História I Hate Love You - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Apollo, Atena, Bianca di Angelo, Charles "Charlie" Beckendorf, Dionísio, Frank Zhang, Frederick Chase, Hades, Hazel Levesque, Hera (Juno), Jason Grace, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Poseidon, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Silena Beauregard, Thalia Grace, Zeus
Tags Percabeth
Exibições 186
Palavras 6.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 33 - Trinta e dois


Fanfic / Fanfiction I Hate Love You - Capítulo 33 - Trinta e dois


�� Pov's Atena
_Você não está me entendendo mãe- Reyna grita.
_Filha eu já te disse para não se preocupar- digo baixo- que eu vou fazer tudo que está pedindo. 
_Não parece- diz dura- tem que fazer com que a Annabeth vai embora.
_Filha isso está além das minhas possibilidades- me defendo- eu não posso a colocar dentro de um avião. 
_Mas pode a convencer- diz me encarando- tenha uma ótima conversa com a Annabeth,  e diga que ela cometeu um engano quando resolveu voltar. 
_Rey me entenda- imploro- estou fazendo o impossível para te ajudar.  Mas isso aí está muito além. 
_Não está- grita- diga que está odiando a sua volta,  e que a odeia mais do que qualquer coisa,  e que ela não deveria ter trazido essa bastarda. 
_Não fale assim da sua sobrinha- digo baixo- a garota não tem culpa. 
_É mesmo- concorda- eu tinha me esquecido de que a única bastarda é a Annabeth. 
_Filha ela nem está chegando perto do seu marido- insisto. 
_Então por que acha que ela pulou na piscina para salvar a Júlia? - pergunta 
_Por que ela é tia da garota, e a ama- digo firme- apenas por isso.
_Eu sei que não foi só por isso- grita- por culpa dela o papai me bateu na frente de todos. 
_Seu pai fez isso,  por que você disse que a Júlia deveria morrer- digo. 
_Chega- grita- ou você me ajuda ou eu vou dizer ao papai que a Annabeth não é filha dele , e que você foi a culpada por ele ter perdido tudo. 
_Filha por favor-  imploro- não faça isso. 
_Tem medo do papai te odiar mais ainda? - ri.
_Não- digo baixo- eu só não queria que o seu pai sentisse raiva da Annie,  pois ela não teve culpa de nada.
_Sempre a defendendo- grita- por isso que chegamos nessa situação,  você a ama e sempre me odiou. 
_Isso não é verdade- digo pegando na sua mão- eu amo as duas iguais. 
_Mentira- grita- e você deveria me amar e a odiar,  pois ela foi fruto de uma mentira. 
_Ela não teve culpa dos meus erros- insisto. 
_Não importa- diz baixo- faça o que estou te pedindo ou sofra as consequências. 
Dito isso ela sai e bate a porta com força. 
Fico sem saber o que fazer.
Eu tenho medo da reação do Frederick quando souber da verdade. Mas eu também morro de medo da Annie me odiar por causa disso. 
E eu tenho mais medo do ódio da minha filha, do que do meu marido. 
Mas eu também não estou mais aguentando as chantagens da Rey, pois eu não posso fazer isso que ela está exigindo. 
Toda vez que eu faço algo eu sei que a Annie me odeia mais, e eu só queria lhe contar a verdade e tirar esse peso das minhas costas.
_Já sei quem pode me ajudar- penso. 
Pego a minha bolsa e vou dirigindo feito uma louca até o apartamento da minha irmã. 
Mas eu não tenho certeza de que ela está mesmo em casa já que ontem tinha sido a sua despedida de solteira.
Eu queria ter ficado lá mais, porém a Rey não permitiu. 
Chego ao apartamento e começo a bater na porta desesperada. 
��  Pov's Thalia
Alguém bate desesperado na porta. 
_Já volto- digo e visto a minha roupa. 
Saio do quarto e abro a porta. 
_Atena? - digo assustada. 
_Preciso da sua ajuda- diz entrando. 
Ela estava péssima, e com os cabelos bagunçados e com os olhos vermelhos de tanto chorar. 
_O que aconteceu? - pergunto. 
_Preciso te contar. Não aguento mais guardar esse segredo- diz baixo.
_Que segredo? - pergunto já assustada. 
_Um que eu guardo a mais de vinte anos- diz baixo- será que podemos conversar? 
_É claro que sim- digo pegando no seu braço que estava gelado. 
_E o seu noivo? - pergunta.
_Ele está no quarto- digo- ele não vai nos escutar.
_Tem certeza? - insiste. 
_Sim eu tenho Atena.  E você está me assustando- digo. 
_Você não pode contar isso pra Annie- diz- me promete? 
_Prometo- falo sincera. 
Ela se senta no sofá e vou até a cozinha e lhe preparo um café quente e lhe entrego uma xícara. 
Ela toma um longo gole e suspira. 
_Tudo começou antes da Annie nascer- começa sussurrando. 
