História I hate you, but I love you - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 153
Palavras 1.994
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - Primeira vez


Fanfic / Fanfiction I hate you, but I love you - Capítulo 21 - Primeira vez

Por que eu amo você? Por que você?

Por que eu não consigo te deixar?


- ______???? - seu rosto espantado por me ver era extremamente fofo. - Como assim é você, e o que faz aqui??! 

-Você não parece muito entusiasmado em me ver... - Rebato irritada. 

- Whaaaa, deixe de ser idiota. Estava morrendo de vontade de te ver... - Novamente o Tae fofo apareceu, seus braços me cercaram, puxando-me para um caloroso abraço. - O que aconteceu com você? Pelo visto você descobriu o que eu queria. - abriu um sorriso largo. 

- Me perdoou? - ronronei manhosa. 

-Não sei se eu deveria - Tae contorcia a boca em sinal de dúvida. 

- TAE! - soquei seu ombro 

- SABE QUE EU TÔ BRINCANDO - Ele começou a rir, um riso tão maravilhoso e contagiante que dava vontade de passar horas vendo ele sorrir daquele jeito. - AHHHHH que saudades que eu senti de você. 

Um breve silêncio apareceu, novamente estávamos nos abraçando. A única coisa que eu queria era matar essa merda de saudades. Doía... Doía a falta que ele me fazia, de como eu sentia falta desses abraços aconchegantes e desse sorriso maravilhoso. A saudade estava tão grande, senti meu rosto se encharcar com as lágrimas. 

- Tae... Me desculpa... Desculpa por tudo.. Eu amo tanto você, que só de imaginar te perder.. Céus, eu quase morri de me imaginar longe de você, do seus toques... - aproximei lentamente meu rosto do seu pescoço, senti que ele arrepiava com a minha atitude. 

- Preciso que saiba de uma coisa. - desfez o abraço para que eu o olhasse. 

- O que foi? 

- Sabia que... Eu já tinha te perdoado? 

- O QUE? -Meu sangue ferveu, fiquei com uma vontade absurda de bater nele - TAEHYUNG VOCÊ FEZ EU VIR PRA CÁ SENDO QUE VOCÊ TINHA ME PERDOADO? 

Novamente seu sorriso apareceu, não tinha como ficar irritada com aquela carinha. 

- Eu sabia que você viria, não sabe esperar. 

- EU CORTEI MEU CABELO TAEHYUNG! EU FIZ UMA TATTOO POR SUA CAUSA! - dei inúmeros socos por seu peito, eu não estava realmente irritada, só queria provocar. 

- Mas ficou tão linda... 

- Idiota... - meu rosto começou a esquentar, como se ele nunca tivesse feito nenhum elogio. 

- Vamos sair daqui... Quero te levar em um lugar. - suas mãos começaram a me puxar em direção ao estacionamento. 

- Tae, já tá tarde... Onde vai me levar? - respondi ofegante pela correria. 

- Deixe de ser curiosa. 

Entramos dentro de um carro, bem diferente do nosso carro da Coreia. Até a forma de dirigir era diferente. 

- Carro esquisito. - palpitei 

- Ja me acostumei. - fez Eyesmile

No caminho, começamos a conversar sobre assuntos aleatórios. Colocamos na rádio e vimos que começou a tocar uma música que nós dois conhecíamos. O caminho foi bem barulhento. Percebi que logo havíamos entrado em uma espécie de mata, parecia que era um lugar fechado. 

- Podemos entrar aqui? - perguntei. 

- Não sei, mas eu sempre entrei. Parece estar abandonado. 

- Porque me trouxe aqui? 

- Ja vai saber.. Fecha o olho se não for pedir muito. 

Acatei com o pedido dele. Eu estava curiosa pra saber onde ele me levaria. Por um instante me lembrei que desde que eu havia chegado, o Tae não havia me dado um beijo sequer. Um sentimento solitário me preencheu. Bufei irritada. 

- Não seja tão impaciente, ja vamos chegar. 

E realmente não demorou muito até que ele desligasse o carro. Ouvi um barulho de água ao longe mas continuei com os olhos fechados. 

- Posso abrir? 

- Espera. 

Ouvi ele abrir a porta do carro e em seguida a minha, me puxando para fora. Caminhamos um pouco. 

- O que está fazendo? 

- Te guiando, oras. 

A mão dele soltou a minha. 

- Fique quieta, ok? - sussurrou próximo ao meu ouvido me fazendo alarmar. 

Balancei a cabeça afirmando. 

