História I hate...love you - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Romance, Vanessa Hudgens
Visualizações 206
Palavras 1.710
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Galera um pequeno aviso:
A foto de capa é a roupa que a Natacha vai usar, eu queria uma foto que desse pra ver a roupa no corpo mas infelizmente eu não achei, peço desculpas de antemão, mas espero que gostem mesmo assim, sem mais delongas e boa leitura😍😘

Capítulo 21 - Capítulo 20- Boate Vogue


Fanfic / Fanfiction I hate...love you - Capítulo 21 - Capítulo 20- Boate Vogue

(Park Jimin)
Recebi a mensagem da festa as 9:00 horas, liguei pro Daniel e pedi o carro dele emprestado, e é claro que ele me emprestou, então voltei a ver o meu filme apenas esperando a noite chegar
(Natacha Caius )
Passamos o dia inteiro procurando roupas, sapatos e acessórios pra festa até que quando deu 20:00 começamos a nos arrumar, Mari vestiu um vestido vermelho colado no corpo, e um salto preto, seu cabelo louro estava solto todo jogado pro lado, ela deixou a boca sem nada mas caprichou no olhar fazendo uma make completa, ja eu estava com uma saia de cós alto preta colada no corpo,que realçava bastante meu bumbum, vesti um croped vinho e calcei um salto preto, deixei meus cabelos jogados pro lado e passei um batom mate vinho na boca, quando terminei a Mari me olhou de boca aberta
-Você está maravilhosa Nat, se eu fosse um homem com certamente eu te pegaria.- Ela disse e eu ri
-Você também está linda Mari.-
Olhamos no relógio e já era hora de ir, pegamos nossos celulares e o dinheiro do táxi e saímos de casa e fomos pra VOGUE
                  [...]
Chegamos lá e a própria Scarlet estava recebendo os convidados ,falamos nosso nome e entramos, estava lotada a boate, não deixei de perceber vários olhares sobre nós duas, pegamos uma bebida e fomos conversar com nossos amigos ,quando dei por mim a Mari já tinha sumido, olhei em volta e não a encontrei
-Sozinha Cinderela? - ouvi alguém perguntar ao pé do meu ouvido olhei pro lado e vi que era o Jimin, eu quase esqueci o que dizer quando olhei pra ele, ele estava com uma blusa preta de seda e uma calça jeans preta, eu podia sentir seu perfurme e...por Deus como ele estava sexy...se concentra Natacha, se concentra.
-Não, o sapo acabou de chegar.- Eu disse respondendo a sua pergunta
-Olha a educação "diabinha", não foi assim que eu te ensinei.- Ele riu irônico
-Vá se ferrar, vê se você encontra alguma vadia tipo a Meredith por aí que queira a sua companhia
-Eu já encontrei uma vadia melhor que ela, e ela está aqui na minha frente...- Uma fúria me subiu sem pensar joguei o resto da minha bebida na cara dele
-Ops, acho que "a vadia aqui" precisa de bons modos.- Eu sussurrei em seu ouvido, senti suas mãos passearem em minha cintura me puxando pra perto
-Se você quiser eu posso te ensinar...mas vai ser do meu jeito.- Ele sussurrou em meu ouvido, senti sua boca quente e macia morder meu lóbulo da orelha,inevitavelmente me arrepiei, me soltei dele
-Vai...pro...inferno...infeliz- Eu disse pausadamente, saí de perto dele e encontrei a Mari conversando com a Scarlet, me juntei a elas.
(Park Jimin)
Entrei na boate com o Andy e o Martin e avistei a Natacha...e pelos céus, ela estava maravilhosa, a palavra politicamente correta era gostosa, aquela saia apertada realçava todas as suas belas curvas, ela estava muito gata, me aproximei dela enquanto Andy e Martin foram pro meio da bagunça e trocamos algumas palavras picantes até ela jogar o resto do  refresco na minha cara, não importei, ela me tratou mal e depois de alguns toques e sussurros ela foi embora, tudo bem, se o que ela quer é me esnobar ela também seria esnobada, andei pela festa e avistei a primeira garota que seria minha "cobaia", a beijei antes mesmo dela pensar, olhei pro lado e vi que Natacha estava olhando, exatamente como eu queria.
(Natacha Caius)
Eu não sei por que e nem me pergunte mas eu fiquei extremamente irritada quando vi o Jimin beijando aquela garota, uma raiva me subiu e então eu comecei a beber sem parar, perdi a conta de quantos wiskis eu tomei, e também perdi a conta de quantas garotas ele beijou, que se dane, eu não tinha nada a ver com isso, mas ainda assim eu continuei "enchendo a cara": vodca, wiski, champae, vinho, tequila, tudo isso foram as bebidas que eu tomei, e é claro que eu fiquei bêbada
-Já chega de bebida por hoje Nat.- A Mari disse, eu não dei a mínima, ri da cara dela
-Deixa de bobagem Mari, vamos curtir a festa, toma um drink e relaxa.- Eu disse, comecei a dançar com a taça de vodca na minha mão, eu ja tinha perdido a noção do tempo, e sinceramente eu não me importava, vi o Jimin me encarando umas duas vezes com reprovação, eu queria mais, queria que ele me desejasse só pra depois não poder me ter, fui pro meio da pista e comecei a dançar sensualmente, eu estava prestes a fazer um strep mas antes de começar senti alguém me puxar pelo braço
-O que você está fazendo sua louca?- O Jimin perguntou, eu gargalhei
-Me divertindo oras.- Eu respondi
