História I Hate You - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Exibições 186
Palavras 3.338
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


*DESVIA*DESVIA*DESVIA*DESVIA
Demorei? Demorei Pakas! Desculpa por isso.
Mas é que tive que fazer muitas coisas, Também estava ocupada tentando montar I HATE YOU 2 ( ESTÁ FODA <3)
Enfim...
Espero que gostem...
Boa leituraa..
Beijos <3

Capítulo 46 - Rival


Fanfic / Fanfiction I Hate You - Capítulo 46 - Rival

Os dias se passaram rápido demais, e quando pude ver já era quinta-feira, dia dos preparativos do meu casamento. Arrisco-me a dizer que muitas das pessoas ao meu redor pareciam estar mais animadas do que eu quanto arrumar a festa. Essa época do ano é extremamente fria, fazendo-nos ficar com vontade de não sair da cama quentinha. A neve, o vento gelado que batia em nosso rosto, tudo era frio. E de acordo com a minha temperatura corporal, o verão é a melhor estação do ano para mim.

— Mells? — Reconheci ser a voz de Caitlin do outro lado da porta. Porém, me recusei a levantar. — Levanta desgraça! Nós vamos fazer as compras para o seu casamento com a Dorothy e a Pattie. Você vai com a gente.

— Tá bom! — Resmunguei cansada. Escutei seus passos com o salto afastando-se da porta, estava sozinha novamente.

Com uma coragem sobrenatural, me levantei e tomei um banho quente. Enrolei-me com a toalha e fui a passos calmos até meu quarto. Colocando uma roupa de frio juntamente com uma bota cano curto, passei uma maquiagem leve, que particularmente, não ficou tão ruim quanto pensava. Estaria agradável se não tivéssemos que andar no meio da neve que preenchia as ruas do Canadá.

Desci às escadas, indo em direção à sala. Dorothy, Pattie, Ísis e Caitlin esperavam-me na sala prontas para sair. Ryan e alguns dos meninos assistiam a TV enquanto Nolan e Chaz estavam enrolados nas cobertas tremendo.

— Ele também vai? — Perguntei quando notei Justin se aproximar da sala. Pattie o encarou com os olhos semicerrados.

— Nem pensar! Nunca ouviram falar que não se pode ver a noiva com o vestido antes do casamento? — Retrucou, fazendo-nos sorrir. Bieber revirou os olhos, se aproximando e me dando um selinho.

— Meus seguranças irão com vocês para garantir que as coisas fiquem bem por lá. — Disse, dando um beijo suave na minha testa. — Toma cuidado, qualquer coisa você pode me ligar, estarei em casa. Edward virá aqui também, temos trabalho.

Vi alguns dos seguranças de Justin se aproximar com seus uniformes, e logo saímos pelo portão. O Inverno estava começando, então, as lojas ainda permaneciam abertas já que nenhuma tempestade ameaçou se aproximar. Dezembro é o mês que existem mais casamentos, o que definitivamente é muito bom para os donos dos comércios. 

Andávamos pela rua observando cada vitrine que passávamos. Muitas vezes era arrastada para dentro de uma loja por conta de Ísis ou Caitlin que pareciam extremamente animadas com a ideia de compra. Os seguranças de Justin permaneciam andando atrás de nós, com o mesmo semblante sério de sempre. Suas armas estavam no cós das calças caso precisássemos de ajuda. 

— Vamos naquela. — Disse Pattie indo em direção a uma loja de vestidos glamourosos. A segui, vendo as meninas fazerem a mesma coisa. Bruce e os outros seguranças ficaram do lado de fora da loja, nos esperando.

— Bem-vindas, sou Jake. Posso ajudá-las? — O atendente da loja se aproximou, sorrindo gentilmente. 

— Gostaríamos de ver alguns vestidos brancos, por gentileza. — Falei, ele assentiu sumindo por uns instantes pela porta atrás de si e depois voltou, com alguns tecidos brancos nos braços.

Peguei um dos vestidos que ele havia trazido e fui até o provador, o vestindo. O mesmo realçava as curvas do meu corpo por ser colado, possuindo uma renda bordada. Dei uma volta, encarando-o pelo espelho e saí do provador.

— Você está linda, querida! — Dorothy falou enquanto Pattie concordava com suas palavras. Ísis e Caitlin ainda me encaravam, olhando-me de cima a baixo, parecendo analisar o vestido em mim. — E vocês? O que acharam?

— Ficou fantástica nesse vestido. Mas ainda sim, acho que ele é muito simples. — Disse Caitlin enquanto Ísis se aproximou, tocando o tecido e o vendo em mim. — Você está casando com Justin Drew Bieber, fala sério.