***
Fico chocada com tudo que a Atena tinha me falado. 
Gente eu nunca poderia imaginar que a minha irmã seria capaz de trair o marido,  e muito menos que ela seria a responsável pela sua falência, e quase que ele tira a própria vida por causa disso. 
A Atena sempre foi tão certinha, a minha mãe sempre me dizia o quanto que ela era ajuizada e eu uma perdida. 
Então depois dela ter me falado que teve um caso com um garoto de quinze anos então eu fiquei no mínimo um pouco chocada.  E fora que não era todo dia que se escutava que a sua sobrinha preferida era uma filha " indesejada" e fruto de um relacionamento proibido. 
E olhando bem eu já deveria ter percebido que a Annie não tem nenhum traço do Frederick,  mas pensando bem o idiota  do meu cunhado tem os cabelos castanhos claros e a Annie também tem cabelos claros,  e ninguém iria suspeitar que eles não são pai e filha. 
Esse deve ter sido um golpe de sorte para a Atena,  já pensou se a Annie tivesse nascido com a cara do seu pai biológico. 
Era uma tremenda brincadeira do destino,  já que a Annie estava escondendo da filha quem é o seu pai biológico,  e nem passa pela sua cabeça que ela também não sabe quem é o seu pai biológico. 
Coitada.  Vai ter um choque muito grande quando descobrir a verdade.
_Estou tão aliviada- a Atena diz me tirando dos meus pensamentos. 
_Aliviada? - pergunto. 
_Esse peso estava me matando- confessa- só a mamãe que sabia e depois a Reyna. 
_E a mamãe sempre me dizia que você era a ajuizada e eu a perdida- comento- mas não estou te julgando irmã. 
_Mas você deveria- diz- o que eu fiz foi muito grave.
_Grave Atena? - pergunto- você não planejou nada disso.
_Eu sei- suspira- mas mesmo assim eu prejudiquei muito o meu marido,  e por culpa desse erro quase que eu a Rey e o Frederick passamos fome. E eu não poderia fazer com que a minha filha passasse por isso. 
_Você chegou a odiar a Annie?  - pergunto. 
_Nunca- diz firme- quando eu descobri que estava grávida eu cheguei a pensar que eu iria odiar aquela criança, mas quando a senti se mexendo dentro do meu ventre o meu coração se aqueceu, eu a amei mais do que amava a Rey. 
_Por isso irmã não se martirize por isso- digo- você é uma boa pessoa que apenas cometeu um erro como todos cometemos,  e o seu marido também teve culpa,  ele te deixou sozinha e só teve olhos pra filha,  te fez se sentir menos mulher.
_Confesso que eu me senti muito bem quando estava com o Felipe- diz- eu estava tão louca por um pouco de amor que não percebi que tudo era uma mentira. 
_Mas não tinha como ver logo de cara que ele estava de má intenções- digo.
_Como não?- pergunta- desde quando um garoto de quinze anos iria se interessar por uma mulher de vinte e oito anos e ainda com uma filha? 
_Você é linda- digo sorrindo- gentil e maravilhosa, seria bastante compreensível que outra pessoa se apaixonasse.
_Mas ele não se apaixonou- diz baixo- e a única coisa boa que levei disso tudo foi a minha preciosa Annabeth. 
_Se já conseguiu desabafar comigo- digo- então conseguirá dizer tudo ao Frederick e a Annie. 
_Não posso- chora- esse segredo está comigo a anos e daqui a pouco estará virando uma bola de neve. 
_Então a detenha antes que vire uma avalanche- a alerto- a verdade é sempre a melhor opção. 
_Não sei se eu conseguiria ser tão forte assim e os encarar- sussurra- encarar a raiva nos seus olhos. 
_Tenho certeza de que a Annie não iria fazer isso- digo a encarando- explique direito que ela vai entender. 
_Como ela vai entender? - pergunta- eu a fiz acreditar que o Frederick era o seu pai.  Eu escondi quem era o seu pai biológico. Como ela iria me entender? 
_Entendendo- digo- agora ela é mãe,  ela está mais madura. 
_Tem alguma coisa que não estão me contando? - pergunta- pois você tem muita certeza de que a Annie iria entender o meu erro.
_Sim- digo- mas você só vai saber se for conversar sério com a sua filha. 
_Se fosse tão fácil assim- diz e suspira- essa mentira se transformou em uma verdade. 
_Não é fácil mesmo- admito- mas é que um dia todos ficaram sabendo da verdade,  e se não for pela sua boca será uma catástrofe.
_Como você aguentou segurar isso por tanto tempo assim- pergunto- não entendo como não ficou louca. 
_Teve momentos em que eu quase desisti e fugi- admite- era uma pressão muito grande minha irmã. 
_E a mamãe te ajudou com tudo? - pergunto. 
_Sim- diz- ela que me pediu para falar com o papai, e depois ela me deu a idéia de fingir que o Frederick e eu passamos uma noite romântica juntos para que depois eu pudesse dizer que estava grávida. 
