História I Hate To Love You - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 13
Palavras 3.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HIIIIIII
TUDO BOM GALERO?
EU TO INSPIRADA, ENTÃO TÁ AI ESSE CAPÍTULO QUE ACABOU COM MEUS PRÓPRIOS SENTIMENTOS

Capítulo 25 - Talking About Feelings


Fanfic / Fanfiction I Hate To Love You - Capítulo 25 - Talking About Feelings

P. O. V Taehyung

Eu entrei em casa, após uma briga para tirar a chave do bolso e abrir a porta, sem derrubar a Suyu no chão

Assim que entrei em casa, dei um suspiro de alívio, e carreguei a garota pelo ambiente, até chegar ao meu quarto, andei até a cama e deitei ela delicadamente na mesma

Quando a deixei lá, parei ao lado da cama, e passei à observar o estado dela. Seu rosto passava tranquilidade. Seu cabelo estava uma linda bagunça azul. E seu vestido rodado também azul, estava amarrotado e meio sujo

Como ela conseguia ainda parecer tão linda aos meus olhos?

Saí de meu transe e decidi fazer algo. Acho que vou dormir na sala, não vou tirar ela da minha cama no estado em que ela está, nem vou dormir com ela

Fui até meu guarda-roupas e peguei uma calça de moletom para vestir agora. Andei até o banheiro e após tirar toda a roupa que vestia, entrei no box e liguei o chuveiro

Mil pensamentos voaram em minha mente. Sim, estou realmente cogitando a hipótese de fazer o que o senhor me disse pra fazer. Eu não quero deixar ela ir mais, não quero. Eu vou falar com ela quando ela acordar, se eu sentir que é o certo, se meu coração me fizer falar na hora, eu vou fugir do meu plano anterior, e me declarar pra ela

Eu estava perdido em meus pensamentos, até ouvir um barulho do lado de fora, e me desesperei. Suyu deve ter acordado. Desliguei o chuveiro e saí do box, vesti a calça de moletom e abri a porta do banheiro, e me deparei com a garota sentada na cama com um olhar perdido, até que ela me viu, então sua boca se abriu em surpresa

– Suyu...

– O que eu estou fazendo aqui? Por que você...

– Você bebeu demais, e deu PT, então eu me senti responsável de cuidar de você – Explico, interrompendo ela. Andei à passos lentos até o espelho e comecei a arrumar meu cabelo, sem me importar com o olhar analisador que recebia da garota

– Não é, então pronto. Eu vou pra casa – Ela disse, irritada, virando o rosto para o lado, como se não estivesse me encarando segundos atrás

– Suyu... Não fala assim, eu-

– Eu já te mandei sair da minha vida, assim como eu saí da sua – Ela afirma, se levantando. Ela tropeçou em algo e ia de encontro ao chão, e ela só não atingiu o mesmo, pois eu fui rapidamente até ela e a segurei

– Olha pra você agora. Eu não poderia te deixar sozinha nessa situação nem que eu quisesse – Eu digo, sorrindo de lado. Ela bufou irritada e se soltou de mim

– Não sou responsabilidade sua, eu posso cuidar de mim mesma – Fala exasperada. Eu ri sem humor. Ela falando isso parece até que sabe sobre o porquê de eu ter mandando ela sair da minha vida

Ela pode até sair da minha vida, mas da minha mente ela não sai, nem por um segundo

– Su... Se acalma, toma um banho e depois nós conversamos, tá? – Peço. Eu já estou fraquejando, já estou decidido à contar à ela sobre meus sentimentos, mesmo sabendo que ela não os vai aceitar

– Toma. Veste isso – Digo, entregando timidamente uma das minhas camisas, que ficariam folgadas e compridas nela provavelmente. Ela ainda hesitante, pegou a camisa, e foi até o banheiro, se dando por vencida

