História I hate you, but I love you - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 186
Palavras 2.706
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


* Descrição lá em baixo ❤ *

Capítulo 20 - Saudades.


Fanfic / Fanfiction I hate you, but I love you - Capítulo 20 - Saudades.

Já haviam se passado duas semanas desde o que aconteceu entre mim e Taehyung, aquele maldito dia que me trazia os piores pesadelos todas as noites. Eu não continha minha vontade de chorar, aliás, era a única coisa que eu sabia fazer. 

Por um momento havia cogitado a ideia de voltar para a casa da Omma, me explicar, tentar resolver tudo com ele... Mas não era tão fácil assim... Não mesmo. 

Passar esses dias na casa do Suga tem sido muito mais tranquilo do que eu imaginava. Ele cuida muito bem de mim, melhor até do que eu mereço. Ele disse que era melhor, por hora, deixar que as coisas se arrumassem, o tempo era o remédio que podia curar todas as dores. Só tinha medo que esse tempo fosse maior do que eu suportava. Céus... Como eu amo ele, amo demais. Ficar longe de seus toques, seus beijos e, principalmente dele, tem sido uma tortura pra mim. 

Eu precisava mesmo tomar alguma atitude e não apenas ficar aqui, de braços cruzados, esperando que ele apareça na porta dizendo que me ama. E essa atitude eu tomaria hoje mesmo. Hoje eu resolveria de uma vez. 

(…) 

- O que você disse?! - Yoongi tratava de retrucar meu pedido. 

- Vou atrás dele... Da Omma, resolver tudo. 

-Tinha concordado em dar o tempo que ele precisava, não tinha????!!! 

- HEY, porque tá tão alterado... Relaxa... - suspirei - Eu apenas... Quero que tudo fique bem de novo. 

- Você sabe que é mais do que isso, não sabe? Aprenda a respeitar os pedidos dele. - virou-se em direção a cozinha. 

- Suga, você sempre vem com esse papo de dar o tempo dele, como se soubesse de algo que eu não sei. 

- Então vai.. - ele me olhava preocupado, eu sabia que era pro nosso bem, mas eu não queria mais. 

Desculpe Suga... Desculpe Omma... Desculpe Tae... Hoje acaba, eu juro. 

(…)  

Logo que cheguei ao portão de casa, meu coração aqueceu e uma dose de felicidade que a semanas eu não sentia, me preencheu. Fui recebida por um porre de perguntas dos funcionários. Pelo visto Tae já havia avisado que eu passaria os dias fora de casa, pergunto qual será sua reação ao me ver... 

Parada em frente à porta, crio coragem de abri-la, mas com um grande receio do que poderia acontecer. Assim que abri a porta, fui surpreendida por dois braços familiares e aconchegantes. 

- Querida... Nunca mais assuste sua omma assim. - seu abraço era repleto de preocupação e de saudade, eu retribuía da mesma maneira. 

- Ommaaaaa, p-porfavor... - as lágrimas teimavam em aparecer e, por mais que eu eu estivesse ansiosa para saber de tudo o que havia acontecido em casa nas últimas semanas, tinha algo mais importante para ser resolvido. - preciso tanto da sua ajuda... 

- AH querida... Sabe que precisamos conversar, não sabe? - suas mãos me puxaram gentilmente pelo braço me trazendo em direção à sala. Ainda sentia o perfume de Taehyung circulando por lá, me embriagava de tantas saudades. - Então? 

- Omma e-eu... E-eu cometi um grande erro, grande demais. E agora Tae me odeia!!! Eu não suporto mais passar os dias longe dele Omma, quero tanto vê-lo, tanto... Dizer que foi tudo um grande erro e que eu faria de tudo pra que ele me perdoasse... 

- Tudo? - seu olhar questionador me intrigava. 

- S-sim, porque?! - enxuguei as lágrimas que continuavam a escorrer. 

-______...  Taehyung foi embora. 

O quê?! Como assim foi embora?! Como me deixou pra trás?! Aquela informação era demais pra mim. O garoto por quem me apaixonei perdidamente, a quem eu odiava com todas minhas forças e agora entreguei todo meu coração havia me deixado?! 

- Omma... ONDE ELE ESTÁ?!-Gritei exaltada. 

- Ele me deu isso.. - ela me entregava um pequeno envelope com uma carta dentro. 

