História I Just Want You ( Camren G!P ) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren
Visualizações 136
Palavras 1.797
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha so quem resolveu aparecer rs, galera vou explicar oq aconteceu: meu celular quebrou. "Ah mais eu vi vc comentamdo em outras fics" sim galera eu estava usando um celular atigo da minha mae, que dava pra quebrar o galho so que era muito ruim de escrever, entao eu esperei ela comprar outro celular pra mim

Bom desculpem a demora e boa leitura

Capítulo 6 - Ignorada


Pov Camila Cabello

Sabe quando você para pra pensar no quão fodida sua vida se torna depois de se apaixonar? Tudo gira em volta daquela pessoa, seus pensamentos, suas atitudes, seu tempo, absolutamente tudo. E o pior é quando você não recebe nada em troca daquela pessoa.

Eu deveria parar de chorar encolhida nesse chão e voltar para o quarto como se nada estivesse acontecido, pedir desculpas a Sra. Jauregui e ser a mais profissional possível. Mas não, eu estou a mais ou menos trinta minutos escondida entre algumas mesas, deixando minha frustração com a vida sair em forma de lágrimas. Eu sou tão idiota por gostar de alguém que, se pudesse, esfregava na minha cara o quanto sou pobre e que nunca iria olhar para alguém como eu. Limpo as lágrimas com um pouco de raiva, depois de respirar fundo, deito a cabeça em meus joelhos encolhidos e fico brincando com meus dedos, não percebendo a hora em que fecho os olhos e acabo dormindo.

Pov Lauren Jauregui

— Por que não me disse que Camila estava com você, Lauren? — Alexa pergunta colocando a blusa. — Não que eu me importe de você trair ela, só não gostei de ser pega no flagra.

— O que? — Solto uma gargalhada alta, um tanto quanto exagerada, e olho para ela depois de parar. — A Cabello trabalha para mim, só está no meu quarto porque o hotel não fez a reserva dela e não tem mais nenhum outro quarto disponível. - Me aproximo dela segurando seu rosto próximo ao meu. - Você acha mesmo que eu, Lauren Jauregui, ficaria com alguém pobre? - Na verdade ficaria. Pensei, mas logo afastei esse pensamento. Ninguém precisa saber.

- Obviamente não. - Responde colocando as mãos na minha nuca, roubando um selinho antes de se afastar. - É melhor ir atrás da baixinha, se ela não tem um quarto vai dormir onde?

Fecho os olhos irritada mas concordo antes de deixar o quarto junto com a Ferrer. Ela vai para o lado oposto que o meu, o que é um alívio para mim, Alexa pode ser boa de cama, mas é um pé no saco.

Entro no elevador descendo até o térreo, assim que piso na recepção olho em volta procurando pela mulher de olhos castanhos, não a encontrando em lugar algum.

- Você viu uma mulher baixinha, latina de olhos castanhos, e cabelos castanhos passar por aqui? - Pergunto à recepcionista que tinha a atenção no computador.

- Se for a mesma que eu vi praticamente correndo, está na área de lazer. - Responde e eu concordo, saindo em passos lentos para a área externa do hotel.

Meus olhos percorrem o local, não vendo absolutamente ninguém. Penso em voltar e procurar na parte da frente, mas meus olhos vêem alguma coisa no chão e em meio a algumas mesas.

Com o cenho franzido ando um pouco rápido até lá, o ar que eu nem percebi estar prendendo deixa meus pulmões quando vejo Camila. Ela está encolhida com a cabeça repousando sobre os joelhos, a boca levemente aberta, o rosto relaxado e os cílios tocando as maçãs de seu rosto, a deixam tão angelical. Espera... o que? Ela não é angelical, ela é meu funcionário pobre que saiu correndo após me ver quase transando com uma velha amiga. Mas que na verdade eu queria transar com ela.

