História I Hate You, but I Think Love You - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Little Mix
Personagens Jade Thirlwall, Jesy Nelson, Leigh-Anne Pinnock, Perrie Edwards
Tags Jadesy, Lerrie, Little Mix
Exibições 37
Palavras 1.339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Poesias, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha qm apareceu c:

relevem qualquer erro, passa despercebido na hr de editar ^^

Capítulo 6 - Capítulo Six: Leigh-Anne


Fanfic / Fanfiction I Hate You, but I Think Love You - Capítulo 6 - Capítulo Six: Leigh-Anne


Droga, porque diabos ela tinha que ter um cheiro tão bom? 

Não era simplesmente aquele aroma maravilhoso de morango que emanava do seu corpo, não, era também o quão adorável ela ficava ao dormir. Sua respiração ritmada e o barulhinho engraçado e fazia ao soltar o ar pelos lábios. 

Pois é, eram nesses momentos que eu percebia como Perrie fodia com a minha mente. 

Estávamos perigosamente perto naquele sofá e, eu tinha certeza que ela tinha plena consciência disso, eu só não sabia se aquilo era bom ou ruim. A manta creme cobria nossos corpos que, a propósito, estavam quase um em cima do outro, para caberem naquele minúsculo sofá. Como ela usava só aquele pijama fino, parte da sua pele fica exposta e roçava na minha.  

Eu não havia dormido. 

Quer dizer, como eu conseguiria dormir com aquela garota quase em cima do meu corpo? 

Fecho os olhos com força e reprimo um rosnando. Porque tudo tinha que ser tão complicado? Porque eu não podia simplesmente odiá-la, ou sei lá, tratá-la como uma irmã? Mas nada na vida de Leigh-Anne Pinnock era fácil. Não. Ela tinha que estar atraída pela meia-irmã como deveria estar atraída pelo faking namorado que tinha! 

Antes mesmo do sol nascer, me desvencilho das pernas de Perrie que estavam quase na minha cara e subo as escadas em direção ao banheiro. Aproveito que todos na casa ainda dormiam e tomo um longo banho com direito a sais na banheira e um rápido cochilo. De qualquer modo, eu precisava relaxar, não queria descer pro café com meu corpo tenso e pegando fogo daquele jeito. 

Deixo um rastro de pegadas molhadas enquanto vou pro meu quarto. Ouço Alex e mamãe conversando em seu quarto, mas não dou muita atenção. 

― Bom dia, Leigh-Anne ― viro-me em direção a voz. Perrie surgia no topo das escadas, bocejando e espreguiçando-se. Mas que inferno! Até a cara amassada daquela garota conseguia ser linda! ― Dormiu bem? ― ri nasalmente como se fosse uma ótima piada. 

― Se você chama aquilo de dormir, então... ― dou de ombros, de cara fechada e bato a porta do meu quarto. 

Podia jurar que ouvi sua risada do outro lado. 

Ainda enrolada na toalha, pego meu celular e encaro minhas notificações. É claro que havia mensagens do Jordan! Jesy havia me mandado uma mensagem então a primeira coisa que faço é lê-la.  


Jesy: adivinha qm me mandou umas 100 msgs? 
isso mesmo! Seu namoradinho kkkkkk 
leigh-anne? 
Qual é? Vai me ignorar, piranha? 

 

Após me deliciar com as mensagens de Jesy, digito uma rápida resposta. 

 

Eu: problema é dele 
Nos vemos na escola ¬¬' 

 

Jogo o celular na cama e ando até me closet. Termino de secar meu corpo e enrolo a toalha em meus cabelos, sem pressa alguma, começo a revirar a bagunça das minhas roupas a procura de algo para vestir. 

Eu sabia que estaria exausta durante minhas aulas da manhã, mas nada me impedia de dormir um pouco na minha aula de Álgebra III. 

Visto um jeans preto e justo na pernas, salto alto (sim, pois Leigh-Anne Pinnock valoriza pessoas bem vestidas). Coloco apenas um suéter cinza por cima de uma blusa aleatória que puxei da gaveta e trato de arrumar meus cabelos. Não posso deixar de rir enquanto trabalho, pois Perrie estava cantarolando uma música horrível do chuveiro. Sua voz era uma coisa dos deuses, mas sua escolha de repertorio era vergonhosa. 

Deixo meus cachos soltos e armados, eles secariam sozinhos e ganhariam forma.

Congelo assim que abro a porta do quarto. 

― O que diabos você faz aí?! ― a garota ergue o olhar do telefone e cora violentamente. Ela estava parada na porta do seu quarto, enrolada em sua toalha colorida do Frozen. Seu corpo estava pingando e deixando uma poça de água ao redor dos seus pés. 

