História I Don't Fucking Care - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila G!p, Camren, Camren G!p
Exibições 814
Palavras 1.777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi chickens <3 ' nem comemorem porque não é maratona u.u

O capítulo será o menor da fic porque ele é um bônus para vocês... Ele tá bem amorzinho, viu? Menos de 2.000, mas tem camren,

Eu cortei o hot que teria na hidromassagem, mas não se preocupem que estou o encaixando no capítulo 18, ele é o meu hot fav, bem gostosinho de se ler ahsjahsjahs

É isso.

Boa leitura!

Erros conserto depois! :)

Capítulo 17 - Capítulo 17


Point of view Camila Cabello

Abri meus olhos com um pouco de dificuldade por conta da claridade que vinha da enorme janela de vidro daquele quarto. Erro meu ter esquecido de fechar a cortina depois que tudo terminou. Me arrepiei ao sentir a respiração fraca de Lauren batendo em meu pescoço. E como sempre de todas as vezes em que dormíamos juntas ela estava abraçada ao meu corpo como se sua vida dependesse daquilo.

Decidi ficar quieta esperando-a acordar, pois sobre hipótese alguma queria acorda-la. Lauren é simplesmente um anjo enquanto dorme, sua respiração fraquinha e seu rosto angelical transparece paz. E por mais que eu a esteja vendo nesse momento por seu rosto estar escondido em meu pescoço, eu sei exatamente que é assim que Lauren esta.

Desde quando cheguei aqui tivemos apenas um desentendimento que no fim se resolveu em sexo, um sexo bem gostoso por sina. Portanto, eu já estava ciente que resolver as coisas não era apenas a base disso, pois conversar com Lauren estava surtindo coisas boas em mim. Eu nunca imaginei que conversar com ela, contar a ela tudo o que me causou dor e sofrimento me traria uma paz interior.

Na verdade, eu nunca imaginei que um dia teria coragem e confiança o suficiente para partilhar isso verdadeiramente com alguém que não fosse meus amigos. Eu sabia que no fundo, Zayn e Hailee tinham um pé atrás comigo sobre o incidente e sempre tiveram as opiniões iguais sendo elas me acusando de ter feito tal coisa. Eu sabia que Lucy, Keana e Ally seriam as únicas a acreditarem em mim, no fundo eu sabia que ela eram as únicas amigas fieis.

E apareceu Lauren... Ela não parecia apenas uma curiosa, quer dizer, eu sei que Lauren nem faz ideia do que aconteceu e nem pesquisou sobre. Ela me escuta e me diz palavras lindas de conforto com tudo que venho dizendo a ela até agora. E de alguma forma essa maldita me faz sentir bem comigo mesma e sorrir sem motivo algum.

E sem contar que tem a Abby, meu outro anjinho que conheci assim do nada e se tornou uma parte importante na minha vida.

Agora eu estava em uma luta interna se iria ou não para casa o quanto antes. Eu realmente não estava com saudades de Nova Iorque, eu estava me sentindo bem de ficar aqui na companhia de estranhos e Lauren. Sem contar que ela me da muitos motivos para que eu fique sem reclamar, deixando claro que nem tudo se baseia no sexo que compartilhamos uma com a outra.

— Camz, você esta excitada. — gemi baixo quando seu joelho bateu onde não devia. — Bom dia... — ela depositou um beijo no meu pescoço.

— Eu quero mijar, isso sim. — murmurei. — Bom dia, pequena. — ela afastou seu corpo e me fitou. Ela me ofereceu um sorriso que logo fora retribuído.

— Eu estou toda dolorida. — esfregou seus olhos.

— Sério?

— Minha cintura e a minha bunda principalmente. — riu baixo.

— Sem sexo por hoje então. — falei séria.

— Ah é?

— Sim. — fui firme.

— Tudo bem. — pontuou.

— Querida, eu vou tomar um banho e me livrar disso. — apontei para o meio das minhas pernas.