— Não pretendo gastar muito do dinheiro dele em um vestido, Cait. — Respondi, me olhando no espelho que tinha ali. — Depois desse casamento não vou usá-lo novamente, não tem porque comprar um muito caro.

— Então como vamos gastar os 6 mil que ele nos deu? — A encarei incrédula. — Não coloque a culpa em mim. Eu disse que ia pagar para você, mas ele insistiu em me dar esse dinheiro. — Neguei com a cabeça. — Isso é pouco comparado ao que ele tem.

— Tem mais esse aqui se você desej...wow! — Jake interrompeu-se quando pôs seus olhos em mim. — Você ficou linda.

— Obrigada. — Sorri gentilmente sentindo minhas bochechas corarem com seu elogio. Ele pareceu notar já que me encarou com um sorriso tímido nos lábios. Caitlin me cutucou e eu a olhei, vendo-a me repreender com o olhar. — Vamos levá-lo?

— Ainda não. — Disse Ísis sorrindo. — Ainda tem mais algumas lojas para vermos. Mas, guarde esse, por favor. — Ele assentiu.

Fui em direção ao provador e tirei o vestido, colocando minhas roupas de volta. Saímos da loja, sobrando uma grande quantidade do dinheiro que Justin havia me dado. Estávamos famintas e conversávamos sobre ir a algum restaurante.

— Ei! — Jake, o atendente da loja que saímos, veio correndo em minha direção entregando-me um cartão. — Caso você não consiga me encontrar na loja novamente, me liga. — Assenti cautelosamente, pegando-o das suas mãos fazendo-as esbarrar. 

— Vamos? — Dorothy chamou-me docemente. Saí de perto dele, vendo-o entrar no seu trabalho novamente. Enquanto andávamos, notei o olhar de Caitlin pousar em mim diversas vezes enquanto guardava o cartão.

— O quê? — Perguntei finalmente depois de vê-la encarar-me sem piscar.

— Você teve sorte. — A encarei confusa. — Teve sorte que os seguranças de Justin não estavam dentro da loja também. — Esperei que ela continuasse, observando-a em silêncio. — Eles facilmente notariam o clima que ficou entre você e o atendente. — Quando ia finalmente falar alguma coisa, Ísis aproximou-se. 

— Então, aonde vamos comer? — Perguntou, Caitlin foi andando na frente, deixando uma loira confusa para trás. — O que aconteceu com ela? — Encarei-a, sorrindo confortavelmente. Nem mesmo eu tinha entendido.

O passado deles tinha sido bem perturbador. Principalmente por Caitlin ter namorado com Justin, talvez o fato que ela ache que eu possa o trair com qualquer um a deixe irritada por algum motivo. Será que...talvez ela ainda nutre algum sentimento por Justin? Quando não possuímos qualquer relação de amizade, a pegava me olhando feio às vezes. Poderia ser?...

— Vai ficar parada aí? — Escutei sua voz, despertando-me dos meus pensamentos. Comecei em caminhar em direção a elas que conversam animadamente. Beadles permanecia inquieta, deixando-me cada vez mais curiosa sobre seus sentimentos.

Decidimos ir a um restaurante próximo, para escaparmos um pouco mais do ambiente de Gangster que íamos diariamente. Ele era incrivelmente moderno, e exalava um ar calmo. Era exatamente disso que precisávamos. Sentamos todas juntas, uma ao lado da outra. Os seguranças em outra mesa. O garçom aproximou-se, por fim, acabamos pedindo um hambúrguer. 

— Alguma de vocês sabem o que Justin está fazendo na mansão? — Comecei um assunto qualquer, o clima estava meio tenso entre eu e Caitlin e a ideia era cortá-lo. — Meu pai iria lá por algum motivo.

— Provavelmente estão tentando convertê-lo a ir para a despedida de solteiro. — Encarei Ísis no mesmo instante que disse. — O quê? Você realmente achou que eles não fariam isso? — Ri pelo nariz. É claro que fariam. — Não se preocupe você terá também. — Disse, dando uma piscadela em minha direção. Sorri, vendo-a fazer o mesmo.

Justin Bieber P.O.V

Peguei meu cigarro e o traguei, soltando a fumaça. Encarei a mulher aproximar-se da sua casa, com os dois filhos enquanto sorriam falando sobre algo desconexo por nós. Permanecíamos com o carro afastado da sua casa, sem deixar óbvio que estávamos presentes aqui esperando o tempo certo para que saíssemos do carro.