Senti seus lábios tocarem os meus delicadamente. Ele depositava alguns selares no local. Tombei minha cabeça para o lado na esperança de aprofundarmos o beijo. Céus... Que raios de beijo era esse. Não tinha luxúria,  mas ao mesmo tempo era tão excitante. Sua língua pediu passagem. Começamos a travar uma guerra por espaço e oxigênio, que já estava quase no fim. Nos afastamos pela falta de ar. Ainda de olhos fechados, passei a ponta da língua contornando meus lábios, esperando que ele os atacasse novamente. 

- abre o olho. - riu. 

Quando eu abri, pude ver uma extraordinária paisagem. A lua cheia, um bosque iluminado e uma enorme catarata que se ligava a um lago extenso. Tirei o salto sentindo a grama o orvalho tocar meus pés. A brisa batia no meu rosto, assim como no de Tae, e uns poucos fios de cabelo voavam de seu rosto, lhe dando um olhar extremamente sexy. 

- A brisa da noite te cai bem. 

- Vem, tive uma ideia. 

Chegando perto do limite do lago, Tae começou a tirar a roupa que usava. Exceto pela boxer. MEU SANTO G DRAGON, QUE CORPO! Só de imaginar nós dois... AHHHHH pensamentos impuros. Ele era magro, mas seu corpo era perfeitamente desenhado. Ele era perfeito.

- Você não vem? - esticou os braços fazendo sinal para que eu o seguisse. 

- Espera... 

Eu não poderia deletar a oportunidade de ouro que eu estava tendo. Esse era o momento perfeito. Ouvi ele soltar um "demorada", não deixei de rir. Sem me esperar ele já saia nadando. Parei em frente à margem do lago, esperando que ele subimergisse. 

- Tae... 

Ele apareceu, dessa vez com o corpo completamente molhado. Os pingos de água que caiam de seu cabelo, escorria por toda extensão do seu corpo. Meu ventre se contraiu e um calor inexplicável me atingiu, bom, nem tão inexplicável... Merda, eu estava louca de desejos por ele. 

Deslizei o zíper do vestido até o final, fazendo com que o mesmo caísse me deixando apenas com o espartilho. Seu rosto me observava perplexo. 

- Moça, melhor você sair daqui antes que a minha namorada apareça. -  passou a língua por toda extensão dos lábios. 

Estávamos cheios de desejo um pelo outro. Com certeza... Daquela noite não passaria.

Dedilhei meu corpo indo em direção a virilha. Obviamente eu estava querendo provocá-lo.. 

- Merda ______, porque faz isso comigo? Eu não vou conseguir me controlar. - Se aproximou devagar colando meu corpo ao dele. 

- Não quero... 

- Eu sei... - virou o rosto frustrado. 

- Que se controle... 

Dita frase, ele não esperou um segundo sequer e me levou ao chão. Senti o frescor da grama nas minhas costas. Começamos novamente a nos beijar. Diferente do anterior, esse esbanjava luxúria e prazer de ambos. Sua língua se chocava com a minha, sentia o gosto de hortelã. O beijo ia se aprofundando cada vez mais. Suas mãos gentis, se tornavam cada vez descontrolada. Ele a deslizava por toda a área do meu corpo, como se procurasse algo. 

-Como tira isso? - sua respiração descompassada me fez rir. - Deixa de ser retardada. 

- DESCULPA, foi muito engraçado. - desabotoei o espartilho,  ficando apenas com a lingerie. - Assim... 

Seu olhar foi diretamente em direção a tattoo. 

- É nova também? 

- Sim... 

Seus lábios começaram a distribuir selares por toda a região do meu corpo. Do pescoço até o ventre. 

- Tão perfeita... 

Estiquei a mão até tocar em seus fios ainda molhados. 

- P-por favor... Para de me torturar... 

Seus lábios deslizavam ainda mais pra baixo, chegando próximo à virilha. Meu ventre se contorcia de tanto desejo. Uma de suas mãos puxava o tecido para baixo, deslizava por toda a perna me deixando exposta. Um líquido escorria entre as minhas pernas, eu estava totalmente encharcada. Contorcia minhas pernas na esperança de amenizar o calor que eu estava sentindo, estava realmente fritando. Minha respiração estava desregulada e meus batimentos acelerados. Seus lábios voltaram para meus pescoço, de vez ou outra recebia alguma sucção. Suas mãos começaram a me tocar. Ele estimulava meu clitóris precisando os dedos contra ele. 

 - T-tae.... Desse jeito eu... Ah merda... Você está me torturando. - não vou mentir, eu estava adorando aquela tortura. 