A história de tomar banho sozinha não deu tão certo quanto imaginei, pois Lauren insistiu em ir comigo a acabou me chupando dando-me um maravilhoso bom dia. E não, nós não transamos... Falei sério quando disse que não faríamos sexo porque além das dores que ela disse que estava sentindo vi algumas marcas roxas em sua cintura. Me senti até estupida por ter deixado o tesão tomar de conta de mim e tê-la machucado. O fato de Lauren ser tão branca facilita os hematomas na pele leitosa.

E como já passava das onze horas da manhã, fomos almoçar. Lauren nos preparou uma lasanha extremamente deliciosa e entre conversas bobas almoçamos tranquilamente na tarde de sábado.

— Ela é linda. — sorri ao ver a foto da irmã de Lauren.

— E porque seus pais não tiveram mais filhos?

— Minha mãe sempre me disse que eu era o suficiente pra eles, então já bastava só a Karla Camila. — ela riu. — É chato ser filha única, sabe? Tem seu labo bom e seu lado ruim.

— Quais são?

— O lado bom é que você tem tudo pra você e o lado ruim é que você é solitário. — ela me observou. — Quando eu era mais nova gostava muito de chamar a atenção deles, tipo, eu aprontava muito.

— Eles não te davam a atenção que você queria?

— Meus pais eram mais focados me fazer a empresa crescer, sempre deram mais atenção ao império deles.

— Eu sinto muito.

— Não sinta.

— Na minha família, a minha mãe sempre foi mais presente que meu pai, mas no fundo são ótimos pais.

No fundo eu ri ao lembrar que o pai dela queria arranjar um casamento a ela com um interesseiro de quinta.

— Meus pais apesar da ausência que tive na minha adolescência nunca me deixaram faltar nada, eles sempre me deram tudo do bom e do melhor. — falei satisfeita.

— Mas e amor?

— Tiro recebido com sucesso, soldado. — ela riu e corou.

— Não era a minha intenção. — falou manhosa e segurou minha mão.

— Eu sei que não era. — entrelacei nossos dedos e passei a observa-la. — Obrigada por me fazer companhia nesses dias porque talvez eu vá semana que vem.

— Por quê? — ela de repente se afastou um pouco de mim.

— Porque eu acho que já deu, certo? — apertei a ponta de seu nariz.

— Não vai. — falou quase que num sussurro. — Estamos nos dando tão bem, Camz. — fui pega de surpresa quando ela se aproximou novamente e me abraçou. — Não vai...

— Não faz assim. — ela riu contra meu peito. — Esse teu jeito de neném até que me derrete toda.

— Jura? — se afastou para me olhar.

— Sim, você fica tão preciosa assim e nem parece a Lauren que eu conheço.

— A Lauren que você conhece?

— A Lauren safada. — ela soltou uma risada tão engraçada que acabei rindo junto. — Lauren Michelle Jauregui Morgado. — ela franziu o cenho. — O que foi? Eu fiz um contrato, sabe?

— Sei... Andou me stalkeando.

— Eu não sou esse tipo de pessoa. — me defendi.

— Sei...

— Cala a boca! — prendi meu lábio inferior entre os dentes e sorri.

— Então, o que você quer fazer agora?

— Sei lá, o que você quer fazer? — segurei-a pela cintura.

— Vamos falar sobre a Hannah. — revirei os olhos.

— Tudo bem... — peguei meu celular que estava por cima do balcão da cozinha a acompanhei até a sala e nos sentamos no grande sofá. — Então...

— Como vocês se conheceram?

— Em uma festa da faculdade.

— Espera, ela não é menor de idade? — acenei positivamente.

— Ela era irmã da Nicole que era uma das garotas com quem eu ficava. — comecei. — Teve uma festa da irmandade que eu frequentava e a Nicole foi e acabou levando a Hannah. — sorri com a lembrança. — De inicio ela era só mais uma garotinha perdida na festa, mas eu a observei durante horas enquanto me drogava igual a uma retardada e de repente fui até ela e puxei assunto. — passei a mão por meus cabelos e fitei as orbes verdes. — Ela era tão linda e desde ali se tornou a minha ruina. Nos encontrávamos as escondidas de Nicole para não ter problema, mas eu me apaixonei perdidamente por ela.