_O papai também sabe? - pergunto- ele tem a língua solta. 
_Não- diz depressa- ele só sabe que eu me envolvi em confusão e precisava da sua ajuda,  mas ele nunca soube exatamente o que tinha acontecido. 
_E como você conseguiu esconder a gravidez por tanto tempo? - pergunto- fingir que estava de dois meses  quando na verdade estava de quatro meses. 
_Eu era mais magra- diz baixo- e por causa disso eu quase não tinha barriga e foi fácil esconder alguns meses. Eu expliquei para o meu médico sobre não dizer nada de que a Annie não nasceu prematura, então deu tudo certo. 
_Ainda bem- sussurro- já pensou se o Frederick descobrisse tudo quando ainda estivesse grávida? 
_Esse medo não saiu da minha cabeça- confessa- todo dia eu tinha pesadelos com  o Frederick descobrindo a verdade,  me expulsando de casa e ainda me tomando a minha filha. 
_Falando em filha- digo- a Reyna está demonstrando não valer nada.
_Ela só está com medo de perder o marido- diz- pra ela foi um choque muito grande descobrir que a irmã se envolveu novamente com seu namorado, que agora é marido.
_Então está a defendendo? - pergunto indignada. 
_Não- diz pensativa- só estou dizendo que ela não fez nada disso por que é uma má pessoa. 
_Boa que ela não é- digo- chantagear a própria mãe, é baixo demais. 
_Eu nunca imaginei que ela fosse capaz de fazer isso- admite- foi um verdadeiro baque. 
_E bem grande- digo- se ela não fosse uma paranóica o seu marido não teria se envolvido com a Annie, colocar a culpa na irmã é mais fácil do que admitir que ela também errou.
_Também acho isso.  Ela não entende que agora a Annie está casada e nem pensa no Percy- diz me encarando- eles não se encontram mais né? 
_O que você quer dizer com "não se encontram mais"?- pergunto assustada. 
_Thalia não vai me dizer que eles ainda tem um caso? - pergunta séria. 
_Não- digo baixo. 
_Você não me engana- fala alto- eles ainda tem algo. 
_Não- não era uma mentira- mas eles tem uma forte ligação. 
_Esses dois tem que se afastar - diz- ainda mais que agora ela está noiva. 
_Eles não estão tendo nada para se afastar- digo rápido. 
_Thalia foi muito difícil fingir que eu não queria a Annie por perto- admite- antes da renovação do casamento a Rey começou com a chantagem. 
_Ela sabia que ia acabar perdendo o marido- digo pensativa. 
_Sim e por isso ela agiu depressa- diz- foi tão difícil não ter contato com a minha filha durante esses anos, a ainda perdi o nascimento da minha neta, e a Annie precisou tanto da mãe na gravidez. 
_Sim ela precisou- suspiro- mais do que possa imaginar. 
_Vou me arrepender disso pra sempre- diz me encarando. 
_Atena- digo baixo- essa doença da Rey é mentira? 
_Não sei- diz baixo- o médico me disse que era verdade mas faz tempo que ela não tem nenhum sintoma da doença. 
_Poderia ser mentira? - pergunto. 
_Não duvido- admite- mas também não posso afirmar.
_Eu tenho certeza de que foi um golpe pra segurar o marido- digo firme.
_Se foi- diz- bom não vai mais adiantar já que o Percy vai pedir o divórcio. 
_E ele não está certo? - pergunto. 
_Não sei Tha- admite- é difícil ver que a minha filha está se tornando uma má pessoa. 
_Por isso você tem que dizer a verdade- insisto- antes que ela fale. 
_Sabe- diz baixo- a verdade é que eu não tenho tanto medo assim da reação do Fred. 
_Não? - me assusto. 
_Não- confirma- eu tenho é medo do que ele possa fazer contra a Annie. 
_E o que ele poderia fazer?  Ela não teve culpa- quase grito. 
_Mas ele ficará cego e pode dizer coisas a culpando- diz baixo. 
_Mas você estará do lado dela- insisto- e vai explicar que ela não tem culpa de nada. 
_Será que está do seu lado vai ser o suficiente?  - pergunta- imagine como ela vai se sentir mal se o cara que ela pensou ser seu pai a acusar por ter nascido? 
_Mas agora ele está mais próximo dela- digo- e se ele não a acusar? 
_Seria bom demais- diz sorrindo- seria um sonho se ele ficasse do lado dela. 
_E se ele nunca te perdoar? - pergunto. 
_Eu não me importo- diz baixo- no começo eu temia pelo meu casamento, mas agora eu penso primeiro na segurança da minha filha.
_Atena a Annie estará segura- garanto- você será a primeira a proteger essa menina. 
_Sim eu serei- diz firme. 
_Além do mais,  ela terá outras pessoas para a segurar desse choque- digo. 
_Quem? - pergunta curiosa. 
_Todos que a amam- falo segura- mas não tenha medo da sua reação. 
