História I hate you,I love you (Romance gay) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amigos, Gay, Romance, Sexo
Exibições 44
Palavras 1.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse capítulo está bombástico e bem triste na minha opinião , mas espero que gostem
Boa leitura ♥♥

Capítulo 13 - O estupro


Gustavo On

O que você vai fazer?- era a Andressa me perguntando, ela só podia ser idiota por não sacar o que era. -Isso mesmo que você está pensando, vou dar ao André o que ele gosta ne amorzinho?? -ele que estava distante de mim e se escondia atrás do João começou a chorar muito e eu senti ainda mais vontade de abusar dele.

Ele era tão fofinho, inocente, sincero. Seu coração era muito puro mesmo e uma vez ele chegou a me dizer que nunca havia sentido ódio de ninguém nem por menor que fosse, e agora eu estava curioso para saber se ele sentia raiva de mim.

Eu nunca prestei muita atenção nele, era fofura demais para mim ter que aturar, eu gostava mais de gente grossa, arrogante, ignorante; e foi por isso que me apaixonei pelo João, ele era tudo isso e muito mais. Seu corpo era perfeito , seu rosto angelical e aquela pose toda de machão, tudo isso me encantava. Mas como tudo nessa droga de vida tem que ter um empecilho lá estava o meu empecilho: Fofo, bonito, pequeno, inteligente, estudioso, amável,eeducado, gentil, meigo e extremamente doce, ou seja ,André.

No início eu sentia uma raiva descontrolada dentro de mim, daí o tempo foi passando e eu comecei a me meter entre ele e o João, minha raiva passou a ser ódio, pois era ele que o João amava, e ele tinha aquele jeito fofo e doce de ser que encantava qualquer um; eu até me deixei levar em alguns instantes e cedi aos encantos dele mas isso não durou muito ,simplesmente porquê ele estava feliz e eu não aceito que as pessoas estejam felizes e eu não , ainda mais quando se trata de alguém que o meu crush supremo gosta. 

Então eu tive uma idéia foda demais que se baseava no sequestro do André. Fiquei dias planejando tudo e como meu pai era muito rico e influente eu consegui arrumar uns caras para me ajudar e dei uma boa grana para eles executarem o serviço.  Não tinha certeza se queria matar o garoto então deixei para pensar nisso depois. Meu plano deu certo e a peste do André foi sequestrado. Até aí tudo bem , mas adivinha?? Uma menina da escola chamada Andressa me procurou e disse que sabia que o João tinha ido procurar o André (O que esse menino tem que eu não tenho?) Eu fiquei furioso e segui direto para o cativeiro , chegando lá encontrei o André dormindo no peito do João (que droga, esse era o meu lugar) . Eu fiquei puto mas ainda não podia fazer nada, seria estranho matar o garoto sem ao menos pedir resgate pra fingir um sequestro de verdade.

Relevei as graças do garoto até quando pude , mas ele tinha o dom de me irritar e eu já sabia como castigar aquela coisinha fofa (aff). Ele disse que a sua primeira vez tinha que ser especial então ela seria um especial de dor, nojo, gritos, sangue e muito mais muitos machucados por toda a extensão de seu  belo corpinho.

João On 

Eu não sabia o que fazer diante daquela situação, eu sempre tinha uma carta na manga, , mas desta vez era diferente e eu não tinha sequer reação. Quando eu vi a menina , pensei aue ele tivesse a sequestrado também mas depois percebi que ela sorria o tempo todo , aí deduzi que estavam juntos nessa palhaçada de sequestro.  Por mais vaca que eu a estivesse achando no momento percebi que ela não sabia de todo o plano do louco do Gustavo. Quando ele começou a tirar a calça ela se desesperou e perguntou o que ele estava fazendo.

-Gustavo o que você vai fazer? Ficou louco?- ela perguntou entrando na frente dele que apenas sorriu e a empurrou -Pra quê perguntar se já sabe a resposta? Poupe o meu tempo Andressa.

