História I hate you, I love you!- Chandler - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chandler Riggs, Os 13 Porquês (13 Reasons Why)
Personagens Chandler Riggs, Personagens Originais
Visualizações 15
Palavras 1.573
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Luta, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Eu odeio você Chandler Riggs



A semana acabará de começar, e eu fiz novas amizades, agora eu andava com a Katelyn e com o Thor, não podia considerar o Alex um amigo, pois ele acabou de chegar mas ele era suficientemente legal para fazer com que eu realmente queira sua amizade, ele era discreto e silêncioso, e além do mais era super confiavel, mas eu também não deveria abusar, ele fazia amizades muito rápido, coisa que não me agrada muito, o que começa de repente acaba de repente, ele tinha tentado nos apresentar uma de suas amigas, Hanna Baker, mas ocorreu um imprevisto e ela aparentemente não fez muita questão de nos conhecer de qualquer forma diferentemente de Jessica, essa doida parecia um livro aberto, sendo muito liberal, todos nos demos bem, no entanto, eu estava satisfeita com meus poucos amigos, não sei se queria confiar em alguém já que o filho da puta do Chandler não larga do meu pé com aqueles seus cachorrinhos ridículos, suas brincadeiras ficavam mais insuportáveis á cada semana, ele fazia questão de me provocar toda vez que me visse e sempre que matava aula dava um jeito ir me zoar na biblioteca, nem no meu lugar favorito eu tinha mais paz, aquela perseguição implacável fez valer a pena seu juramento de me irritar a qualquer custo, ele bate em minha cabeça, murmura coisas ás minhas  custas no refeitório fazendo seus "amigos" rirem de forma extremamente exagerada, soltava sorrisos maliciosos e piadas sem graças quando eu ia com uma regata mais decotada sempre dando um jeito de me deixar mais desconfortável, quando iamos para a piscina ele me fitava enquanto eu me afundava na água com meu maiô azul escuro. E infelizmente tudo se repetiria hoje, pois temos mais duas aulas de natação, seguidas. Pela falta de professores, o  professor Carter não poupou esforços para cuidar das nossas salas. Maldito. Professor. De. Física. 

Todos foram mandados ao vestiário, para trocarmos de roupa, como eu odeio essa escola, malditos garotos pervertidos, o único garoto que é um real cavalheiro. É GAY. Porra Thor, até eu te pegaria se tu fosse.. ou melhor, se gostasse de mulheres. Me sentei a beira da piscina esperando a tortura começar, molhei meus pés  encarando a água, percebi alguém se sentando ao meu lado, revirei os olhos por saber perfeitamente quem era.

-O que é que você quer?- o olhei naqueles malditos e perfeitos par de olhos azuis que me hipnotizavam sempre me levando ao delírio interno.

-Baixa  guarda nerd!- ele brincou- A  galera está matando aula pra se drogar.

-Nossa que legal! Por que ainda não se juntou á eles!?- ironizei, ele me encarou sério.

-Não quero me afundar no mesmo poço que meu irmão. Essa eu passo.

-Ah cala boca, não tente me fazer me sentir mais mal!- reclamei e mergulhei deixando a água fria domar-me. O Chandler saltou na água numa enorme rapidez que parecia que minha vida estava em risco. Ele me puxou para a superficie e me prendeu em suas mãos, ele me precionou contra o canto da piscina, as pessoas mergulhavam ao nosso redor como se fossemos invisíveis.

-Eu não estava brincando.

-Chandler, me solta, está me machucando!- ele me apertou com mais força de propósito.

-Eu não quero, e não vou- ele me afundou, mas lentamente, me dando, ao menos, o tempo de prender a respiração, eu ainda tentava me soltar, mesmo embaixo d'água, o Chandler me encarou sorrindo, parecendo se divertir com sua brincadeira psicopata, eu estava prestes á ter um ataque de nervos, já que com a água podiamos flutuar, coloquei meus pé sobre seu abdomen e o empurrei com toda minha força me libertando assim subindo para tomar ar, ele subiu ao meu lado e gargalhou.

-Caralho muleque você tem problemas!?- ele tentou se aproximar de mim e toda vez eu o empurrava, essa nossa "bricadeira" de vai e volta era intediante, na última vez que ele se aproximou, pousei minhas mãos sobre seus ombros impulcionadando-o para baixo, foi divertido, afogar ele nem que fossem por milénios. A piscina não sendo tão funda o fez tocar o chão para poder me expulsar da água me colocando a beira e afastada de todos novamente, ele fez questão de colocar suas mãos ao redor de mim para subir em cima de mim, ele sorria malicioso enquanto eu meio que fugia de seu rosto tão próximo á mim. Quando ele finalmente se jogou de lado para se sentar percebi que eu havia me afastado quase meio metro da piscina. Olhei ao redor meus amigos me olhavam, mas não vinham ao meu tão clamado pedido de socorro. Bufei me retirando do local e sendo seguida.

-Não tenta fugir de mim tão fácil- encolhi meus ombros quase que desistindo, quase.

