História I Just Want It Simple - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 12
Palavras 1.440
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oiiiie, mais uma fic. Preciso parar com isso ;-; sinceramente, eu preciso parar. MAS NÃO É HOJE QUE EU VOU PARAR MUAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
A fic é original e tal (q lindu), contém Yuri.... MINHA PRIMEIRA FIC YURI!!!! PEGA POOOOOORRAAAAAAAAAAAA
Desculpa, tô animada com ela :V

ESPERO QUE GOSTEM, DESCULPE A QUALQUER ERRO QUE VAI TA PRESENTE NA FIC INTEIRA E BEIJOS DA BI JEAN

Capítulo 1 - Simple life


Suncheon, uma cidade simples da província de Jeolla do Sul, com famílias tradicionais coreanas simples, todos daquela cidade levavam uma vida simples e tranquila. A sua simplicidade cativava todas as pessoas que a visitavam desde os tempos antigos até aos dias de hoje, mas um dia essa simplicidade terá de acabar, ter o seu digno fim.

Nem todos daquela cidade aguentavam a vida monótono que tinham ali, por isso iam para as outras cidades em busca de emoção para as suas vidas. O que não foi diferente para a bela jovem com descendência coreana e brasileira, no auge dos seus 19 anos - preste a completar 20 -, Lee Chul-moo já se entediara da sua vida em Suncheon; não que não gostasse da terra natal de sua mãe - muito pelo contrário - amava demais, porém, queria emoção em sua vida. Brigas, romances, corações partidos, amores ilusórios, era isso que a mesma queria.

Uma vida cheia de emoções e intrigas.

- Omma! Irei cursar fotografia em Seul! - Ditou Chul-moo entrando no quarto de sua mãe e olhando firme para a mesma que parecia surpresa, mas já esperava que a filha um dia se cansaria da vida simples que levava. Afinal, esse era um dos motivos de muitos jovens irem cursar universidades em outras cidades.

- Aigu Chul-moo! - Disse Chunlee olhando para filha com o olhar pesado. Chunlee já estava na casa dos 60, vivia de remédios e soró, também tinha cuidados extremos com seu fraco corpo. A mesma já tinha fios brancos presentes em seus cabelos castanhos, seus olhos de caramelos baixo por conta das dobras em seu rosto e seu corpo curvo e retraído por conta do anos, trajava vestes confortáveis para não lhe incomodar - uma calça moletom e uma camisa grande - e uma sandália com meias. - É isso que você quer minha filha?

- Sim, omma. Eu quero viver a minha vida, aproveitar ainda enquanto sou jovem, procurar pelo o amor verdadeiro, me formar e formar uma família. Ai sim, a senhora terá netinhos para caducar e paparicar. - Dizia Chul-moo com um grande sorriso no rosto. Queria mais do que tudo ir para Seul, entretanto, prezava pela a saúde de sua querida e velha mãe. Chul-moo só tinha a mesma de família, seu pai tinha morrido de ataque cardíaco quando tinha dezessete anos e ainda é filha única. - A senhora, permite que eu vá para lá? Voltarei em menos de quatro anos para casa. Deixarei Jaemin cuidando da senhora enquanto eu estiver fora. Jebal omma! Jebaaaaal!

Chul-moo parecia uma criança fazendo drama por um doce, Chunlee riu consigo mesma, amava sua filha mais do que tudo nesse mundo e queria que a mesma fosse viver sua vida. Por isso, a senhora Kim se levantou vagarosamente de sua cama e andou até a sua estante com o objetivo de pegar um envelope que guardará a pouco tempo. No mesmo continha uma boa quantia de jeon para caso Chul-moo quisesse ir embora da cidade.

- Aqui Mooie. Pegue, aproveite a sua vida e seja feliz minha filha. - Disse Chunlee entregando o envelope para uma Chul-moo toda sorridente e feliz.

A mesma se levantou e abraçou sua mãe, estava feliz por sua mãe ter dado permissão para ela ir, mas também estava preocupada com o que podia acontecer durante esses quatro anos em que estiver fora - claro que Jaemin iria cuidar da sua mãe perfeitamente bem, mas o medo de que ela possa morrer não saí da cabeça.

- Não se preocupe pequena, quando você voltar... Eu ainda estarei aqui. - Era como se Chunlee soubesse o que atormentava os pensamentos de Chul-moo. Claro que os anos sendo mãe lhe ajudaram a descobrir o que tanto Chul-moo pensa.

- Assim espero omma... - Declarou fechando os olhos e tentando não pensar em nada, apenas sentir o abraço gostoso que sua mãe estava lhe proporcionando.

[...]

