voz falando que eu ia matar todos. Ela me observa, como se não me reconhecesse, como se tivesse que aprender tudo de novo sobre mim, vejo seus olhos descerem para as minhas pernas, ela morde a bochecha com força, com certeza se lembrando de tudo. 

-Eu não voltei... -Digo fazendo ela me olhar. -Eu... Eu só precisava de um tempo em um lugar conhecido. 

-Você foi para o Pier? -Abaixo o olhar, ela ainda lembra que Steve me levava lá. Concordo com a cabeça. 

-Eu já vou embora... Talvez amanhã eu pegue um avião. 

-Pra onde? -Seu interesse me surpreende, não sei se é por educação ou se ela realmente quer saber. 

-Eu não sei... -Levanto o olhar tentando controlar as lagrimas, ficar tão perto da mulher que me deu a vida mas que ao mesmo tempo praticamente me destruiu. -Vou pegar o primeiro que tiver lugar. 

Ela concorda com a cabeça. 

-Você precisa dinheiro? -Ela se mexe como se tivesse acordado de repente. -Eu tenho aqui agora se quiser, ou posso te dar um car... 

-NÃO! -A interrompo dando um passo pra frente. -Eu tenho o meu, não preciso do seu. 

-O nosso, Crys você ainda faz parte dessa família... -Solto um suspiro olhando para o céu escuro. 

-Tanto faz... -Digo olhando para ela. -Eu tenho que ir... 

Me viro e começo a andar com dificuldade, como se minhas pernas estivessem enfaixadas novamente, como se tivesse queimadas mais uma vez. 

-Foi bom te ver... -Sua voz melancólica, faz eu fechar os olhos e mordo o lábio inferior tampando a respiração. Dou meia volta e corro em sua direção que da um sorriso, abrindo os braços, pulo sobre ela que me abraça com força apertando meu corpo, deixo as lagrimas escorrem, já não tinha chorado o suficiente? -Eu estava com saudades. 

-Eu... Eu também... Me perdoa... Pelo papai... Pelo Steve... 

-Xiiiii.... -Ela aperta minha cabeça contra seu ombro. -A culpa não foi sua... Nunca foi.


Notas Finais


Beijos e bença da titia Lancan aushuahsuahsua


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...