História I Hate Your Way - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Lauren G!p, Norminah, Trolly, Vercy
Exibições 356
Palavras 1.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction I Hate Your Way - Capítulo 1 - Prólogo

Lauren Michelle Jauregui 

12 de Dezembro de 2014 - Washington, Seattle - 4:22 AM 

Estava com meu filho em seu quarto o observando dormir no pequeno Moisés. Ele nasceu a duas semanas e eu pedi um tempo na faculdade e no trabalho para cuidar dele.

Tenho 19 anos, e pretendo ser Neuro Cirurgiã, mas eles dizem que não somos nós que escolhemos e sim é a própria área que nos escolhe.

Eu estou namorando, na verdade amando, Camila Cabello.

Ela parece gostar de mim, mas nas últimas semanas parece nervosa, e meio ansiosa. Acredito que ela não mentiria para mim, ela até registrou Derek como Jauregui Cabello. Admito que fiquei feliz, mesmo que ele não seja meu filho de verdade.

Passo a minha mão sobre a cabeça, de Derek e sorrio - ele é igualzinho a ela - Saio do quarto e vou até minha cama, Camz não estava lá, o estranho é que são quatro da manhã eu só levantei para trocar a frauda do pequeno e...

Fui correndo até a cozinha e ela não estava lá fui até a sala, banheiro, quintal, varanda, lavanderia e nada, subi de volta para meu quarto e fui ao banheiro, e tinha uma carta.

"Lauren, obrigada por tudo, por cuidar de mim e cuidar do Derek. Mas estou indo embora, nunca tive intenção nenhuma de cuidar dele, espero que faça isso, eu sei que vai fazer por isso te escolhi.

-Camila Cabello"

Droga...

Vagabunda...

Respirei fundo e fui até a garagem, não para pegar o carro e ir atrás dela e, sim para bater em um saco de pancada que tenho lá.

6:14 AM.

40...

41...

42...

43...

- Lauren...

44...

- Michelle...

45...

- LAUREN MICHELLE JAUREGUI - Ouvi a voz de minha mãe e me virei - O que foi? - Ela perguntou vindo até mim

- Nada, só resolvi me exercitar um pouco... - Ela me olhou com uma sobrancelha levantada - Mãe... É... Sério... - Me virei e voltei a bater

- Lauren, você sabe que foi que te carregou nove meses na barriga e cuidou de você até os dezoito e com dezenove ainda te trás comida quando você está mal?

- Você, mas a parte da comida era a vovó...

- E ela morreu - Olhei para ela que riu, sempre quando ela toca no assunto da minha vó eu fico mal - Desembuche

- Mãe vem cá, tá fazendo oque aqui essa hora?

- Não muda de assunto Michelle!

- Derek deve estar com fome, vou preparar a mamadeira - Coloquei minha blusa novamente e saí correndo

- Filha não fique dando leite artificial para ele, dê o de Camila

- Acontece mãe que ela foi embora - Falei de costas para ela, encostei no balcão abaixei a cabeça respirei fundo.

Ela me abraçou pelas costas apoiando a à cabeça tentando me acalmar.

- Vai ser muito ruim para ele, e quando ele perguntar dela? Eu já passei por isso, você sabe, não era fácil eu queria conhecer meu pai e sempre quando você mentia dizendo que ele estava viajando me machucava com a esperança que depois de anos fui perceber que fui deixada por meu pai, só porque sou diferente, e sabe oque minha tia me disse mãe... Que ele me deixou porque não conseguiria me ver crescer como um garoto - Falei e sinto lágrimas caírem descontroladamente.

- Meu amor, não pense mais nisso, e eu não estou pedindo estou mandando - Ela me virou e limpou as lágrimas - Agora vá tomar um banho que você está toda soada, que nojo - Ela fez careta - Vai... - Me deu uns tapinhas e eu subi, antes eu a passei no quarto do Derek ele estava acordado, olhando para cima quietinho.

O peguei no colo e me acalmei na hora, o sorriso surge em meu rosto assim que o vejo fechar os olhinhos e se aconchegar em meus braços

- Derek, seu porco, a mama está fedendo suor - Falei rindo e passando o dedo na ponta de seu nariz - Vou te levar para a vovó, ela quer te ver - Falei fazendo voz de idiota, sempre faço isso quando falo com ele, é automático

- Não precisa Laur, já estou aqui - Disse baixo e eu o coloquei em seus braços - Vai tomar banho... Como ela é porca não é Rek? - Sussurrou

- Eu ouvi... - Falei rindo logo fui ao meu quarto, voltei para o mesmo lugar aonde aquela maldita carta está. Peguei e a joguei no lixo com força - Não precisamos você Camila... Vadia... - Tirei minha roupa e me olhei no espelho - Qual é eu sou muito gostosa, porque alguém em sã-consiencia me deixaria assim? - Me perguntei e logo ri com o egoísmo.

Terminei o banho e voltei para o quarto de Derek que não estava lá, provavelmente está na cozinha com a minha mãe na cozinha... Desci quase tropeçando, não é exagero, hoje tá um dia tão estranho que não duvido de nada.

Minha mãe estava dando leite a ele que dormia com as duas mãosinhas na mamadeira.

Fui até eles, e passei a mão na cabeça do pequeno, tem os cabelos castanhos como os de Camila a boquinha pequena e rosada, nariz parece mais uma bolinha de gude, sobrancelha só alguns fios que já demonstram ser como os de Camila.

- Quer? - Ela perguntou

- O que... Ele ou... A...

- Lavar a mamadeira... Lógico que é ele né Lauren - Ri e o peguei no colo 


você é tão lindo... O seu nome também é tão lindo quanto você... Você dorme tanto quanto eu, eu durmo muito, pode perguntar para vovó, ela sabe muito bem disso... Tia Vero disse que você vai pegar todas na escolinha... - Levei um tapa da minha mãe - brincadeira não faça isso é coisa de pervertido, não pode pegar todas pode pegar uma e não soltar mais e fazer de tudo para não magoar a garota... Ou garoto, vou te dar liberdade. - Falei e minha mãe riu acho que é porque falar desses assuntos com um recém nascido com voz de idiota fica bem engraçado. - também não trate mal a mama quando você for grande e tiver entrando na puberdade porque a mama ama muito você, e vai ficar muito triste... Mas você vai ter orgulho de mim, assim como eu tenho da minha mãe... Eu te amo Derek Jauregui



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...