História I Hate You - JiKook - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin Jikook Vhope
Exibições 100
Palavras 1.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Eu te desafio!


Fanfic / Fanfiction I Hate You - JiKook - Capítulo 9 - Eu te desafio!

“Eu quero dar as mãos com você

Mas isso é tudo que eu quero fazer agora

E eu quero chegar perto de você

Porque suas mãos e lábios ainda sabem seus caminho

E eu sei que gosto quando nos aproximamos à noite, começa a ficar surreal

Mas quanto menos tempo que eu passo com você, menos você precisa para se curar”

— Troye Sivan - Talk Me Down.

°•°•°•°

≠ Jimin on ≠

Concordei com a cabeça.. Eu estava no tédio, então... Por que não?!

– Vem cá! – Pegou meu pulso e saiu me puxando até o que aparentava ser, o porão.

Eu sabia que poderia dar alguma merda. A sensação aumentou quando vi Jeon JungKook na rodinha de, aproximadamente, dez pessoas que se formava no chão. Ele me olhou, quieto, com os olhos arregalados e depois desviou o olhar. Eu queria sair dalí correndo. Mas não irei amarelar...

– Bem! Vamos começar! – O garoto que me chamou, girou a garrafa. Fiquei torcendo para não cair em mim. Por sorte, não caiu. – Ah, garota intercambista! Verdade ou consequência? – Ela olhou desafiador para ele, que logo entendeu o recado. – Eu desafio você à...

≠ Seokjin on ≠

Eu já estava um bom tempo procurando Namjoon. Até que fui no quintal. Sentado de pernas cruzadas, com um copo de alguma bebida alcoólica na mão, na borda da piscina. Lá estava Namjoon, desanimado. Ver ele assim mexe comigo, não gosto de vê-lo abatido com algo.

– Nammie? Oi! – Sentei ao seu lado, cruzando as pernas, assim como ele, evitando molhar meus pés na piscina.

Ele me olhou e sorriu falsamente.

– Oi... – Recebi como resposta.

– Quer que eu vá embora? Reconheço seu sorriso verdadeiro, é o contrário desse que você acabou de dar... – Ele abaixou a cabeça e sorriu de lado com meu comentário.

– Não precisa ir embora se não quiser... Eu apenas...

– Apenas...?

– Não estou afim de... De te olhar nos olhos...

– Sério? Geralmente, é você que me encoraja e tenta me ajudar à fazer contato visual...

– Jin, você ainda confia em mim? – Mudou repentinamente de assunto. O olhei, surpreso com a pergunta. Claro que confio. Ele deveria saber disso!

– Claro! Por que não confiaria?!

– Não parece... – Suspirou. – Jimin me disse que você anda estressado, com uma mudança de humor drástica e outras coisas do tipo... O que é isso? Por que não me falou nada? – Jimin, é o hoje que você morre, lindo...

– Não quero comentar sobre... Desculpe, Mon...

– O-Ok.. – De certa maneira, Namjoon estava magoado. Por que?! Sabe, não é fácil simplesmente dizer: "Namjoon, eu te amo, te amo muito, te quero nú na minha cama, só vem!". Realmente.. Não sei o que falar agora. – Tenho que ir!

Ele se levantou.

– Onde vai? Vou junto... Só vim para ter sua companhia... – Me levantei.

– Por que não vai atrás de seu paquera?! – Se alterou, do nada. Como assim?! – Jimin me disse que você estava gostando de alguém, mas não me disse quem. Você não tem ideia do quanto doeu ouvir isso! Doeu tanto! Eu simplesmente te amo, Kim Seokjin.. E agora, vem a notícia que você ama outro... Bem, normal! Não se preocupe comigo, Jin.. Pode fingir que nunca existi. Não quero interromper nada na sua vida. Quero te ver feliz. Então me deixe aqui, vai com quem você ama... Espero, de coração, que ele te ame e cuide de ti tanto quanto eu amo e tento cuidar de você... – Se desviou de mim e saiu...

