História I hate you baby || BTS || yoonmin - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Babyboy, Bangtan, Bangtanboys, Bts, Daddykink, Lemon, Romance, Shipp, Yaoi, Yoomin
Exibições 553
Palavras 1.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gt, meus hammsters brigaram feio, o pobre Jin tá todo mordido ;-; já é a tercereia vez que eles brigam e é pelo mesmo motivo: o Namjoon quer comer o Jin, mas toda vez que ele sobe no Jin, o Jin fica putão porque ele que quer comer o Namjoon, aí eles ficam brigando. Tipo é engraçado mas é preocupante (não pelo fato de eu suspeitar que meus bichinhos são homossexuais, longe disso, e sim porque eles brigam pra ver quem vais er o ativo)

#embuscadopassivo

Capítulo 39 - 36


Fanfic / Fanfiction I hate you baby || BTS || yoonmin - Capítulo 39 - 36

Sentir sua entrada se contrair por algumas vezes foi a melhor sensação que eu já pude sentir.

Tirei ele do meu colo e o joguei no sofá. Fui para cima dele. Abri suas pernas e comecei a penetra-lo. Eu estava dando estocadas não lentas, mas também não rápidas, estava em um ritmo "normal/médio".

O pequeno soltava seus gemidos, cujo eu amo ouvir.

Um momento ele gemeu mais alto que o normal, foi aí que eu percebi que atingi sua próstata. Eu estava disposto a acertar mais vezes.

Aumentei a intensidade e velocidade de minhas estocadas. Assim meu pequeno pinceso gemeu como se fossem os ultimos gemidos que poderia soltar em toda sua vida.

Preenchi seus lábios quentes com os meus. Nossas linguas "dançavam" juntas em uma "coreografia" de nossas bocas.

Com as minhas mãos eu apertava suas nádegas,  talvez eu esteja esagerando um pouco na força que eu estou fazendo contra elas, mas Jimin para não se importar, parece até que gosta.

Eu tentei seghrar mais um pouco, mas não deu, acabei por gozar. Não passou muito tempo para o pequeno Jimin também se desfazer de prazer, assim gozando na minha camiseta (já sabemos que eu não vou lavar isso, certo?).

Tirei meu membro de sua entrada.

Eu quero faze-lo gozar novamente, quero fazer ele gozar pra mim.

Soltei suas nadegas que agora estão terrivelmente vermelhas, acho que eu exagerei um pouco.

-Eu quero te pagar um boquete morzão. - disse a ele. Eu sei lá porque eu pus o aumentativo, geralmente eu uso o diminutivo pra ficar fofo.

-Vá em frente.

Eu agarrei o membro pulsante do meu pequeno, e logo o pus na boca.

Eu estava chupando seu membro ereto como se ele fosse a melhor coisa que eu já chupei na minha vida ( o que não deixa de ser verdade, porque é a melhor coisa sim!). Eu posso repetir quantas vezes for preciso, eu amo chupar o pau desse princeso, isso é um fato.

Jimin só respondia aos meus atos com gemidos, uma hora baixos e outra autos.

Sua respiração ofegante me arrepiava.

Eu parei dr chupar toda a extensão de seu membro e fui dar uma atenção especial a sua rosada glande. Eu lambria, chupava e a beijava, levando assim ele a seu ápice,  onde acabou por gozar na minja cara quando eu tirei seu membro da boca.

-Desculpa...- dizia ele tentando manter a respiração estável.

-Sem problemas, o que importa é que eu atingi meu objetivo.

Eu peguei ele no colo e o levei para o banheiro.

Terminei de tirar minhas roupas.

Tomamos uma ducha quente, juntos.

Eu amo sentir a pele macia dele quamdo o abraço. Ele é tão... Perfeito. Tenho sorte de poder ama-lo, e de ele me amar.

Saimos da ducha e noz secamos, fomos para o quarto tirar uma soneca, estamos um.pouco cansados depois de tanto esforço.