— Ele parece estar muito melhor do que dizem por aí. — Estávamos na frente da casa de Hector. Um dos homens que costumava comprar nossas melhores mercadorias. Durante um tempo, ele deixou de pagar. Nos fazendo acreditar que o filho da puta estava sem duro. Acabamos descobrindo algumas coisas, e aqui estamos nós. 

— É porque ele está. — Babi confirmou. Descemos dos carros e passamos a andar lado a lado, Ryan e os outros não vieram por conta da ''despedida de solteiro” que estão planejando para mim. Collins estava disposta, então será ela.

Batemos na porta como pessoas civilizadas e esperamos que alguém atendesse. Por mais que minha paciência estivesse acabando, não precisava ter que destruir a porta e assustar metade da vizinhança. Demorou um pouco, mas uma menininha loira de olhos levemente esverdeados com um vestidinho branco e descalça atendeu. Sua filha mais velha.

— Papai não está em casa. — Disse cautelosamente meio assustada com a aparição repentina.

— Quem é, Melanie? — Uma mulher, não muito diferente da menor, apareceu. Seus olhos pousaram em mim temerosos, pude vê-la estremecer. Desci um pouco mais o meu olhar, encontrando um menininho agarrado nas pernas da mãe. — Vão pro quarto.

— M-Mas...— Melanie calou-se ao ver o olhar repreensor da mais velha. A menina me encarou um pouco mais e foi em direção ao irmão, puxando-o delicadamente pela mão e subiu as escadas, sumindo no corredor.

— O que está fazendo aqui Sr.Bieber? — Perguntou com receio, sua voz era calma e doce. — Precisa de algo?

— Preciso ter uma conversa com o seu marido. — Falei, entrando na casa juntamente com Babi atrás de mim. — E não se importe em dizer que ele não está em casa. Tenho todo o tempo do mundo para esperá-lo.

Sentei-me no sofá, vendo a morena fazer o mesmo. Permanecemos sentados esperando que Hector aparecesse, sua mulher  — extremamente gostosa — não havia sentado nenhum um minuto. Embora tenha trazido água, continuava temerosa com a visita.

— Amor, você sabe de quem é esses car... — O mesmo parou de falar ao ver eu e Babi espalhados pelo sofá. — O que estão fazendo aqui? — Seu olhar intercalou entre mim e a mulher, que parecia ainda mais aflita com sua presença.

— Como assim o que estamos fazendo aqui? — Pude sentir meus olhos arderem, e minha voz engrossar. — O prazo acabou há três semanas e você não apareceu. Estamos esperando a grana. 

— E-Eu já expliquei que não tenho como... — Levantei do sofá, sacando minha arma em sua direção. — P-Por favor...

— Papai! — A menininha de alguns minutos atrás desceu a escada correndo junto com o irmão, agarrando-se na perna do pai. 

— Melanie! Vá para cima — Ordenou à mãe, a garotinha me encarava com lágrimas nos olhos. — Mel...

— Não faça nada com o papai, por favor... — O menininho pediu, chorando desesperadamente. 

Minha arma continuava apontada na direção de Hector. Meu olhar intercalava-se entre as crianças e a mulher, Babi que estava sentando ao meu lado levantou-se, encarando as pessoas que nos olhavam com lágrimas e abraçadas. Hector pedia por piedade.

— Merda! — Gritei chutando um móvel ao meu lado. Não conseguia mais fazer isso, que porra. Abaixei a arma, enquanto a mulher ao meu lado me olhava incrédula com o que havia acontecido. — Você tem a porra de três dias! Se a grana não aparecer, nós vamos voltar e enfiar uma bala no meio da sua cabeça! — Falei por fim, afastando-me deles.

— O quê? Espera... — Os quatro se encolheram enquanto Babi vinha atrás de mim — O que você está fazendo, seu idiota? — Ia em direção ao carro, sem me importar com ela me xingando. — Vai me dizer que ficou com dó de matá-lo por causa das crianças?

— Eu não ia atirar naquele filho da puta com os filhos dele por perto! — Grunhi irritado — Eles não merecem ver os miolos do pai espalhados pela sala. — Babi continuava a me encarar com o cenho confuso — Que foi, porra?

— Você é um perdedor. — A encarei — É um perdedor que se assusta facilmente em momentos de crise. Como pôde fazer isso? É o seu trabalho! Que se foda aquelas pessoas que estavam ali, você tem que garantir a sua sobrevivência e da sua família! Ele fez merda, ele quem paga. Se você quer se afundar não leve todos consigo! Está sendo descuidado! Não me surpreendo se algum dia chegar uma notícia na mansão falando que encontraram você morto pelas ruas do Canadá. Logo Melissa estará viúva.

