História I hate you, I love you. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 578
Palavras 2.306
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora



Capítulo 2 - Help me


Fanfic / Fanfiction I hate you, I love you. - Capítulo 2 - Help me

Pior meu dia não podia ficar, quando você acha que já ta tudo uma merda, acredite, pode piorar ao entrar no seu quarto e dar de cara com Kim Taehyung.


— O QUE VOCÊ TÁ FAZENDO NO MEU QUARTO ?!


 Só podia ser brincadeira


— Seu quarto??! Meu quarto! E você, coisinha, o que pensa que tá fazendo na minha casa? - riu provocativo


— Você deve ter batido muito forte a cabeça quando nasceu pra pensar que essa é sua casa, né querido? Ta achando que aqui é abrigo de mendigo ? - debochei


— Tá fazendo o que aqui então? Ah, e pra sua informação, essa é a casa da minha mãe.


— Ah só podia ser... - e quando pior não pode ficar - Tenho pena da Omma ter dado a luz a uma mula que nem você


— Infelizmente senhorita ladra de mães, essa é tão minha casa quanto é sua. Alias, foi por sua culpa que meu pai me levou pra longe dela. Se sinta culpada;


Me sinto aliviada, isso sim;


Fiquei um pouco sem argumentos, aquilo era um assunto meio delicado. Apenas bufei e soltei um grito contra ele.


— NÃO IMPORTA! SAIA DAQUI!


— Eiii, shiu, para de gritar que tá todo mundo dormindo. Escândalosa. - diz fazendo ar de deboche.


Ele entra no meu quarto e me chama de escandalosa. Eu joguei pedra na cruz, só pode ser isso. 


— ESCÂNDALO EU VOU FAZER SE VOC... 


Uma mão firme tapa minha boca interrompendo meu showzinho.


— Se você não calar essa sua boca enorme, acredite, vai se arrepender. - seu olhar era um pouco amedrontador, mas ao mesmo tempo, provocante. Mordi sua mão. Quem esse cretino pensa que é pra por essa mão na minha boca?


— Você realmente, não deveria ter feito isso.


Seus passos foram vindo em minha direção cada vez mais, me deixando um tanto nervosa. Senti minhas costas baterem contra a parede, soltei um gemido baixo de dor. Seu olhar cercava cada canto da minha boca, me deixando cada vez mais nervosa. Seus lábios se aproximavam aos meus, e logo se tocaram. Seu beijo era voraz e seus labios eram macios, sem um pingo de sentimento. Senti meu rosto fritar de tanto nervosismo. Não excitei e o empurrei para longe.


— Mas o que foi que deu em você ? - ah caramba, porque meu rosto está tão quente assim? 


Abaixei minha cabeça e possivelmente estando violentamente corada.


— Quanto drama, você fazendo assim parece até que foi seu primeiro beijo.. 


— e foi... - sussurrei enquanto abaixava minha cabeça. Minhas bochechas estavam tão quentes, achei que iria morrer.


— Quê? Eu fui seu primeiro? - ele abaixou a cabeça e ficou tão corado quanto eu - Me desculpa.


— Isso não faz seu perfil.. Sempre com essa sua fama de pegador. Deve transar com metade da escola e vem querer encostar essa boca em mim! ALIAS, O QUE VOCÊ AINDA TÁ FAZENDO AQUI? - Enquanto dizia isso, eu o empurrava para fora do quarto.


 — Não fique brava comigo.. - fez uma cara de cãozinho quando apronta


 — BOA NOITE! —bati a porta em sua cara.


Eu não tô acreditando que isso tá acontecendo comigo, e pior ainda, justo com ele... Droga, porque meu coração tá doendo tanto. A unica coisa que eu tenho vontade de fazer agora é de me esconder em um buraco. Seu rosto ficou tão corado quanto o meu, fico pensando no que esse garoto tem na cabeça de sair por ai fazendo esse tipo de coisa. ESTUPIDO.



 Não sabendo bem o porque, hoje acordei não me sentindo muito bem. Ando com muito calor e minhas pernas estão bambas. Desde quando eu reencontrei a praga , meu corpo tem estado meio agitado. 


Fui até meu banheiro, me despi e tomei um banho relaxante, e parece que ele fez com que eu me sentisse melhor. Já no quarto, procurei um roupa mais confortavel, um simples vestido estilo doll, bem fofo por sinal. Passei uma maquiagem bem leve e discreta. Peguei minhas coisas e desci até a porta, não vejo a Omma desde ontem. 


 — Posso ir com você? 


 — Quer me matar do coração ? Nem pensar, vá com seu carro. 


 — Ele tá quebrado, o que custa me dar uma carona?


 Aquele garoto me faz perder as estribeiras.


 — Vá andando.


Deixei ele falando sozinho, entrei no carro e fui até a faculdade.


