História I Hate (Love) Cats - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai
Tags Chanbaek, Dia Das Crianças, Hate Cats, Lemon, Menção Kaisoo, Mpreg, Para @psychomisuzu, Yaoi
Exibições 1.910
Palavras 1.171
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii meus amores!

Aff, foi um sufoco postar essa fic, o SS dizia que não estava postando e quando desisti disse que já havia postado ?_?

Eu sei quw não é dia das crianças ainda, mas eu cheguei a pouco do trabalho e amanhã eu pego bem cedinho pra sair bem tarde, então não vou ter tempo provavelmente, então aqui estou eu \0/

Essa fic e dedicada a Misuzu porque sim, porque eu amo ela e ela sabe disso.

Obrigada por todas as capas que já fez pra mim, por "ouvir" eu falar sem parar e apoiar as minhaa ideias estranhas de fic e ainda dizer que minhas capas são legais quando não são nem perto disso. Voce não é mais criança, mas essa fic tem tudo aquilo que sei que você gosta.

Espero que todos gostam!

Boa leitura!

Capítulo 1 - Primeiro Ano


Fanfic / Fanfiction I Hate (Love) Cats - Capítulo 1 - Primeiro Ano

— Appa! Me dá colo Appa! — correu atrás de mim com os bracinhos levantados.

— Não Baekhyun, já disse que não sou seu Appa! Vai pro seu quarto. — suspirei alto e continuei sentado no sofá.

— Mas Appa...

— Vai agora.

Seu rostinho se contorceu em uma careta dolorida e logo o pequeno começou a chorar, escondendo seu rabinho entre as penas e abaixando as orelhas enquanto chorava alto e estridente, sentou no chão — com aquelas perninhas gordas e fofas de bebê —, coçando os olhos e dizendo "Appa não ama o Baekkie, vai jogar ele fora", de maneira tão sofrida que meu coração chegou a doer com suas palavras e chorinho entristecido.

— Não bebê, não diz isso, eu amo sim. — menti para que ele parasse de berrar.

— Não, vai jogar o Baekkie fora que nem faz com outros gatinhos. Não ama o Baekkie. Baekkie é um gatinho feio que Appa vai por no lixo. — dizia baixinho e chorando alto. Soluçando e limpando as incontáveis lágrimas na blusa fofa e quentinha que vestia. —presente da minha mãe claro, ela que me ajudou em algumas — poucas — coisas na criação de Baekhyun.

— Vem aqui bebê, vou dar colo, vem aqui. — chamei de braços abertos.

— Não, vai jogar o Baekkie fora. — Baekhyun começou a engatinhar pelo chão e se escondeu dentro da estante, fechando a porta do armário numa tentativa inútil de se esconder enquanto chorava.

Abri a porta e o vi olhar com o rostinho vermelho e cheio de lágrimas.

— Não vou jogar fora. Vem, Appa vai dar comida pro neném. — sorri e ele fez bico, abrindo os bracinhos e vindo para meu colo.

UM ANO ANTES... 

Eu realmente odeio gatos, eu nunca entendi o porquê, mas eu realmente não os suporto, não suporto nem os meus vizinhos tendo seus bichanos nojentos que vinham na sacada do meu prédio enchendo o saco.

Sempre que eu podia os jagava da sacada, eu moro no segundo andar e gato cai de pé, então não era realmente um crime, certo? Certo.

Cheguei em casa e tirei os gatos que estavam em volta do meu apartamento, parecia que eles gostavam de ser rejeitado, nunca vi disso.

Empurrei o gato da vizinha de volta para a sacada dela e fui tomar um bom banho.

••••

Estava preparando o jantar quando meu melhor amigo Jongin chegou em minha casa se convidando para ficar para o jantar, em suas mãos tinha um pequena caixinha — tipo caixa de sapato  que ele dizia que eu só descobriria o que era depois que ele fosse embora, que era algo realmente especial.

Vamos dizer que hoje  só talvez — eu pense que ele tinha razão.

Jongin e eu falávamos sobre assuntos aleatórios, a faculdade, seu namorado, seus dez gatos...

Infelizmente todos os meus amigos tinham gatos. Eu os adiava tanto que tinha até alergia tinha.

Aos gatoa, claro.

Quando Jongin foi finalmente embora eu pude abrir aquela caixa. E claro, eu deveria ter imaginado, havia um gato dentro dela.

Ele estava todo enroladinho em posição fetal e encolhido parecendo com frio, eu achava que era coisa da minha cabeça ter visto o gato suspirar.

