História I fell in love with a criminal / Justin Bieber - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Styles, Justin Bieber, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais, Zayn Malik
Visualizações 886
Palavras 1.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 4 - Capítulo 4 - Mayla O'brien


Fanfic / Fanfiction I fell in love with a criminal / Justin Bieber - Capítulo 4 - Capítulo 4 - Mayla O'brien

- Você vai se atrasar - Escutei a voz de Camila do meu lado. Abri meus olhos lentamente e olhei pro relógio me espantando - Eu disse.

Me levantei rapidamente correndo pro banheiro. Tomei um banho rápido e fiz tudo o que tinha que fazer ali. Pus uma roupa confortável e quente pois estava frio, dei um beijo na bochecha de Camila e saí rumo a minha faculdade.

Ao chegar na mesma,vi umas garotas me olhando estranho e cochichando algo. Essas meninas não crescem, parece que estão na sexta série ainda.

Hoje já é segunda e eu não consigo tirar aquela maldita cena da minha cabeça. Só de pensar que eu poderia ter perdido a minha virgindade com aquele velho nojento me dá arrepios. Sim, eu tenho 18 anos e sou virgem.

Aquelas mãos nojentas, aqueles dentes sujos, nada foge da minha cabeça, parece que abraçaram o meu cérebro e nunca mais soltaram. Se estou na sala, lembro do velho, se estou comendo, lembro do velho. Tudo o que eu faço me lembra o velho.

{...}

O dia na faculdade foi normal, sem estresse e nada. Saí da mesma e segui rumo a lanchonete do seu Antônio. Ao chegar ainda estava fechada, estranhei e então resolvi me sentar em frente a mesma e esperar.

- Oi minha menina - Diz seu Antônio se aproximando, sorri e me levantei.

- Pensei que não viria - Digo o ajudando já que o mesmo estava com algumas sacolas.

- Me atrasei, minha filha está doente - Diz abrindo a porta da lanchonete.

- Se precisar de ajuda pode contar comigo okay? - Entro na lanchonete pondo as sacolas no balcão.

- Que isso, você já tem seus deveres, não posso te incomodar com assuntos da minha família.

- Seu Antônio deixa de bobeira, o senhor já me ajudou tanto, se precisar é só falar comigo - Ele apenas assentiu, colocou o avental e começou a limpar a lanchonete. O ajudei e em minutos clientes já adentravam o local.

Estava sevindo uma das mesas quando vejo Camila entrar na lanchonete. Sorrio olhando a mesma e me aproximo dela.

- O que deseja senhorita?

- Vim te buscar - Diz me olhando.

- Me buscar? Meu espediente ainda não acabou - Digo olhando ela - Ainda são 16:00.

- Seu Antônio me ligou e disse que era pra vir te buscar - Olho seu Antônio.

- Vai minha menina, você parece cansada e aflita.

- Mas e a lanchonete?

- Pode deixar que eu cuido dela e não adianta dizer que vai ficar.

- Ta bom - Tirei meu avental, peguei minha bolsa e saí com Camila - Onde vamos?

- Você vai em casa se trocar, colocar a sua melhor roupa porque vamos a um leilão de quadros.

- Sério isso Camila? Leilão?

- Sério.

- Eu vou voltar a trabalhar.

- Ai ta bom sua chata - Diz me olhando - Vamos pra casa de um amigo meu.

- Fazer o que lá?

- Chega de perguntas e entra no carro.

- Ta bom - Digo revirando os olhos logo entrando no carro.

Ela dirigiu por pelo menos 15 minutos. Ao chegarmos, saí do carro e me espantei com a enorme casa, sendo mais clara, mansão.

- Parece ter dinheiro - Digo olhando ela que me puxou para a entrada.

- Não estranhe se ver alguém usando droga ou armado.

- O que? Não estranhar? Pra que me trouxe aqui Camila?

- Relaxa, você vai gostar - Diz entrando na casa. Respirei fundo e entrei junto.

Ao entrarmos, me deparei com uma imensa sala, moveis bonitos e pelo visto bem caros. Camila me puxou para o andar de cima e andamos por um imenso corredor até chegarmos em uma porta.

- Estou com medo do que eu posso ver ai dentro - Camila me olhou.

- Não diga nada se não quiser ser chamada de santinha - Abriu a porta e eu me espantei.

Tinha ali, 4 rapazes e um deles eu conhecia. O cara da balada, ele estava sentado em uma poltrona de couro atrás de uma enorme mesa. Os outros 3 rapazes estavam sentados em um sofá, o cheiro de maconha ali dentro era horrível.

- Olha quem chegou! Camila e sua amiguinha - Um deles diz abraçando a Camila e logo me olhou - Sinta-se à vontade.

- Camila... - Digo baixo olhando ela.

- So relaxe - Ela disse e logo pegou um cigarro de machonha acendendo o mesmo. O rapaz sentado na poltrona de couro não dizia nada. Os outros três estavam cheirando junto com Camila.

Confesso que não sabia que Camila era dessas e nunca imaginei entrando em um lugar como esse.

- Posso saber seu nome? - Me aproximo do cara que estava sentado na poltrona de couro.

- Justin Bieber - O mesmo me encara pegando um saquinho de cocaína- Curte?

- Não - Me afastei um pouco.