Realmente... É o hoje que Park Jimin morre...

Namjoon... Me ama?!

N-Nammie... – Senti uma lágrima escorrer rapidamente pelo meu rosto, logo seguida de outra, cujo eu enxuguei rapidamente. Eu sabia que Namjoon me evitaria pelo resto da noite à todo custo, sabia que evitá-lo também seria melhor do que ser ignorado...

Peguei mais uma bebida em um dos vários barzinhos espalhados e me sentei no sofá. Haviam pessoas se pegando ao meu lado, mas eu não estava me importando, meus pensamentos só estavam em Namjoon...

≠ Hoseok on ≠

Eu estava cego de paixão por Hyuk.. Muitos me disseram que era o caminho errado... Disseram que Hyuk era um idiota. No fundo, eu desacreditava. Qualquer pessoa, por mais que a mais fria, contém um coração. Apenas precisam de alguém para mostrar o amor, como é bom amar e como é bom ser amado. É o que, pelo visto, Hyuk precisava. E eu estava disposto à amolecer seu coração e mudá-lo para melhor...

Estava...

Contarei porquê...

Lá estava eu, na festa. Quando avisto quem finalmente quero. Ele estava se pegando com uma menina. Ele pode não ser nada meu, mas eu senti um pingo de ciúmes. Mas ele poderia estar bêbado, então, ignorei e deixei passar.

Outra hora, eu estava passando por aí, e acabei esbarrando nele, Hyuk... Mas aconteceu o que eu não queria...

– Não olha por onde anda?! Idiota! Derrubou a bebida em mim! Você vai ver! – Reclamou, cerrando os punhos.

– C-Calma, Hyuk! F-Foi sem querer... – Supliquei.

– Nada de calma! Nem sei quem você é, e nem quero saber! Mas sei que não tem moral comigo, e nem vai ter! – Me empurrou e eu caí no chão. Ele realmente iria me bater...

Ele iria me bater. À esse ponto, algumas lágrimas já escorriam enquanto eu estava em desespero por dentro. Eu sabia que deveria uma explicação para meus pais e meus irmãos, Jimin esfregaria na cara um "eu avisei!" e Jin apenas me olharia com reprovação...

Seu punho já estava vindo em minha direção. Sou fraco, não saberia me defender, então, apenas fechei os olhos. Escuto alguém levando um soco...

– Você não vai encostar nenhum dedo nele enquanto eu estiver aqui, entendeu?! – Era uma voz que eu conhecia. Era a voz de Kim Taehyung...

– Quem você pensa que é?! – Hyuk questionou, com uma mão no olho. Seu nariz sangrava um pouco, esse foi um soco bem dado.

– Uma pessoa boa, diferente de você! – Taehyung se virou para mim e, vindo em minha direção, se abaixou. – Tudo bem, hyung?

– S-Sim... – Falei cabisbaixo. Sinceramente, minhas costas doíam, caí com elas contra o chão... – Obrigado, Tae... – Ele me ajudou a levantar.

– De nada! – Sorriu, me fazendo sorrir de volta, fraco, mas sorri.

Eu não sou muito apegado ao Tae. Nos falamos poucos, somos apenas colegas... Mas ele me ajudou, e sou grato por isso agora!

– Tae... Sua mão... Está com sangue! – Peguei sua mão, seus punhos ainda estavam cerrados, ele estava com ódio nos olhos. Ele olhou para mim, parece que todo o ódio se foi, e riu fraco. – É bom ir lavar...

– Tudo bem... Obrigado..

– Obrigado? Eu que devo agradecer! – O abracei forte, e ele retribuiu fraco.

– Não foi nada... Apenas não quero que mexam com meus amigos...

– Você me considera amigo? – Sorri.

– Sim, e muito... Sei que não somos nem um pouco íntimos, e que nos falamos pouco, mas te considero muito... – Ele pôs a mão na nuca. – Vou beber alguma coisa... Quer vir?

– Sim...