_O que vocês estão me escondendo? - pergunta me encarando. 
_Todos logo saberá tudo- digo rápido. 
_Irmã dói tanto ter que fingir que odeio a Annie- admite- é difícil não me aproximar da minha neta. É muito sofrimento, eu sei que errei, mas estou pagando tão caro por isso. 
_Não é a Reyna que tem que te punir- digo firme- ela também errou e não tem moral alguma para te julgar. 
_Não sei o que fazer- diz chorando- meu coração está morrendo. 
_Eu vou te ajudar- digo e sorrio- vamos te tirar dessa.
_Contando a verdade?  - pergunta. 
_É o único jeito- afirmo- e eu estarei do seu lado quando isso acontecer. 
_Obrigada- sussurra- obrigada por sempre estar do meu lado. 
_Não precisa agradecer- digo a abraçando- somos irmãs e eu te amo muito. 
_Eu também te amo muito- nos abraçamos forte. 
Depois de um tempo a Atena vai embora mais tranquila. 
Eu sei que não deveria pensar assim,  mas eu fico feliz em saber que ela não está fazendo isso por que quer. E sim por que está sendo chantageada. 
Era muito difícil saber que a minha irmã estava odiando mesmo a Annie. 
A minha vontade foi de dizer tudo que a Annie passou.  Mas eu sei que é a Annie que tem que falar isso. 
Mas eu sei que ela ficará feliz quando souber que a mãe a ama tanto,  e que se preocupa com a sua segurança. 
Mas eu sei também que o Percy a protegerá do Frederick,  pois ele também a ama.
_Thalia? - alguém me chama. 
_Oi Nico- digo baixo. 
_Me desculpe,  mas acabei escutando- diz se desculpando. 
_Não se preocupe amor,  se não escutasse eu iria te contar- garanto- agora vamos ser marido e mulher,  e segredos destroem tudo. 
_O que você vai fazer?- pergunta. 
_Eu não sei- admito. 
_Vai dizer a Annie? - pergunta se sentando do meu lado. 
_Nunca- afirmo- esse é um assunto muito delicado,  como a paternidade da Emily. 
_É um assunto muito particular- admite. 
_Mas eu sei que a Annie não vai julgar a mãe,  pois ela afastou a Emily do Percy por achar que é o melhor pra filha- digo. 
_Essas duas precisão de uma boa conversa de mãe e filha- diz. 
_Sim,  coitada da Atena sofrer nas mãos da própria filha- lamento- essa situação não é nada fácil. 
_Mas vamos pensar em algo- diz segurando as minhas mãos- eu vou te ajudar. 
_Obrigada meu amor- digo beijando seus lábios. 
_É por isso que eu te amo tanto- diz me beijando- você sempre se importa com todos que ama. 
_E você é a melhor pessoa- digo- que me ama apesar de todas essas confusões,  por isso quero ser sua esposa. 
Nos beijamos devagar.
��Pov's Annabeth
Acordo tão feliz.
Quando abro os olhos a primeira coisa que eu vejo é o Percy.  Sorrio me lembrando da nossa noite de amor.
E foi uma noite muito boa mesmo,  uma das melhores da minha vida.  Eu poderia ficar com mil caras,  porém  nenhum deles chegaria aos pés do Percy.  Nenhum me faria delirar de tanto prazer . Também eu amo tanto o Percy,  e fico muito feliz em o ter do meu lado,  e me dá vontade de pular de felicidade quando dormimos juntos. 
_Bom dia- alguém diz do meu lado. 
_Bom dia- digo feliz.
_Dormiu bem? - pergunta. 
_Do seu lado não tem como dormir mal- digo ainda sorrindo. 
_Você gostou? - pergunta sério. 
_Foi uma noite inesquecível- digo quase cantando. 
_Fico feliz minha querida- diz me encarando. 
_Eu te amo- digo também o encarando.
_Eu também te amo- admite- mas isso não é certo.
_Por que não? - pergunto triste. 
_Por que você tem o seu noivo- diz baixo- amor eu não quero atrapalhar a sua vida. 
_Você não atrapalha- choro- você só me faz feliz. 
_Ele é o pai da sua filha- continua- e não é certo te fazer o trair assim.  Ele deve ser uma boa pessoa. 
_Não é certo você me deixar agora que está livre da Rey- insisto- vamos ser felizes juntos,  e vamos enfrentar todos. 
_Vamos ver o que acontece- diz baixo. 
_Então vai deixar o nosso amor fluir? - pergunto sorrindo. 
_Vamos ver se dá certo Annie- diz sorrindo. 
_É claro que vai- digo pulando em cima dele. 
_Mas eu vou ter que ficar um tempo no Japão- diz sério.
_Um tempo quanto? - pergunto baixo. 
_Uns seis meses por aí- responde e me encara- você seria capaz de me esperar. 
_Sim- digo sem pensar- nesse tempo eu poderia resolver tudo em Londres e ir te encontrar. 