- Não precisa se afastar - Guardou o saquinho e voltou a me encarar.

- Eu sou Mayla O'brien.

- Eu sei, aliás eu sei de tudo - Piscou pra mim. Como ele sabe?

- Como sabe?

- Camila? Não contou pra ela? - Camila encara o Justin e logo me olha.

- O que? Não me contou o que? - Encaro Camila.

- Ele é traficante - Arregalo meus olhos dando passos pra trás- Fica tranquila, nada vai acontecer com você.

- Nada vai acontecer comigo? Camila você me trouxe pra casa de um traficante! - Olho ela - Como conheceu ele?

- Eu e Justin somos amigos desde criança, ele escolheu essa vida e eu não me afastei dele por isso.

- Meu Deus... - Olho o Justin e ele estava com um sorrisinho nos lábios.

- Não precisa ficar assustada, não falando nada você está segura - Dá um sorrisinho.

- Eu preciso de um ar - Saio dali descendo as escadas rapidamente. Vou até o jardim que dava visão para uma enorme piscina e me sento no gramado abraçando minhas pernas.

Eu não acredito que Camila me meteu nessa. Me trouxe pra casa de um traficante, vai que corre algum tiroteio e eu estou no meio? Ela é doida? Sinto uma mão entrar em contato com a pele do meu ombro o que me fez levar um susto.

- Calma - Um dos rapazes que estava junto com o Justin disse e logo se sentou ao meu lado.

- Desculpa, eu não sou de frequentar lugares assim - Suspiro o olhando.

- Eu sei, como Justin disse sabemos tudo de você - Andam fuçando a minha vida é isso? - Satisfação Chaz - O mesmo estendeu a mão pra mim.

- Como você sabe tudo de mim, não preciso dizer meu nome - Aperto a mão dele - Camila participa de assaltos essas coisas?

- Não, ela só usa droga aqui e vai embora.

- Eu não sabia que ela usava drogas.

- Justin pediu pra ela não falar nada - O mesmo se levanta - Acho melhor voltar pra lá ou Camila vai ficar doidona.

Deixei ele sair e fiquei mais um bom tempo sentada na grama. Quando resolvi voltar para o "escritório" Camila já estava doidona. Justin estava bebendo alguma coisa que eu não consegui identificar e os outros estavam olhando Camila dançar feito uma louca.

- Camila? Melhor irmos - Olho ela.

- Acho que você não vai querer que ela dirija nesse estado - Justin disse me olhando - Vem cá- Deu três batidinhas no seu colo me encarando. Ele acha que eu sou esse tipo de garota? Não! Eu não sou.

Não respondi nada, apenas me sentei em um canto e abracei minhas pernas chorando baixinho.

- Vem! - Justin estendeu a mão pra mim. O olhei e me levantei.

Sai dali com ele que me guiou para um quarto. O quarto era grande, tinha apenas uma cama de solteiro e um guarda roupa. Tinha uma porta também, provavelmente o banheiro.

- Acho melhor dormir aqui, fique tranquila, não vai acontecer nada com você- Diz me encarando.

- Eu quero ir embora.

- Para de cu doce! Toma um banho e se quiser tem roupas no armário - Disse praticamente gritando e logo saiu do quarto batendo a porta.

- Grosso!

- O que disse? - Que diabos! Me deixa em paz.

- Nada!

- Acho melhor abaixar o tom de voz comigo - Diz se aproximando de mim o que me fez dar passos pra trás até encostar minhas costas na parede - Eu não sou qualquer um não.

O encarei por alguns segundos. Minha respiração estava acelerada, meu coração parecia que ia sair pela boca de tão nervosa que eu estava. Justin se afastou e saiu batendo novamente a porta.

Me joguei na cama e a única coisa que eu conseguia fazer era chorar. Eu só quero ir embora e me deitar na minha cama. Eu só não vou sozinha porque eu não conheço esse lado de Atlanta.

Eu queria esquecer o que aconteceu comigo naquela madrugada e agora tem mais isso. Minha melhor amiga drogada, estou deitada na cama da casa de um traficante! Pra que Camila foi me meter nisso?

{...}

Chorei tanto que acabei dormindo de qualquer jeito na cama. Acordei no meio da madrugada e resolvi sair do quarto pra procurar algo pra comer. Não devia fazer isso mas eu estou com fome, muita fome.

Caminhei lentamente até a cozinha e dei glória a Deus por não ter ninguém lá. Abri a geladeira e peguei um pedaço de bolo que tinha lá.

- Não sabia que Justin costumava trazer duas pra casa dele - Escutei uma voz feminina atrás de mim o que me fez levar um leve susto -Ta te pagando quanto? - Me virei e me deparei com uma morena de calcinha e sutiã. Prostituta.

- Não sou garota de programa, estou aqui com uma amiga minha - Terminei de comer o bolo e lavei o que sujei pondo tudo no lugar.

- Amiga? Camila?

- Conhece ela?

- Claro, a princesinha do Bieber, vem satisfazer ele quando ele não quer os meus serviços- Diz pegando um copo de água.

- Camila vai pra cama com o Justin?

- Olha, melhor você falar com ela depois, eu já vou indo, Justin está me esperando - Piscou pra mim e saiu de lá.

Camila me deve uma ótima explicação!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...