História I found you - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Tags Showhyuk
Visualizações 188
Palavras 1.864
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E ae
São 5h da manhã mas já é sexta e me tiraram do meu sono de beleza q
Mais esfrega de showhyuk, aproveitem

Espero que gostem
Boa leitura!

Capítulo 7 - What does love mean?


Ambos ficaram constrangidos com o beijo. Hyunwoo não havia escolhido o melhor lugar para fazer isso nem havia pensado muito, apenas seguiu seus instintos sem se importar se o momento era propício ou não.

Seu amigo, Hyungwon, realmente tinha razão. Pelo pouco tempo que conhecia o mais novo e pelo pouquíssimo que o conhecia, ele já havia feito muita mudança na vida do moreno. Não era de seu feitio se entregar tão ligeiramente a alguém como acontecera com Minhyuk, ou beijar pessoas que acabara de conhecer. Os comentários de Hoseok incentivaram Hyunwoo a tomar essa decisão. Superar o que havia passado, seguir em frente, e ter algo com o ruivo estava sendo muito atrativo.

Adentraram o restaurante de mãos dadas, procurando uma mesa.

- O que vai querer comer? - Hyunwoo perguntou enquanto olhava o cardápio.

- Um espaguete... talvez vinho. - O menor lhe olhou com um sorriso ladino, levantando o cardápio até cobrir os olhos de forma adorável.

- É... um encontro. - Falou baixo, rindo.

Haviam criado esta "piada" entre si. E gostava disso, era como se os aproximasse mais, tornasse-os mais íntimos.

Pediram o que Minhyuk havia sugerido. O garçom logo trouxe o vinho, enchendo as taças pela metade. Hyunwoo  tomou um pequeno gole do vinho. Não entendia muito dessas coisas, mas aquele era ótimo.

Não demorou muito para que o jantar chegasse. Ambos estavam famintos. Optaram por não comer besteira no cinema para não perder o apetite quando chegassem ao jantar.

- Não deixei você o dia todo com sono depois de tanto tempo pendurado no telefone, né? – Perguntou o moreno após dar a primeira garfada no espaguete.

- Claro que não, hyung! Foi bom ter passado aquele tempo todo com você. - Minhyuk sorriu antes de comer.

- Eu também gostei!

- Sim! - O ruivo pareceu se lembrar de algo, colocando o garfo sobre o parto. - Como foi lá no seu trabalho? Você ganhou?! - Perguntou com entusiasmo.

- Ah, bom... – começou. O sorriso desapareceu e, com o dele, o de Minhyuk também. - Não, eu não ganhei. Mas tudo bem, meu amigo ganhou.

- Poxa, hyung... - A mão do ruivo deslizou pela mesa até chegar à destra de Hyunwoo, apertando-a de leve.

- Sério, está tudo bem. - Conseguiu dar um sorriso largo para ele, apertando a sua mão.

 

Durante o jantar, nunca caíam em um silêncio desagradável. A conversa fluía de forma natural, de uma forma bem gostosa e confortável, até. Poderiam passar a noite toda conversando, assim como fizeram de madrugada ao telefone.

Quando terminaram, Hyunwoo insistiu em pagar a conta mais uma vez, tendo que lidar com a expressão de falsa irritação do ruivo - que causava um efeito contrário ao que queria, fazendo o moreno achar uma graça.

Ambos caminhavam juntos até a casa de Minhyuk, novamente com os braços entrelaçados. Era uma noite fria, e a aproximação dos dois ajudava a aquecer seus corpos.

Finalmente, chegaram onde Minhyuk morava, parando na porta.

- É aqui. - Deu um sorriso tímido, recostando-se no muro.

- Você mora com quem? - Hyunwoo perguntou, se aproximando do menor.

- Com alguns colegas da faculdade. Dividimos aluguel. - Ainda sorrindo, segurou a mão do moreno, olhando seus dedos entrelaçarem.

- Parece um bom lugar. - Ficou entre as pernas do menor, retribuindo o selar e apertando de leve sua mão.

Hyunwoo quase não se reconhecia naquele momento. Tomar a iniciativa das coisas daquela forma era algo novo para ele.