- Camila, acorde. - Falo balançando devagar seu ombro, nenhum sinal. - Camila, será que pode acordar porra? - Praticamente grito e ela acorda, levanta a cabeça tão rápido que acaba batendo na parede atrás de si, soltando um gemido de dor. A porra de um gemido que me deixou arrepiada da cabeça aos pés. Mas que merda está acontecendo?

- Me-me des-desculpa Sra. Ja-Jauregui. - Fala gaguejando e com a voz falha, olho em seus olhos brilhantes e vermelhos que aparentam que ela pode chorar a qualquer segundo. - Estou tão envergonhada por ter... por ter te atrapalhado, eu sabia que era melhor ter ido para outro hotel.

Vejo uma lágrima cair e ela a limpar rapidamente. Por que Camila está chorando? Por que isso me afeta de uma maneira estranha? O que está acontecendo?

- Eu que deveria me desculpar, não respeitei o fato de ter outra pessoa no mesmo quarto que eu, então desculpe-me por isso, Camila. - Ela encolhe os ombros e assente, estendo a mão em sua direção para ajudá-la a levantar.

Mas uma coisa que nunca tinha acontecido antes, aconteceu agora. Fui ignorada quando ela apoiou as mãos no chão e se levantou sozinha, deixando minha mão esticada para o nada. Fiquei um pouco constrangida e coloquei rapidamente a mão no bolso da calça.

Pov Camila Cabello 

Sei que foi um pouco rude ter ignorado a ajuda da minha chefe. Mas foda-se, quanto menos contato físico com ela, melhor pra mim, não vou ficar me iludindo com uma coisa que nunca vai acontecer.

Enquanto voltava para dentro do hotel ao lado de Lauren, olhei rapidamente para o céu vendo nuvens escuras encobrirem as estrelas e a lua.

Por Deus, pode até chover, mas que não tenha raios e trovoadas, por favor. Digamos que eu tenha um certo tipo de pânico com essas coisas.

Entramos no elevador e eu observei Lauren pelo espelho rapidamente, sua atenção está nos anéis em seus dedos, ou pelo menos estava, até ele levantar a cabeça e me olhar nos olhos através do espelho.

O ar pareceu ficar pesado enquanto nossos olhos continuam conectados, ela parece querer ler minha alma, descobrir cada detalhe sobre mim, mas ao mesmo tempo parece me querer longe. Seus olhos verdes brilham com mais intensidade pela iluminação do elevador, eu tento olhar para outro lugar mas tem alguma coisa em Lauren Jauregui, que me faz o querer tanto, querer amar cada detalhe e defeito seu.Enquanto ainda nos olhamos Lauren se aproxima, sinto as batidas do meu coração aumentarem gradativamente, um arrepio percorre meu corpo quando segura meu braço me fazendo ficar de frente à ela.

Meu corpo é empurrado com um pouco de força contra a parede, Lauren apoia uma mão ao lado da minha cabeça e a outra em minha cintura apertando a mesma com força. Seu rosto foi se aproximando do meu, fechamos os olhos e nossas respirações irregulares se misturavam conforme ele diminuía a distância entre nós, senti seu nariz tocar o meu e nossos lábios se tocarem levemente. Minha cabeça está uma confusão, não consigo pensar em nada direito, será que ela pode ouvir o quão acelerado está meu coração? Será que o seu está assim também?Mas antes dos nossos lábios se tocarem de verdade, as portas do elevador abriram.

- Merda. - Ouvi Lauren falar enquanto saía do elevador em passos pesados pelo corredor.

O que acabou de acontecer aqui?

Andei rapidamente até alcançar a Sra. Jauregui já na porta do quarto. Depois de abrir a mesma entramos em silêncio, indo cada uma para um lado diferente.

Peguei meu pijama de banana dentro da mala. Entrei no banheiro e coloquei as roupas em cima do vaso sanitário para poder tirar as roupas que estou usando. Assim que vesti as roupas para dormir encarei meu reflexo no espelho; meus olhos ainda estão um pouco inchados e vermelhos, assim como a pontinha do meu nariz, e meu cabelo completamente bagunçado. Bem, poderia estar pior.