Assim que a porta do banheiro bateu, eu passei à pensar em como faria isso que agora eu planejava fazer. Como me declarar pra única pessoa que em todos a vida cheguei a amar? Eu não sei como fazer isso, eu nunca amei ninguém, consequentemente nunca tive que passar por essa situação. E agora, eu estou de pé no meio do meu quarto, tentando decidir como fazer isso, como me declarar para a única garota que me fez sentir a confusão do amor

Eu suspirei. Eu tenho medo de fazer isso e ser rejeitado, eu nunca tive que receber um "não" de garota nenhuma, mas eu sei que a Suyu é diferente delas, ela me fez sentir tão confuso, como nunca antes estive

Eu me sentei na cama, e meus pensamentos foram para a manhã de ontem. Eu fui um grande, mas um grande idiota, mesmo. Mas que merda, eu não poderia simplesmente dizer "olha, eu te amo, e eu tenho medo de te magoar e te perder, eu quero que me aceite e me faça superar meus medos". Mas, não né, eu só falei um "se afaste de mim"

Ela está despedaçada, eu sei que está, mas não sei o porquê, eu não achava que eu era tão importante pra ela, então não achei que ela se sentiria tão mal à esse ponto, apenas pelo que eu pedi à ela

Eu não tenho ideia de como vou fazer isso, mas eu preciso. Eu sei que vacilei com ela várias vezes, tenho consciência disso, mas... Talvez, se ela gostar de mim também, mesmo que seja só um pouco, ela poderia aceitar meus sentimentos e nós poderíamos... Ser felizes juntos

Isso parece um pensamento, um desejo tão distante agora, mediante à situação em que nós nos encontramos, parece talvez um pensamento muito idiota, insano e impossível de se concretizar

Tomei um susto ao ouvir o barulho da porta do banheiro sendo aberta, e logo uma figura de estatura baixa com uma camisa comprida e folgada, apareceu, saindo do cômodo. Ela estava adorável, com seu rosto meio corado, e seu cabelo agora arrumado

– Suyu, você se sente melhor? – Pergunto preocupado, me referindo à quantidade de bebida que ela tinha bebido, e as consequências que isso teve

– Sim... Eu tô melhor... – Ela diz com voz tímida, enquanto olhava para o chão. Eu sorri, encantado com a garota

– Sobre... Sobre o que você quer conversar? Eu tenho que ir pra casa – Ela fala, ainda encarando o chão. Ela realmente planeja ir pra casa, à essa hora da manhã?

– Pode vir se sentar aqui, eu não mordo. E você não vai pra casa, Suyu, são 03:30 da manhã – Eu falo. Ela me olha sem entender, mas ainda assim se aproximou, e se sentou na cama, meio distante, como se tivesse medo de mim

– Eu tenho que ir... Merda! Eu perdi a hora. Eu deveria voltar pra casa às 22:00! Meu irmão vai me matar... – Ela fala, se desesperado. Eu ri baixinho do desespero dela

– Por que você me trouxe pra cá, mesmo sabendo que não sou responsabilidade sua? – Pergunta, ficando séria novamente

– Suyu... Mesmo que você não seja minha responsabilidade, eu ainda me importo... – "me importo pra um caralho com você", pensei, mas me contive e não falei isso. Ela me olhou com deboche pela minha frase

– Não deveria. Nem à sua vida eu pertenço mais. Me deixe ir embora, e vá embora pra outro lugar também, eu sei que é isso que você quer – Fala irônica, transparecendo tristeza e mágoa na voz, ainda assim

– Olha, isso é mais complicado do que você pensa, Suyu – Eu digo, fechando os olhos, enquanto respirava profundamente, sentindo meu coração acelerar novamente ao pensar em me declarar

– Ah, é? Que legal, pena que eu não ligo. Só quero que me deixe de vez – Fala seca, virando o rosto e me olhando irritada

– Que droga! Eu tinha esquecido do quão orgulhosa você consegue ser – Eu praguejo, recebendo um olhar melancólico e debochado dela

