História I hate living with u - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Eren Jaeger, Hannes, Historia Reiss, Jean Kirschtein, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman, Reiner Braun, Sasha Braus, Ymir
Tags Incesto, Incesto Lésbico, Orange, Original, Shingeki No Kyojin, Yaoi, Ymir X Historia, Yuri
Visualizações 24
Palavras 694
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Ficção, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


eu criando várias fanfics e enrolando pra postar o capítulo das outras
é .. q-q

Capítulo 1 - Kicking my back


Ymir

Aqui estou eu, deitada na cama, pensando na vida, ouvindo "Agora eu quero ir" do duo Anavitória e sinceramente, pra mim, é o melhor duo de pop rural, mas isso não importa agora. Estava tentando tirar um cochilo, pois estava exausta, acabei de receber uma ligação de meu chefe que eu estava despedida e bateu aquela Bad fudida, sabe???? Então... Só que assim, como vou conseguir dormir, se a criatura da minha irmãzinha mais nova, está me chutando enquanto dorme? A melodia e a letra me lembra os sentimentos que sinto por ela, Historia Reiss. Sim, pela minha irmã. Para tirar a dúvida de vocês, tenho vinte anos e ela dezenove, irei fazer vinte e um, seria errado reclamar por estar sendo chutada pelo amor de sua vida? Acho que sim.. Apesar de eu ter convidado ela para vir morar comigo, as vezes me arrependo, pois, iria dar um livro se eu falasse Todos os motivos RUINS sobre ela morar comigo. Eu penso em tanta coisa errada, mas para mim as vezes é certo, eu nunca ajo, apenas penso, pois, seria errado, não? Somos irmãs... 

Apesar de não parecermos muito, nem em personalidade, para vocês terem a noção! Vamos começar pelos olhos, os delas são fofos e bem "desenhados", e ainda são azuis, lindos. Já os meus, são acinzentados e "intimidadores", sou tão séria que chega a dar medo! Historia é loira e branca feito a neve, já eu sou morena, nem tanto assim, mas minha pele é bem cor de burro quando foge, hehe. Seus lábios são bem rosados, os meus também são, mas, não tanto quanto os dela. Minha altura é de 1,72, eu não sei a altura dela, mas é bem baixinha. Mais ou menos uns 1,65, ou 1,59, não sei, perguntem pra ela! É tímida, divertida e engraçada, já eu sou séria, como eu já disse, sou carinhosa apenas com ela, as vezes com pessoas desconhecidas, mas é de vez em nunca. A mesma curte músicas depressivas, já eu gosto de músicas animadas, isso ta bem errado e desfeito. Bom, não tenho culpa se ela me infeta com esse jeito animadinho dela, mas não a provas que ela é assim de verdade. 

Pois as pessoas depressivas são as que mais fingem um sorriso, as vezes sinto que seu sorriso não é verdadeiro, só de vez em quando que ela sorri verdadeiramente, porém eu não comento nada, não quero deixá-la triste, ainda mais por minha causa. Nossos pais morreram quando éramos crianças, crescemos na casa de nossa avó, que faleceu quando completei meus dezessete, mas desde sempre eu trabalhava, pra sustentar as duas, então quando morreu, consegui comprar esse apartamento que hoje, eu e Historia moramos. Krista é o apelido carinhoso que dei a ela, não entendi muito bem o porquê, mas acho esse nome bonito, não que o verdadeiro seja feio, eu gosto de Historia. 

Combina com ela.

Mal percebi e já estava tocando "Cor de Marte", ah, como adoro essa música, me lembra do dia em que Krista bebeu cerveja pela primeira vez e já ficou doida, nós nos beijamos naquele dia, era virada, então queríamos fazer algo que adolescentes rebeldes fazem, porque a tonta aqui, também estava bêbada, foi a primeira vez que senti algo estranho por ela, felizmente Reiner, me impediu de fazer algo com ela, ele também ficou muito louco, quase a agarrou sem querer, só que seu namorado obviamente não deixou barato né. Fomos para o quarto sozinhas e antes de cairmos no sono, sussurrou algo no pé de meu ouvido fazendo-me arrepiar até onde eu não tinha pelo. Lembro até hoje do que disse, era um trecho da música de Anavitória, mas também teve algum sentido nessa frase.

"Me escuta no pé do ouvido todos teus sentidos
que afetam os meus que querem te ter" 

Logo em seguida, prosseguiu, só que não era música, eram apenas suas próprias palavras. 

"Te desejo tanto, mas não percebe, quero tatear seu corpo, até suar e estremecer, sentir você se arquear e fazer-me sussurrar que lhe amo." 

Assim caímos no sono aquele dia, adormeci junto dos pensamentos, sem ligar para os chutes que levava em minhas costas. 

 

 


Notas Finais


-q


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...