- Tem algo que me faz gostar muito... - Estava próximo o suficiente do menor, de modo que este podia sentir o hálito quente do mais velho contra seus lábios.

Minhyuk mordeu seu lábio inferior, fitando a boca do seu hyung sem disfarçar. Ela era cheinha e avermelhada, tão convidativa. Pôde constatar também que seus lábios eram macios. Sua vontade era beijá-lo mais uma vez, mas tinha medo de assustá-lo.

O ruivo, ao contrário de Hyunwoo, se entregava fácil aos seus amores. Era intenso em tudo o que sentia, espontâneo demais. O que sentiu ao ver o maior podia-se quase dizer que era amor à primeira vista. De início, certamente não passava de uma atração física, até terem se encontrado no café. O moreno conseguiu envolvê-lo de uma forma diferente do comum, e ficou completamente encantado, queria sentir mais daquilo.

Talvez realmente estivesse se apaixonando por Son Hyunwoo muito rapidamente.

Era difícil evitar, na verdade. Ele tinha um jeitinho bobo, delicado e gentil que deixava Minhyuk delirante.

- Ainda bem, porque eu já estou todo encantado por você. - Admitiu sem se dar conta, estando distraído com a proximidade de Hyunwoo.

Finalmente os lábios dos dois se encontraram mais uma vez. Dessa vez, ocorreu de uma forma mais lasciva, exprimindo um pouco o desejo de Hyunwoo ao passo que o de Minhyuk já transbordava.

O maior levou a mão livre até a nuca do ruivo, aprofundando o selar. O menor apoiou uma mão sobre seu peitoral, suspirando antes de corresponder igualmente o beijo, sentindo o gosto do vinho que ainda estava presente nos lábios do rapaz.

Não houve mãos bobas, esfregas, nada rude. Apenas se beijaram na forma mais pura e sentimental que podia haver.

Eles beijaram-se por longos minutos, que para Minhyuk foram poucos em comparação ao que desejava. pois suspirou em desaprovação quando os lábios se separaram.

- Boa noite, Minhyuk. - Hyunwoo sussurrou contra os lábios avermelhados.

- Boa noite, Hyunwoo. - Riu baixo, mordiscando o lábio inferior do outro e puxando-o levemente.

Hyunwoo roubou mais um beijo demorado dos lábios que passara a gostar bastante, como despedida. Logo foi embora, relutante. Queria ficar mais com o rapaz de fios avermelhados, mas já era tarde e não queria tomar mais tempo do menor.

Carregava um sorriso bobo no rosto no caminho para casa, imaginando se Minhyuk estava com o mesmo sorriso quando ele havia ido embora.

O que Lee Minhyuk tinha que o deixara interessado tão rapidamente?

 

***

 

Hyungwon havia saído com Hoseok no mesmo dia em que este havia ganhado a chefia. O maior estava preocupado com o loiro, estrava já que ele não parecia animado.

Estavam no mesmo bar que saíram pela primeira vez. Hyungwon o distraía contando suas besteiras de sempre, quase fazendo o papel de Hoseok quando estavam juntos. Bebiam cerveja. Apesar de duvidar que apenas aquilo fosse capaz de embebedá-lo, o rapaz de fios castanhos era um tanto fraco para bebidas, resolvendo beber pouco.

Estava quase ficando frustrado por não conseguir animar o seu amigo. Já fazia um bom tempo que estavam no bar e nada de Hoseok se animar.

- Chae, podemos sair daqui? Não estou mais me sentindo bem... - O loiro havia acabado de virar a última garrafa de cerveja que estava na mesa. Sua expressão era de chateação.

- Hm... tudo bem. - Levantou a mão, chamando o garçom, fazendo um gesto para que trouxesse a conta.

Hoseok insistiu em pagar tudo sozinho. Pegou sua pasta, esperando por Hyungwon do lado de fora do bar.

Caminharam em silêncio por longos minutos até chegarem a um parque arborizado. Sentaram-se em um dos banquinhos de madeira que enfeitavam o local e permaneceram em silêncio. Hyungwon não queria ser intrometido, permanecendo calado e esperando o tempo em que Hoseok desabafaria com ele.

- Sabe que gosto muito de você, não é? - Hoseok ainda estava cabisbaixo.