– Eu sei que eu sou uma bagunça, tá bom? Eu não preciso de um idiota como você pra me falar isso! – Diz exaltada. Eu suspirei e grunhi baixo

– Você é, é uma grande bagunça, mas eu sou realmente muito idiota pra ter me apegado e passado à admirar a linda bagunça que você é – Digo sincero, sentindo meu coração acelerado. Ela me olhou se entender, e por um segundo sua expressão se suavizou, mas logo ela voltou a ficar com o semblante sério

– Que merda você está falando, seu babaca? – Pergunta, suspirando, enquanto encarava o chão. Eu fiquei em silêncio, não conseguindo falar em voz alta o que eu sentia, o que queria contar à ela. Todos os sentimentos que tenho nutrido por ela, pareciam explodir dentro de mim agora

– Mas, que merda! – Ela se irrita, se levantando, olhando para mim chateada com meu silêncio 

– Por que você me quer fora da sua vida, depois de ter me trazido pra ela? – Pergunta, parecendo triste novamente, ela está fraquejando, assim como eu agora

– A minha vida é uma confusão, e eu queria nunca ter te trazido pra ela... Então, eu queria te tirar dela, antes que fosse tarde demais... – Digo, sentindo meus batimentos cardíacos mais acelerados que nunca. Está mais próxima a hora que eu estava me preparando

– Eu quis entrar na sua vida também, não trate isso como se eu nunca tivesse escolhido ficar com você – Suyu fala, me olhando nos olhos. Seus olhos pareciam cheios de confusão, ela parecia tão perdida e tão afetada

– Eu sei, mas... Eu não queria que você se magoasse, não queria que eu acabasse te magoando – Eu falo, a olhando do mesmo modo suplicante no olhar. Ela riu sem humor

– Eu me responsabilizo pelas consequências das minhas decisões. Se eu escolhi aceitar suas desculpas e aceitei ser sua amiga, eu lidaria com suas confusões e estaria com você, mesmo que você me magoasse,  e você fez isso ontem, mesmo que não quisesse  – Aquilo foi como um tapa na minha cara. Eu agi como se ela fosse uma criança, não achei que ela poderia ser tão sensata. Droga! Ela tá me fazendo amar mais ela

– Eu não sou uma criança inconsequente, Kim, eu sei o que faço, e eu pensei bem até decidir ficar com você, desde aquele momento eu sabia que poderia ser difícil. Mas, você não precisava me cortar, e agir como se nunca nada tivesse acontecido, como se eu não soubesse o que faço. Por que você tem tanta preocupação comigo? Por que se sente tão responsável por mim? Eu sei o que eu-

– Porque eu me apaixonei por você! – Interrompo, após tomar ar e pensar bem no que diria. E tinha que ser agora. E então ela me olhou completamente espantada e extasiada, sem acreditar nas palavras proferidas por mim

– Me apaixonei por tudo em você, e isso me desespera, eu nunca me apaixonei assim por ninguém, ninguém nunca me fez sentir como você faz. Eu queria te afastar de mim, porque eu sei que sou um fodido de um impulsivo, e pra eu fazer merda em um momento de pânico, é bem fácil de ocorrer, como foi ontem, quando te mandei embora. Eu me importo tanto com você, que... Eu queria te proteger de tudo, até de mim – Coloco pra fora tudo que tenho sentido nesses dias. Ela me olhava à cada palavra mais espantada, mais perdida. E meus olhos já estavam marejados de novo, com todos os sentimentos que eu sentia em mim, e o gosto amargo da possível rejeição, logo no meu primeiro amor, veio, me desesperado

Nós ficamos em silêncio em seguida, foram longos minutos torturantes e difíceis pra mim, apenas olhando para o chão, esperando alguma reação dela. Doeu tanto aquilo, eu já esperava por uma relação negativa dela, e isso já me dilacerava por dentro

Mas, logo sua voz tímida e trêmula se fez presente no cômodo até agora, silencioso