_Seria capaz de se mudar pro Japão? - pergunta- seria uma grande mudança e você acha que o Apolo iria deixar você levar a filha de vocês para tão longe? 
_Em seis meses eu e a Emily vamos morar com você no Japão- digo  sorrindo- não se preocupe com o Apolo. 
_Quando passar esses seis meses poderemos ver se vamos dar certo juntos- fala baixo- por isso vamos com calma.  Não se desfaça da sua vida tão depressa. 
_Vamos dar certo- insisto- e nem vamos precisar de tanto tempo. 
_Sim precisamos- diz me beijando- não quero estragar a sua vida novamente. 
_Você nunca estragou a minha vida- digo firme. 
_Mesmo assim vamos com calma ok? - diz beijando a minha testa- um passo de cada vez. 
_Esta bem- concordo- um passo de cada vez. 
Nos beijamos intenso,  e antes de ir embora tivemos outra rodada de sexo. 
Volto para o meu apartamento quase pulando de felicidade. 
Abro a porta bem devagar. 
_Muito bonito dona Annabeth- alguém diz me assustando. 
_Apolo? - digo assustada.
_Se assustou amor? - pergunta sorrindo. 
_Sim um  pouco- admito. 
_Ainda estava na despedida de solteiro da tua tia?- pergunta. 
_É- começo a dizer. 
_Não tente se explicar- grita- eu esperava tudo de você,  menos uma traição. 
_Não te trai- isso saiu tão mentiroso. 
_Não? - diz raivoso. 
_Não- digo encarando o chão. 
_Então vai me dizer que estava com a sua tia até agora? - pergunta. 
_Estava- começo a falar. 
_Já disse para não mentir sua puta- diz baixo. 
_Olha como fala comigo- falo- somos noivos. 
_E você pensou nisso quando foi pra farra ontem?- diz me encarando- quando me pediu para cuidar da nossa filha? 
_Você cuidou dela por que quis- me irrito- se for pra jogar na minha cara então não precisasse ficar com ela. 
_Eu fiquei por que a amo- diz- por que ela é a minha filha. 
_Então por que está jogando isso na minha cara? - pergunto. 
_Eu fico com ela com o maior prazer- confessa- mas eu não iria ficar com ela para você ir se esfregar em alguém. 
_Não fiz isso- digo baixo- me respeite. 
_Te respeitar? - ri- você falou isso mesmo. 
Começamos a brigar,  como se eu não tivesse mesmo o traído,  a verdade era que eu sou mesmo uma puta. 
_Era só uma ligação Annabeth- diz baixo- eu só queria que tivesse me ligado uma vez para dizer que ia dormir fora.  Eu estava preocupado. 
_Me desculpe por isso- peço- eu não queria te fazer nada de mal. 
_Me fale que estava com a sua tia- pede. 
_Não- admito- eu não estava com a tia Thalia. 
_Então ficou com umas amigas bebendo? - pergunta me encarando.
_Não- digo ainda encarando o chão. 
_Me fale aonde você estava- diz firme- e com quem você estava. 
_Eu estava com o Percy- confesso. 
_Vocês se encontraram e ficaram conversando? - pergunta duvidoso.
_Não- digo sentindo as lágrimas- passamos a noite juntos.
_Passaram a noite juntos- repete- vocês transaram? 
_Sim- digo chorando- eu não planejei isso Apolo.
_É claro que não- grita- imagine se tivesse planejado. 
_Mas agora vamos ficar juntos- digo baixo- vamos viver o nosso amor. 
_E eu aonde fico? - pergunta. 
_Então,  acho que devemos terminar- digo baixo. 
_Você acha- diz me dando um tapa.
_Eu sei que mereço isso- choro- me perdoe mas eu o amo. 
_Sempre o amou não é? - Diz irritado. 
_Eu te amei- confesso- e ainda amo,  mas o que eu sinto por ele é mais difícil de controlar. 
_Olha- diz me apertando- eu vou embora e vou levar a Emily comigo. 
_Não- me desespero- não pode. 
_Sim- Diz sorrindo- eu vou desaparecer com ela,  e você nunca mais vai ter noticias dela. 
_Se você fizer isso- digo enxugando as lágrimas- vai se arrepender- garanto- eu faço com que o pai dela te caçe até no inferno. 
_É isso que vamos ver- diz por fim- acho que terminamos. 
_Eu tenho certeza- falo mais alto.
_Sua ingrata- grita- eu que fiquei do seu lado quando seu filho morreu. 
_Eu não me esqueci de tudo que fez por mim- digo. 
_Parece que se esqueceu de que eu segurei a sua mão todo esse tempo que chorou- fala irritado. 
_E eu sou grata por isso- garanto. 
_Sabe Annabeth,  você é uma pessoa ruim, e por isso que o William morreu- diz e se vira. 
Me ajoelho no chão chorando. 
Isso me atingiu como uma flexa. 
