História I Drop In The Ocean - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Restart
Tags Koba, Pedro Lanza, Pedro Lucas, Restart, Thomas
Exibições 17
Palavras 1.741
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Geeeeente, DÁ UMA PARADINHA PARA LER ISSO AQUI...
meus amores, eu sei que estou muitos dias sem postar capitulos novos, é que eu estou vendo que há poucos comentarios ai não sei se estão gostando ou não, fico meio que na duvida (NÃO ESTOU EXIGINDO COMENTARIOS).
mas é isso meus amores, espero que gostem desse capitulos e beijinhos <3

Capítulo 30 - Vou lutar com todas as forças pelo nosso amor


“-Não fala do Pedro. – Falei sentindo meus olhos marejarem. – Ele insistiu em acreditar no que aconteceu. Ele não quis me ouvir. Ele me humilhou me xingou. Eu sei que ele viu. Mas não buscou saber o que realmente havia acontecido. – lagrimas escorreram. – Eu quero que ele saiba de toda a verdade, mas depois é cada um pro lado. Eu vou esquecer ele, o arrancar do meu coração. “

 

-Amiga você precisa descansar. – Ela falou me olhando e me dando um beijo na testa. Fiquei calada por uns segundos e fechei os olhos.

Acabei adormecendo.

Pedro On’

Ao chegar no hospital me deparo com a Ketlyn me olhando com os olhos marejados e um olhar que não consegui identificar. No mesmo momento me assustei.

-O que foi? – Falei indo até ela e segurando entre os braços – Fala pra mim o que foi!!

Ela ficou calada e sorriu. No mesmo momento imaginei o que seria, meu coração deu pulos de alegria só conseguia pensar nela e em ver aqueles olhos verdes água olhando pra mim, e me acalmando e me trazendo a paz de sempre.

Sai correndo em direção a porta do quarto dela, ao entrar vejo o doutor examinando ela enquanto seus olhos ainda estão fechados.

-Doutor, alguma noticia? – Falei com um pouco de esperaça.

-Sim, felizmente a paciente reagiu, porém ela acabou dormindo, é comum que por conta do acidente e do longo tempo dormindo ela ainda esteja um pouco frágil ao que aconteceu.Bom eu já examinei e está tudo bem com ela, se me da licença eu vou me retirar.

Ele saiu e eu me aproximei da cama, abaixei ficando de frente pra ela e segurei em suas mãos....

-Amor, meu amor, você não sabe o quanto me dói ver você nessa cama e eu não poder fazer nada. Eu queria poder cuidar de você, você parece tão frágil. Me perdoa – Uma lagrima escorreu dos meus olhos e eu abaixei a cabeça em seu peito. Senti sua respiração, seu coração batendo. Fiquei por minutos na mesma posição, quando senti sua doce voz entrando em meu ouvido, aquilo servia como anestésico para tudo o que havia acontecido, para aquela dor que eu sentia.

-Pedro ... – Ela dizia ao abrir os olhos.

-Meu amor – falei olhando dentro dos olhos dela, meu coração acelerava, era como se eu tivesse acabado de encontrar o amor da minha vida novamente. – Você não imagina o quanto eu to feliz por ver você com os olhinhos abertos novamente. Eu achei que ia te perder.

-Eu to bem – ela disse me olhando dentro dos olhos.

-E que bom que está bem meu amor. – Falei passando a mão sobre seu rosto.

-Pedro não me toca – ela disse rejeitando meu carinho

-Mas por que? – falei sem entender. – Se é por causa das coisas que eu te falei... – Fui interrompido.

-Não me lembra mais disso, essas são minhas ultimas lembranças que eu tenho antes daquele maldito acidente! Suas palavras e o toque agressivo daquele cara em mim., eu não quero ver ninguém, muito menos falar com alguém, eu to suja, me deixa sozinha. – ela falava enquanto passava a mão sobre os ombros e suas lagrimas desciam.

-Quem fez isso com você, fala que eu vou quebrar a cara do infeliz. Eu nunca mais vou deixar alguém encostar um dedo sequer em você – Falei fechando os punhos.

-Pedro me deixa em paz.

-Foi o Miguel ? – Uma corrente de ódio passou sobre mim e ela fechou os olhos e parecia que estava em um pesadelo.

-O que adianta? Já aconteceu – ela falou fria – pois fique você sabendo que tudo o que você estava pensando sobre a minha suposta traição com o Koba, é mentira. Foi tudo armação do Miguel. – Meu corpo tremeu – Sai desse quarto e  me esquece nunca mais volte aqui!

-Pequena? – ouvi a voz do Thomas entrando no quarto. – Eu não acredito! – Ele deu um grito e foi até ela.

Ele olhou pra mim e pra ela e ficou quieto, nesse momento eu não pensava em mais nada, apenas naquela amargura que estava dentro de mim, e na bendita armação do Miguel, e no que ele foi capaz de fazer com minha pequena. Quando eu pegar esse cara eu vou matar aquele desgraçado.

Vanessa On’

Eu me sentia suja, minhas pernas ainda doíam, meu corpo estava cansado, eu olhava para o meu braço ainda haviam marcas, não só do acidente como do abuso. Me sinto um lixo definitivamente não quero ver ninguém. O Thomas está aqui, eu entendo todo o apoio dele porém não quero que ele sinta pena, eu só quero ir embora pra minha casa e descansar.

Após eu ter acordado todos foram me visitar, levar flores, algumas fãs da banda deixaram mensagens carinhosas no twitter, foram super carinhosas comigo.

Alguns dias depois fui liberada e pude voltar para casa, o Fernando o Thomas o Yan e a Ketlyn me ajudaram, o Koba também não saia do meu lado.