Eu estava com medo, com muito medo. Com medo de abrir aquela carta e ler palavras que eu não queria. Medo de que ele realmente tivesse posto um fim a toda nossa história. Medo de perdê-lo. Abri a carta. 

" Você sabe muito bem que o que eu sinto é muito mais forte do que qualquer distância, não sabe? Agora, o que eu realmente preciso saber, é que se o que você sente, também ultrapassa o limite do tempo e da distância... Preciso de um tempo pra pensar, espairecer, saber se consigo te perdoar... Talvez, seja apenas daquelas minhas doses de dramas diários, mas eu preciso delas. Não perca seu tempo perguntando pra metade do mundo onde eu fui, ninguém sabe, a não ser eu.  Fique bem...  "

- Não preciso que ninguém diga... Sei onde te achar. - sussurrei pressionando a carta contra meu peito. - Omma, preciso de um favor seu. 

( …) 

Se eu bem conhecia Kim Taehyung, eu sabia que aquele não era um pedido que ele faria, mesmo magoado. Eu sempre soube que Tae era o tipo de pessoa que precisava de provas, demonstrações e era exatamente o que eu lhe daria. 

- Corta na altura do pescoço. 

A moça cortava mexas e mais mexas do meu cabelo que antes e chegava na altura da cintura. Eu queria mudar, queria que tudo fosse diferente. Queria que Tae me visse com outros olhos, que conseguisse deixar os erros cometidos para trás. Eu faria de tudo para reverter a nossa situação. 

Meus antigos cabelos negros agora estavam em um adorável ruivo. Não muito chamativo, mas que trazia inúmeros olhares por onde é que eu passasse. 

Não foi apenas o cabelo, foi tudo. Criei uma coragem absurda de colocar alguns piercings espalhados pela região da orelha. E por fim, fiz duas tatuagens. Uma na região do quadril, pequena e discreta bailarina preta e outro no pulso, a metade de um pequeno coração esperando para ser completado. Eu estava totalmente diferente, absolutamente diferente. Eu tinha um plano absurdo de sair em busca de Tae. Era mais que óbvio que ele tinha voltado para o intercâmbio. Ele já havia me falado a respeito algumas vezes. Era um dos Campus que ficavam no interior de Salt Lake com um nome esquisito. Era apenas essa a informação que eu precisava. 

(…) 

"Onde diabos você está? " -  Jungkook perguntava preocupado do outro lado da linha. 

- Não se preocupe comigo biscoitinho... - ri

"  Não estou preocupado com você, estou preocupado é comigo!  Você faz ideia do porre de perguntas que vão me fazer? "

- Eu preciso desligar... Obrigada pela a ajuda. Sabe que eu amo você, não é? 

"  Por favor, tome cuidado. FIGHTING! "

Eu sempre foquei feliz por ter bons amigos que sempre me apoiavam. Já fazia 5 horas que eu estava viajando rumo a Utah. Minha ansiedade não cabia dentro de mim. Por mais que uma parte pequena de mim ainda achasse que o melhor seria esperar o tempo pedido, outro lado, muito maior me diz que eu devo lutar até que ele ceda. 

Ainda não estava acostumada com meu cabelo curto. Sentia falta do meu antigo corte. Me pergunto se ele irá gostar... Eu queria muito vê-lo assim que eu chegasse, mas não era tão simples como parecia. Eu estava armando toda uma situação pra que o nosso reencontro fosse perfeito. 

(…) 

A viajem logo havia chegado ao fim. Era muito estranho pisar em terras que não fossem coreanas. Os rostos eram completamente diferentes do nosso. Fico feliz por ter fluência em inglês, caso contrário, tudo se tornaria mais difícil. 

O hotel ficava bem próximo ao aeroporto. O preço era meio salgado, mas nada que não podia ser pago. Ele era de uma luxúria só. Espalhava candelabros por toda a zona do Hall, tapete branco felpudo e inúmeros empregados te paparicando. Foi até engraçado ver a forma como eles me agradavam apenas para conseguir alguma gorjeta. 

Ao entrar na suíte, ela também não me decepcionou nada. A cama era tão espaçosa que cabia mais umas dez pessoas nela. A vista era incrível, de tirar o fôlego de qualquer um. Deixei minhas malas num canto qualquer da espaçoso quarto e corri em direção ao telefone, tanto para pedir algo para comer, como para encontrar o telefone do campus. 

- Hm, Por favor, tem como arranjar o número do campus da Harvard daqui da região? - pedi ansiosa. 

