História I hate u,I love u - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Hailey Rhode Baldwin, Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hailey Baldwin, Hayes Grier, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Matthew Espinosa, Personagens Originais, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Tags Cameron Dallas, Colegial, Festa, Hailey Baldwin, Romance
Exibições 61
Palavras 1.415
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Esporte, Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gentee me desculpem muito não ter postado cap esses dias,eu não parei em casa no final de semana e mal peguei no celular,ai ontem aconteceu toda aquela tragédia e eu fiquei muito triste e muito abalada,mas hoje eu acordei cedinho e inspirada para escrever esse cap,confesso,vai ser bem hot kkkkkkkk
Boa leitura!!

Capítulo 14 - Last Day


Fanfic / Fanfiction I hate u,I love u - Capítulo 14 - Last Day


Depois de todo o ocorrido eu mal consegui dormir pela noite,nós voltamos já tarde do hospital e eu passei toda a noite pensando que aquilo era tudo culpa minha,se eu não tivesse ficado tão nervosa ele provavelmente não teria corrido tanto e ah,eu nem consigo imaginar se algo pior tivesse ocorrido,eu provavelmente não aguentaria algo pior.

Meu alarme não tocou e já imaginei que minha mãe teria tirado pra que eu possa pelo menos tentar dormir,o que aconteceu no máximo 1 hora,o resto eu fiquei me revirando e na maior parte do tempo chorando. Pela primeira vez ela tinha me deixado faltar em anos,ainda bem que ela conseguiu enxergar o tanto que eu estava mal e que precisava me recuperar.

Levantei não tão cedo,não pelo motivo de que realmente queria sair da cama porque eu não queria,mas porque eu estava realmente morrendo de fome na que fazia muito tempo que eu não comia nada.

Ao me ver no espelho que levei um susto,meu cabelo estava todo bagunçado e meus olhos estavam super inchados,fiz o favor de não assustar mais ninguém e arrumei o cabelo antes de descer.

Abri a geladeira e minha mãe já notou que eu acordei.

—Ela acordou.-disse se levantando do sofá e indo em direção a cozinha.

—Acho que não vai querer olhar para a minha cara.-disse pegando uma caixa de leite.

—Não seja boba.-ela disse e quando eu me virei ela também levou um pequeno susto.-Tudo bem,acho que deveria tomar um banho e passar um pouco de maquiagem nessa olheira antes de sair.

Apenas ri e peguei uma torrada com queijo para comer.

Uma hora depois eu terminei de fazer tudo e me arrumar,agora sim poderia sair. Fui para a casa do Cameron saber se ele tinha melhorado das pancadas.

Toquei a campainha e sua mãe abriu a porta.

—Muito bom te ver,acho que Cameron vai amar te ver.-ela me deu um abraço e eu subi para o seu quarto.

Abri a porta devagar e ele ainda estava dormindo,achei melhor voltar e esperar ele acordar mas sua mãe disse que estava na hora de tomar o remédio e querendo ou não teria que acorda-lo. Peguei o remédio e a água e voltei lá.

Coloquei os mesmos em cima da mesinha e sentei no canto da cama. Comecei a acariciar seu rosto e sorri ao ver que ele estava bem,pensando o quanto milagroso tinha sido ele ter saido ileso daquele carro.

—Vamos acordar amor,você precisa tomar seu remédio.-eu disse num tom de voz médio.

—Agora não mãe, me deixa dormir.-ele disse e eu ri.

—Não é a sua mãe.-ele abriu os olhos vagarosamente e sorriu ao me ver.

—Vim te trazer o seu remédio.-eu disse e ele começou a reclamar.

—Ah não, o gosto desse remédio é muito ruim.-ele se virou para que eu não conseguisse dar o remédio pra ele.

—Ei,você precisa tomar,faz assim,coloca na boca e engole,é rápido.-disse tentando convencer ele.

—Não, eu já cansei de tomar isso.

—Não se faça de bobo,você deve ter tomado isso no máximo duas vezes.

—E não quero tomar mais nenhum.

—O negócio é o seguinte então, se você não tomar também não vai ganhar nenhum beijo antes da viagem.-disse "subornando" ele.

—Você não vale nada.-ele disse e tomo o remédio em um gole rápido.—Agora eu quero o meu beijo.-ele disse eu não pude recusar.

—Você vai amanhã?-perguntei interrompendo o beijo.

—É,mas quem liga pra isso-ele disse me puxando novamente para o beijo.

—Eu talvez,que vou ficar um mês longe de você.

—Acho então que vou ter que explodir minha cota de beijos dos próximos trinta dias hoje.-ele disse me convencendo que eu deveria ficar o dia todo com ele.

Ele começou a me beijar e sua mãe logo nos interrompeu me deixando em um momento super constrangedor. Ela entrou no quarto e talvez ficou surpreendida.

—Ah ok,nada que eu não tenha visto antes.-ela repetiu varias vezes baixinho,mas mesmo assim eu escutei.

—Com licença.-ela disse batendo na porta dessa vez. Apenas sai de cima dele e tentei me virar sem que ela me achasse uma puta.

