História I hate...love you - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Romance, Vanessa Hudgens
Exibições 54
Palavras 1.954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem povão, boa leitura😍😍

Capítulo 23 - Capítulo 22- Beijo


Fanfic / Fanfiction I hate...love you - Capítulo 23 - Capítulo 22- Beijo

(Natacha Caius)
Assim que acabamos de lanchar Mari e Sant foram ficar no Jardim ja eu preferi voltar pra sala, mas me arrependi no instante em que entrei, dei de cara com a cena do Jimin e a Meredith se pegando na sala, eu fiquei sem reação, um aperto surgiu no meu peito, mas respirei fundo e me recompus, 
-Ops...parece que a intrusa chegou- A "megerith" disse- Será que você não pode deixar ninguém em paz nem um minuto
-Claro...mas é claro que sim, vocês dois se merecem, se merecem tanto que eu vou até bater palmas.- Eu disse sorrindo irônica,mas no fundo eu queria socar aqueles dois, ergui a mão e dei duas palmas e então saí da sala, eu estava tão irritada com aquela cena, eu não sabia explicar, o que estava acontecendo comigo?
De repente Jimin apareceu na minha frente segurando meus ombros pra eu não continuar andando
-Opa, a onde você vai?- Ele perguntou
-Pra longe de você seria uma ótima idéia, agora tire essas mãos de mim já...
-Eu só...queria dizer que...aquilo que você viu na sala não foi nada, foi só um beijo...-
Dessa vez eu sorri sarcástica
-Você não precisa me explicar nada Jimin, não somos nada um do outro, não somos nem amigos...- Eu disse pausadamente
-Eu sei que não, não é como se eu devesse uma explicação a você, eu só quis deixar claro pra você você não sair "espalhando" por aí
-Não, eu não vou espalhar nada por aí, é exatamente o que você disse, você nao deve nada a mim, você sabe o que faz, pode beijar quem você quiser, eu não tenho nada a ver com isso, é como se eu beijasse um garoto e você quisesse tirar satisfação comigo, querer "explicações", não somos nada não é? - Eu perguntei, ele olhou pra mim meio confuso
-É, acho que sim...-
Eu ja falei que as vezes eu sou meio impulsiva? Pois então, o que aconteceu a seguir foi uma atitude impulsiva, o Andy passou no corredor do nosso lado e eu simplismente o beijei, ele ficou meio assustado mas depois se soltou, suas mãos pousaram em minha cintura, passei minhas mãos em volta dos cabelos dele, a língua dele invadiu a minha boca de um jeito intenso, senti ele pousar as mãos nas minhas coxas e eu deixei, aquilo estava bom demais, mas melhor que isso era a cara de tacho que o Jimin tinha, eu o observei de canto e vi a raiva no olhar dele, me afastei do Andy por causa da falta de ar,ele olhou pra mim como se eu fosse louca
-Porque fez isso?- Ele perguntou
-Porque eu estava com vontade, desculpe se você não gostou, posso melhorar da próxima vez
-Vai ter uma próxima vez?-
Eu sorri com as palavras dele, Jimin lançou um olhar maligno pro Andy, que deu um sorriso sem graça
-Bom, eu tenho que ir.- Ele disse e saiu dali, de repente a Mari e o Sant chegaram
-Estávamos te procurando Nat.- A Mari disse, eles olharam de mim pro Jimin sem entender nada
-Agora vocês acharam.- eu disse sorrindo, voltamos pra sala deixando o Jimin "plantado" no mesmo lugar.
Assim que nos sentamos no nosso lugar eu contei pra eles que tinha visto o Jimin beijando a "Megera" e eu que havia beijado o Andy, eles riram de mim
-Entao quer dizer que você beijou o Andy só pra provocar o Jimin...?-A Mari perguntou
-Não, é claro que não, EU só...- Antes que eu respondesse o professor entrou na sala acompanhados dos alunos e do Jimin
(Park Jimin)
Quando vi a Natacha beijando o Andy o ódio que eu sentia por ela aumentou, eu fiquei com vontade de socar o Andy mas não o fiz, ele não tinha culpa, eu apenas disse pra ele:
-Nunca mais. Nunca mais A beije, não quero machucar você e muito menos a ela.-
Ele me olhou confuso mas concordou e entao fomos pra sala, o professor já estava lá, me sentei no meu lugar e então o professor começou a falar:
-Hoje haverá uma palestra no auditório e todos os alunos irão comparecer, por favor saiam da sala com educação.-
Então nós saímos.
(Natacha Caius)
Depois do anúncio da palestra saímos da sala, estava uma confusão no corredor, esperamos perto da sala até o tumulto passar, olhei pro lado e vi barulhos de uma discussão
-Você não olha por onde anda seu idiota?- ouvi a voz de Jimin, ele estava brigando com um garoto "nerd" - Tinha que ser um quatro olhos mesmo
-D...desculpe, eu não te vi
-O problema é seu, a vontade que tenho é de socar essa sua cara...-
Antes que ele continuasse fui até ele, não podia deixar ele fazer isso com mais ninguém
-Você não viu que ele pediu desculpas? você é um grosso - Eu disse, me virei pro garoto nerd- Não se preocupe, eu cuido disso, ele sorriu grato e saiu dali as pressas
-Você é uma entrometida, o que você tem haver com isso?- Ele perguntou furioso
-Você é um folgado metido e nojento, não pode tratar as pessoas assim
-Eu ja disse que eu posso fazer o que eu quiser e eu vou te provar...- Ele pegou o meu braço e virou o corredor
-Me solta agora, pra onde você está me levando? - Eu perguntei irritada, ele apertou meu braço com mais força e nos distânciamos do tumulto, ele não disse nada apenas me jogou dentro de uma sala de aula "abandonada" , tinha várias carteiras espalhadas la dentro, ele trancou a porta atrás de si
-Você é a pessoa mais repugnante que eu já vi, você é baixo, você é hipócrita, abra essa porta agora.- Eu ordenei
-Não, você pode falar o que quiser mas vai me ouvir: você é entrometida, nojenta, chata...
-Não, agora VOCÊ VAI ME OUVIR: você tem que ter respeito, tem que tratar bem as pessoas, não sei como suas fãs conseguem aturar você, você não tem escrúpulos, você é...mal, e eu odeio você por isso
-Mas mesmo com esses defeitos você quis transar comigo no dia da festa não é? - Ele perguntou sarcástico- Não é sua...vadia pobre- Meu sangue ferveu com aquilo, sem pensar dei um tapa na cara dele, senti minha mão doer com o estalo, ele olhou pra mim com ódio, se aproximou feroz e levantou a mao pra mim por um instante achei que ele fosse me bater, não recuei
-Você vai me bater seu covarde? Então bate e mostra o que você é de verdade
-Não, eu não vou te bater.- Ele disse
-O que você vai fazer então?
-O que eu devia ter feito a muito tempo.- Ele me puxou pela cintura pra mais perto dele
-Tira a mão de mim, Jimin, agora.-
-Não, eu vou mostrar pra você que você é MINHA.-
Antes de pedir permissão ele começou a beijar meu pescoço, senti seus lábios quentes ali, ele começou a dar leves mordidas, eu me arrepiei por inteira
-Me solta- Eu gritei, o empurrando com as mãos, em vão, pois ele era mais forte que eu
-Não, eu quero VOCÊ Natacha.- Ele disse começando a puxar minha cintura mais forte, ele beijou meu pescoço por inteiro e eu...acho que gostei...Não, não gostei... Inevitavelmente coloquei as mãos no pescoço dele e comecei a puxar seu cabelo tentando faze-lo me soltar, mais uma vez em vão
-Não vai funcionar Natacha, não vai - Ele disse, ele tirou a atenção do pescoço e olhou pra minha boca - Como eu quero te beijar, como eu quero.- E então ele "colou" os lábios dele nos meus, eu tentei não mexer os lábios, deixei eles parados; mas a boca de Jimin se movia urgente sobre a minha, chegava a doer, senti seu hálito de eucalipto, ainda assim não abri a boca