O Apolo arruma as suas coisas e vai embora.
_Vai ainda me implorar pra voltar- diz antes de sair- sua ingrata. 
_Oh filha- pego a Emily no colo- não se preocupe pois o seu papai não vai te proteger meu amor- choro baixo- vamos ser felizes. Aí depois do casamento da Tia eu vou dizer ao Percy que ele é o seu papai. 
_Papai? - a garota pergunta- papai saiu sem da Beijo. 
_Vai ter outro papai- garanto- ele vai nos amar muito.
Ela me encara sem entender nada e se aninha nos meus braços. 
Beijo o seu rosto e me assusto,  pois ela estava muito quente. 
Se reparar bem ela estava muito pálida. 
Pego o telefone e ligo para o tal amigo do Percy e marco uma consulta para a minha filha para depois de amanhã. 
_Logo vamos ver o que você tem minha bebê- sussurro- pois hoje é o casamento da nossa tia tão louca e amada. 

��Pov's Percy
Depois da maravilhosa noite com a Annie tivemos uma conversa decisiva e decidimos que quando eu voltasse do Japão iríamos ficar juntos ou não. 
É claro que eu quero muito ficar  com ela,  mas é melhor não apressar as coisas, pois ela tem um noivo que a ama e ainda tem uma filha.
E também, eu não quero atrapalhar a sua vida, a sua felicidade. Ela construiu a vida ao lado de outra pessoa, e eu não posso chegar depois de quatro anos e estragar o que ela tem com outra pessoa, pois não seria justo. 
A deixo na sua casa e volto para a minha casa. A Reyna estava me esperando com aquela cara de poucos amigos e com a mão na cintura. 
_Bom dia- ela grita- é quase boa tarde.
_Olá- digo baixo. 
_A onde você estava até agora? - pergunta- na despedida de solteiro do seu primo que não é. 
A minha vontade era de dizer que eu estava com a Annie, mas não quero a prejudicar. 
_Por aí- digo mais alto. 
_Estava com mulher que eu sei- continua gritando. 
_Não Reyna- falo sem vontade- eu estava sozinho. 
_Esta mentindo- diz- e aposto que estava com a vaca da minha irmã. 
_Eu não estava com  ela- afirmo- e lave a boquinha pra falar da Annie,  pois eu ainda não me esqueci do que você aprontou. 
_E o que eu aprontei? - pergunta. 
_Quase deixou a nossa filha morrer- digo- então não venha falar mal da Annie. 
_Eu sou a sua a sua esposa,  tem que me respeitar- exige. 
_Se dê ao respeito primeiro- digo mais alto- ainda somos casados só no papel. A relação marido e mulher já acabou a muito tempo. 
_Acabou por que você se envolveu com a minha irmã- grita com raiva- apenas por isso.
_Antes mesmo de me envolver com a Annie,  eu já estava ficando cansado de você- digo a encarando- por isso eu inventei uma viajem para Londres. 
_E por que se casou comigo- chora. 
_Por que você disse que estava doente- comento- coisa que estou duvidando. 
_Então acha que é mentira? - pergunta baixo- vai ver quando eu aparecer morta. 
_Casados ou não,  não podemos impedir a sua morte então pare de chantagens- digo sem paciência. 
_Eu sou mãe da sua filha- diz como se fosse um crime. 
_Apenas isso- afirmo- a única coisa que vamos ter juntos é a Júlia. 
Começamos a brigar pelos mesmos motivos. A verdade era que agora eu já estava cansado de discutir as mesmas coisas com a Reyna, ela sempre vinha com os mesmos argumentos, as mesmas chantagens, as mesmas acusações como se fossemos um casal que se amasse muito. Mas o nosso amor morreu a mais de quatro anos atrás.  
Isso se o que tivemos possa ser chamado de amor.
_Chega- perco a paciência- fique sabendo que eu já entrei com o pedido de divórcio. 
_É o que? - se assusta. 
_Vamos nos separar- afirmo- esse casamento falso está com os dias contados. 
_Não pode fazer isso- chora- eu te amo. 
_Essa relação está nos prejudicando- falo mais baixo- não somos mais felizes juntos, e a culpa é nossa. Por favor siga com a sua vida que eu vou seguir com a minha.
_Por favor- implora- não pode me deixar.  
_Minha querida- falo tentando ser paciente- nosso tempo acabou. Sua felicidade não é do meu lado.
_Não- continua chorando. 
Pego as minhas coisas e as coloco dentro de uma mala. 
Saio de quarto.
_Amor- digo pegando a Julia no colo- eu te prometo que eu volto pra te buscar. 
_Fica papai- a garota está assustada. 
_Não se preocupe- digo- eu volto minha filha. 
_Você não me ama? - pergunta. 
_Muito- garanto- e por esse amor que eu _vou fazer de tudo para ficar com você. 
_Se você sair dessa casa- Reyna sussurra- nunca mais vai ver a Júlia. 