— Não preciso que me fale como cuidar da minha própria família. — Ela negou diversas vezes com a cabeça, entrando. 

Olhei mais uma vez para a porta da casa de Hector já fechada, Melanie encarava-me pela janela. Coloquei meus óculos escuros e abri a porta do carro, voltando para o trajeto da minha mansão. 

 

Cheguei à mansão esperando encontrar Mells já em casa, mas me enganei ao notar o silêncio vindo do meu quarto. Os poucos seguranças que sobraram — por ter mandado os outros com elas — estavam fazendo ronda na casa. Desci do carro indo em direção ao Hall de entrada, mas antes que pudesse, estranhei uma movimentação próxima de onde os seguranças ficavam.

— Que porra é essa? — Perguntei atraindo vários olhares sob mim. Todos se entreolharam como se estivessem escondendo alguma coisa. — É melhor falaram se quiserem continuar tendo esse emprego.

— Sr. Bieber... — Will começou a falar, mas acabou sendo interrompido por uma moto que estacionou na frente da área.

— Hector Martinez está morto. — Falou Edward, descendo da sua moto e o colocando em cima da mesinha. — Acabei de passar na frente da casa dele, achei que tivesse sido você. — Continuei o encarando sem entender haviam se passado apenas três horas desde que saí de lá. — O lugar estava cheio de policiais e uma ambulância. Aparentemente foi um assassinato.

 Assenti ainda confuso pela informação repentina, fui para dentro da casa sendo seguido por Edward até meu escritório.

— Tem ideia de quem possa ter sido? Ele era cliente seu. — Perguntou assim que entrou, fechando a porta atrás de si.

— Você ainda pergunta? — Revidei, referindo-me a Carter. — Ele está querendo nos deixar assustados, como se todas as pessoas que tivéssemos ligação fossem morrer pelas suas mãos. — Ele concordou cruzando os braços. — Temos que começar a agir pra valer. Logo meu casamento vai chegar e não posso deixar alguma coisa acontecer com a Mells e nem com o bebê. Ele tem que morrer — Disse por fim.

Melissa Kannenberg P.O.V

Carter...

Esse era o nome que fazia meu coração palpitar mais rápido. Não do mesmo jeito de quando via Justin, mas sim de medo. Seu nome fazia uma euforia assustadora passar pelo meu corpo, junto com uma leve onda de desespero. Quando chegamos à mansão, acabei escutando uma conversa dos seguranças de Justin dizendo que ele havia matado algum Hector Martinez. Ao notar minha presença eles se assustaram e pediram que não mencionasse nada com o “Sr.Bieber”.

Enquanto caminhava pelos corredores da mansão, deparei-me com Ryan acompanhado de duas pessoas que nunca havia visto aqui anteriormente. Butler parou de caminhar imediatamente quando me viu, olhando-me por alguns segundos.

— Finalmente voltaram. — Iniciou uma conversa, sorrindo. — Achei que iam comprar o Shopping inteiro. — Dei um leve tapa no seu braço, fazendo-o falar um “Ai” fraco. — Essa é Melissa Bieber, futura mulher de Justin. — Disse apresentando-me para os meninos que sorriram gentilmente. — Mells, esses são Lil Za e Khalil, amigos de Justin.

 — Melhores amigos de Justin. — Khalil falou, provocando Ryan. Todos nós sabemos que Butler e Bieber são melhores amigos.

— “Melhores amigos de Justin” — Ryan revidou em uma tentativa fracassada de tentar imitar a voz do companheiro. Khalil partiu para cima dele, começando uma lutinha de socos por brincadeira. 

Za que estava apoiado no balcão começou a rir da brincadeira dos amigos, os dois se divertiam em meio a socos. Enquanto observamos vê-los brincar, Caitlin passou por trás deles, indo em direção à sala. Afastei-me dos meninos pedindo licença gentilmente e comecei a ir na mesma direção da morena, ela parou ao notar que eu estava atrás. Notei um copo de bebida em suas mãos.

— Aonde você vai? — Arrisquei perguntar, Caitlin continuava a encarar a porta, sem virar-se para mim. 

— Vou ver o Chaz. — Falou normalmente. Eu me perguntava se valia a pena perguntar o que queria saber. — Por quê?

— Você ainda sente alguma coisa pelo Justin? — Perguntei diretamente, vendo-a encarar-me com o cenho franzido.

— Do que está falando? — Por que eu sinto que ela está levemente irritada com essa pergunta? — Desculpa se acabei fazendo você entender mal o que aconteceu lá no centro, mas o que eu sinto pelo Justin foi neutralizado há anos. É claro, ainda me sinto um pouco incomodada pela minha melhor amiga namorar o meu ex, mas isso não significa nada.