Seus lábios roçavam os meus. 

- O que quer que eu faça? - disse entre dentes. 

- Não me faz dizer isso Taehyung. 

- diz... 

- é vergonhoso. 

Ele aumentava o ritmo das mãos. Logo começou a penetrá-los dentro de mim, ele estava querendo me deixar louca. 

- Me fode. - Saiu da minha boca de uma forma inesperada, nem eu me imaginava dizendo aquilo. 

- Era isso que eu queria ouvir... 

Tirou sua boxer ficando completamente exposto pra mim. Sua ereção  estava dura como pedra. Não contive o desejo de tocá-lo. 

- MERDA, NÃO FAÇA ISSO COMIGO. - Tae estava realmente se controlando. 

- Você me provocou. Viu o estrago que fez em mim? - Não contivemos o riso, começamos a gargalhar que nem duas crianças. 

- Fica difícil me concentrar desse jeito. 

- DESCULPA, isso está mais engraçado que prazeroso. -continuei rindo. 


-AHHH não disse isso... Levanta. 

- Porquê?! - retruquei.

-Quanta teimosia. 

Suas mãos novamente começaram a me arrastar, essa vez em direção ao carro. 

- O que vai fazer? — eu já estava começando a ficar com vergonha quando me dei conta que estava coberta apenas pelo sutiã. Me encolhi tentando me esconder. 

- Não se esconde de mim. Você é perfeita, já disse. 

- PARE de dizer isso com tanta tranquilidade. - meu rosto, assim como meu corpo esquentava cada vez que ele me olhava. 

Suas mãos suspenderam minhas coxas fazendo com que elas se chocassem com sua cintura. 

- KYAAAAAAAH... ME SOLTA, ME SOLTA... AH QUE VERGONHA. 

Me pôs em cima do capo do carro. 

- Sabia que eu amo você? - deu um selinho inocentemente fofo na minha bochecha. - Amo suas expressões, seu corpo, sua risada. Sou apaixonado por você mesmo quando brigamos, ou quando você acorda de mal humor. Sou tão feliz por te ter do meu lado... - mais um selar, dessa vez na testa. 

- Ahh não me diga essas coisas... Adora me cabular, não é? - dei um selar demorado em seus lábios. - Seja gentil, tudo bem? - entrelaçei minhas pernas ao redor da sua cintura. Sua respiração novamente se descompassou, assim como a minha. - Me beije oppa. 

Começamos outro beijo, repleto de sentimentos. Cada vez que nos beijavamos, a sensação... Era tão diferente. 

Senti seu membro entrar lentamente dentro de mim. Eu estava tão nervosa, as lágrimas escorriam desenfreadas, não por medo, mas porque eu estava tão feliz. Ele me abraçava, como se quisesse me proteger de todo mal. Senti algo se rompendo dentro de mim. A dor era suportável, um pouco desconfortável, a sensação mais intensa que eu já havia experimentado. 

- Desculpa por isso... - O ritmo das estocadas iam aumentando conforme eu me acostumava com o volume. 

A dor não existia mais, apenas a maravilhosa sensação de êxtase. Eu queria gritar de tanto prazer que ele me dava, mas só conseguia pressionar minhas unhas contra suas costas. 

- M-merda... Tão apertada... 

Suas mãos apertavam cada vez mais minhas coxas. O movimento de seus quadris aumentava. Eu estava me contorcendo de tanto prazer, mas não conseguia soltar um gemido sequer. 

- Tae... Eu vou... Não para por favor... 

- Pode fazer, não precisa se segurar. 

Mal terminou a frase e eu pude sentir o orgasmo me atingindo. 

- Céus....  Como faz isso? 

As estocadas cessaram, ele me olhavam com um ar de espanto. 

- Esquecemos... - Tae me soltou imediatamente, encerrando o que estávamos fazendo. 

- Esquecemos do que? 

- Quer ser mãe por acaso? - seu desespero era evidente. 

- Relaxa... Eu tô me prevenindo. 

- Foi bom? - segurou meu rosto, juntando nossos narizes. 

- O QUE VOCÊ ACHA? 

- Não sei, você não geme muito. - soquei seu ombro. 

- Idiota. 

- Agora você é totalmente minha. 

- E você, totalmente meu. 



Notas Finais


E AIIII
O que acharam da primeira vez dela? Queria que fosse algo mais Cute do que Hot, dscp.

Estou tão feliz pelos resultados da fic, está crescendo tão rápido.

Obrigada pelo carinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...