– Por que? Por que não me disse isso antes? Teria sido tudo mais fácil se tivesse me contado antes...! – Fala, me encarando com os olhos levemente preenchidos em seus cantos por lágrimas também

– Porque eu só notei isso há poucos dias... E eu sabia que você rejeitaria meus sentimentos... Eu juro que não queria isso, eu não planejava isso, mas aconteceu... Eu me apaixonei pela primeira vez na vida, e eu tinha medo de ser rejeitado, ainda tenho, na verdade... Mas eu precisava te contar isso – Explico, deixando uma lágrima cair, enquanto encarava os olhos confusos e curiosos dela. Eu me sinto destruído agora, porque eu continuo esperando a reação negativa dela

– Me desculpa... Por ter te mandado embora, mesmo que o amor seja o culpado – Eu falo sincero, olhando para o chão novamente. Ouvi os passos dela se aproximando de mim. E logo senti suas mãos segurando meu rosto, o erguendo, me fazendo olhar em seus olhos sem entender. Ela sorriu de leve pra mim e negou com um manear de cabeça

– Deveria ter me dito isso antes... Se tivesse me dito, eu poderia ter feito isso aqui, sem ter precisado discutir com você, ter chorado um rio, bebido pela primeira vez na vida, ter dado PT, e ter tido que ser salva por você... E só agora, eu posso fazer isso – Fala com tom compreendendor. Meus olhos se arregalaram  logo, como nunca antes, quando ela juntou seus lábios aos meus, me beijando com calma e paixão, sem línguas ou toques ousados, apenas um beijo inocente e repleto de sentimentos

Nos beijamos por vários minutos. Eu sentia a paixão dela naquele beijo, e sentia como se estivesse colocando meu amor naquilo, todo meu amor por ela, e ele era muito grande, então era um beijo completamente cativante para mim 

– Por que você fez isso...? – Pergunto inocente. Não crendo na ideia dela sentir o mesmo sentimento insano que eu sentia por ela

– Você é bem lerdo, hein? – Zomba, rindo irônica. Suas bochechas logo tomaram um tom avermelhado quando ela continuou

– Eu também... Me apaixonei por você... E eu também não queria, nem planejava isso – Ela fala envergonhada, escondendo seu rosto em seguida no meu peito. Eu sorri bobo, sentindo meu coração ainda acelerado com o que ela disse. Eu amo ela, e ela nutre o mesmo sentimento por mim. Eu não poderia me sentir melhor

Eu abracei o corpo pequeno dela, a abrigando em meus braços com carinho, sentindo ela me abraçar de volta

– Vê se se acalma, menino, teu coração tá muito acelerado – Ela zomba novamente, me olhando com um sorriso irônico

– Cale a boca, quase posso ouvir os seus batimentos cardíacos daqui – Digo, com o rosto corado também, assim como dela ficou em seguida, após minha frase, e um bico infantil se formou em seus lábios, e eu fui tentado à roubar um selinho dela que parecia envergonhada e de um modo bobo, mas feliz, assim como eu também me sentia

– Você não sabe o quanto eu esperei por isso... – Nós falamos ao mesmo tempo, após nos encararmos com sorrisos por alguns minutos. Rimos juntos com nossos pensamentos e sentimentos que parecia ser os mesmos

– Agora, podemos ir dormir...? Eu tô morrendo de sono – Ela pede tímida. Eu ri alto, porque já esperava isso dela

– Não seria você se não estivesse com sono, Su – Falo, com um sorrisinho zombeteiro no rosto, recebendo um tapa no braço, e ela agora tinha um semblante irritada, mas extremamente fofo, me fazendo deixar um beijo em cada uma das suas bochechas infladas, numa falsa expressão de raiva, e um beijo em sua testa, fazendo ela sorrir de modo bobo também para mim

Peguei a mão dela, e a levei até a cama, e fui até o guarda-roupas e peguei alguns lençóis pra ela dormir. Entreguei os lençóis pra ela e fui pegar alguns pra mim também, e me aproximei dela, para lhe dar um beijo, mas ela se afastou me olhando sem entender

– Pra onde pensa que vai, Kim Taehyung? – Ela questiona sorrindo de lado

– Dormir.