_Sabe- digo a encarando - uma vez eu já cai nessa.  Mas agora não. 
_Então pague pra ver- grita. 
_É o que vamos ver- Beijo a Julia e a coloco no chão- a gente se vê logo filha. 
_Tchau papai- chora. 
Pego minha mala e saio. 
_A culpa é da Annabeth- a Reyna aparece na porta chorando- a puta da minha irmã está destruindo a minha família. 
_Ela não fez nada- digo colocando as coisas no carro- nossa família já estava destruída antes dela aparecer. 
_Não faça isso- chora alto- eu te amo muito. 
Várias pessoas já estão parando para ver o que estava acontecendo. 
_A gente se vê- digo e entro no carro e começo a dirigir.
Enquanto dirijo eu não paro de pensar na Juju.  Será que foi uma boa idéia ter saído de casa agora? 
Será que a Reyna faria algo a nossa filha para me atingir? 
Eu sei que a Reyna não é uma mãe de ouro, mas acho improvável ela fazer algo a nossa filha. 
_Será que eu deixei a minha correr algum perigo em ficar sozinha com a mãe? - penso inquieto. 
Eu tenho que tirar esses pensamentos da cabeça,  mas está impossível. 
_Por isso eu tenho que tirar a Júlia de perto da Reyna, o mais rápido possível- penso estacionando o carro. 
Consigo alugar uma casa- faz umas semanas que estava negociando com a dona- e decido que vou ficar aqui e depois quando eu for embora eu vejo o que eu faço. 
Eu nem desfaço a minha mala já que no dia seguinte eu vou viajar. 
_Aí Annie- penso- será que eu vou conseguir ficar tanto tempo assim longe de você? 
Esses seis meses serão muito difíceis sem a minha loirinha linda, e sem a Juju. 
Mas eu tenho que fazer isso.
Pelo bem das duas. 
Mas dessa vez eu tenho certeza de que a minha relação com a Annie pode dar certo.
A única coisa que ainda nos impede de ser felizes juntos é o fato dela ter um noivo. 
Isso só pode ser uma brincadeira do destino, antes era eu que estava comprometido e agora é ela. 
_E ainda tem a Emily- penso- o pai dela não vai permitir que ela fique tão longe assim dele. 
É bem capaz dele proibir a Annie de ver a filha. 
_Se ela fosse a minha filha tudo seria diferente. Que pena que ela não é- lamento- mas vou a amar - aliás já a amo- como se ela fosse a minha filha.
��Pov's Reyna
_Percy volte- grito- por favor não me deixe sozinha. 
Estou tão desesperada que não me importo de que várias pessoas estão me olhando como se eu estivesse louca.
_Cuide das suas vidas- grito. 
_Mamãe o papai vai voltar- escuto a Júlia dizer. 
_Ele nos abandonou por causa da idiota da sua tia- choro- ela é a culpada.
_Mas o papai sempre quis ficar com ela- a Júlia diz- eles se amam. 
_Não- grito perdendo o controle- o seu pai tem que me amar. Já sei- penso e enxugo as lágrimas. 
Saio de casa e ligo para a minha mãe ficar com a Julia- se eu a deixasse sozinha o Percy iria dizer que eu sou uma péssima mãe. 
Ligo para o Apolo e combinamos de nos encontrar em outro hotel.
_Como assim você e a Annabeth terminaram? - pergunto depois dele me dizer o que tinha acontecido. 
_Ela me traiu- diz baixo- ontem ela foi para a despedida de solteiro da tia e só voltou hoje. 
_Hoje? - me assusto. 
_Sim- confirma- ela ainda teve a cara de pau de dizer que estava com o seu marido. 
_Então eles passaram a noite juntos- choro- eu não sabia que eles tinham se reaproximado tanto. 
_Eles estão bem juntos- Apolo suspira. 
_O Percy me disse que já está arrumando os papéis do divórcio- digo baixo- será que eles vão ficar juntos. 
_Talvez- o Apolo me encara- pense bem,  se o seu marido te chutou e a Annie me chutou então eles estão pretendendo ficar juntos. 
_Eles não podem- digo alto- eles não podem ficar juntos. 
_Como não pensei nisso antes- chegamos a uma conclusão juntos- eles devem estar se encontrando a muito tempo escondidos. 
_Mas amanhã o Percy viaja- me lembro- e ele vai ficar muito tempo fora. 
_Temos que os separar- Apolo diz firme.
Planejamos várias coisas para os separar de vez.
_Tenho certeza de que a minha mãe vai nos ajudar- digo- eu posso fingir que entrei em coma. 
_Ele seria um idiota se caísse nessa- diz rindo- temos que fazer outra coisa. 
_Que coisa?  - pergunto séria- pois eu já estou ficando sem idéias. 
_Mandar uma carta pra ele no nome dela terminando tudo- sugere- o melhor é que temos que impedir que eles se encontrem antes dele ir embora. 
_Seria muito bom se eles não se despedissem- digo- ele iria acabar que ela pensou melhor e não o quer. 