Eu pude desabafar com Tae, sobre Hyuk. Tae me ouviu, me ajudou bastante à abrir os olhos...

≠ Jimin on ≠

E a garrafa girava. Já pagaram tanto mico aqui, sem contar com as safadezas incluídas no jogo, que, por sorte, não caiu para mim.

A garrafa parou em JungKook.

– Verdade ou consequência, Jão? – Um menino perguntou. Não lembro o nome de ninguém, apenas estou jogando, mas dele eu lembro, é Min, o cara que me chamou.

– Consequência! – Ele respondeu.

– Ok.. Antes de fazer a consequência, me responda algo: Você é gay? – A pergunta fez JungKook ficar desconfortável e corar.

– N... Eu pedi consequência, não verdade...

– Mas para a consequência, preciso de sua resposta!

– S-Sou... – Ele respondeu, quase baixo.

– Então... Beije o cara que você acha mais bonito aqui na rodinha! – O Min bebeu um gole de sua bebida, enquanto a vergonha de JungKook subia.

Ele bufou e olhou para mim. Corou e veio até mim. Estávamos sentados o chão, ele veio "engatinhando" até mim e ficou de joelhos na minha frente. Ele estava morrendo de vergonha, e eu também!

– Tem que ser sexy, Jeon! Sussurra alguma coisa gostosa em seu ouvido, faça direito, cara! – Eles brincavam. O que fazia Jeon ficar mais sem jeito ainda... Eles não tinham preconceito com gays, tanto que havia um outro na rodinha.

– C-Calma! – Disse JungKook, olhando-me nos olhos. Ele se aproximou devagar e mim, indo ao meu ouvido e mordendo o nódulo de minha orelha. – J-Jimin-ah... Desculpe... – Sussurrou, eu sorri discretamente com a timidez dele. Ele desceu até meu pescoço, onde depositou alguns beijos e uma leve mordida, me deixando arrepiado. Depois passou para meus lábios. Foi apenas um selinho demorado, o que gerou reclamações.

– Ah! Não era para ser selinho, era para ser beijo mesmo! – Reclamou Min.

– Você não especificou como! – JungKook respondeu.

Giraram a garrafa. Caiu em mim, não sei quem era o cara que iria me perguntar, mas Min sussurrou algo em seu ouvido e ele sorriu.

– Verdade ou...-

– ...Consequência! – Cortei-o e respondi, receoso.

– Beije nosso camarada, Jeon! – Ele colocou a mão no ombro de JungKook. Eu e Jeon estávamos fazendo cosplay de tomate! – Sem ser selinho! Beijo mesmo! Vocês sabem do que estou falando!

Eu respirei fundo e fui até JungKook. Da mesma maneira que antes, eu estava ajoelhado em sua frente. Mas alguém me empurrou em cima de JungKook, me fazendo cair deitado nele.

Estávamos demorando.

– Ah, vai logo! Aperta a "bundinha" enorme do Jimin, Kook! – Eles continuavam brincando. Essa brincadeira me fez esconder o rosto na curva do pescoço de JungKook.

D-Desculpa... Eu... Não consigo... – Sussurrei para JungKook. Ele riu.

T-tudo bem... Ambos estamos tão vermelhos quanto seu cabelo. – Ele acariciava meu cabelo, sussurrando, na tentativa de me acalmar. – V-Vamos acabar logo com isso...

Ele levantou meu rosto e me beijou. Mas, como pediram, não foi selinho. A sensação era estranha, mas boa. Todos da rodinha gritavam tipo "Aee" ou coisas assim. Antes de nos seprarmos pela falta de ar, JungKook deu uma mordida em meu lábio inferior. Depois sussurrou em meu ouvido, sorrindo: 

Eu te odeio!


Notas Finais


Hellou
Fiquem com esse capítulo enorme aí :')

Eu vou ter dificuldade de postar..
Tô de recuperação em cinco matérias :/
E isso vale para todas as fics..
Mas não vem ao caso...

Espero que tenham gostado <3
Beijin de limão :3 sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...