História I Intend To Be Your Last Love - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Camille O'Connell, Carol Lockwood, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Davina Claire, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Elizabeth "Liz" Forbes, Enzo, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Genevieve, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Jeremy Gilbert, Joshua "Josh" Rosza, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Matt Donovan, Mikael Mikaelson, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Klaroline
Exibições 102
Palavras 1.790
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Famí­lia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hiiii!

Capítulo 6 - We are alone


Fanfic / Fanfiction I Intend To Be Your Last Love - Capítulo 6 - We are alone

POV’S Klaus

- Você enlouqueceu Rebekah?!

- Não Nik, eu apenas fiz o que precisava fazer - Rebekah disse. Suspirei alto e tentei me acalmar.

- Não entende Rebekah? Eu não quero envolver Caroline nisso! - eu disse a ela.

- Eu entendo Nik, mas eu não poderia deixar vocês sozinhos! Nós somos uma família, e eu não poderia deixar vocês. Falei com ela agora a pouco, ela está fazendo um feitiço para encobrir sua localização.

- Não posso deixar as duas sozinhas, mandarei Kol a Londres agora mesmo.

POV’S Caroline

“ - Diga Ric, eu sou uma péssima mãe. ”

“ - Você não é uma péssima pessoa Caroline! Está apenas ajudando outras pessoas que não sejam suas filhas.”

“ - Eu as abandonei sem mais nem menos! ”

“ - Você não as abandonou.”

“ - Pare de mentir!”

“ - Não estou mentindo! Você ama o Klaus e está fazendo isso por ele.”

“ - Eu não o amo.”

“ - Não mesmo?”

“ - …”

“ - Viu? Relaxe e me mande mensagem qualquer coisa.”

“ - Okay, dê um beijo nas meninas por mim”

“ - Tchau.”

Encerrei a chamada e guardei meu celular em meu bolso, estava observando Hope dormir quando ouço batidas na porta, estranho e ando até a porta, abro a porta e vejo Kol.

- Kol? - eu perguntei não acreditando, ele logo entrou no apartamento.

- Olá cunhadinha.

- O que está fazendo aqui? - eu disse cruzando os braços.

- Nik me mandou vir ficar de olho em você - ele disse, o observo sentar no sofá e colocar os pés na mesa de centro.

- Pois diga ao Klaus que eu não preciso de babá - eu disse, me sentei ao lado de Kol ainda com os braços cruzados.

- Relaxe Car, com certeza arrumaremos alguma coisa bem interessante para fazermos - Kol disse apertando minha coxa. Revirei os olhos e bati em sua mão.

- Tire suas mãos de mim - me levantei para ver se Hope ainda estava dormindo, mas sinto Kol me prensar na parede.

- Não era isso que eu escutei da última vez cunhadinha, na verdade era ao contrário, você implorando para eu tocar você - tentei me soltar dos braços de Kol mas ele era muito mais forte que eu.

- Pare Kol. Aquilo aconteceu uma única vez, eu estava com a humanidade desligada.

- Eu sei,  mas adoro te deixar com raiva - disse Kol passando os dedos pela minha bochecha.

- Da pra me soltar agora? - eu perguntou e Kol, tira suas mãos da minha cintura.

- O Nik ama você, sabia? - Kol disse.

- Se me amasse não teria dito todas aquelas coisas pra mim.

- É do meu irmão que estamos falando Caroline, esse é o jeito dele demonstrar que ama as pessoas - Kol disse e abaixei minha cabeça. - Estou com sede, vou procurar alguma presa - Kol fez um sorriso malicioso e saiu.

Saí da sala em direção ao quarto de Hope, ela ainda dormia, passei o polegar sobre a bochecha dele e senti o cheiro de sangue… Kol.

Com minha audição consegui ouvir algumas vozes no corredor. “ Deixem a garota e o bebê vivos, é a maior vantagem que temos contra Klaus” logo após isso ouvi a porta ser arrombada, peguei Hope no colo e sai em velocidade sobrenatural.

POV’S Geral

Quatorze lobisomens e seis bruxas adentraram no apartamento procurando as coisas mais valiosas para os Mikaelson. Se dividiram e saíram procurando as duas. Enquanto isso Caroline estava no parapeuto com Hope no colo tentando fazer o mínimo barulho possível, ela sabia o que teria que fazer, eles não podiam voltar a New Orleans contando onde ela estava, Caroline fechou os olhos e respirou, certificou que não havia ninguém no quarto e colocou Hope delicadamente na cama, tentando fazer o mínimo barulho possível. Respirou mais uma vez e saiu de seu esconderijo encontrando um lobisomem distraído pelo caminho e logo quebrando seu pescoço.

Caroline foi até a sala e encarou todos os lobisomens e bruxas.

- Procurando por mim? - logo os lobisomens partiram para cima, mas Caroline recitava algum feitiço que logo os lobisomens se agacharam no chão se retorcendo de dor, as bruxas logo intervieram e pararam o feitiço de Caroline, fazendo os lobisomens se recomporem.

- Peguem - na - disse uma das bruxas. Logo as veias dos olhos de Caroline ficaram vermelhas e ela mordia e quebrava pescoços o máximo que podia, um lobisomem a atacava por trás e ela nem percebia, estava muito ocupada drenando o sangue de uma das seis bruxas, logo Caroline viu todos os lobisomens, alguns mortos, e outros de contorcendo de dor, e logo a sua frente a única bruxa que havia ficado em pé, Caroline a prensou na parede pelo pescoço e segurou as mãos da bruxa, percebo seu colar com um nome, “Davina”, logo me vem uma lembrança.