-Já chega de diversão por hoje...- Ele disse e então me tirou dali e me levou pra um pequeno quartinho que tinha na boate
-Porque você me trouxe aqui?- Eu perguntei tonta
-Pra você se acalmar, você está que nem uma louca lá fora, não quero que ninguém ache que você é uma vadia.-
Eu gargalhei, ele tava falando sério ?
-Olha o que você tá falando. VOCÊ ME CHAMA DE VADIA o tempo todo e agora está preocupado com o que os outros vão pensar?
-EU posso pensar o que eu quiser de VOCÊ, mas não vou dar esse "privilégio" pra mais NINGUÉM
-Você é maluco...
-Não, eu não sou, eu sou "sensato".-
Ele ia pagar pelo que estava fazendo, se ele é sensato vamos ver até que ponto a sensatez dele era capaz de ir
-Você é sensato? - Eu perguntei meio rouca deixando o copo de bebida cair no chão- Eu acho que não...você teria coragem de transar comigo bêbada? Se você for sensato a resposta vai ser não mas...- Me aproximei dele e passei as mãos em volta do seu pescoço
-Natacha eu não sou louco, e não eu não transaria com você se você estivesse bêbada
-Será Jimin...eu sei que você me quer, sei que você me deseja, vai falar que não? - Eu perguntei, rocei meus lábios de leve no pescoço dele e senti ele se arrepiar, tirei uma das minhas mãos do pescoço dele e peguei nas mãos dele fazendo com que ele colocasse as mesmas na minha cintura, seus olhos estavam cravados nos meus e era visível o desejo dele
-Eu não vou fazer nada com você desse jeito...- Ele disse
-Vai...você vai...- Comecei a beijar o pescoço dele e, vi que ele apertou minha cintura mais forte, dei uma mordida naquele pescoço macio, desci as mãos dele até minhas coxas, e senti algo endurecer dentro da calça dele,
-Pare com isso agora.- Ele disse se afastando- Eu não quero te machucar... não desse jeito
-Eu sei que você me quer seu nojento pervertido...- Eu disse puxando ele pela blusa preta de seda, beijei o pescoço dele e mordi, ele apertou minhas coxas tão forte que eu senti uma dor, ele me prendeu contra a parede e beijou meu pescoço, correção: Ele MALTRATOU o meu pescoço, senti as mordidas e chupões junto com a sua saliva quente, o que eu estava fazendo? Eu não estava bem.
(Park Jimin)
O pescoço dela era a melhor parte, ela estava completamente bêbada, por que em sã consciência ela nunca me deixaria fazer o que eu estava fazendo, eu ainda não tinha beijado a boca dela, e nem iria, aquilo era completamente errado, ela estava bêbada e eu era um aproveitador mas era quase impossível resistir, cada toque dela, cada parte do corpo dela, era viciante pra mim...
-É o melhor...q...que Você pode fazer?- Ela perguntou se afastando um pouco, olhei pra ela
-Não...não é o melhor que eu posso fazer, porque se eu fizer o meu melhor eu vou te machucar, vou te machucar muito.- Eu disse
-Entao me machuca...me machuca muito Jimin, me machuca Jiminzinho- Ela disse mordendo os lábios, ela subiu um pouco a saia, deixando as coxas mais à mostra, eu estava com um tesão enorme, não conseguia evitar, ela se aproximou de mim e puxou os meus cabelos, roçou de leve a coxa no meu membro e em seguida...não consegui me segurar, ela estava pedindo, puxei as pernas dela e prendi na minha cintura, segurei as coxas dela bem forte, maltratei seu pescoço dando chupões, beijos e mordidas, como era bom, ela mordeu minha orelha e também maltratou meu pescoço, seus lábios eram macios de mais, senti ela me lamber e aquilo acabou comigo, apertei sua coxa gostosa e depois joguei Natacha em cima da cama
-Você quer que eu te machuque não é...? Foi você que pediu...- Eu disse, fiquei em cima dela e comecei a morder seu pescoço, passei pra sua barriga que estava "livre" dando mordidas, peguei sua coxa direita e comecei arranhar, coloquei minha boca na coxa dela e comecei a morder, puxei seu cabelo com força enquanto mordia cada parte do pescoço dela, era viciante
-Para...você...você tá me machucando.- Ela disse, não dei ouvidos, continuei o meu trabalho com o pescoço, eu queria dilacerar cada parte dela com os meus próprios dentes, eu não estava conseguindo parar, puxei a cintura dela e a coloquei em cima de mim
-Você não queria que eu te machucasse? Pois então...eu estou dando a você o que você queria.- Eu disse
-Eu tô...acho que bebi demais...- Ela disse e depois...apagou, nos meus braços, fala sério tinha que ser na melhor parte? Senti sua respiração no meu peito, os cabelos estavam grudados no rosto pelo suor, seu pescoço estava vermelho e roxo por conta dos chupoes, na sua coxa tinha uma marca rocha
-Você vai me matar quando acordar "diabinha"- Eu disse, peguei ela no colo e me levantei da cama, saí do quartinho, rapidamente a Mari veio até mim
-O que houve com ela?
-Ela desmaiou, vou levar ela pra casa, me passa o endereço.- Eu falei
-Eu vou com você.-
Confirmei com a cabeça e saímos da boate atraindo os olhares de alguns, entramos no carro e Mari me falou o endereço e então seguimos pra lá...quando Natacha acordasse não se lembraria de nada...isso era bom...mas então porque eu estava tão incomodado?


Notas Finais


Esse capítulo foi grande, kkk, espero que tenham gostado, beijocas e até a próxima 😍😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...