   ★


A viajem não foi longa, coloquei uma música para me distrair e fiquei cantarolando, nem de longe eu era uma boa cantora mas eu amava cantar e com esse meu habito de não ter a noção do tempo, já estava parada em frente ao campus. De longe pude ver Jungkook conversando com alguns colegas de classe, fui cumprimentá-lo. 


 — Oi sumida, esqueceu que tem amigo? - ele me abraçou, me senti desconfortável e o empurrei. — O que foi isso ____?


As vezes minhas atitudes é de uma pessoa meio doida, não sei como ele ainda anda comigo.


 — Nada... Desculpa, eu não sei o que tá acontecendo comigo hoje... Eu não tô me sentindo bem, se eu não melhorar vou voltar pra casa. 


 — Relaxa, qualquer coisa pode me chamar, Ok?


 — Eu sei que posso. - beijei seu rosto, fazendo o mesmo corar


Eu estava suando um pouco e meus batimentos estavam a mil. Pensei na possibilidade de estar com algum problema cardíaco.  Me despedi do mesmo e fui pra sala. A praguinha, pro meu infortunio, acabou caindo na mesma sala que eu, o que me deixava ainda mais apreensiva. Seu olhar me tratava de uma forma meio esquisita, alias, não só ele, todos me olhavam de uma forma diferente hoje. 


— Mancada sua não ter me dado carona, meu carro tá quebrado e eu tive que vir andando debaixo de sol — começou a esfregar meu cabelo, aquilo me fez dar um gemido baixo. — Ei, qual o seu problema ? Eu nem te machuquei.


 — Vai andar vai, me deixa que hoje não é um bom dia, se não quer levar umas boas patadas é melhor ir pro seu lugar — abaixei minha cabeça colocando-a sobre a carteira


 — TAEHYUNG!!! Vai sentar. — Disse o professor, que me olhava com uma cara que parecia que estava me devorando, me senti desconfortável, mas ignorei.


A aula logo deu inicio mas eu não estava nem um pouco concentrada, todos os alunos estavam sentados. Taehyung sentava ao meu lado — que ironia —, bem que ele podia ter escolhido um lugar um pouco mais longe. Conforme a aula foi passando, aquela sensação horrível que eu senti de manhã retornou, um pouco mais forte. Estava intenso, eu estava suando como nunca e sentia um desconforto no meio das minhas pernas, um sentimento extremo de desconforto. Não consegui me conter e levantei a mão.


 — Professor, posso ir à enfermaria? Não tô me sentindo muito bem. — disse ofegante.


- Pode ir ___, só por favor, pegue a matéria com algum colega depois. - respondeu


Assenti com cabeça e corri em direção à enfermaria. Chegando lá, não havia ninguém. Justo no momento em que eu mais precisava, não havia ninguém pra me socorrer. O desconforto aumentava cada vez mais. A sensação era tão intensa que eu acabei me agachando, enquanto apertava minhas coxas. Ouvi o barulho da porta sendo destrancada e em seguida fechada, me dando uma ponta de esperança que fosse uma enfermeira.


— O que tá acontecendo? Você tá esquisita desde manhã. 


Ouvir a voz de Taehyung nesse momento me deixou ainda mais apreensiva e inquieta;


— O que faz aqui? Sai logo...Se você não tem nada melhor pra fazer, vá procurar!


Eu estava realmente ofegante. Sua aproximação me incomodava.


— Para de ser arrogante ____, eu só quero ajudar - ajoelhou-se na minha frente.


— ME AJUDA ENTÃO ! AH MAIS QUE MERDA!


Ele me pegou no colo me levando para a maca.


— Que cheiro é esse ? - senti seu rosto próximo ao meu pescoço


— Não é pra ficar me cheirando, imbecil ! É pra me ajudar. 


Esse garoto deve ter algum tipo de problema.


— Olha não me mata agora, mas eu acho que voce tá... - ele virou o rosto, pondo a mão no mesmo, seu rosto estava corado, mas o tom de graça estava presente.


— FALA LOGO.


— No cio.


— Você tá doido Taehyung ? Bebeu agua da privada e a merda subiu pra sua cabeça ? Tá achando que eu sou o que? Uma cadela? - Meu rosto estava em chamas


— Relaxa.


— Relaxar ? Você sabe o quanto isso tá me incomodando? Como faz isso parar?


— Bom, eu até sei... —disse se aproximando de mim. Me olhava fixamente com um ar de pervertido. Colocou a mão na minha cintura puxando para próximo de sua cintura. Senti seu membro se animar.


— QUE MERDA É ESSA KIM TAEHYUNG ?! — O empurrei violentamente para longe de mim


— Você por acaso conhece algum remedio pra controlar esses seus hormonios que não seja uma transa? Se souber me avisa. - Ele deu de ombros indo em direção a porta 


ah, mas que merda, eu preciso dele dessa vez...


— Por favor me ajuda... Eu nunca passei por isso e, merda... Estou assustada. — lágrimas escorregam do meu rosto, obviamente pelo orgulho, mas infelizmente eu precisava dele naquele momento.