- Só um momento - ouço a mulher do outro lado transferir a linha para o local. 

Aquela demora estava me matando, eu queria muito descobrir onde ficava aquele maldito lugar. 

- Posso ajudar? - uma voz masculina perguntou. 

- Claro... Eu sou uma aluna transferida. IInfelizmente perdi o endereço do local e tive que ficar em um hotel. Teria como me informar o local? - balbuciei num perfeito inglês. 

- Me desculpe pelo transtorno, mas hoje o campus está fechado devido à festa. Como a senhora é matriculada, está convidada a se juntar à nós. 

Ele passou mais algumas informações e o endereço do local que não ficava muito longe do centro da cidade. 

Festa hm? Parece que a sorte está à minha mercê. Pelo que parecia, seria um baile de máscaras, onde todos deveriam ir com roupas de gala e uma máscara obviamente. 

Decidi tomar um banho antes de sair rumo a caçada de uma roupa perfeita. 

(…) 

Já era noite, quase na hora de ir. 

Meu cabelo estava meio preso meio solto, com uma tira feita de tranças. A maquiagem não estava tão carregada, exceto pelo batom vermelho vinho. O vestido, tal como a mascara, acompanhavam a tonalidade do batom. Ele é um tomara que caia com a saia rodada e uns detalhes em renda preta. 

Eu realmente não fazia ideia de como a noite terminaria, mas optei por ir com um espartilho preto por baixo.

- Tudo bem, tudo bem... Calma... Vai dar tudo certo!

Desci até o Hall e procurei por algum táxi. 

(…) 

O caminho até o campus foi silencioso. De vez ou outra trocávamos algumas palavras. Ao nos aproximarmos do local, havia inúmeros carros estacionados que ostentavam sua riqueza. Eu já estava acostumada com ambientes assim. O lugar parecia estar aberto para quem quisesse entrar, parecia que não teria nenhum problema se eu entrasse. Fiquei com a consciência pesada por ter mentido pro moço do telefone. 

Desci do carro e fui em direção ao salão onde todos estavam seguindo. As fantasias eram extremamente elegantes. Eu estava ansiosa para encontrá-lo, mas em meio aquela multidão imensa, eu estava meio roceosa de que talvez eu não o encontrasse. 

Via milhares de pessoas dançando, bebendo, se drogando, se comendo... Aquele lugar era extremamente agitado. Ando, ando e nada dele. Já fazia meia hora que eu estava de pé procurando por ele. Sentar parecia ser a melhor opção, no entanto, logo vi que não. Um típico garoto atleta americano veio me abordar. Era tudo que eu precisava. 

- Está sozinha? - a voz do sujeito parecia alterada, provavelmente bêbado. 

- Graças a você não. - Cortei imediatamente

- Alguém parece irritadinha. Vamos lá, pare de ser tão difícil. 

- Faça um favor pra sociedade e vai à merda. - levantei deixando o mesmo pra trás . 

Senti sua mão me puxando de volta. 

- Que isso ruivinha, deixa eu dar um trato em você. 

-DE UM TRATO NA VADIA DA SUA MÃE. -tento soltar meu braço, mas cada vez que puxava ele aumentava a força. -  Me solta seu bastardinho de merda, vá comer alguma piranha e me deixe em paz. 

- Sua... 

- HEY JOSH, SOLTA ELA. - um menino alto de cabelos longos o interrompe. 

- Não se mete, Johnny. 

A mão do menino Johnny me puxa para perto, me soltando dos braços do outro. Suas mãos continuam me arrastando para fora do salão, indo em direção ao jardim. 

- Você é doida de ficar sozinha em um lugar desses ruivinha? 

- Desculpa, mas eu precisava muito vir. 

- Faz o que aqui? - sua voz parecia autoritária, mas talvez ele só é só estivesse preocupado. 

- Procurando alguém. Kim Taehyung, conhece?! 

- O que quer com ele? -cruzou os braços. 

- Nada que lhe diz respeito, só preciso achar ele. 

- Estúpida. - rebateu. 

- Desculpa... Realmente preciso achá-lo. 

- Você e metade das meninas da festa. Me diz seu nome que dou um jeito. 

- NÃOOOOOO. Ele não pode saber que eu estou atrás dele...

- E porque não? -indagou curioso. 

- longa história... 

- Vou dar jeito dele te notar, só não fique muito ansiosa. 

