História I Found A Girl ( Camren Fanfic) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camren, Dinah Jane, Drama, Laucy, Lauren Jauregui, Lucy Vives, Normani Kordei, Normaniah, Revelaçoes, Romance, Vercy, Vero Iglesias
Exibições 122
Palavras 1.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Depois de DIAS de ansiedade, adrenalina, e mistério
SAIUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
I Found A Girl
Em primeira mão para vocês.

Capítulo 1 - Dope


Fanfic / Fanfiction I Found A Girl ( Camren Fanfic) - Capítulo 1 - Dope


Sotaque de Nova Jérsei, nem fala muito
Estou sentindo sua atitude
Essa pegada da costa leste, baby
Está me deixando maluca
Assim como deveria
Com mãos que poderiam me salvar
Um rosto que poderia me destruir
Estou meio apaixonada por você
Mas nunca diria isto para você
P.O.V Lauren
 
— Ah! Quer saber, eu vou para casa, estou cansada demais para resolver todos esses papéis!— Levantei da minha cadeira e Vero me olhava. 
 
 — Qual é?— A olhei.


 — Pode ir também.


 — Te amo!— Ela saiu saltitante da sala. Revirei os olhos, menininha. Ela era uma adolescente, mas eu gostei dela e trouxe-a para cá, fui até a Camila, minha secretária.


 — Camila.— Ela tirou os óculos. E me olhou.


 — Sim, senhorita Lauren.


 — Quero que fiscalize uns papéis hoje a noite e por favor...— Acendi um cigarro.— Sem falta, leia todos e diga se eu posso assinar ou não e Ah! Pode ir para casa agora.
 — Mas senhora, não tenho com quem ir.


 — Mas posso te levar. Onde mora?—  Ela balbuciou algo como xingamentos e falou.


 — No Mission District na Harrison St.


 — Caramba garota, onde você foi morar?? É perigoso.


 — Foi o canto que sobrou pros latinos.— Deu de ombros e pegou o cadernos e os papéis
 — Mesmo assim. Já me conhecem.


 — Em que parte mora?


 — Perto da Academia de Dança.


 — Menina, me admira estar viva.— Fui andando até o elevador e ela me seguiu.


 — Então senhora Lauren, não assine os contratos com os chineses.


 — Mas por que? São os principais.


 — Eles vão lhe roubar o equivalente a 3 milhões.— Traguei, chineses miseráveis. Soltei a fumaça e Camila tossiu, ri bufando.


 — Uau. O que eles roubariam??

 
 — Bem, roubariam os 5 por cento da empresa, demitindo vários empresários, eles querem que assine isso justamente para fazer isso, creio que se for assinar, mude essa parte aqui.— Ela grifou quase metade do texto, o elevador parou e saímos dele para o estacionamento.
 
 E ela continuava lendo, estava me irritando, aquele silêncio, joguei o maço do cigarro no chão e pisei, abri a porta para ela e ela continuou feito uma nerd, lendo e nem vendo.
 — CAMILA!— Ela pulou de susto e entrou.
 

 — Desculpe senhora.
 — Odeio que me chame assim.— Fechei a porta, contornei o carro e entrei.
 Parti pelas ruas de São Francisco, chegando até o esquisito e mal iluminado Harrison St.
 Havia pessoas na calçada, fumando maconha, o que me inebriou um pouco, mas parei na casa que ela pediu.
 
 
 — Obrigada Laure... quer dizer senhorita.


 — Estamos fora do trabalho Camila, pode me chamar de Lauren.— Sorriu timída e saiu do carro. Observei-a entrar no apartamento e uma pessoa me bateu no vidro, pulei de susto e olhei, um mendigo pedindo dinheiro para se drogar.
 — Vá se ferrar.— Dei partida e fui ao Russian. Que no momento estava longe. Lucy me ligou.


 — Oi amor.— Revirei os olhos. Com certeza ela queria algo.


 — Oi amorzinho! Bem, eu não estou em casa hoje. Estou no trabalho, emperrada. EMMA!— Gritou, afastei o celular do meu ouvido.— Enfim, amor, só amanhã eu lhe encontro.


 — Tudo bem. Beijos, te amo.