Levou alguns meses para que tudo estivesse preparado para a viagem de Chul-moo, corre para lá com papéis, corre para cá atrás de malas, era um confusão para apenas uma pessoa. Na altura do campeonato, já teria desistido, mas com a sua omma lhe incentivando não iria desistir tão cedo.

Um dia antes da sua viagem, Chul-moo foi ao salão mudar o visual do seu cabelo para a sua nova vida que iria tomar daqui a diante. A mesma cortou os seus longos cabelos castanhos até a cima dos ombros e pediu para pinta-los de azul céu - sua cor favorita -, saiu do salão ouvindo vários elogios de rapazes, mas no momento não estava interessada em namorar, ainda mais agora que iria viajar para Seul.

No dia seguinte já estava com tudo pronto para ir ao aeroporto, estava ansiosa demais, essa seria a segunda vez que sairá da sua cidade - a primeira fora quando seu pai ainda era vivo e tinha levado ela e sua mãe para o Brasil, na verdade, essa tinha sido a primeira vez que sairá do país. Mas contava mesmo assim.

Os três já estavam no aeroporto, senhora Kim sentada na cadeira de rodas que era empurrada por Jaemin que estava feliz pela a melhor amiga. Jaemin e Chul-moo eram amigos desde que eram crianças, seguiram uma vida de pura amizade e companheirismo até os dias de hoje, eram como irmãos de outra mãe, por isso tinha pedido para o mesmo cuidar da sua mãe; ele era o único em que Chul-moo confiava.

- Bom, é isso... Sentirei muitas saudades de você Min, cuide bem da minha omma. Se eu souber que você não está cuidando dela devidamente, eu vou voltar imediatamente de Seul e te bater. - Disse num tom brincalhão que sempre usava com Jaemin.

- Ei, eu cuidarei muito bem dela, não precisa agredir. - Disse Jaemin com um sorriso. - Sentirei saudades hyung... Muita saudade mesmo.

- Eu sei, mais mesmo assim. - Chul-moo deu um breve abraço no amigo para finalmente se focar em sua mãe. A senhora de idade tinha um leve sorriso no rosto, estava orgulhosa da filha. - Omma...

- Sem despedidas, você sabe que odeio isso. - Disse Chunlee olhando para Chul-moo que parecer querer chorar. A azulada engoliu o choro e abraçou a mesma.

Um abraço demorado, uma abraço de conforto e segurança, o abraço de uma mãe que sempre estaria e faria tudo por seu filho, Chul-moo amava esse abraço e só de pensar que não iria senti-lo por quatro anos da um aperto no coração da Lee. Chul-moo se separou do abraço no momento em que ouviu o seu vôo sendo anunciado, ela deu um último abraço em Jaemin e foi para o portão de embarque - já que todas as suas coisas já tinham sido levadas para o compartimento do avião. Dali em diante começava uma nova vida para Lee Chul-moo.

[...]

- Que saco Seungyoon. - Disse Sook irritada. Iria fazer duas horas que Seungyoon estava lhe atormentado, na sua casa. O mesmo tinha entrado sem aviso prévio reclamando que a mesma estava afastada, que não estava mais querendo ficar perto do mesmo. As vezes Kwan achava que Seungyoon era a mulher do relacionamento deles. - Da para parar de piche e me explicar o porquê você estar aqui em casa, sem ao menos ter mandado uma mensagem avisando que vinha.

- Ok. A universidade que estudo disse que vou ter que hospedar uma nova aluna. - Começou Seungyoon andando de um lado para o outro. Sook apenas fazia olhar para ele ainda irritada. Sook é uma mulher de 22 anos, tinha olhos avermelhados, cabelos castanhos que iam até as costas e vinha de uma longa geração de coreanos amantes de futebol, sua família tinha grande influência no mundo esportivo de Seul. -  Eu procurei por lugares com presos baratos, mas não encontrei nenhum. Por isso ela vai morar aqui com você, ela chega amanhã pelas 08:30. Byeee Sookie!

Seungyoon tinha saído como um flash pela porta antes de ser agredido pela a namorada que tinha ficado com raiva. Quem ela era para chegar e dizer que uma estranha iria morar consigo? Nem seus pais eram assim consigo, ninguém era assim consigo, ninguém dizia para se em última hora que teria que dividir sua casa com uma estranha total.

- Amanhã ele vai se ver comigo. - Declarou Sook fechando a porta da casa e indo para seu quarto voltar para o que estava fazendo. Assistindo Cavaleiros do Zodíaco.

Uma nova história estava para começar quando essas duas se encontrarem, irão passar por diversas situações juntas que - possivelmente - juntará elas duas pelo resto da vida.


Notas Finais


O que acharam? Tá legal? Tá brisa? Da pro gasto? Mais ou menos? Eeeehe tá indo pro caminho certo?

Espero que tenham gostado do primeiro cap e até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...