-VOCÊ VAI ME BEIJAR,VOCÊ VAI - Ele disse forçando a movimentação de sua boca, ele colocou as maos nos meus cabelos e os puxou muito forte, infeliz...tinha doido, sem pensar abri a boca pra gritar de dor e foi tudo que ele precisou pra encaixar sua língua na minha boca, eu tentei fechar a boca mas ja era tarde, sem querer me entreguei ao beijo, senti sua língua invadir minha boca com urgência, era quente e macia, acariciei seu pescoço enquanto ele apertava minha cintura, os lábios dele se moviam urgentemente sobre os meus, e o pior é que eu estava gostando, a falta de ar chegou e nos separamos
-V...Você...É...louco- Eu disse ofegante, ele me olhou sarcástico
-E você é difícil, mas sua boca é deliciosa...agora cala ela e me beija...-
Ele disse
-Não...já chega
-Só chega quando eu achar que chega.-
Ele me puxou de novo pela cintura e me beijou, não consegui resistir, ele pediu passagem com a língua e eu dei, passei a mão no pescoço dele e acariciei seu cabelo, ele me prendeu contra a parede e com uma das mãos puxou os meus cabelos, era insano mas eu estava gostando, senti ele aprofundar o beijo enquanto acariciava minha cintura, ele começou a beijar meu pescoço e eu acariciei o seus cabelos, como eram cheirosos
-I-isso...é...insano...melhor pararmos...eu te odeio você me odeia- Eu disse ofegante, ele olhou pra mim como se fosse óbvio
-Se insano, nesse momento, significa uma coisa deliciosa e gostosa, sim ,é insano, e eu te odiar não significa que eu odeie o seu corpo, sua boca.- Ele disse me beijando de novo, eu não consegui resistir, ele invadiu a minha boca e nossas línguas travaram uma batalha que não tinha perdedores só vencedores, senti suas mãos pousarem nas minhas coxas, isso já era demais, tirei as mãos dele dali mas ele ignorou, agarrou minhas coxas e as arranhou, ele me ergueu e fez com que eu (inevitavelmente) prendesse minhas pernas na cintura dele, ele me proporcionava sensações incríveis, ele me deitou na mesa dos professores e ficou sobre mim começando a me beijar, senti suas mãos puxarem minhas coxas pra mais perto e arranha-las, comecei a me remexer em baixo dele pois a mesa estava dura e desconfortável e então eu senti a ereção dele na altura da minha barriga, inevitavelmente eu ruborizei, ele parou de me beijar e me olhou
-Você não devia ser tão mal assim...- Ele disse quase em um gemido
-Eu não fiz nada.- Falei
-Fez...Fez sim
-Você...está excitado?- Eu perguntei com uma certa vergonha
-Sim, eu estou excitado, muito excitado, eu transaria com você agora se você deixasse
-É por isso que eu acho melhor pararmos com isso.- dei um leve empurrão nele e saí de cima da mesa, ajeitei meu uniforme pois estava amarrotado, ele se sentou na mesa com as pernas abertas (devo adimitir que o volume estava grande)
-Você é louco...Não devia ter feito isso...- Eu disse
-Vai falar que não gostou?- Ele perguntou- Por que eu gostei, muito, faria de novo
-Isso foi um erro, nós nos odiamos, e pessoas que se odeiam não fazem esse tipo de coisa
-Te odiar não significa que eu não te ache gostosa...deliciosa...sexy de um jeito inocente e...
-Para, para com isso, esse...episódio não vai se repetir nunca mais...isso não muda nada do que eu sinto por você, ou seja: ódio-
Ele olhou pra mim com um sorriso irônico no rosto
-E você acha que muda alguma coisa do que EU sinto por você, eu só queria sentir o seu gosto e agora que eu já senti tudo volta ao normal- Ele disse
-É por isso que você é nojento e sujo e é por isso que eu odeio VOCÊ - Eu disse cuspindo as palavras na cara dele, fui até a porta e a destranquei, sai da sala enfurecida com aqueles beijos.


Notas Finais


Uau galera, esse capítulo foi bom, (e grande) 😏😏 haha, espero que tenham gostado, tentarei postar mais uns dois hj, beijocas e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...