História I Just Need You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Lemon, Sookai, Sulay, Surubexo (sqn), Taoris, Xiuchen
Exibições 30
Palavras 1.493
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Então, chegay eu, a maluca. a doida. a própria.

Eu não vou fazer muitas notinhas por que sempre acho que ninguém vai ler a historia, e quem for ler não vai ficar vendo meus xiliques :c Mas é isso

Boa Leitura *-*

Capítulo 1 - Um Orelhudo Nada Amigável... Mas Muito Bonito!


Fanfic / Fanfiction I Just Need You - Capítulo 1 - Um Orelhudo Nada Amigável... Mas Muito Bonito!

O silêncio era perceptível e chegava a ser insuportável para certas pessoas naquela manhã de céu nublado. Porém, por mais que muitos se incomodassem com a falta parcial ou total do som, aquele estava sendo o momento perfeito para Park Chanyeol, que dormia profundamente entre seus lençóis acinzentados e grossos.

Se assustou com alguém gritando seu nome, enquanto uma música começava a tocar do que parecia ser um urso de pelúcia, o fazendo de levantar rapidamente no mesmo segundo, um tanto atordoado.

-Ah, Sehun! O que foi? Por que me acordou desse jeito? - Dito isso, o mais velho piscou diversas vezes seus olhos rasgados, tentando mantê-los abertos a muito custo.

-A Madre HyungSon pediu para eu vir acordar você, por que, além de já está tarde, chegou um garoto de outro orfanato para a nossa classe e você sabe que temos que recebê-lo com a-

-Melhor educação que nos é aplicada no orfanato. Eu já sei, ela repetiu mais isso do que garotos novos chegar aqui. -Chanyeol suspirou cansado ao se lembrar de tudo que ouvira quando os ensinavam sobre bons modos. Teria que ser educado, senão sofreria uma severa punição, e não estava disposto a trabalhar mais só por querer alimentar seu sono agora.

- Então vamos Chan, anime-se! O máximo que poderá acontecer é você fazer uma amizade nova. Por favor! O Hannie sumiu e você é o único que pode ir comigo! -Se rendeu aos inúmeros empurrões de seu melhor amigo, mandando o mesmo o esperar do lado de fora, pois já sairia.

Lentamente se dirigiu até o banheiro do quarto, ao qual não estava acostumado a entrar sem antes ter que discutir com Kyungsoo ou Sehun -- Algumas vezes, os dois ao mesmo tempo -- tirando a sorte no palitinho, ou fazendo par ou ímpar. Talvez acordar tarde não fosse tão ruim.

Começou a escovar os dentes enquanto tomava banho, mania um pouco estranha sua. Não que quisesse "adiantar o lado" e sair daki o mais rápido possível, esse só era um modo de escovar seus dentes sem precisar olhar para a grande cicatriz exposta em seu rosto a frente do espelho.

"Mas ... Não entra água na sua boca?"

Sorrio de canto ao lembrar da frase de Kyungsoo quando este entrara no banheiro sem querer, acabando por observar o estranho hábito de seu Hyung. Por mais que quisesse rir pela pergunta extremamente infantil de Soo, Chanyeol atirou o sabonete no garoto pois ainda era uma afronta o fato de que ele adentrou o banheiro sem avisar.

Park reconhecia que tinha uma personalidade fria. Ele havia crescido com um sentimento de amargura após descobri o trágico fim de seus pais, que morreram em um incêndio quando tinha três anos de idade, e começou a tratar aquela cicatriz que "ganhara" naquele dia como o traço do abandono de seus progenitores. Para Park, eles haviam morrido por vontade própria.

Ele não gostava quando falavam sobre sua grande cicatriz, este era literalmente seu maior ponto fraco. Mesmo que existissem outros vários, ele seris capaz de deixar que se acabassem inúmeros anos de amizade por conta daquela mancha do lado direito de seu rosto. Todos deveriam tratá-los como se seu rosto fosse perfeito.

Quando finalmente terminou sua higiene matinal, ele saiu do banheiro indo em direção ao guarda-roupas do quarto, abrindo a parte que fora denominada sua por conta de suas iniciais, Pcy, em cima das portas. Já bem vestido com os formais fardamentos do orfanato, Park saiu do quarto e o fechou, indo até o pátio principal a procura de Sehun, que não o estava esperando como prometido.

A 'sua' classe estava toda arrumada em fileira, sobrando apenas o seu lugar ao lado de Kyungsoo, quase ou praticamente por último. A fila se tornou mais estreita no momento em que fizeram uma pequena reverência e a medida em que seus nomes eram ditos, cada um dos jovens dava um passo a frente, para reforçar sua identidade.

-Zang Yixing. Do Kyungsoo. Park Chanyeol...

O garoto de cabelos pretos ainda encaravam fixamente o menor, de nome Byun Baekhyun, que parecia o analisar com cuidado e extrema atenção.

- Chanyeol...?

