História I don't wanna dream - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 10
Palavras 1.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiii, aqui estou eu, no meu segundo capítulo, Ainda sem nenhuma ideia do que eu estou fazendo mas espero que gostem :)

Capítulo 2 - Life? It's just a nightmare


Fanfic / Fanfiction I don't wanna dream - Capítulo 2 - Life? It's just a nightmare

 
         "I created a monster
         A hell within my head
            Nowhere to go
          I'm out on my own
           Oh I'm so scared
          I created a monster
         A beast inside my brain
              Nowhere to go
           I'm not on my own
           My mind impaired 
   To wake me from my nightmare"
         Nightmare-Set it off

Comecei a andar para ver se havia alguma parede ou qualquer coisa tocável que me ajudasse a me localizar.
O que aquela menina tinha feito com todas as pessoas? E por que ela possuiu a Jack? Podia só ter aparecido no meu armário, ia dar muito menos trabalho, para mim, e para ela.
Eu andava devagar e com os braços esticados, girando para todos os lados.
"Agora sei como os cegos se sentem" Pensei "Só que eles não estão sendo perseguidos por uma menina que está assombrando a suas noites a 16 anos"

Toquei em algo na minha frente, esfreguei as mãos e supus ser uma parede, tateei ao longo da mesma até chegar em um canto. Eu estava realmente presa em um cubículo de escuridão.
Não é possível!Como ninguém percebeu que o corredor se transformou nisso?
-E se eles tiverem percebido...?-murmurei-HEY!-gritei
Corri até uma parede e comecei a bater na mesma.
-ALGUÉM!ME TIRE DAQUI!-gritei mais alto 
-Calma...você não está sozinha.

Me virei para trás e minha mente foi tomada pela imagem da menina sorrindo com seus olhos brilhando.
Gritei alto e balancei os braços, percebendo que o ambiente havia voltado a ter luz.E estava frio.E eu estava sentada.E tinha uma sala de aula inteira me encarando.
-Senhorita Turner, está tudo bem?-o professor perguntou.
Olhei ao meu redor confusa. 
-E-eu...Eu estava dormindo...?
-Você está um pouco pálida, está se sentindo bem?
-Sim...Posso sair para lavar o rosto?
-Claro, mas não demore, já perdeu tempo demais da aula.
Me levantei e enquanto me dirigia a porta, podia sentir os olhares dos alunos queimando nas minhas costas, mas eu só me importava com um deles, e era o motivo de eu estar envergonhada.

Virei o corredor e me dirigi ao banheiro, coloquei os cotovelos em cima da pia e as mãos no rosto, deslizando-as até as laterais do pescoço para poder ver meu reflexo, e me assustei pois o mesmo estava com sangue de um lado.
-Mas o que...-cheguei mais perto do espelho e deslizei os dedos pelo rastro de sangue, que parava no meu pescoço.
Afastei as mãos do corpo e na esquerda havia um corte, exatamente como no "sonho" 
-Mas...isso não é possível...
Ouvi um barulho atrás de mim e vi pelo espelho a porta de uma das cabines abrindo, uma menina saiu e olhou para mim, continuei a olhando para ver a reação dela ao notar que meu rosto estava coberto de sangue.
-Algo errado?-ela perguntou 
franzindo a sobrancelha.
Ela não consegue ver.
-Hã...Não,nada...
Liguei a torneira e limpei o rosto, passando um pouco de água na mão também.
Embora "ninguém pudesse ver",eu podia, e isso me incomodava.E se ninguém tivesse apenas reparado?Não é possível que só eu possa ver uma coisa que existe, que eu SEI que está ali!
Saí do banheiro e voltei até minha sala, indo em direção a minha mesa e pegando o caderno para anotar seja lá o que o professor tinha escrito no quadro.

A aula acabou e era hora do intervalo, peguei um pouco de dinheiro na minha mochila e fui pegar alguma coisa na máquina de salgadinhos, me abaixei para pegar o chocolate que eu havia selecionado e quando me virei, ELE estava atrás de mim.
-Opa-ele disse dando um passo para trás por eu estar muito perto.
-Desculpa Will...-falei abaixando a cabeça e indo embora com a barra na mão.
-Espera!Charlotte...não é?-ele perguntou antes que eu me distanciasse mais.
-Sim-falei me virando para respondê-lo.
-Foi você que surtou na aula hoje?
-É...não foi bem um surto...eu só...-comecei a falar e olhei para o corte na minha mão, passando o polegar por cima do mesmo-Transtorno de ansiedade.
-O quê?
-Eu tenho transtorno de ansiedade, eu dormi e tive um ataque.
-Então...você teve um surto...?-ele perguntou ironicamente.
-É!Um surto,mas eu To bem, eu tenho que ir agora, tchau!-falei rápido e fui embora para o corredor, mas pude ouvir uma risadinha dele antes de me afastar.

Fui até meu armário e sentei no chão, apoiando as costas nele.Retirei meu telefone do bolso e mandei uma mensagem para Kristen.
ELE FALOU COMIGO SOCORRO
Logo o sinal de que ela havia visto a mensagem apareceu e ela começou a digitar.
QUÊ?QUANDO?AGORA?CADÊ VOCÊ?DEVE TÁ MORRENDO
Dei uma risada fraca com a reação dela e falei o corredor em que estava, sendo atacada pela mesma alguns minutos depois.
-Conta!Vocês se beijaram?Ele te chamou pra sair?
-Calma, não é assim que funciona-ri com a animação da menor.
-E como é?Ele vai chegar em casa com um buquê de flores pedindo pro papai sua mão em casamento?-ela perguntou pegando um pedaço do meu chocolate.
-Ele é um dos caras mais disputados dessa escola, não é como se ele fosse prestar atenção em mim do nada.
-Então faz alguma coisa pra chamar a atenção dele!Não é tão difícil.
-Tipo o quê?
-Sei lá, manda uma foto pelada pra ele e diz que era pro seu namorado
Tapei sua boca e ri alto da sua resposta.
-E você?Tem algum garoto bonito no 9º ano?
-Você realmente gosta de esfregar na minha cara que é mais velha não é?
-Algo assim.
-Bom...-ela falou meio constrangida.
-Ah fala logo!Eu te falei tudo sobre o Will!
-Tá bom...o nome dele é... - uma risada maléfica ecoou no corredor e as luzes piscaram rapidamente.
Me assustei ao ouvir a risada e fui um pouco para trás.
-O que foi?-ela perguntou confusa. 
-Nada...eu só...alguma coisa machucou minhas costas, qual o nome dele mesmo?
-Brandon-ela falou com tom óbvio. 

O sinal tocou e ela se despediu, indo para o seu andar,me levantei e fui para a sala.
Depois de algumas aulas eu estava livre para ir para casa, mas não tinha certeza se queria ir, não tinha certeza se queria dormir e não tinha certeza se queria ficar acordada, não tinha certeza se queria sumir e não tinha certeza se queria continuar visível, mas o mais importante:não sei se eu contava para alguém.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...