História I hate you! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga, V
Tags Jhope Bottom, Suga Top, V Top
Exibições 31
Palavras 1.163
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


saiu mais rapido do que o esperado eksbkshd

Capítulo 2 - Two


                        ﹏[T]﹏
   Se aquela cena me destruiu? Não tenha dúvidas. Afinal, se ele realmente me ama, por que estava com outro? Isso não faz sentido! Não que eu esteja me importando além da conta, nem nada, mas Hoseok é meu amigo, eu me importo com ele.
  — Algo que faça eu esquecer até meu próprio nome, por favor! – pedi a bebida mais forte para o garoto másculo que estava do outro lado.
   Ele me entregou algo que eu nem sabia dizer ao certo que bebidas estavam misturadas naquele copo. Hoseok me olhava com uma expressão como "que caralhas você tem na sua cabeça?". Tomei aquela mistura, sabendo que poderia pagar mico pra caralho. Até porque, eu bêbado é igual a: cantar, falar de unicórnios, arco-íris, gnomos, baú de ouro... e Hoseok.
   E o que esse cara tem de tão interessante pra fazer Hoseokie me esquecer assim, tão rápido? Tá, até que não foi tão rápido, um ano praticamente. E talvez nem tenha esquecido.
   Talvez os lábios dele sejam tão sensuais – e realmente são – que Hoseok-hyung não resistiu, ou apenas está usando ele para me fazer ciúmes ou tentar me esquecer. Talvez o beijo do garoto branco seja bom, mas isso com o tempo eu descubro.

   Me levanto da cadeira com certa tontura e dificuldade por conta do álcool, e vou para onde as pessoas normalmente ficam: na pista. Fui me enturmar, ou melhor, fui procurar bocas pra beijar, mesmo.
   Vou cambaleando e rindo sozinho até lá, acabei esbarrando em um garoto de cabelos loiros, pele branca e uma boca que eu poderia passar o dia inteiro beijando.
  — Desculpa... E prazer, Taehyung. – me apresentei.
  — Que isso. – soltou um sorriso bastante amigável. – Jackson, prazer é meu.
   Dali em diante nós ficamos muito tempo conversando, percebi que tínhamos muita coisa em comum. Eu só estava esperando o momento certo pra beijar ele.
   Que parece que havia chegado. Quando tocou R U Mine? Do Arctic Monkeys, eu me senti mais aliviado em fazer aquilo. 
   Levei uma de minhas mãos até seu pescoço e olhei profundamente em seus olhos, que estavam fixados em meus lábios. Aproximei nossos rostos e vi que ele estava fechando seus olhos, nesse momento, tomei liberdade e o selei, inesperadamente ele quem pediu passagem com a língua, e eu, lógico, cedi. Mordi seu lábio inferior e pude ouvir um gemido abafado dele. Nos separamos por falta de ar – maldito ar! Jackson sorriu aberto e eu apenas apreciei aquilo e sorri lateral.
   Vi Hoseok se despedindo do ser que eu não sei o nome com um beijo, e admito não ter gostado. Aliás, tem algo que envolva esses dois que eu goste?
   Olho no relógio e decido ir embora também, afinal já estava tarde e eu queria alcançar Hosekie e conversar direito com ele.
  — Bom, Jackson... Vou embora agora, me passa seu número, depois eu ligo pra você. – Falei sorrindo retangular.
  Ele me passou e eu o selei; saí pela mesma porta que Hoseok também saiu.
   O procurei pela rua, vi sua silhueta um pouco longe, mas ele estava andando devagar e bêbado, então era só eu correr que eu o alcançava. Hoseok ficava bêbado muito fácil; apenas algumas doses e ele já começava a falar de gnomos, arco-íris e potes de ouro.
   Corri um pouco e cheguei perto dele, sabia que ele iria falar asneiras, então já me preparei.
  — Antes de tudo, cala a boca. – estendi meu braço direito acima de seu ombro, na esperança de prendê-lo pra que ele escutasse o que eu tinha a dizer, que na verdade, nem eu sabia o que era.
  — T-Taehyung? O que você quer dessa vez? – ele me falou com um puta bafo, e ainda por cima, mais bêbado do que eu havia imaginado. – Sai daqui, me deixa em paz! – Hoseok tentou em vão sair, mas estendi meu outro braço, assim o prendendo de vez.
   Aproximei nossos rostos como se fosse colar nossos lábios, e eu até queria, mas não podia.
  — O que aquele maluco tem que eu não tenho? Por que você me trocou por ele? – tão clichê o que eu estava falando.
  — E você se importa, por acaso? – Hoseok e suas patadas.
  — Isso não interessa. Hoseok, por que você não me procurou? POR QUÊ?! – aumentei meu tom de voz.
  — VOCÊ SABE QUE EU NÃO SOU DE CORRER ATRÁS! SE VOCÊ FEZ ISSO ACHANDO QUE EU IRIA SAIR TE PROCURANDO, VOCÊ FEZ ATOA! – ele era acostumado a gritar mais do que eu.
  — ENTÃO VOCÊ NÃO ME AMAVA, OU AMA, DE VERDADE.
  — E você não era meu amigo de verdade. – seus olhos beiraram lágrimas.
  — Hoseok, não fode. Você não entendeu meu lado.
  — E em algum momento você parou pra pensar no meu lado? Você sabe o que é se apaixonar por alguém que se dizia seu melhor amigo, quando finalmente resolve dizer, se declarar, ele te abandona? VOCÊ POR ACASO JÁ PASSOU POR ISSO?! – Hoseok estava completamente embriagado, ele não se lembraria do que estava falando. E eu realmente não sei se isso era bom ou ruim.
  — Sim. Eu me apaixonei por você, Hoseok, pelo seu jeito, seu sorriso. MAS VOCÊ ESTRAGOU TUDO! – soquei a parede e me afastei. – EU VOLTO PARA FALAR COM VOCÊ E TE VEJO COM OUTRO, E COMO VOCÊ QUER QUE EU LIDE COM ISSO? Não é fácil! – minha garganta já estava ficando seca de tanto gritar.
  — Taehyung, você não sabe o que tá falando, PARA!
  — Quer saber, Hoseok, fica com aquele garoto mesmo; mas quando estiver com o coração quebrado, não venha correr para mim. – disse bravo.
  — Qualquer decepção será menor do que a que você me causou, Taehyung. – Não parecia o mesmo Jung que eu conhecia. Esse era muito mais frio, era sempre o contrário.
  — Hoseok, esse não é você! Cadê aquele garoto sorridente, sensível? – O sentimento de raiva de alguns instantes atrás, estava se transformando em tristeza, agonia.
  — Se foi junto com você. Se foi junto quando você me abandonou. – Saiu andando e quase esbarrando em mim.
   Tudo o que consegui fazer foi me encostar naquela parede e sentar no chão, chorei tanto que acho que meus olhos estavam iguais bolas de gude. Eu nunca tinha me apaixonado tão perdidamente como me apaixonei por ele, e mesmo ficando com outros, meu coração pertence à ele, isso eu não posso negar.
   Sempre fui do tipo que não se importava com nada, frio, seco, não tinha amigos. Mas Hoseok me aceitou, ele foi meu amigo até quando eu não fui com ele. Infelizmente, eu consigo tirar o que tem de bom nas pessoas. Com minha ignorância, eu consegui fazer Hoseok se afastar de mim, e agora me arrependo amargamente.
   Mas aquele garoto também não é flor que se cheire, consigo ver no olhar dele. E não quero Hoseok magoado!


Notas Finais


bjoss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...