― Eu estava apenas... 

Leva a mão a nuca e ri, sem graça. 

― Deixa pra lá. ― entra no quarto e bate a porta. 

Não me controlo e acabo rindo dela. Às vezes Perrie conseguia superar a si mesma. Que tipo de pessoa esquece que está seminua enquanto mexe no celular na porta do quarto, escancarada? 

Desço as escadas e jogo minha bolsa no sofá, logo me dirigindo a cozinha. Assim que cruzo a porta e vejo Alex e Debbie conversando na mesa do café, sinto meu estômago embrulhar e minha única vontade é de voltar pro meu quarto correndo, porém, seria esquisito demais, então, fingindo uma indiferença que eu, definitivamente, não sentia, me sento na ponta da mesa. 

― Dormiu bem querida? ― olho para mamãe e repreendo na hora aquela visão grotesca dela e de Alex ontem a noite.

― Não muito ― admito com um sorriso amarelo. ― Tive alguns pesadelos. ― mamãe franze o cenho, estranhando, mas não mais que isso. Alex chama sua atenção para as notícias do jornal local . 

Sirvo-me uma xícara de chá e pego alguns biscoitos para mastigar. Não ter dormido parecia ter me tirado completamente o apetite. 

― Leigh, parece que Jordan me ligou a noite ― Perrie entra na cozinha carregando seu conhecido caderninho preto e seu celular. ― Você está sem bateria, por acaso, ou...? 

― Não, só 'to ignorando ele mesmo ― sorrio amarelo a ela e torno a minha expressão de tédio. Perrie ri e toma o lugar vazio ao meu lado. Sei que ela havia passado seu shampoo de morango e aquele seu creme corporal que podia levar qualquer um a loucura. 

― Talvez você devesse dar uma chance a ele, filha. Ouça o que o menino tem a dizer ― olho para Debbie, perguntando-me se ela estava falando a verdade. 

― Não, obrigada ― mastigo meu biscoito com fúria e puxo meu celular do bolso do jeans. 


Jesy: acredita q ele acha q vc conheceu outro cara? 
'to rindo até agr kkkkk 
Lee, talvez vc devesse dar logo um pé na bunda do coitado 

 

Eu: está com pena dele, jessica? 
Olha, seu coração descongelou? 
Temos que fazer uma festa :D 


Jesy: Olha qm falando HAHAHA  

 

Eu: estou tomando café com a família 0:) 


Jesy: Uhu 
Parece mt interessante 
Ela está ai? :3 

 

Eu: Não comece Jesy!  
Irei deixá-la no vacuo caso volte nesse assunto 
Já lhe disse, vc está imaginando coisas ¬¬' 


Jesy: HAHAHA conta outra Pinnock 

 

― LEIGH-ANNE! ― quase derrubo meu celular com o suto. 

― Ouch! ― encaro mamãe. 

― Meu Deus, está surda? ― me fuzila com aquele seu olhar de repreensão. 

―Desculpe, estava falando com Jesy ― explico. ― Qual o problema? ― olho de Perrie para o casal. 

― Alex estava falando sobre irmos passar o feriado de natal no chalé, nas montanhas ― sorri abertamente e olha de Alexander para Perrie. Eu arregalo os olhos, sabendo perfeitamente onde aquilo iria dar. 

― Não! Meu Deus, não posso passar quatro dias trancada em um chalé! ― acredito que eles sabiam perfeitamente o que eu queria dizer. "Trancada em um chalé com vocês três." 

― Vamos, será divertido, Leigh-Anne! ― Alexander sorri abertamente. ― Será perfeito para nos aproximarmos mais como família.  

― Você não pode concordar com isso! ― me dirijo a Perrie que parecia quieta demais até agora. 

― Eu não... 

― Perrie já concordou ― mamãe corta a loira. ― Ela disse que a paisagem é perfeita e lhe da inspiração.  

Solto uma risada cínica e me ergo da cadeira. 

― Nem fodendo que eu passarei o feriado inteiro no meio do nada! ― bato na mesa encarando-os. 

― Leigh-Anne! ― mamãe também se ergue. 

― Está tudo bem, amor ― Alex toca em seu antebraço e sorri gentilmente a mim. ― Tenho certeza que Leigh-Anne observará com atenção suas opções. Não tomaremos decisões precipitadas. 

Mordo o lábio inferior, desistindo naquela discussão. Saio da cozinha e passo na sala apenas puxando minha bolsa do sofá. Saio de casa correndo. Deuses, eles não podiam estar falando sério! Estamos falando de uma feriado inteiro. Em uma chalé na montanha. Dias trancada no meio do nada. Com Perrie.

 


Notas Finais


não vejo mal nenhum nisso leigh-anne '-'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...