Saí do banheiro batendo contra o corpo da Sra. Jauregui que está na frente da porta. Olhei confusa para ela, mas antes que eu pudesse questionar seu dedo indicador tocou meus lábios.

- Você não sabe o quanto é difícil para eu me controlar e não te beijar, ou jogar nessa cama e te foder até que esqueça seu nome. - Arregalei os olhos e abri levemente a boca.

Eu realmente não esperava isso.

Ela aproveitando que meus lábios estão entreabertos, colocou a ponta do dedo dentro da minha boca, juro que tentei me controlar, mas quando dei por mim já estava passando a língua na pontinha do seu dedo.

Seus olhos mudaram de tom, as pupilas dilatadas quase cobrindo completamente o verde, o rosto sério e impassível. Senti sua outra mão apertar minha cintura me puxando para mais perto, seu dedo abandonou minha boca levando o mesmo rumo que a outra, mas logo minha bunda estava sendo apertada com força arrancando um gemido baixo da minha garganta.

Com um pequeno impulso entrelacei minhas pernas em sua cintura e só então finalmente nos beijamos. Um choque percorreu meu corpo e parece que isso me incentivou a intensificar o beijo, inconscientemente comecei a rebolar arrancando um gemido de ambos, consegui sentir seu pênis duro contra minha bunda, e porra, ele é grande.

Lauren começou a andar e então senti o colchão macio contra minhas costas, e seu corpo quente sobre o meu. Levei minhas mãos para sua blusa e tirei, assim que terminei de tirar a deslizei minha mão por seus ombros agora podendo ver seus peitos cobertos apenas pelo seu top. 

Ela tira a parte de cima do meu pijama passando pela cabeça antes de voltar a me beijar, o que não durou muito, pois seus beijos desceram para o pescoço me deixando mais arrepiada que antes. Leves mordidas e lambidas são deixadas ali, suspiros baixos escapam da minha boca e isso parece a incentivar mais.

Um toque de celular pode ser ouvido, nos trazendo de volta à realidade. Por Deus, como eu fui deixar chegar a esse ponto? Ela deve me achar uma oferecida agora, "além de pobre, é puta", é o que deve estar passando pela sua cabeça.

Lauren grunhe antes de se levantar e ir à procura do aparelho que ainda toca. Peguei a parte de cima do meu pijama que estava jogada no chão perto da cama a vestindo, levanto e vou para o sofá sentando-me ali esperando a Sra. Jauregui terminar a chamada para poder me desculpar, preciso fazer isso se ainda quero meu emprego.

Começo a morder a pontinha do dedo em nervosismo e vergonha, os pensamentos à mil em minha cabeça e o constrangimento deixando minhas bochechas quentes, e com toda certeza, coradas.

Quando sua voz parou de soar pelo quarto e o barulho dos seus passos se aproximaram de mim, levantei a cabeça para encontrar seus olhos. Não consegui ler sua expressão e isso me deixa ainda mais aflita, ela deve estar com nojo de ter beijado alguém pobre.

- Me des-descul... - Fui interrompida por seu dedo tocando meu lábio.

- Não precisa se desculpar, eu também fiz isso, então estamos no mesmo barco. - Sorriu deixando , seus dentes a mostra. - Agora, já que aconteceu tudo isso, o que acha de dormir na cama comigo? Tem espaço o suficiente para nós duas, Camila.

E agora? Vou ou não? Meu corpo diz sim, minha mente diz não, e o trovão que se fez presente no céu com um barulho estrondoso me fez correr para baixo das cobertas e abraçar com força o corpo quente de Lauren Jauregui.

É, eu definitivamente estou fodida.


Notas Finais


Talvez, eu poste outro mais tarde flwwww
Comentem muito s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...