— Quando eu e Justin começamos a nos relacionar eu ainda não sabia da sua existência. — Falei, revidando. — Você sabe, começamos com isso na prisão. Nem mesmo sabia da sua identidade e o quanto ele era ruim.

— Não vejo diferença, Mells. Depois que você me conheceu, continuaram em um relacionamento. — Insistiu, com ironia na voz. — Você sabia que eu e Justin tínhamos algo, mas nunca se importou realmente como eu me sentia com isso. — Ok, agora ela pegou pesado. Ela estava dizendo que sou egoísta? — Apenas falei que não me sentia confortável vendo-a conversar com outro menino enquanto estava com Justin, prestes a se casar. 

— Como é que é? — Aproximei-me de si, ficando cara a cara. — Quando o Sr.Bieber, seu patrão e amigo fodeu a vadia da Babi você não se importou em virar a cara para ele por mim, não é mesmo Caitlin? — Cuspi as palavras frente a ela.

— Está querendo dizer que eu nunca me importei com você? — Me olhava com indignação. — Eu sempre procurei te ajudar quando alguma coisa acontecia entre você e o Justin, você nunca nem perguntou como eu me sentia sobre a relação de vocês. É natural que eu não gostasse da ideia de tê-la aqui no início. Sempre estive com Ryan ou os outros, ter uma menina tirando Megan na mansão, foi extremamente difícil. Ainda mais sabendo que era alguém importante para Justin, sendo que eu ainda gostava dele. Você se apaixonou como toda menina fez, a diferença é que, não precisei ser arrastada para cá de novo.

— Você disse que Justin faz o que bem quiser comigo? — A empurrei, fazendo-a cambalear para trás. — Eu escolhi ficar aqui! Eu não precisei me afastar da minha família para ir atrás de poder, dinheiro, sexo e um homem! — Ela me encarou com raiva, avançando para cima de mim, puxei seu cabelo, revidando.

— O que porra vocês estão fazendo, caralho? — Escutei a voz de Justin descer às escadas apressado enquanto vinha em nossa direção. Logo, Ryan e os outros começaram a aparecer também, olhando eu e Caitlin brigarmos. Justin me puxou para cima, afastando-me da morena enquanto Ryan e Christian iam em direção a ela, agarrando-a.

— O que deu em vocês duas? Não eram amigas? — Nolan perguntou, Chaz permanecia calado ao seu lado apenas vendo a cena de nós duas tentarmos nos soltar para avançarmos uma na outra novamente.

— Aparentemente Caitlin começou a mostrar as asinhas! — Gritei irritada. Ryan ficou no nosso caminho, encarando-nos.

— Você quem perguntou! Eu só respondi o que achava! — Ela revidou, tentando se soltar dos braços do irmão.

— Mas que porra... — Justin saiu me afastando dos meninos, indo em direção ao carro e subindo as escadas, chegando até o nosso quarto. — O que aconteceu lá embaixo? Vocês não eram melhores amigas? — Perguntou fazendo aspas com os dedos.

— Acredito eu que Beadles resolveu dizer o que realmente estava entalado na sua garganta desde que cheguei aqui! — Disse com raiva. Justin me encarava com a sobrancelha arqueada, sem entender. — Ela disse algo sobre se sentir incomodada com nós.

— Claro! — Ele suspirou — Ouça, vocês duas são amigas. O que aconteceu ali foi uma raiva momentânea. Foi difícil para Caitlin aceitar que mais uma menina estava entrando no grupo. É claro que, mesmo tendo Megan, não quer dizer que ela morava aqui junto dela, as duas nem mesmo tinham uma amizade. E é difícil para você saber que uma das suas amigas mais próximas é ex-namorada do seu futuro marido. — Dizia calmamente — Tudo se trata do ciúmes que vocês têm. Logo irão se acertar, e estarão falando mal de mim uma para a outra novamente. — Falou, beijando minha testa. 

— Já pensou em cursar psicologia?  — Ele ficou me encarando durante um tempo, até que começou a rir.

— Vou pensar nisso. — Disse, soltando uma piscadela na minha direção. 

Talvez uma conversa com Caitlin Victória Beadles não seria tão ruim.


Notas Finais


MIL TRETAS <3
Gente, fiquei com mó dó de matar o Hector... Tadinha da Melanie!
Aaah e o ''Mel'' foi intencional, tá bom? kk
Creio que não vou demorar muito para acabar postando o capítulo 47, okay?
Espero que tenham gostado <3
Obrigada por lerem <3
Beeijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...