História I Found A Girl ( Camren Fanfic) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camren, Dinah Jane, Drama, Laucy, Lauren Jauregui, Lucy Vives, Normani Kordei, Normaniah, Revelaçoes, Romance, Vercy, Vero Iglesias
Exibições 802
Palavras 2.348
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Depois de DIAS de ansiedade, adrenalina, e mistério
SAIUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
I Found A Girl
Em primeira mão para vocês.

Capítulo 1 - Dope


Fanfic / Fanfiction I Found A Girl ( Camren Fanfic) - Capítulo 1 - Dope

OBSERVAÇÕES SOBRE A FIC:

1ºKarla usa lentes azuis

2º As traduções para outras línguas virão em breve

3º Essa é uma fic de minha autoria, tudo e qualquer cópia sem minha autorização é plágio

 4º Os outros Capítulos estão diferentes porque estou começando a reescrever daqui (28/01/17)

 Sotaque de Nova Jérsei, nem fala muito

Estou sentindo sua atitude
Essa pegada da costa leste, baby
Está me deixando maluca
Assim como deveria
Com mãos que poderiam me salvar
Um rosto que poderia me destruir
Estou meio apaixonada por você
Mas nunca diria isto para você

 

Lauren Jauregui Point Of View.

São Francisco, Califórnia, EUA —12h07min

A caneta azul com meu nome em seu exterior deslizou pelo último papel da pasta, arrancando-me um pequeno suspiro por finalmente terminar aquela tortura. Era final de semana, e eu odiava trabalhar neles. Era para estar em um avião, indo à uma ilha paradisíaca em algum lugar do mundo.

Provelmente, Caribe, sim Caribe é uma boa escolha.

Mas agora, Caribe estava sendo substituído por alguns papéis.

Merda!

O porta-canetas caiu, despejando canetas de diferentes cores, fazendo um arco-íris desarrumado no último papel.

Merda!

— Camila! Camila!

Chamei pelo interfone, parando de respirar por segundos, para me impedir de gritar de raiva. Mas que droga, eu passei o dia todo para assinar aquilo e agora vou ter que esperar imprimir o outro novamente!

— Sim Senhora Lauren?  — Sua voz soou ao pé da porta, subi meu olhar para ela, que estava parada com metade do corpo na minha sala e a outra metade no corredor.

— Venha aqui, ou não vê que a caneta sujou todo o papel?— Perguntei irritada, olhando-a com desdém, enquanto guardava os já assinados— E não sujos— dentro da pasta.

Os momentos seguintes me fizeram engolir em seco, Camila soltou a porta, caminhando diretamente para mim 

Camila era, de fato, o estilo de mulher que fazia qualquer um de boca aberta. Seu corpo era pequeno e se encaixaria perfeitamente em qualquer tipo de braços. Ela sempre aparecia de boca entreaberta, provavelmente respirando por ali, mas eu nunca consegui reunir coragem o suficiente para dizer a ela isso, caso contrário, iria parecer uma psicopata, seus traços eram finos e delicados, contrastando com sua pele quente e bronzeada, mas não o suficiente para ser considerada um tipo de pele morena.

Eu nunca encontrava a mesma com muita maquiagem, ela usava apenas uma base barata e pó com batom e, às vezes, um lápis de olho preto que se desgastava durante o dia.

Mas isso não chegava perto de seu corpo escultural, ela não tinha os maiores seios, mas eles com certeza seriam redondos, ela poderia parecer uma criança. Pois, costumava se vestir como tal, com direito a saltos rosas e laços gigantes, o que de primeira, fez minha mente brincar com ela, já que parecia uma criança. Mas então ela chegou usando as roupas de uma secretária, uma saia justa até os joelhos azul, com um blazer da mesma cor e uma blusa três botões abertos. Fazendo transparecer o tamanho de sua bunda. O que exibia sem dó pelos corredores da empresa.

— Senhorita Lauren? Algo errado? — Me chamou de volta a realidade. Ela escondia algum tipo de riso. Droga!