—Vocês não acham melhor virem comer alguma coisa? Juro que de tarde eu e seu pai vamos sair para trabalhar e eu deixo os dois serem felizes.-ela disse e nós rimos baixo concordando com a cabeça.

O tempo passou igual um sopro,muito rápido,quando me toquei seus pais já tinham saído e nós estávamos a sós.

—A sós.-ele disse com uma cara muito maliciosa e eu apenas assenti com a cabeça.

Ele se levantou da cadeira e me puxou pela cintura,nós fomos nos beijando até o andar de cima.

—Sua mãe fala como se você trouxesse uma por final de semana pra sua cama.-eu disse rindo e ao mesmo tempo abrindo a porta.

—Ela disse pra não deixar o clima tão constrangedor,pra falar a verdade.-ele disse e eu me acabei de rir.

Nós entramos no quarto e o clima começou a ficar mais quente. Ele começou a passar a mão levemente na minha cintura,que estava descoberta por conta do cropped que eu estava usando. Eu apenas deixei,estava curtindo tanto aquele momento,já que ficaria sem ele por um mês, que acabei nem me tocando onde tudo aquilo iria parar. Ele tirou meu cropped e começou a beijar meu pescoço enquanto soltava o meu botão do short e descia o zíper com muito prazer. Ele já estava praticamente sem roupa então eu apenas tirei o seu short de pijama e joguei para sei lá aonde. Ele me puxou para cama e nosso beijo começou a ficar ainda mais intenso,naquele momento eu já não ligava mais se minha mãe sabia ou não onde eu estava. Ele colocou sua mão dentro da minha calcinha o que me fez gemer um pouco. Ele me deitou na cama e resolveu dar uma de Gogo Boy pra cima de mim e aquilo realmente me deixou intacta,eu só sentia o vento que fazia quando ele se mexia,quando o pensamento de "provavelmente ele está assistindo muito Magic Mike" veio na minha mente o que me fez rir por dentro e relaxar um pouco. Ele tentou tirar minha calcinha com a boca e eu o impedi,o que não fez ele ficar restringido as outras partes do corpo. Ele começou a beijar cada cantinho que estava a mostra, me deixando um pouco arrepiada,confesso,até voltar para a boca,que ai eu o dominei,puxei ele pra bem perto de mim e comecei a beija-lo como se não houvesse amanhã porque na verdade,nós realmente não sabemos o que vai acontecer amanhã.

—Eu te amo demais.-ele me disse no intervalo pequeno de um beijo.

Ele insistia em tentar tirar a minha calcinha, mas confesso que eu ainda estava insegura para o que poderia acontecer se ele fizesse isso. Até que chegou a um ponto que eu tive que interromper com palavras.

—Não posso.-disse sem tentar estragar todo o clima.—Desculpa.

Ele fez uma pausa até receber as informações e apenas respondeu com uma cara de quem não tinha ficado triste ou chateado por causa de que eu não queria,mas sim de que respeitava minha decisão e que aquilo não mudaria nada entre a gente.

—Sem problemas.-ele disse se deitando e me fazendo apoiar a minha cabeça no seu peito.

Talvez eu tivesse ficado um pouco desapontada comigo mesma por não ter seguido aquilo que ele queria mas eu realmente não estava preparada e fiquei muito feliz de ele ter entendido isso.

A tarde passou e nós ficamos deitados trocando beijos e palavras.

—Eu não quero que esse dia acabe.-eu disse.

—Ele não precisa acabar.-ele respondeu sorrindo e acariciando o meu rosto.

—Eu sinceramente não sei se vou conseguir ficar sem você por tanto tempo.

—Eu tenho certeza que vai,você é uma garota forte,Hailey,por isso que eu gosto tanto de você, você é especial,tem esse sorriso que me deixa babando e é muito mais linda do que qualquer pessoa que eu já imaginei.-ele disse o que me fez escorrer uma lágrima, que ele logo em seguida limpou.

—Seus pais vão chegar daqui a pouco,melhor eu me arrumar.-disse me levantando e tentando achar minhas roupas jogadas no chão.

—Ei,não, ele não vão, meu pai planejou um encontro em um restaurante com a minha mãe, para comemorar o aniversário de casamento,provavelmente só cheguem depois das 11.

—Mas mesmo assim,minh mãe já deve estar preocupada com o meu sumisso.

—É claro que não, ela sabe que você esta aqui sã e salva.-ele disse e me convenceu a realmente ficar.

Eu voltei para a cama e fiquei observando seu rosto e apenas sorri.

—O que?-ele perguntou curioso pelo motivo de eu estar olhando e rindo para a cara dele.

—Você sempre vai me convencer a ficar.-eu disse e ele logo em seguida me agarrou e começou a me beijar.


Notas Finais


UI UI UI foi quase KKKKKKKKK
Acho que perdi minha santidade depois de escrever esse capítulo (como se eu fosse bem santa)KKKKKKKKK
Enfim gente,eu realmente espero que tenham gostado bastante pq n vou mentir,adorei escrever😏😂😂
Os favoritos e os comentários me motivam muuito,viu?!
E agora que eu estou de férias juro que vou tentar adiantar um pouco os caps!!
Bjssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...