- Porquê? - bufei. 

- Ele não anda muito... Normal. 

- Que seja, só me ajude. 

Voltamos para dentro do salão, desta vez, ele me levou para um outro canto, próximo a alguns camarins. Havia uma grande circulação de meninas implorando para entrar, me senti privilegiada de ter conhecido Johnny. O ambiente escuro mostrava o quanto aquilo parecia um bordel. Cheio de pessoas se engolindo. Uma verdadeira tortura. 

- Ali ruiva. - apontou para uma mesa com no mínimo dez pessoas. - cola na minha ok? 

 Fomos em direção à mesa, ele parecia não estar lá. Mesmo fantasiado eu reconheceria ele de longe. 

- Cade o V? - Perguntou Johnny. 

- Foi pegar uma bebida. - uma menina loira, um tanto nojenta, pra ser bem sincera. - Quem é  a ruiva? 

- Julie. - menti. 

- Nova aqui? - olhei para o lado e vi um semblante famíliar

Era ele. Meu coração acelerou ao extremo, como se fosse sair pela boca. 

- Uhum. 

Ele pediu espaço e se sentou próximo da menina loira. Escuto começar minha música favorita. Aquela maravilhosa música do Zitao, Black n White. Não conseguia me controlar, aquela música mexia com todas partes do meu corpo, me excitava. 

Quando me dei por mim, já estava no meio da pista de dança. Aquela música me envolvia de tal forma. Suas batidas, a voz dele me atraia. Meu olhar se voltou para mesa onde Tae estava, ele me olhava de uma forma tentadora. Engraçado quando mesmo quando ele não sabe que sou eu, sua atenção sempre volta pra mim. Conforme ele me olhava eu aumentava o ritmo da dança, estava o provocando. Algumas vezes ele desviava o olhar, outras ria, como se soubesse que era propósital meu comportamento. Quando a música foi trocada por INFINITE, o vejo levantar e andar em minha direção. 

- Aceita? - esticou sua mão em minha direção. 

Dei minha mão para ele, e começamos uma dança lenta. Que conforme a música acelerava, nós também aceleravamos. 

- Linda tattoo. - Me girou me abraçando. 

Suas mãos firmes me seguravam contra seu corpo. Sentia tanta a falta dos toques dele. No fundo eu estava um pouco irritada por saber que ele não se importava de sair agarrando outras garotas, mesmo que essa garota fosse eu. Obviamente ele não sabia. 

- Você é muito parecida com uma pessoa que eu conheço. Se não fosse pela tattoo e o cabelo ruivo, diria que vocês são gêmeas. - as pontas dos seus dedos deslizavam pelo meu pulso, contornando o desenho. - Significa alguma coisa? 

- Ainda não, mas um dia vai significar... A menina com quem pareço... O que é sua? 

- Não sei, e acho que vai demorar pra que eu descubra. 

- Sossegue. 

Suas mãos pegaram meu pulso e começaram a me arrastar para perto de um corredor, onde não passava uma pessoa sequer. 

- O que foi? - sussurrei. 

- Preciso ver uma coisa. 

Suas mãos novamente tomaram as minhas, não eram mais aquelas mãos gentis que eu conhecia. 

Ele me empurrava indo em direção aos armários. Senti o frio metal se chocar contra minha pele. 

- O que vai fazer?! 

- Provar uma coisa...

Uma de suas mãos seguravam meu queixo, enquanto a outra se apoiava contra os armários. Meu corpo como sempre reagia a seu toque. 

- Mas que merda aquela garota fez comigo? Eu não consigo chegar perto de qualquer outra garota que não seja ela... 

- Você a ama? 

- Mais que tudo... Eu queria muito ver seu rosto, sabe o que está fazendo, se sente minha falta... Céus, como eu u queria tocá-la... Se ela soubesse como eu a amo.. 

Ouvir aquelas palavras mexeram com todos os sentimentos que estavam sendo escondidos. Já não valia mais a pena esconder. Tirei a mascara discretamente. 

- Tae.. Também senti sua falta. 




Notas Finais


Oi *¬*

ESTAMOS CHEGANDO A QUASE 200 FAVORITOOOSSS!!!!

Eu só tenho que agradecer por todo o amor que eu tenho recebido de vocêsssssss, todas são incríveis.

Deixem aqueles maravilhosos comentários fofos e fiquem de olho pq o próximo capítulo vai ser bafonico. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...