História I Have a Demon With Me - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Demonios, Drama, Romance, Yaoi
Exibições 35
Palavras 1.777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Obrigado de novo por lerem a história, isso me deixa completamente feliz. E não se esqueçam, segunda, quarta e sexta tem capítulo novo. E de novo, muito obrigada, eu amo vocês! <3
~Mãe Fujoshi avista~

Capítulo 8 - Todos Querem Vê-lo Morto


Era madrugada, acho que eram duas da manhã, eu acordei com sede e então eu fui beber água, meu quarto é distante do quarto do Yui-kun, então não dava para ouvir nada o que acontecia no quarto dele. Eu passei pelo seu quarto e quando fui botar meus pés na escada eu retornei e fui ver se Yui-kun já tinha dormido. Eu abri a porta devagar, ela estava entre aberta, eu só coloquei minha cabeça na porta e o vi. Ele estava dormindo de barriga para baixo, encima do peitoral do Mistuki, ele parecia bastante confortável e vi que aquele colchão que está no chão é inútil, Mistuki e Yui-kun dormem juntos, é inútil demais colocar um colchão no chão sem ninguém para dormir nele. Eu fechei a porta devagar e me senti um pouco aliviada, Mistuki não parece ser uma ameaça, se ele fosse nos matar já teria nos matado a muito tempo, então não há motivos para denuncia-lo. Alias, Yui-kun parece gostar bastante dele, e ele ficaria triste se eu o tirasse do Mistuki. Mas, bem que seja...

Eu fui para a cozinha, estava tudo escuro, eu peguei uma garrafa de água guardada e bebi. Então comecei a pensar em várias coisas, e de como a minha vida vai indo, e essas coisas. Enquanto ia para o meu quarto eu olha fixamente para o quarto do Yui-kun e eu não sentia uma vibração boa toda vez que passo por ela, parece que a aura do quarto é pesada, é como se eu estivesse presenciando um assassinato, só que sem sangue e sem cadáver. Eu não estou sendo pé no chão, acho que estou assistindo filme demais e também acho que noticiário me fez ficar paranoica. Eu voltei para o meu quarto e fiquei pensando se eu não sou protetora demais, ou boazinha demais, mas esse é o dever de uma mãe, não? Se preocupar com o filho e tentar protege-lo, esse é o dever de uma mãe, não? Mas eu acho que eu exagero. Mistuki não parece ser uma má influencia para Yui-kun, mas as noticias dizem que é um assassino louco, que mata todos que veem pela frente. Eu acho melhor eu nem me preocupar com isso, Mistuki não parece ser alguém malvado, e ele faz o Yui-kun feliz, então eu não devo me preocupar.

- Será que eles já fizeram sexo? - Eu me pergunto olhando para o teto. - O que que eu to falando? Yui-kun é inocente... - Eu falo colocando as mãos nos olhos tentando não pensar nisso, mas logo vou mudando de ideia. - Yui-kun é inocente?

                                                                                                                       X

- Mistuki, acorda, você não pode dormir a vida inteira. - Eu falo sentado na cama olhando o rosto do Mistuki dormindo. - Ei! Acorda! - Eu fico irritado e empurro ele com força.

- Yuimura... Você é tão infeliz assim?... - Ele fala sonolento coçando o olho esquerdo.

- Você não pode dormir a vida inteira, se você continuar dormindo assim, você vai perder momentos da sua vida. - Eu falo evitando contado visual e colocando a minha blusa escolar.

- Tudo bem, eu vou levantar... - Ele fala, mas ele se senta na cama e começa e me olhar. -... Mas só se você me der um beijo de bom dia. 

- Sério isso? - Eu falo e ele concorda com a cabeça, então eu fico com vergonha e dou um beijo rápido e depois viro a cara.
Mistuki se levanta e me da o casaco que eu uso para ir à escola. Eu continuo sentado na cama, então ele começa a tirar a blusa e eu não conseguia tirar os olhos, ele percebe e fala:

- Por que seu nariz está sangrando? - Ele fala friamente, como sempre, enquanto estava com a blusa nas mãos.
- Sangrando? - Eu falo sem entender nada, mas depois eu percebo que eu estava tendo um sangramento nasal e fico envergonhado e limpo bem rápido.

- Me responda. - Ele fala chegando perto do meu rosto, e ele sem mostrar nenhuma expressão, e me deixando muito vermelho. 

-... É porque... Não é nada!... - Eu falo gaguejando e totalmente vermelho, desviando o olhar.

Ele se afasta (Ele não sabe o significado de sangramento nasal?) e eu tento me fazer de durão dizendo que não era nada demais, como ele não sabe o que é sangramento nasal eu invento uma desculpa falando que é fome e então ele revida:

- Você ficou com fome olhando para mim? - Ele fala me olhando e eu de costas para ele, isso me pegou de jeito, eu fiquei sem resposta, e então eu me encolhi.

-... Eu acho que já vou indo... - Eu falo gaguejando e indo em direção a porta - Então, tchau!... - Eu ia colocar a mão na maçaneta, mas um braço passou do meu lado não deixando eu abrir a porta, então olho para trás e Mistuki estava me impedindo.

- Eu também estou com fome, Yuimura. - Ele fala me olhando nos olhos e então morde a minha orelha, e eu fico com vergonha.

- ... Mistuki... Eu tenho escola hoje, eu vou me atrasar... - Eu falo tentando afasta-lo.