Byun levantou sua mão com vagareza, elevando-a até seu rosto e tocando sem precedentes, vendo que Park arregalou os olhos, ainda pressionados por culpa do sono, dando alguns passos para trás. Foi ai que o pequeno percebeu o que havia feito, entendendo então que aquela cicatriz não era algo positivo para o outro.

O mais alto saiu rapidamente daquele lugar, partindo para o seu quarto se sequer olhar para trás. Se sentia mal por ter conhecido o garoto a tão pouco tempo e este já ter reparado em sua cicatriz, estava pensando que Byun não havia gostado dela e que provavelmente estava o achando ridículo por aquela grande queimadura.

- Me perdoe por ele Byun, eu... Eu irei ver o que houve. -A senhora se preparava para sair dali e ir diretamente para o quarto do jovem desobediente, porém foi impedida por Sehun.

- Eu vou... - Ele disse sério, o que não era algo normal para si.

-Mas Sehun-

- Eu vou. Ele é meu melhor amigo e eu o entendo bem... Não se preocupe Madre, eu me resolvo com ele. -Depois de segundo de recusa, ela assentiu com um suspiro, vendo o garoto mais alto afastar-se.

Sehun, ao aproximar-se do quarto que dividia com Park e Do, respirou fundo ao conseguir ouvir alguns gritos vindos do comodo, junto ao barulho de objetos indo ao chão, engoliu a seco.

"Se for meu presente para o Luhan, eu te mato Park Chanyeol!"

-Chan?

Ele se aproximou do garoto jogado próximo a sua cama, vendo seu corpo elevar-se por causa do soluço, enquanto portava uma pequena faca nas mãos.

-Me dá isso... - Tomou a faca do garoto e o deitou sobre seu peito, afagando seus fios vermelhos cacheados.

- Ele reparou na minha cicatriz... Você viu? Ele..! Ele devia ter nojo dela! Ele não deve querer se aproximar de mim! Você disse que eu faria um novo amigo, mas nem isso essa droga me deixa fazer!

-Sshh... Calma grandão. Vai ficar tudo bem, o Baekhyun não fez por mal! - Deixou selares por toda a cabeça de Park, bagunçando seus cachinhos e voltando a abraça-lo fortemente, sorrindo aliviado por ver a pequena embalagem de enfeite rosa, a qual entregaria para seu namorado.

- Ele deve ter nojo de mim... Mas eu não me importo com a opinião dele! Ele só é mais uma pessoa significante que me odeia.

-Ninguém te odeia, cala a boca. Você é um anjo e merece um beijo! Mas você sabe como o Luhan é, nem que fosse de brincadeira ele deixaria. - Os dois riram, porém Chanyeol foi o que riu mais baixo.

-Deixe de ser esse orelhudo chato e pare de se importar com a opinião dos outros. Você parece forte, mas basta alguém notar sua cicatriz e você chora feito um bebê. Você tem que saber que é mais do que isso  e nós, que somos seus amigos, não te amamos por que você é bonito ou por que você é grande o suficiente para pegar um pote de biscoitos, mas sim por que você é um ótimo amigo, é cuidadoso, amoroso, paciente, inteligente. Você é maravilhoso PanPan! - Ele apertou ainda mais o corpo de Park e o deu uma mordida no pescoço deste, o vendo querer se soltar de seus braços.

-Me larga Hunnie! Sai daqui, sai! Me solta! Aish! - Ele desistiu e relaxou seu corpo, se sentando corretamente quando ouviu a porta ser aberta.

- Chanyeol, eu tenho alguém aqui, que irá dividir quarto com vocês.

Ele se virou e levantou-se para encarar a porta ao lado de Sehun. A Madre estava atrás de Byun, o empurrando um pouco para frente, este estava com a cabeça baixa.

- Ele vai trocar de lugar com o Kyungsoo. Do passará a dormir do quarto de Junmyeon, e Baek dormirá aqui.

-E por que ele não pode ir para o quarto do Suho? Eu não quero ele aqui.- Sehun levantou o rosto e encarou seu amigo incrédulo, vendo que a Madre teve a mesma reação.

- Chanyeol por favor, não desobedeça ordens minhas. Ele vai dormir aqui até que eu decida o contrário. Entre Baek, aquela é a sua cama. -Ela apontou para a antiga cama de Kyungsoo e Byun adentrou o quarto um tanto tímido, colocando sua mochila em cima da cama. Assim que a Madre saiu ele se virou.

-Desde agora... Saiba que eu não quero você aqui. -Chanyeol disse sem olhá-lo diretamente, seguindo para fora do quarto.

-Eu comecei tão mal assim?

-Não liga tanto. Se você for uma pessoa boa ele vai reconhecer alguma hora. O Chanyeol é meio rude a primeira impressão, mas já já ele muda. -Oh deixou um sorriso amigável tomar seus lábios e foi atrás do Park, passando antes -- É claro -- No quarto de seu namorado.


Notas Finais


Obrigado por ter chegado até aqui ;3;

Criticas? Elogios? Pedras? Bolo? Não tenham medo de me mandar, eu só mordo se pedir u.u

Até o próximo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...