Havia algo errado Lauren Jauregui?— Perguntei -me internamente, piscando minhas orbes com força, olhando para ela novamente com um sorriso falso.

E agora eu estou tentando encontrar as palavras

Para te dizer como me sinto e te mostrar que é verdadeiroE agora estou tentando encontrar palavras

— Não há nada demais, só estou pensando em um café e refeição. Poderia trazer?— Seu vestígio de sorriso morreu ali mesmo. Ela assentiu rapidamente, terminando de colocar a última caneta no porta-canetas.

— Sim, Senhora Lauren.— Sorriu e saiu da sala.

Merda! 

Porque eu não conseguia dizer isso a ela?

Minhas mãos estavam adentrando meus fios compridos, nervosos. Minhas orbes verdes queimavam, desliguei o dispositivo a minha frente. Deixando meu estresse com ele. Duas batidas fracas na porta indicaram a presença de alguém, arrumei minha roupa erguendo a cabeça.

— Pode entrar.—  Pronunciei, vendo duas figuras animadas entrarem pela sala. Revirei os olhos, a mais alta tomou a providência de se sentar em uma das poltronas no centro da sala, enquanto a mais baixa, se contentou se apoiar em um móvel qualquer.— O que foi?—  Acompanhei a atitude da loira e me sentei na outra poltrona.

— Isso é jeito de tratar as amigas Lauren?— Dinah pronunciou, fingindo ofensa, revirei violentamente os olhos novamente e dei sinal para que elas continuassem.

— Viemos marcar uma festinha.— Sorrisos travessos surgiram em suas faces, neguei, me levantando e indo até minha mesa.

— Qual é Lauren?— Dinah pronunciou brava.

— Vocês sabem o que houve da última vez que saímos, fomos para uma balada e a Lucy descobriu tudo, não posso deixar isso acontecer novamente.

— Isso porque fomos a uma pública.— Vero falou, ótimo argumento.— Nós vamos a uma de Strip.

Eu não sei mais o que dizer, além de que você é incrível pra caramba

Só para você saberEstive pensando em várias maneiras de te abraçar bem pertoSó para você saberEu não sei mais o que dizer, além de que você é incrível pra carambaOh, só para você saberEu não sei outra forma de dizer, além de que você é incrível pra caramba

— O que?—  Minha voz saiu esganiçada, elas caíram na risada.— Sabia que era brincadeira, só pode.

— De tarde pegamos você aqui Jauregui.— Vero confirmou, e colocou a língua entre os dentes.

— Promíscua.— Elas riram e saíram da sala, dando passagem para Camila, que entrou com um café quente, e uma vasilha com comida.

—Achocolatado em espiral com chantilly e gotas de chocolate em cima.— Sorri enquanto eu me embriagava com o cheiro.— Pedi lasanha.— Ela deu um sorriso minímo.

Estiquei minha mão para pegar uma das vasilhas. Senti um pequeno tapa sendo desferido em minha mão. Arqueei a sobrancelha, enquanto subia o olhar para a figura já arrependida.

— A sua é a outra.— Engoliu em seco, pegando a sua e caminhando rapidamente até a porta.

— Camila.— Ela congelou, mordendo os lábios, virando-se.

—  Sim?

— Sente-se.— Ela obedeceu, sem tirar os olhos de mim.

— Sim....

— Agora coma.

— Como assim? — Seus castanhos estavam confusos e se observar bem, dava para ver uma engrenagem funcionando.

Revirei os olhos, pegando um dos garfos de plástico e colocando um pedaço em minha boca, mastiguei devagar, observei ela, que me encarava estática, talvez um pouco mais branca que o normal.

— Assim, viu?— Limpei minha boca.— Estou te convidando para almoçar comigo, não estrague meu plano. 

Você já sabe?