– A cama tá aqui.

– E você vai dormir nela, eu vou pra sala.

– Ah, meu Deus. Dorme aqui, babaca – Ela sugere, rindo baixo. Eu não planejava dormir com ela, mas nada vai acontecer aqui mesmo, só vamos dormir, então tudo bem

– Ah... Tudo bem. Eu vou só ligar o ar-condicionado – Aviso, mas ela me segura pela mão, me puxando para ela, chocando nossos corpos, fazendo ela sorrir e me beijar de novo. Dessa vez o beijo era mais afoito e desesperado da parte dela, e eu a acompanhei, me sentando na cama junto à ela, enquanto continuávamos mantendo aquele contato íntimo

Ela parecia apressada, mas eu logo fui desacelerando o beijo, antes que isso passasse para outra coisa mais precipitada nessa cama. Ela soltou um risinho entre o beijo, deixando uma mordida no meu lábio, para então pararmos o beijo, então nos encaramos sorrindo de novo

– Você é muito provocadora, garota – Falo, me arrastando pela cama, para então me deitar em um dos lados da cama de casal. Ela riu e se aproximou de mim, se deitando ao meu lado, mas sem mantermos contato  físico nenhum

Ficamos em silêncio, apenas com sorrisos nos rostos. Ela encarava o teto, enquanto eu olhava para o rosto dela, encantado com o fato de uma garota como ela estar apaixonada por mim. Esse é meu primeiro amor, eu me sinto tão perdido e realizado agora

– Então, você só falta me engolir num beijo, mas não me abraça na hora de dormir, entendo bem sua lógica, Suyu – Zombo dessa vez, fazendo ela me olhar indignada, e rir em seguida com a ironia das atitudes da mais nova

– Quer que eu te abrace então? – Ela rebate, olhando também para mim com sarcasmo

– Quero – Respondo sincero, fazendo ela me olhar surpresa, mas, ainda assim, sorridente, então se aproximando mais de mim, para finalmente, me abraçar forte

– Vamos dormir – Ela diz alegre, enquanto escondia seu rosto na curva do meu pescoço, e eu colocava meus braços ao redor dela com carinho

– Boa noite... Eu... Gosto de você – Digo, tímido, com o coração acelerado de novo, fazendo ela rir baixinho contra meu pescoço, me fazendo arrepiar levemente

– Se acalma, porque eu também... Gosto de você, Tae – Ela diz, me abraçando mais forte, após um suspiro

Eu fitei o rosto calmo dela. Eu não achei que ela poderia retribuir meus sentimentos, eu acreditava que ela os rejeitaria, mas, não foi bem assim, ela sente o mesmo, ela gosta de mim também. Eu nem posso acreditar, eu me sinto tão feliz, tão bem, meu coração está tão acelerado, mas eu me sinto tão calmo por dentro. Saber que ela retribui o mesmo que eu, aquece meu coração de um modo tão maravilhoso, que eu me sinto realizado e encantado tanto com ela, quanto com a situação em que estamos vivendo 

Fechei meus olhos, após deixar um beijo na testa de Suyu, com mil pensamentos, ideias para o futuro. Decidi dormir logo, e não passar o resto da madrugada pensando sobre o que faria em seguida, e vou deixar tudo fluir entre eu e ela


Notas Finais


FINALMENTE
EU OUVI UM AMÉM IRMÕES?
ATÉ EU JÁ TAVA IRRITADA COM ESSA LERDEZA PRA ESSE OTP DAR CERTO

AGORA VAMO LA QUE ESSA PORRA VAI SER MAIS FLUFFY DO QUE TRETA NOS CAPS SEGUINTES... Por enquanto :)

Até mais, gentney lov y'all :')


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...