Flashback ON

- Não sou um cara de namoro, mas admito que acabei me apaixonando por uma bruxa uma vez, seu nome era Davina. Mas acabou que ela não quis nada comigo.

- Eu já sei uma coisa sobre ela, não sabe aproveitar o que tem - Caroline disse passando a mãos sobre a coxa de Kol.

- E você sabe aproveitar muito bem não é cunhadinha? - Kol disse e logo a puxou para um beijo que ela na mesma hora retribuiu.

Flashback OFF

Caroline soltou a garota a fazendo cair no chão tossindo.

- Davina - Caroline disse.

- Como sabe quem eu sou? Por que não me matou? - Davina perguntava Caroline abaixou a altura dela e disse:

- Kol - eu disse.

- Caroline? - Kol disse entrando no apartamento. - Davina! - Kol foi até ela e se abaixou. - O que aconteceu? - Kol perguntou a mim.

- Me atacaram. Apenas ouvi dizerem para pegar mim e Hope… HOPE! - corri até o quarto e a encontrei chorando, a peguei no colo e a balancei em meus braços até ela acalmar. Logo ela caiu em um sono profundo e eu voltei a sala.

- Teve sorte de estar com esse colar, ou teria te matado - eu disse a Davina, Kol estava sentado com ela no sofá, ela estava com uma bolsa de gelo na cabeça onde saia um pouco de sangue.

- Você não entende não é Davina? Se fosse meu irmãos teria te matado, ficar contra os Mikaelson é uma coisa suicida.

- É verdade, aceite o conselho de quem ficou anos tentando matar eles - Hope caiu no sono e logo a coloquei na cama para dormir. Ah, queria ser ela, dormir e dormir.

- Então Kol, o que faço com esses vivos? - disse empurrando um lobisomem para passar.

- Vamos embora - ele disse, foi até o único lobisomem vivo e quebrou seu pescoço. Confiar em você Davina, foi o maior erro que eu cometi na minha vida. - Kol disse peguei Hope de novo e sai do prédio com Kol.

- Para onde vamos? - eu perguntei a Kol.

- A nossa antiga casa aqui, vem. - Kol disse e o segui.

[...]

- Vá dormir, deve estar cansada, eu olho a Hope - Kol disse, estávamos na antiga casa deles um pouco afastada da cidade.  

- Você está bem? - eu perguntei sentando na bancada.

- Por que não estaria?

- Davina. Vi como olha pra ela, está apaixonado - eu disse com um sorriso no rosto.

- Não estou apaixonado por ela, está vendo coisas - Kol disse e eu ri.

- Você e Klaus são completamente iguais, orgulhosos demais para admitirem o que sentem.

- Ah então você é especialista em relacionamentos?

- Querido, isso é o que eu mais sou, mas qualquer um percebe isso em você e a Davina.

- Ah mas e você e o Nik? Ele é apaixonado por você e vejo que você também é - Kol disse e eu revirei os olhos.

- Não estamos falando de mim e Klaus, e sim, de você e Davina. Eu sei que a Davina é o inimigo e tal, mas, às vezes Kol, nós temos que parar de escutar as pessoas falando com quem elas querem que nós ficamos e as que elas não querem que nós ficamos, às vezes, temos que ouvir o nosso coração e mais nada. Klaus matou a mãe do meu ex namorado, matou a tia da minha melhor amiga, e mesmo assim eu estou aqui. Sim, eu transei com o inimigo, eu larguei minhas filhas e vim fugir com a do Klaus. Por quê? Porque a vida é minha, se são meus amigos vão entender isso, essa é a melhor prova de amizade que se pode fazer, e eu tenho certeza que ainda mais sua família vai entender isso. Meu Deus, eu preciso de uma bebida. Será que Klaus ficaria zangado se nós levarmos Hope para um bar? - eu disse e Kol riu.

- Por tudo que você já fez, nada vai deixar ele zangado.

- Então o que estamos esperando? - eu disse e fui pegar Hope no quarto.

[...]

POV’S Kol

Fui até um bar com Caroline e apenas ela estava bebendo, às vezes ela me fazia beber as vezes, mas eu tinha que ficar tomando conta da Hope, afinal, Caroline merecia um descanso. Mas o que não estava dando certo que ela já havia bebendo demais e jogando cantadas pra mim o tempo todo e me provocando, eu já estava perdendo o controle.

- Então Kol, como eu conheço o seu irmão, tenho certeza que ele arrumou uma vadia para me substituir, então, diz o nome dela.

- Ahhh, ele já havia ficado com uma bruxa chamada Genevieve, mas não passou de uma tranza, aí despois que vocês brigaram… ele voltou a ficar com ela

- E como ela era?

- Ruiva…

- Ah! Ruiva são sempre vadias.

- Relaxa, ela foi só um brinquedinho do Nik, ela não tem nada que você não tenha - eu disse a ela, e ela colocou um sorriso no rosto.

- Obrigada. Acho melhor nós irmos embora - ela disse e eu fiz sim com a cabeça, ela pegou Hope na cadeirinha que ainda continuava dormindo e saímos do bar.

Estávamos andando pelas ruas de Londres calmamente, o bar era próximo a casa. Senti meu celular vibrar em meu bolso e logo o atendi.

“ - Kol, saiam imediatamente de Londres. “

“ - O que? Bekah? “

“ - Saiam imediatamente de Londres, os vampiros de New Orleans viraram contra nós, estão indo atrás da Hope, venham imediatamente para cá, a guerra está começando… e estamos sozinhos.


Notas Finais


Não me matem please... na verdade... vão querer me matar nós próximos caps, mas não abandonem a fic please.

Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...