Ele se virou me olhando com uma cara de espanto. Se aproximou de mim, pondo a mão no meu rosto, lentamente trouxe seu rosto para perto do meu pescoço, depositando alguns beijos no local. Sentia cada parte do meu corpo implorando pelo seu toque. Eu estava desesperada. Não conseguia manter meu nervosismo. Senti meu rosto se encharcar, eu estava caindo em prantos. O que foi que esse garoto fez comigo ?


★ 


Realmente, essa garota não tem a menor noção do perigo, menina idiota, até agora a pouco estava me odiando por tê-la beijado e agora quer isso? Por mais que a presença dela me incomodasse, eu não poderia desampara-la, não nesse momento.


Ela estava realmente vermelha, parecia estar queimando de febre e com uma dor agonizante. Ela tremia e chorava e parecia estar chateada com si mesma.


Estava preocupado, realmente estava, até mais que eu deveria. Seu rosto estava encharcado de lágrimas, me fez ficar com pena dela, tadinha.


— Por favor Taehyung... Eu... Argh me ajuda.


 


Enquanto falava, a surpreendi com um abraço acolhedor, era o minímo que eu podia fazer pra acalmar aquele furacão.


— Você é mesmo uma boba! Se colocar em risco desse jeito, ficando tão vulnerável perto de mim. Você não precisa disso. - suspirei esfregando as temporas - Vou dar um jeito, fazer o quê.


Passei as mãos em seus cabelos em um afago rapido. Procuro por qualquer calmante que à faça dormir.


— toma esse remédio, talvez funcione.


Tomou um copo do filtro próximo a maca o virando em um só gole, menina gulosa! Mas parece que felizmente o remédio começou a fazer efeito e logo ela já estava caída... Essa menina realmente não tem jeito. Seus fios caído sobre sua testa, sua respiração ofegante, não dava pra negar, ela é realmente bonita, alias, sempre foi. 


À tomo em meu colo, carregando até o carro e à levando pra casa. O grande casebre, vazio como sempre e isso  acaba me deixando inquieto. E se der outro surto nessa menina? Era tudo o que eu precisava. À levei até seu quarto e deixei que dormisse. Seu corpo sonolento nem se mexia, nem um musculo sequer. Espero que mais tarde, essa gentileza sirva de qualquer coisa.


Minha barriga ronca pedindo por comida, desço as escadas e atendo feliz o pedido da mesma. Preparo um sanduíche qualquer e me ponho em frente à televisão sapeando qualquer programa que esteja passando. Às vezes eu me pergunto do porquê ter tantos canais sem absolutamente nada que preste. Chatisse e perda de dinheiro. 


Algumas horas se passam e ouço uns passos timidos vindo em minha direção.


 


— Hey... Obrigada! - É essa a garota que tava querendo me socar ainda hoje? - Sabe, por me ajudar e essas coisas...


— Está melhor ___? Pra estar me agradecendo é capaz de ainda estar febril


— Aigo idiota! Parece que sim. Obrigado por ter me ajudado... E não ter se aproveitado tanto da situação... - sussurou


— Eu nunca iria me aproveitar de uma baranga que nem você, não faz meu tipo. - abri uma risada forçada.


— Não foi o que pareceu quando você ficou abraçado comigo que nem idiota. 


— Falou a menina que disse "por favor me ajuda"


Seus bracinhos curtinhos  se dirigiam em minha direção, transferindo alguns socos fracos. Que cena fofinha. Segurei os mesmo com toda a delicadeza do mundo, soltando um suspiro surpreso da menor.


— Já disse pra não me provocar desse jeito... Bobinha! - soprei seu rosto, fazendo-a arregalar os olhinhos castanhos claro.


Meu coração estava totalmente acelerado... Mas o quê?


— Por que meu coração acelera toda vez que você me toca? Eu tenho que ir no médico ver o que é isso. 


Obrigado por foder ainda mais com meus psicologico, garota besta.


— Acelerado?... Ta doida? - meu rosto deveria estar um poema de tão corado, Taehyung cosplay de pimenta - deve ser algum problema cardíaco, deveria ver isso. Agora dormir antes que você acabe perdendo o horário da faculdade amanhã e, como forma de agradecimento, amanhã você vai me levar de carro.


— Tá, tá. Não tenho escolha mesmo, mas se você dormir demais da conta, vou deixar que perca a aula.


— Não vai não!


— Vou sim. 


Seus passos ritmados iam rumo à seu quarto me deixando novamente sozinho, cheio dos pensamentos. E afinal... Que história é essa de arritmia? Essa menina só pode estar ficando doida. Espero que não seja isso que eu estou pensando, porque se for... Ah, não pensa nisso Kim Taehyung!


Fui até seu quarto, vi que as luzes estavam apagadas e abri lentamente a porta. Ela estava jogada em sua cama, totalmente apagada e vulnerável. Estava tão linda. Por um momento tive vontade de abraçá-la e meu coração disparou. Não pode ser! Até você?!




Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...