Você já sabe?Você tem namorada?Porque se não tiver, então eu vou atrás de vocêNão quero ser egoísta, mas não consigo me segurarEu quero mais de vocêEu sei que sou muito estilosa, você quer mais dissoIsto eu sei que é verdadeMas eu não te diria

O QUE? COMO ASSIM PLANO? O QUE VOCÊ DISSE LAUREN JAUREGUI??

— Tudo bem então.....

Karla Estrabão Point Of View.

Hoje era o grande dia, finalmente eu seria nomeada a "prostituta master", que era a prostituta mais renomada de São Francisco, e eu nem preciso dizer o quão animada eu estou para a minha noite.

Onde todos os holofotes iriam para mim e eu seria a chefe, não a empregada. Respirei fundo e pernas com meias passeavam pelo "set" daquele local, a animação de cada noite ainda estava ali.

"Será que hoje eu vou ficar com um bonito? Se vier velho de novo eu vou rejeitar"— Era o mais ouvido ali.

—É o seu grande dia.— Ally pronuncia. Ela não era fã daquilo, na realidade, ela ia para a igreja todos os dias apenas para Deus a perdoar por estar ali.

— Sim, mas você não precisa estar aqui comigo Ally.

— E perder você se dando bem de novo?— Ela bufou.— Nunca.

— Allyluia, Deus te ouça Ally.— Ela tapou minha boca.

— Não diga o nome dele nessa casa do pecado, está louca? 

—  Não Ally— Ri, a dona do club chegou, seu nome era Laucy e ela andava de um lado para o outro, com uma máscara também, mas não se atrevia a dançar, pelo anel em sua mão ela tinha algum companheiro, mas suas roupas minúsculas contrariavam isso, só passava para observar, e quando reclamava apenas nos tocava, isso era o suficiente para engolimos em seco e fazermos o certo.

Ela tocou meu ombro, isso indicou que era minha hora, Ally sorriu me confortando e arrumando meu cabelo.

E agora estou tentando encontrar palavras

Para te dizer como me sinto e mostrar que isso é realE agora estou tentando encontrar as palavrasEu não sei mais o que dizer, além de que você é incrível pra carambaSó para você saberEstou pensando nos jeitos que quero te abraçar

— Arrasa Cabello.—Ri dela e arrumei o pequeno pano de minha calcinha por baixo do sobretudo preto.

— Sempre — Sorri safada, caminhando em meus saltos até o palco, respirei fundo e a música começou.

   

Eu tinha apenas minutos para aquela música acabar, as cortinas abriram, mas tudo ainda estava escuro, fechei a pequena "cadeia", peguei as barras a minha frente, encontrando meus seios uma das barras e a bunda com outra barra.

Os meus cabelos deslizaram sobre minhas costas quando eu retirei o grampo, no momento que a luz caiu sobre meu corpo. Como aquela música era calma e sexy eu desci lentamente sobre as barras roçando meu corpo em seus ferros, logo depois me jogando no chão, rebolando contra o ferro, eu ouvia gritos, e mar de dinheiro era jorrado sobre o palco.

Só para você saber

Eu não sei mais o que dizer, além de que você é incrível pra carambaOh, só para você saberEu não sei outra forma de dizer, além de que você é incrível pra caramba

Lauren Jauregui Point Of View.

As luzes desligaram-se, e a grande atração da noite se encontrava ali, as meninas dali eram sim, lindas, mas a mais nova "master" estaria para ser coroada ali.

Eu estava entediada e isso dava para ver em meu rosto. Traguei o cigarro novamente, jorrando a fumaça para fora, a música começou e devo dizer, para dançar aquela música, tinha que ser a "master".

Quando as luzes ligaram, havia uma "cadeia" falsa ali dentro, mas isso não me interessava agora, meus olhos apenas focaram no corpo a minha frente, mesmo com o sobretudo até seus joelhos, ela era sexy, suas pernas perfeitamente torneadas estavam paradas com uma meia-calça arrastão preta, a música a fazia descer até o chão, lentamente, me fazendo abrir a boca, o meio da minha calça estava começando a molhar.