-Então para de ser um chato repugnante, chato, chato, insuportável!- reclamei, por fim. Com aquele louco e estranho fetiche de me submeter, Chandler me encurralou novamente, só que dessa vez ao invéz de invisíveis em uma piscina, estavamos sozinhos em um vestiário, ele sempre me precionando contra o frio metal dos armários.

-Adoro quando você fica nervosinha!- se agitou rindo.

-E eu adoro quando você me deixa em paz!- o empurrei, só que dessa vez ele se agarrou em minha cintura com força me causando arrepios e um certo fogo nas bochechas, eu o fuzilei com o olhar, Chandler me colocou novamente contra o armário e aproximou seu rosto do meu- Me solta Chandler!

-Ainda não- ele murmurou encarando minha boca, ele parecia estar com uma sede insaviavel, eu já o vi se pegando com tantas garotas só ontem que me surpreende nehuma delas ter apagado seu fogo.

-Você está me assustando...- murmurei, já seduzida por seus olhos azuis, e entrelaçou os dedos em meu cabelo encharcado, assim como o seu, ele se aproximava cautelosamente  me tirando o folêgo de tamanho suspense, minha ansiedade palpitava e suplicava por um beijo, mas minha sanidade e minha intuição gritavam para que eu o afastasse, minha intuição nunca errou mas agora também não ajudou em nada, em me sentia completamente submissa aos desejos dele nesse estado, mas ao mesmo tempo eu lutava para empurrar ele o mais forte que pudesse levei minhas  mãos á sua nuca- ah foda-se!- exclamei e o puxei par aum beijo, nossos corpos molhados se chocaram, nesse maldito momento eletrizante eu não pensava em mais nada, apenas sentia o seu gosto, quente e excitante, sua boca  fervia colada a minha desses dois meses para cá nunca tinha pensado em beijar o garoto no qual me fazia perder  cabeça com sua forma arrogante e incrivelmente atrativa, seu estilo bad boy.... revirei os olhos já sem ar, ele me sugava fazendo questão de me apalpar durante todo o processo, ele tinha uma poser de pegador, que era super verdadeira, de repente ele desmanchou o beijo, não por completo é claro, pois ainda puxava-me para ainda mais perto, eu tinha que parar por ali, mas não o fiz, ele me puxou para seu colo, que fui de bom grado, ele parecia que queria arrancar minha boca com tamanha ferocidade que mordia meu lábio inferior, ele deslizou sua boca macia por meu pescoço me causando ainda mais arrepios e as famosas borboletas no estômago, ele me lambia de forma tão gostosa, fazendo eu pirar, ir a loucura, de repente ele me chupou, meus batimentos acelerados me faziam pensar que a gente iria transar ali mesmo, no vestiário feminino, o único som ali era o armário rangendo por meu peso estar sendo precionado sobre o mesmo, eu estava desgastada e com falta de ar, mas o Chandler não parava de forma nenhuma me deixando ainda mais excitada, apertei seu ombro com força o arranhando brevevente, saí de seu colo e ele voltou a me beijar, puxei seu cabelo molhado e o fiz mais louco, ele ousava ultrapassar meus limites mas eu sempre subia ou descia sua mão de volta á minha cintura.

Por um milagre, aquele beijo quente cesou, e o Chandler me soltou um pouco para reestabilizar sua respiração acelerada, ele ficou ao meu lado tomando o folêgo que havia me tirado, ele sorriu e eu observei sua boca avermelhada e não contive o sorriso.

Logo me toquei, essa não é minha realidade, ficar me pegando com um cara do time de basquete ás escondidas enquanto o professor zelava mais pelo bem estar dos novatos do que o dos veteranos. Meu sorriso se desmanchou da mesma forma que havia se formado, e eu ainda ecarava o Chandler, só que agora com desconfiança.

-Por que fez isso comigo?

-Eu tinha que fazer antes que o Justin fizesse- ah, claro, tudo não passava apenas de uma rivalidade infantil. Sempre me usando como um brinquedo favorito.

-Sai daqui.- falei, cega de raiva, peguei uma toalha e cobri meu corpo abrindo o armário e pegando minhas roupas mal dobradas.

-Como é?- ele tocou meu braço, o afastei bruscamente.

-Eu falei pra você sair! Sai!- elevei a voz transparecendo minha raiva á ele. Chandler me observou indignado.

-E você acha que vou sair sem um beijo de despedida?- ele parecia "arricar" pra ver o quanto furiosa eu estava, ele me segurou novamente com força.

-Tenho certeza. Não sou seu briquedinho, já basta zoar minha cara, já basta bater  em minha nuca quando estou destraída lendo! Já basta! Isso- apontei para minha boca avermelhada e para a dele- passou dos limites!

Minhas mãos tremiam, eu estava louca de raiva e com vergonha de mim mesma por me deixar levar por esse garotinho biruta.

-Eu volto já.- falou, como se eu quissesse que tal coisa acontecesse.


Idiota

Estúpido

Mesquinho

Manipulador

Eu odeio você Chandler Riggs.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...