O deixei naquela caixa, na sala onde estava, e fui para meu quarto, coloquei o pijama e me deitei.

Na manhã seguinte eu não acreditei no que vi, o gato estava maior do que estava na noite anterior, e não tinha mais a pelugem branca como antes, bom, não em todas as partes,

 — o cabelo de Baekhyun é branco até hoje —, eu pude até ver que ele usava uma fraldinha, e naquele momento que ele suspirou outra vez e pareceu sentir meu cheiro, o gatinho começou a chorar feito bebê, seus olhos ainda fechado se apertavam enquanto ele abria a boca e berrava sem parar.

Liguei apavorado para Jongin, não sabia nem como explicar o que estava acontecendo e tudo que ele fez foi gargalhar e dizer que eu precisaria cuidar dele com um verdadeiro bebê, ele precisaria de fraldas e provavelmente estava chorando de fome, eu era sua mãe e deveria ser o provedor de seu alimento.

Flashback

imagine agora: peguei a criatura nos braços e aquilo era mole e parecia chorar ainda mais, uma forma agoniante que me dava vontade de chorar e entrar em desespero, mas claro, fiz a coisa mais lógica de se fazer naquele momento. Peguei o celular em meu bolso e pesquisei no Google como cuidar do um bebê pequeno.

Depois de fazer resumão dos livros mais conhecidos, enrolei o bebê em uma cobertinha que tinha dentro da caixa e parti para o mercado mais próximo em busca de roupinhas e tudo que ele precisava.

Depois de outra eternidade e muitas atendentes com pena de mim... cheguei em casa e fiz uma mamadeira para a criança, que colou a boca naquilo e suspirou, ficando com seus olhinhos fechados e comendo aquilo por um bom tempo, chorando sempre que o bico da mamadeira se afastava da sua boca um pouco que fosse. 

 Flashback off 

Foi um sufoco, mas eu posso dizer que eu consegui, mas eu nunca vi criança mais birrenta e manhosa quanto Baekhyun — lindo o nome que escolhi, eu sei —, e muito inteligente, isso é inegável.

Por não ser completamente humano, Baekhyun tinha um crescimento diferente, ele crescia um ano a cada três meses, e era muito mais esperto do que crianças com a idade que ele teria.

Mas claro, suas manhas sempre eram mais irritantes do que sua inteligência era impressionante.

E com tudo isso chegamos a parte que estamos agora.

Um Baekhyun de quatro anos — ciente da minha aversão a gatos — chorando e achando que eu não o amo.

Não poso dizer, nossa como amo este animal, mas não vou jogar ele fora. Só que eu não sou seu pai e isso me irrita, não gosto de ser chamado assim, eu tenho só dezoito anos. 

••••

— Eu não sou seu Appa, não me chame assim.

— Q-quer que o Baekkie chame de omma então? — dizia com as mãos pequenas envoltas em meu pescoço enquanto íamos para a cozinha.

— Não, me chame de Chanyeol.

— C-C-C Yeollie...

— Vai espirrar bebê? — ri da sua dificuldade.

— Não, tô dizendo o nome do Appa. —  falou sério —  Y-yeollie.

— Tsc, você nunca vai parar com isso. — fiz uma careta e ele riu dando um beijo em minha bochecha e escondendo seu rostinho em meu pescoço.

Chegamos a cozinha e o pus sentado na pia, peguei o purê de batatas e galinha desfiada com molho que havia feito e esquentei. Era uma comida rápida e que eu sabia que ele não se engasgaria.

Peguei o prato e Baekhyun, e fui para mesa, deixando que ele comesse sozinho, mas como sempre, ele foi muito manhoso e ficou olhando para mim até que eu o pegasse no colo e alimentasse.

Como eu disse: nosso relacionamente não é nossa como eu amo este animal, mas eu gosto dele, me acostumei com o meu bebê.

Mas ma coisa é certa: EU NÃO SOU SEU PAI!

— Appa Yeollie, dá banho no Baekkie! 

URRRGH! ODEIO GATOS! 


Notas Finais


Eu consegui fazer pelo menos um pouco de comédia? Kkkkk

Essa fanfic vai ter 4 caps (que já estão prontos \0/), um para cada 4 anos do Baek.

Espero que tenham gostado e obrigado a todos que responderam a enquete no Twitter e trouxe esse ChanBaek hoje.

Pra falar comigo:

http://ask.fm/AvallonJae


https://twitter.com/_Avallon ;;


https://www.wattpad.com/user/_Avallon


kakao e Line: mybabybyunnie


Bjooos ^.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...