_E também não devemos deixar que eles conversem antes do casamento- diz rápido- eles não podem ficar sozinhos. 
_Por que- pergunto. 
_Depois do casamento eu vou levar a Annie embora na força- diz- eu a dopo e a enfio dentro do avião. 
_Mas isso só daria certo se ela não tiver contato com mais ninguém- sugiro- a leve para um lugar bastante longe. 
_Já sei- fala alto- vou a manter presa em casa. 
_E depois a leve para outro país- digo baixo- e ameace dizendo que vai tomar a filha de vocês. 
_Ela e o Percy tem algo que podem os ligar para sempre - sussurra. 
_E o que poderia ser isso? - pergunto. 
_Não importa- diz sério- o que importa é que não devemos deixar aqueles dois sozinhos.
��Pov' s Annabeth
Estou ajudando a minha tia nos últimos detalhes do seu casamento. 
Fomos até um SPA para que ela pudesse passar seu dia de noiva- pelo menos a tarde- e ficasse maravilhosa para o grande momento. 
Estou junto com ela e aproveitei para relaxar- e levei a Emily comigo- pois eu estava precisando. 

_O Apolo e eu não estamos mais juntos- digo baixo. 
_Finalmente terminaram- pergunta sem me encarar 
_Ah obrigada pelo presente de ontem- sorrio- eu cheguei em casa hoje de manhã e brigamos e terminamos. 
_Então deu certo? - pergunta animada. 
_Acho que sim- digo tudo que eu e o Percy tínhamos combinado de fazer.
_Uau- diz sorrindo- estou muito feliz.  Mas e o Apolo? 
_Não tem mais volta- garanto- acabou de vez.  Ele me chamou de ingrata. 
_Pegou pesado- comenta. 
_E também eu não consigo mais esquecer o Percy tia- sussurro. 
_Eu te apoio no que decidir- diz me encarando. 
_Antes do Percy ir pro Japão eu vou dizer a verdade- devido. 
Depois de fazer massagens e outros tipos de relaxamento eu ajudei a minha tia com o vestido. 
O Seu vestido era branco e de mangas curtas e um decote discreto, o vestido ia até o começo dos pés e era justo no seu corpo e tinha leves babados na barra. 
Seu cabelo ficou preso em um coque com uma tiara prata e por fim o véu. E um buque de rosas vermelhas. 
A sua maquiagem foi muito discreta- ela só sobrecarregou os lábios com um batom bem vermelho. 
E suas unhas estavam prateadas e longas.
Depois de deixar a minha tia maravilhosa eu vesti a Emily. Ela estava com um vestido azul e meio rodado, seus cabelos estavam presos em uma trança do lado esquerdo do seu rosto. 
O Meu vestido era longo e amarelo com um cinto dourado e a parte de cima tinha vários detalhes em preto, e por fim os meus cabelos estavam soltos e  cacheados. 
Depois de prontas fomos até a igreja. 
O meu avô iria levar a Thalia até o altar. 
_Pode deixar que eu fico com a Emily- o Apolo aparece. 
_Obrigada- tento ser gentil. 
Felizmente o Apolo se senta perto do meu pai,  e assim ele também pode ficar de olho na minha filha. 
Vou para o meu lugar perto do altar e sorrio quando vejo o Percy. 
_Esta linda- ele sussurra. 
_Obrigada- respondo tímida.  Ele estava lindo em um terno. 
Sorrio sentindo o clima maravilhoso que tinha surgido quando o Percy estava do meu lado. Era tão bom ficar perto dele,  e aposto que estou sorrindo feito uma boba e todos estão me olhando. 
O casamento começa.
***
Na saida a tia Thalia jogou o buque e eu o peguei. Sorrio vitoriosa,  e sinto que eu serei a próxima a me casar.
Durante a festa eu quase não tive tempo de ficar sozinha com o Percy. 
_Vou viajar amanhã- o Percy fala me assustando. 
_Amanhã? - me assusto- mais já? 
_Foi o único horário que consegui- explica- os vôos estão lotados. 
_Entendo- digo com uma vontade de chorar. 
_Vem se despedir de mim amanhã? - pergunta.
_É claro- digo sorrindo. 
_Eu volto logo- promete. 
Nos beijamos devagar. 
Então amanhã eu teria que contar toda a verdade pra ele. 
A festa passa e o Percy e eu não podemos ficar mais sozinhos. 
Depois da meia noite eu e a Emily vamos embora para o nosso apartamento.  E eu nem tinha visto mais o Apolo. 
Chego e coloco a Emily para dormir e adormeço logo. 
Acordo com um choro. 
Me levanto correndo e a Emily está chorando. 
_Minha filha- digo me aproximando. 
Ela começa a vomitar sangue. 
Me desespero. 
Depois ela desmaia nos meus braços.
 


Notas Finais


Tenho uma surpresa.
O próximo capítulo já está pronto só falta o digitar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...