Não colocamos nenhuma roupa por mais que esteja frio. Ficamos debaixo de um eumdredom quemtinho, juntos.

Ele cabou caindo no sona antes de mim, então eu fiquei enrolando os fios ruivos e molhados de seu cabelo em meus dedos. Não demorou muito até com que eu adormecesse junto a ele.

Acabamos por dormir mais que o esperado pois eu (anta) esqueci de por o alarme do meu celular pra despertar.

Acordei, discretamente levantei da cama sem acordar o pequeni Jimin. Eu estava com fome.

Fui a cozinha, antes de preparar um lanche eu dei uma olhada no relogio, ele marcava 17:04, como o esperado já que eu esqueci o maldito alarme.

Fiz um lanche rápido para mim. Depois eu preparei um chocolate quente e coloquei em uma da mamadeiras que o Minnie deixou no meu apartamento.

Voltei ao quarto, e com toda a calma e delicadeza que existe em mim eu acordei o pequeno.

Ele abriu lentamente os olhinhos.

-Oi grandão.

-Oi "grandinho". Aqui meu amor, fiz pra você.  -disse entregando a mamadeira a ele.

Me sentei na cama, e logo sento ele deitar sua cabeça sobre meu ombro.

Ele fica tão bonitinho mamando, eu sinceramente estou começando a não ver tanta malícia nesse ato, tanto que agora eu só sinto vontade de apertar essas bochechas.

Ele terminou a mamadeira e me entregou a.

Eu coloquei uma roupa bem confortável e quentinha. Depois eu peguei algumas das roupas par ao Jimin, sabe, as que ele deixou aqui da última vez que veio.

Ele se vestiu.

-O que acha de irmos na casa do Tae dar uma força a ele? - perguntei.

-Sim, seria ótimo.

-Ok, então vamos.

Deixamos o prédio e fomos andando até a casa do Tae, é um pouco longe, mas nada que te faria ofegar.

Chegando lá a avó dele nos atendeu. Não pude deixar de perceber que ela estava fazendo ponto cruz em um pano, então eu obviamente fui ver a arte da velhinha. Ela fez um unicórnio mutilado com um porra de plástico no lugar do chifre, e do lado dele estava escrito "foda-se". Mas que velhinha normal, não?

Ela nos disse que o Tae estava no quarto dele.

Eu e o Jimin subimos e encontramos ele, no chão,  em posição fetal chorando.

Daqui a pouco ele vai ficar com o psicológico fudido se continuar assim.

Eu e o Jimin ficamos por horas tentando consolar o muleque, e dar apoio. Parece que conseguimos melhorar o estado dele, tanto que conseguimos fazer com que ele descesse para comer algo.

Enquanto ele comia eu e o Jimi  ficamos conversando com a velhinha enquanto ela fazia seus ponto cruz.

Ela mostrou para nós um álbum de fotos de quando o Tae era bebê,  esse álbum é meio estranho pois ele está pelado em todas as fotos. Já tenho mais algo para zoar nele.

Quando o Tae viu ela mostrando as tais fotos, ele baixou o puro satanás no corpo, o muleque parecia um demônio enfurecido. Ele tirou o álbum das mãos da avó e foi correndo esconde-lo até que achasse um jeito de se livrar daquela porcaria.

Continuamos a conversar um pouco com ela porque é uma velhinha maneira.

Ela nos disse muita merda, inclusive a seguinte " Agora que o Hoseok está com fraquesa muscular, acho que o 'posto' de ativo vai para o Taezinho. Estou com pena do meu neto, ele gostava tanto de dar." ela está literalmentr acabando com a reputação do garoto.

Depois dela falar mais umas merdas foi se possível ouvir o seguinte grito " eu ouvi tudo tá,  não vai pensando que não vai ter vingança,  vou falar dos seus vibradores pras suas amigas do croché".

Eu e o Jimin decidimos ir embora antes que a treta ficasse pior.

Quando saimos o céu já estava escuro.

Voltamos para o "nosso" querido e pequeno apartamento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...