-Amiga, tem certeza mesmo que não quer ver o Pedro, ele não para de mandar flores e mensagens – Yan falou me olhando serio.

-Agora ele quer me comprar com flores e frases bonitas? – falei fria.Meu coração gelava quando se falava do Pedro.

-Amiga não seja dura – Ketlyn falou se sentando ao meu lado.

-Até por que foi uma armação ele não sabia. – Thomas falou sério.

-Gente por favor. Ele me magoou muito com aquelas palavras dele, ele me ofendeu, eu não quero lembrar disso – uma lagrima escorreu e um nó percorreu minha garganta, me levantei e fui para meu quarto.

Me deitei na cama e comecei a chorar, tudo o que segurei.

Acabei adormecendo e acordando no outro dia. Me levantei já era meio dia. Estou de licença do trabalho. Yan foi trabalhar, Ketlyn foi fazer uma sessão de fotos, meu deus como será que está minha sobrinha? E Thomas tem algo para resolver sobre a banda. E eu só quero dormir. Apenas.

Vou tomar um banho, caminhei em direção ao banheiro e me olhei no espelho. Havia uns hematomas não muito feios pois estavam cicatrizando, e uns roxos ao redor do meu pescoço desaparecendo, e eu me lembrei daquela noite, da respiração ofegante do Miguel em cima de mim, dos meus gritos por ajuda, das mãos dele passando violentamente no meu corpo. Aquilo era uma tortura para mim. Entrei no chuveiro e fiquei por muito tempo lá dentro. Ouvi um barulho da cozinha e imaginei que fosse o Yan ou o Thomas. Desliguei o chuveiro me enrolei na toalha e sai para me trocar. Coloquei qualquer roupa da gaveta e resolvi deitar novamente. Ao deitar a porta do meu quarto se abre e vejo o Miguel parado me olhando com a pior cara que eu já tinha visto antes.

-Mi-mi-miguel? – falei gaguejando.

-Oi meu amor, fiquei sabendo que você se recuperou. – ele falou entrando no quarto e fechando a porta – agora podemos aproveitar.

-Sai daqui! – falei com medo porem grossa.

-Não – ele sorriu.

-Sai daqui se não eu grito! – falei novamente me levantando e me afastando dele.

-Você não vai fazer isso – ele correu me agarrou e tampou minha boca com as mãos. – Quando  eu lembro de você nos meus braços me da um tesão – ele cheirou meu cabelo.

-Solta ela! – Escutei a voz do Pedro e do Thomas abrindo a porta.

-Veio salvar a princesa é? – O Miguel se virou e me jogou pra cima do Pedro.

-Oque você pensa que ta fazendo aqui? Depois de ter armado tudo aquilo pra cima de mim? – falei nervosa e com lagrimas.

-Então foi você né miserável ? – Pedro falou indo pra cima dele.

- É FOI EU SIM! – ele gritou – eu que armei tudo, eu que coloquei calmante na bebida do japinha e dela, eu que coloquei eles na cama, eu que tirei a roupinha dela.. Eu que fiz tudo. E Jurei que a próxima vez que eu visse ela, ela seria minha e foi – ele fechou os olhos – quando eu penso no corpo dela colado ao meu, eu acariciando cada parte minha boca se enche de água.

-CALA  ESSA BOCA – Pedro Lucas gritou e deu um soco nele – você vai me pegar.

-Não Pedro para! – Falei tentando fazer ele parar mas o Thomas me segurou.

-Vanessa não, dessa vez esse cara merece, por tudo o que te fez! – Thomas falou me segurando.

-Para!! – eu gritei tentando me soltar. – eu não quero que façam isso, vocês não são que nem ele.

Ao ver aquela cena do Pedro batendo no Miguel eu temi pois sabia que o Miguel não iria deixar barato aquilo.

-Pedro já chega – Thomas falou me soltando e indo segurar ele – esse cara já teve o que merece.

Miguel estava definitivamente todo ensanguentado e machucado. Ele se levantou com dificuldade e me olhou com cara de nervoso e saiu tombando pela porta.

O Thomas foi atrás dele e me deixou sozinha com o Pedro.

- Você ta bem? – ele caminhou em minha direção. – Ele te machucou, fez algum mal em ti? – ele falou olhando pra mim.

-Eu vou ficar bem – falei me soltando dele e indo me sentar na cama.

-Até quando você vai ficar assim comigo? – Os olhos dele marejaram.

Eu já tinha perdoado ele, eu sei que ele não falou todas aquelas coisas por mal, porém eu não queria que ele me visse daquele jeito, não tinha vontade de que ele me visse daquela forma, depois de tudo o que aconteceu, outro homem havia me tocado, outro homem havia me sentido, outro homem. Um nó me percorreu a garganta e as lagrimas desceram.

-Pedro vai embora daqui! – ele se aproximou – NÃO TOCA EM MIM! – eu gritei e o empurrei. – eu não quero que você me veja assim – passei a mão pelo pescoço.

-Amor entenda. Eu to aqui pra estar do seu lado, nas horas boas e más.  Eu não quero te ver assim.

-Pedro para. Eu to suja, eu não quero te ver. – Os olhos dele encheram de lagrimas junto com os meus.

-Vanessa, entende uma coisa, o que esse cara fez tem nome, se chama estupro, a gente pode denunciar ele. – ele falou tocando no meu rosto e olhando nos meus olhos. Sentir ele me tocando era como um calmante pra tudo – me deixa cuidar de você? – ele falou e eu neguei com a cabeça – por mais que você diga não eu vou ficar, você precisa de mim e eu não vou te deixar. Eu vou lutar com todas as forças pelo nosso amor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...