Ela não aceitou e a resposta e se jogou novamente na frente dele argumentando que aquilo era crime ele disse que sequestro também era. Ele então disse que ela iria antes do André e eu não entendi de primeira até me lembrar do que ele queria fazer com o meu baixinho.  Ele não seria capaz ou seria? Ele e seus capangas fecharam a porta e arrastaram a garota para a parte de cima da casa , pelo caminho ela ia gritando cada vez mais alto e eles apenas sorriam. Quando estavam distraídos no porão junto comigo e com o baixinho eu havia conseguido me soltar , porém ninguém percebeu.  Eu os acompanhei durante todo o caminho. Já dentro da casa a menina gritava e chorava o tempo todo até que ouvi ela gritar mais alto ainda ~AIIIIIIIII ESTÁ DOENDO~ Eu senti uma pena enorme dela enquanto tentava chegar lá em cima.

André On

Eu tinha me distraído tanto que não percebi o João sumir e olha que ele estava do meu lado . Quando eu dei  conta de tudo , estava sozinho naquele porão e isso me apavorou mas eu não chorei nem nada.Apenas esperei o pior acontecer.  De repente eu ouvi a Andressa gritar muito aí sim eu chorei e chorei muito. Ela não merecia, ninguém merece ser estuprado. 

~Algum tempo depois~

Autora On

André ainda estava sentado no chão daquele porão imundo e chorava bastante.  Enquanto isso na parte de cima da casa Gustavo disse que precisaria sair e mandou os seus capangas continuarem a tortura com a garota que já havia desmaiado. Esse era a chance de João e ele não a desperdiçaria. Assim que Gustavo saiu , João encontrou um taco bem velho , mas serviria. 

Enquanto um dos homens ia "se hidratar" segundo ele mesmo, João entrou no quarto e bateu com o taco diversas vezes na cabeça do homem que ainda abusava da pobre garota que estava deitada em uma poça de seu próprio sangue, o outri homem ouvindo os gritos do seu comparsa subiu correndo as escadas encontrando seu companheiro morto e cheio de sangue no chão ao lado da garota.  Quando o homem foi se virar recebeu uma pancada forte na cabeça e caiu desmaiado. Mas o garoto que lhe batia não cessaria os golpes e continuou até ter certeza de que aquele homem imundo estava morto.

André On

Eu ouvi gritos e alguns eram do João.  O que será que está acontecendo lá em cima? Meu coração está na mão já e não ouço mais gritos. Não sei se isso é bom ou ruim. De repente surge uma figura masculina por trás das caixas e logo reconheço o João (uffa, agora eu voltei a respirar tranquilamente) , ele estava com a Andressa no colo e a mesma estava desmaiada pelo que parecia .

O João me mandou ir logo para cima pois havia conseguido abrir a porta, mas ele logo percebeu que eu estava amarrado, colocou a Andressa no chão com cuidado e me soltou. Eu corri para cima e fui até a porta. Finalmente estávamos livres.

Andamos por muito tempo e minhas pernas já estavam bastante cansadas, já não me aguentava em pé e o João caminhava com extrema dificuldade por conta de ter que carregar a Andressa. Passado mais algum tempo a Andressa acordou nos braços do João e apenas disse em seu ouvido.

-Ele está atrás de você, cuidado-quando olhei para trás meu coração parou , o Gustavo estava suado e parecia bem bravo e quando olhei para sua mão quase tive um treco. Ele estava armado. Eu não podia morrer , ainda não. Eu nem fiz faculdade, nem vi o Júnior crescer e nem me casei com o João.  Esse não pode ser meu fim.

-Achei muito sem educação da parte de vocês saírem e nem sequer deixar um bilhete com o endereço de onde iam. Talvez eu quisesse ir também -ele começou a gargalhar alto e apontou a arma para mim.


Notas Finais


O que acharam?? Pesado ?
Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...