Oh Deus!

Ela descia descomunalmente enquanto mascava um chiclete, mesmo sem ver seu corpo, ela era sensual, um ar sensual envolvia sua estrutura. E eu duvido que ela não saiba disso.Foi com suas mãos para o sobretudo, colocando os braços para trás, enquanto eles deslizavam sobre seus braços e iam direto ao chão, assim como minha aliança foi ao bolso.

O seu Corselet era vermelho e preto, demonstrava sua calcinha minúscula, seu sorriso demonstrava sua satisfação com toda a euforia e gritos da plateia. Mordeu os lábios vermelhos agarrando um ferro e descendo de costas para nós, mostrando sua enorme redondeza traseira. Suas mãos foram para suas pernas arranhando com força até sua bunda, deixando marcas vermelhas enquanto subia.

Você já sabe?

Você já sabe?Você já sabe?Você já sabe?O que eu penso de você e tudo que você me faz sentirVocê sabe o que eu penso de você?(Você já sabe?)O que eu acho de você e tudo que você me faz sentirVocê sabe o que eu penso de você?

Ela decidiu provocar, colocou dois dedos em cada liga da calcinha, no quadril. Baixou um pouco ali, mas infelizmente não demonstrou nada, enquanto rebolava gostosamente, logo depois, suas mãos foram para o laço de seu Corselet, o público foi a loucura extrema, se eles já não estivessem nela.

Eu não estava difente, engolia em seco milhões de vezes para não mandar ela me foder ali mesmo.

O mesmo foi retirado, sem muita luta ou tempo, suas mãos foram para o ferro novamente, e ela o escalou, para descer com a bunda contra o mesmo. Ela adorava jogos e isso era visível, foi até um dos velhos que jogavam dinheiro e se abaixou virada para ele, esticando o elástico de sua calcinha, deixando ele pôr centenas de dólares ali. Me levantei da cadeira, indo até o palco, onde continha loucos jogando dinheiro, desembolsei dólares de meu bolso.

— Venha buscar vadia.—   Pronunciei e a dançarina parou, me fitando, mas não demorou para ela se erguer, e com um sorriso safado caminhar a minha direção.

— Me dê, minha cliente.—  Puta merda, como sua voz era sensual, coloquei um de meus dedos direcionados para ela, e a mesma entendeu a referência, ela foi descendo e ficando de quatro.

Puta Merda!

Eu não sei mais o que dizer, além de que você é incrível pra caramba

Só para você saber
Estive pensando em várias maneiras de te abraçar bem perto
Só para você saberEu não sei mais o que dizer, além de que você é incrível pra caramba
Só para você saber
Estive pensando em várias maneiras de te abraçar bem perto

Sua boca deslizou sobre meu dedo, onde ela mordiscou um pouco, seu corpo ia para trás e para frente, dando a visão para os outros de sua bunda, para os homens aquilo era o demônio o puxando para trair suas esposas, e para mim, aquele era o Diabo.

Coloquei o dinheiro com a outra mão no meio de seu sutiã.

Ela continuou lambuzando e quando a música enfim acabou, sugou meu dedo, levantou-se satisfeita e caminhou até as cortinas, que se fecharam.

O show acabou.

Fui até a recepção .

— Deixe eu adivinhar?— Ela me interrompeu.— Karla? A nova "master"?— Assenti rapidamente.— Sorte que é a primeira da fila, encontre ela no quarto 3.

— Obrigada.— Corri pelo corredor que ela indicou e procurei o quarto 3. Dei duas batidas e escutei um "entre".

A cena a seguir era deplorável, ela estava com a mesma roupa de antes, mas dessa vez deitada na cama, toda arqueada, mordendo os lábios.

— Eu estava te esperando baby.

 

 


Notas Finais


E ai? Gostaram?
Eu sei que TODO mundo faz fics de dupla personalidade. Mas né. A gente tenta.
Beijos e Dracmas da Tia Mary


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...