 — Te amo também, EMMA PORRA NÃO MANDEI VIR AQUI?— Desliguei e ri. Passei por um clube na mesma rua, muitas pessoas iam, mulheres, apenas, estacionei o carro por ali, desci e o tranquei, esperei na fila para entrar, algumas pessoas me olhavam, sim, babacas, Lauren Jauregui estava  na sua frente, ou atrás, no caso, o segurança nem me olhou direito e me deixou passar.
 Entrei na boate.
 As luzes e a música alta me incomodaram de início, havia esquecido como era irritantemente aquele barulho idiota, pensei em voltar, mas percebi que havia mulheres demais, homens em pequena quantidade e que as mulheres estavam em um uniforme minúsculo. Mesmo assim ignorei todos e fui a porta, onde bati de cara com uma prostituta, seus olhos castanhos por baixo da máscara, seu bumbum durinho por baixo do shorts e seus pequenos seios por baixo do top, ela não tinha o mesmo uniforme, olhou assustada para mim e me puxou para cima.


 — Me desculpe.— Ela retraiu os lábios e os mordeu, provocante.— Já está indo?— Assenti hipnotizada.— Poderia ficar um pouco para o show da escolha, é uma tradição desse clube.— Ela mordeu o lóbulo da minha orelha, arrepiei-me.— Espero que me escolha.


 — Como é seu nome?


 — Karla.— As luzes se apagaram por alguns segundos. Quando voltaram começou uma música a qual julgo ser Beyoncé o palco estava com luzes rosas que se apagavam e voltava.
 
Algumas meninas entraram no palco, aquelas as quais estavam na festa mais cedo, porém algumas saiam com rapazes ou até mesmo meninas, Karla me olhou e chamou-me com o dedo, fui me aproximando e me sentei num sofá lá perto, ela pegou o ferro a sua frente e desceu, subindo com a bunda virada para mim, depois ela desceu do palco e se sentou no meu colo.
 Eu iria explodir, me beijou calorosamente e começou a fazer lap dance, rebolando no meu colo com força.


 — Ka-karla.


 — Me escolhe amor, me escolhe.— Mordeu o lóbulo da minha orelha e desceu do meu colo, ainda na minha frente, desceu até o chão, fazendo suas nádegas baterem uma na outra, se posicionou sobre mim e abriu as pernas, entendi o recado e afastei sua calcinha, enfiando dois dedos lá, ela fazia o lap dance nos meus dedos. A luz se apagou novamente e senti sua vagina molhada se afastando de mim e novamente sentando com força, mas depois fugiu dos meus dedos.
 As luzes se acenderam e ela estava no palco, esperando as pessoas a escolherem, alguns homens levantaram a mão, observei.


 — Eu gostei da Karla, 5 mil— Levantei as sobrancelhas, tudo isso de início?


 — 6 mil.
 
 — Quero ela como acompanhante hoje 7 mil.


 — Quero ela para transar aumento para 7 mil e 500.  


 — 2 milhões por ela, quero comprá- la— Falei. Os homens arregalaram os olhos.


 — Parece que temos uma fudedora de bucetas e paga caro para isso.— Ele bateu na mesa de madeira.— A partir de agora Karla é totalmente sua. Você que manda nela.
 
 Subi até o palco, onde o rapaz apresentou os papéis.


 — Ela vai ser sua a partir do momento que assinar isso, aceitamos devoluções até 2 anos. Mercadoria pode enfraquecer.— apontou a uma loira.— Um dia se está em alta. No outro já não está.
 
— Okay...— Comecei a ler aqueles textos de dar sono, onde está a Camila numa hora dessas?
Depois de ver os termos, assinei o quanto ia pagar e meu nome, logo depois ela assinou o nome dela é o cara o dele. Estava feito, eu havia pagado 2 milhões de dólares por um rabo de saia, que sinceramente não sabia o que iria fazer.


 — Lauren....— Ela sussurrou no meu ouvido. Me arrepiei —Lauren.....— Mordeu meu lóbulo. O cara assentiu e foi tirar a cópia. Karla puxou-me para os sofás lá embaixo, me sentando e se colocando em cima, dançando o mais sensualmente possível, eu estava excitada e isso era visível, tentei passar a mão em seu corpo mas ela as afastava.
— Shiiiiii....— Tentou me aquietar— Só quero agradecer por me levar Lauren, me deixa agradecer vai?
 


Notas Finais


E ai? Gostaram?
Eu sei que TODO mundo faz fics de dupla personalidade. Mas né. A gente tenta.
Beijos e Dracmas da Tia Mary


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...