- Eu sei, hyung. - O mais alto pôs a mão sobre seu ombro, aproximando-se e fazendo um leve carinho ali.

O loiro virou seu rosto para o de Hyungwon, ficando bem próximo ao ponto de sentirem a respiração um do outro. Chae ficou tenso naquele momento, mas não se afastou.

Hoseok passou os olhos por toda sua face, parando em seus lábios, tais que eram incrivelmente desejosos. Suspirou, se aproximando minimamente, logo desistindo e se afastando de vez.

Hyungwon estranhou a ação do mais velho, mesmo que não quisesse que aquilo acontecesse.

- Hoseok hyung... - chamou baixinho.

- Fala...

- Acho que eu já devia ter dito isso a você bem antes, mas tive medo que ficasse chateado ou mudasse comigo. - Hyungwon não desviou seu olhar do loiro ao seu lado, nem se afastou. Falava com cuidado, mesmo tendo uma noção do que iria acontecer.

Ter adiado isso certamente havia dificultado qualquer coisa que pudesse fazer, seria inevitável magoar o seu hyung. Seu coração apertava um pouco por isso.

- Bom, agora eu sei que eu só piorei as coisas, mas... não sei lidar muito bem com isso.

Hoseok olhava-o confuso, porém não dizia coisa alguma, esperando que Chae dissesse tudo o que tinha para dizer.

- Sei que gosta de mim. Começou a gostar de mim mais que um amigo, não é? - Hoseok não pareceu surpreso. Ele certamente sabia que era transparente e tudo o que sentia era facilmente notado. - Eu tenho uma namorada, hyung... Eu gosto muito, muito de você, mas...

A fala de Hyungwon foi interrompida por uma risada baixa vinda de Hoseok.

- Eu sabia, hyung. Soube disso no dia em que fomos à galeria, e nem por isso deixei de gostar de você. Estranho, não é?

De certo, a expressão do garoto de cabelos castanhos era de surpresa. Não que ele escondesse seu relacionamento com a tal garota, mas não havia comentado nada com o amigo.

Ali, entendeu porque ele havia se afastado em vez de beijá-lo.

- Mas eu aprecio de verdade sua preocupação com meu bem estar. Outra pessoa não pensaria duas vezes em me magoar. Obrigado. - Hoseok forçou um sorriso para Hyungwon.

O mais alto fez outra carícia em seu ombro, também sorrindo.

- Se me permite perguntar, por que não está animado com o seu novo cargo?

- Ah... É tão complicado.

- Tudo bem se não quiser contar. Seria pessoal demais? - Riu sem jeito.

- Olha, temos intimidade o suficiente para conversar sobre qualquer coisa, okay? - Hoseok riu também.

- Sou todo ouvidos.

- Bom, eu acho que o resultado foi roubado...

- Como?!

- O meu pai… Ele é muito próximo do Sr. Kim. Acho que ele fez algo para que eu ganhasse isso. Ele não admitiria assim, e eu sei que Hyunwoo é muito mais competente do que eu.

- Isso é grave, hyung. Como pode saber?

Hoseok suspirou pesadamente, de certo estava mentalmente exausto. Passou a mão por seus fios, colocando-os para trás.

- Eu conheço o meu pai. Ele é tão ambicioso... Eu não gosto disso.

- Você realmente precisa descansar. Dá pra sentir a tensão em seus ombros de longe.

O loiro concordou com um aceno de cabeça.

- Você pode ficar na minha casa hoje, o Hyunwoo saiu com o Minhyuk, ele tá todo assanhadinho. - Continuou Hyungwon, rindo baixo.

A casa de Hyungwon não era longe dali e logo chegaram. Obrigou Hoseok a tomar um banho gelado para relaxar e passou um café para o mesmo.

Ambos estavam sentados na cama de Hyungwon. O mais velho usava uma roupa do rapaz mais novo, um moletom confortável para dormir. Os dois tomavam café calmamente.

- Eu vou descobrir se ele realmente fez isso, Chae.

- Seria bom...

- E eu também preciso contar para Hyunwoo. 


Notas Finais


Tiros, abraços, pedras? Qualquer coisa é bem vinda q. Não esqueçam de dizer o que acharam.

Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...