- Eu vou deixar uma marca em você, para todo mundo saber que você me pertence. - Ele fala mordendo  abaixo do meu pescoço, deixando uma marca bastante visível, e então me solta.

Eu sai do quarto, ele trocou de roupa e então ficou deitado na minha cama, então eu vou para a sala onde minha mãe está.

- Yui-kun, Mistuki não vai com você? - Ela fala com uma torrada na boca sentada no sofá, olhando para mim.

- Ah, o Mistuki está um pouco doente, então ele não vai. - Eu falo com um sorriso falso e tento engana-la, e eu ainda não sei por quanto tempo eu vou conseguir continuar mentindo para ela.

- E essa mordida ai? Foi o Mistuki que fez? - Ela fala dando um sorriso de lado malicioso com os olhos entre abertos, olhando para mim, isso soava pervertido.

- ... É... - Eu fico sem resposta e tento esconder com a minha roupa.

- Yui-kun, vocês fazem um casal tão bonito. - Ela fala com um sorriso "fofo" e fazendo um coração com as mãos.

- NÃO SOMOS UM CASAL! - Eu grito com vergonha, e mesmo assim ela continua me olhando com aquele olhar de pensamentos maliciosos. - Eu já vou indo, até mais.

- Até mais, Mismura. - Ela fala sorrindo, ela parecia feliz, ela parecia uma criança também. 

- O que é "Mismura"? - Eu falo para ela enquanto eu coloco a mão na maçaneta. 

- Mistura de Mistuki com Yuimura, é um nome perfeito, eu apoio vocês dois juntos para sempre. - Ela fala parecendo aquelas garotas maniacas que adoram ver dois garotos se beijando, mas desde que ela se sinta feliz, eu deixo ela me chamar assim.

Eu no caminho da escola eu me encontro com Teitsuo-san e começamos a conversar, ele foi me acompanhando e então ele comentou sobre a mordida, eu tentei esconder e ele riu um pouco de mim. Fomos conversando por um tempo até chegarmos na escola. As aulas foram um tédio, mas deu para entender (um  pouco, mas deu pra entender), eu fiquei bastante tempo no banheiro tentando sumir com a marca de mordida, mas ela não saía e eu ficava pensando, Mistuki, quando eu estiver em casa você vai se ver comigo, mas na verdade, eu não ia fazer nada, pois ele é mil vezes mais forte do que eu e se formos lutar eu vou perder. Isso me irrita, mas que seja. Só não quero que a minha mãe fique me chamando de "Mismura", isso me incomoda, mas mesmo se eu falasse que me incomoda, ela não ia parar, ela ia fazer mais ainda. O que foi que eu fiz para merecer isso? 

                                                                                                                       XX

- Moyame Tsuka. - Meu nome é chamado pelo meu pai, sentado em uma cadeira de costas para mim.

- Sim, papai. - Eu falo me reverenciando para ele, e pondo meu cabelo atrás da minha orelha.

- Você já se comunicou com o Teitsuo Amaishi hoje? - Ele fala normalmente, sem demonstrar nenhum tipo de emoção ou reação.

- Sim, ele disse que Akihirame Yuimura está bem, mas disse que ele está aparecendo com mordidas no seu corpo. - Eu falo normalmente, igual o meu pai.

- Mordidas? Ele tem um cachorro? - Ele pergunta.

- Não, Teitsuo-san falou que ele não tem nenhum tipo de animal em sua casa. Eu perguntei isso também, e ele continua falando que não tem nenhum animal.

- Ele tem namorada? - Ele pergunta acendendo um cigarro.

- Não também. Ele está solteiro. E uma informação extra, ele tem ido a loja de roupas comprar roupas grandes. - Eu falo lendo um e-mail no celular.

- E o que isso tem a ver? - Ele fala fumando.

- Yuimura é pequeno, e usa P para adulto, mas ele estava comprando um tamanho equivalente a uma pessoa de 1,75, uma pessoa alta e magra. Que é muito suspeito, pois a mãe dele não usa roupas masculinas e tem 1,70.

- Você acha que isso tem relação ao Mistuki? - Ele fala virando a cadeira para minha frente e me olhando com um cigarro na boca.

- Na ficha do hospício onde Mistuki estava, ele não tomava seus remédios e mordia as pessoas que davam o remédio para ele, e ele tem 1,75 de altura. O que nos resta é a prova mais assumidora é que, tem um vídeo onde se encontra Yuimura entrando em uma casa abandonada perto das redondezas, e logo depois Mistuki quebra as câmeras logo depois de entrar na casa, depois disso não há mais provas. - Eu falo mostrando o vídeo da câmera de segurança e ele dá um sorriso.

- Essa é a minha garota. Inteligente e útil. - Ele se levanta e passa a mão em meus cabelos, com um sorriso no rosto e um cigarro na mão. - Mantenha contato com Teitsuo, ele pode proteger o Yuimura desse demônio assassino. Você irá para Tokyo, quando as coisas ficarem sérias, por enquanto confie no Teitsuo, Tsuka.

- Ok, papai. - Eu concordo - Com licença. - Eu me retiro da sala e vou para o meu quarto.
Quando eu chegar a Tokyo, Mistuki estará morto, mas antes disso, preciso ter certeza de que meu irmão estará a salvo, deixo isso nas mãos de Teitsuo, e o Mistuki está nas minhas mãos, ele merece morrer, como todos os demônios. De lá, ele não sai vivo.
 


Notas Finais


Muito obrigado por ler <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...