— E como a sua família soube?

— Eu quis me assumir porque eu realmente gostava dela. — respondi. — De inicio foi ruim, mas depois nossas famílias foram aceitando aos poucos mesmo que meu pai dissesse o tempo todo que ela não passava de uma pirralha interesseira. — ri sem humor. — Por isso que dizem que os filhos sempre tem que escutar o pai.

— Isso é passado, Camz.

— Eu sei que é, mas é que quando descobri a verdade não queria de jeito algum acreditar.

— E como você ficou sabendo? — ela se mexeu um pouco e sentou de lado para poder me olhar melhor.

— Em uma festa no hotel Empire, era o aniversário da filha do senador na época e como sempre eu a levava. — respondi. — A gente transou nesse dia, sabe? Ela dizia inúmeras vezes o quanto me amava e era com tanta devoção que eu acreditei e me senti a pessoa mais feliz desse mundo. — senti um nó se formar na minha garganta. — Mas quando a gente terminou eu fui atrás de algo para beber, eu precisava beber alguma coisa e quando voltei ela estava conversando com um cara. — passei a língua entre os lábios e soltei um longo suspiro. — Ela dizia que tinha nojo de mim e só estava comigo porque sabia que seu futuro estava garantido com uma pessoa podre de rica. — esfreguei meus dedos em minha têmpora esquerda. — Tínhamos transado sem camisinha e o objetivo era engravidar de mim, esse era o plano dela ficar gravida, se casar e quem sabe depois de um ano se livrar de mim.

— Ela foi bem...

— Malvada? — Lauren colocou sua mão por cima da minha que estava em minha perna. — Ela só era mais esperta do que eu.

— Vem cá... — ela abriu um pouco suas pernas e eu me encaixei entre elas me aconchegando em seu colo. — Já chega por hoje. — murmuro.

Senti os dedos de Lauren entre meus fios de cabelo e logo ela iniciou um cafuné gostoso em mim. Me deixei relaxar aquilo em seu colo e ficamos caladas por um bom tempo e o lado bom era que o silencio estava confortável me deixando satisfeita com a situação.

Segurei a mão dela livre que estava por cima do meu peito e fiquei fazendo carinho na costa da mesma enquanto ela também fazia em mim. Fechei meus olhos por alguns instantes tendo a total certeza de que seria fácil dormir no colo de Lauren.

Eu estava me sentindo bem, mas ao mesmo tempo estava com medo da caixinha de surpresas que é a vida. Estava com medo de um possível trote e uma rasteira linda que poderia levar com aquela situação. Lauren estava me ajudando a curar-me aos poucos dando-me o suporte que não tive em anos. E no fundo eu sabia perfeitamente que de alguma forma ela era a razão dos meus sorrisos involuntários e dentro de mim as feridas do passado estavam se fechando aos poucos.

Apenas com a rouquidão de sua voz, de seu olhar cumplice e seu toque já me deixava a sua mercê.

Eu finalmente encontrei uma pessoa em quem confiar. Uma amiga.

— Eu estou me sentindo um pouco estranha. — murmurei.

— Estranha?

— Sim. A gente ultimamente anda tão...

— Eu sei, eu sei. — ela riu. — Mas não é um estranho bom?

— É um estranho muito bom mesmo. — sorri.

Era um estranho extremamente bom e ela também sabia disso. Eu podia ver sem seu olhar.


Notas Finais


serasi vem por ai um amor gostosinho? ajhsjahsj gente, o próximo capítulo é só sábado que vem MESMO. Eu to trabalhando bastante nele e já esta com 5.000 palavras e no máximo vai ter 10.000, adaptar ele tá sendo difícil, viu? Se vier antes foi Allysus que tocou no meu heart, vou começar a ser malvada com vocês sim u.u só estou o deixando grande porque o 19 já vai ser exposta a treta da Camila e o 18 é o gancho para isso.

Desejo-lhes novamente um ótimo final de semana e um feriado topper a mamãe ama vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...