História I like it - Jimin - one shot - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Personagens Originais, V
Tags Jimin, Kim Taehyung, One-shot, Park Jimin
Exibições 350
Palavras 4.135
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oeeeeeee, voltei com uma one shot pra vocês amores... Sim, mais uma vez do nosso amorzão Chimchim
eu tenho outra fic aqui no spirit e espero que quanto terminarem essa, dêem uma passadinnha lá.

link nas notas finais.
boa leiura


ERROS? SOU DE HUMANAS

Capítulo 1 - Capitulo Único


Fanfic / Fanfiction I like it - Jimin - one shot - Capítulo 1 - Capitulo Único

*Espelho maldito*... pensava em quanto observava meu reflexo e via a minha cara de acabada. Por que? Simples! Chorei quase que a noite toda, quando um amigo do meu namorado o cagoetou de novo e eu descobri que tinha mais um galhinho na minha cabeça. Segundo ele, eu era uma pessoa tão bondosa e gentil que não merecia aquilo, então ele resolveu contar para que eu não fosse mais feita de trouxa. Tentativa falha. Não sei o motivo, mas aqueles olhos, aquele sorriso, aquela boca, aquele corpo... tudo. Ele tinha tudo para me manter presa a ele. É ÓBVIO que eu já sabia que isso tudo acontecia mas resolvi deixar quieto, já que aconteceria como sempre acontece: brigaríamos, ele me olharia com aquele olhar de inocente, eu iria ceder, ele me beijaria, tranzariamos feito loucos e no dia seguinte tudo se repetiria; a verdade é que Agatha Avelar já poderia ser considerada a pessoa mais trouxa e burrinha da história do universo. Acho que não tenho só um, mas sim, trezentos galhos na minha cabeça. Não havia diferença nenhuma entre eu e uma árvore. A meia hora atrás, eu e ele havíamos (de novo) trepado na total selvageria e adivinha? Iiiisso, ele fez como sempre faz, se mandou sem dar satisfações... Kim Taehyung é o cara mais canalha, galinha e mentiroso desse mundo. Mas meu corpo se rende a ele mesmo que minha mente diga não... Corpo filha da puta; já estávamos nessa a mais de um ano e então resolvi fazer a coisa mais errada e idiota da minha vida: devolveria na mesma moeda. Decidida, desviei o olhar da imagem horrível de minha face no espelho e rumei para meu quarto e, para provocar, um vestido super curto com cor vinho e um salto altíssimo da mesma cor foram utilizados. Maquiagem leve com exceção do batom vermelho que passei e o toque final, meus cabelos cacheados soltos que, por um milagre divino, estava com um grande volume. Oh felicidade que tenho de ser carioca...

 

Isso tudo está muito confuso né? Deixa eu explicar. Sabe aquela história típica de garota brasileira consegue uma bolsa para estudar em outro país? Foi basicamente isso. Vim para Seul mas acabei ficando por aqui mesmo já que arrumei um emprego maravilhoso e o fato de eu ser riquinha também colabora. Na verdade, foram meus pais que pagaram minha matricula nessa escola e eu tive que ficar aqui por três anos até resolver que ficaria por aqui mesmo durante o tempo que quisesse. No momento estou com vinte e seis anos e moro sozinha em meu apartamento que fica próximo a uma praia não muito movimentada. Conheci Taehyung no meu serviço... ele era meu cliente e estava processando a antiga empresa que ele trabalhava. Sim, sou advogada.

Enfim, demoramos com o caso e acabou que nos envolvemos mais do que deveríamos e terminou em namoro.

 

Agora cá estou, com milhões de galhos na cabeça e preste a fazer algo ridículo. Peguei minha bolsinha preta com preservativos, cartão de crédito e meu celular dentro e sai de casa. Chamei meu motorista e o mesmo me levou até uma boate super agitada e fina que ficava um pouco distante do meu AP. Já havia frequentado aquele local algumas vezes, mas nunca desacompanhada. Geralmente eu estava com minha colega de trabalho ou com Taehyung.

Adentrei o local e fui para o bar no segundo andar, que era mais quieto, e pedi um licor. Me sentei no balcão mesmo e fiquei observando pessoas entrando e saindo dos banheiros que mais serviam para elas praticarem a arte do sexo. Por algum motivo, achava aquilo tudo muito engraçado, mas ao mesmo tempo, estranho; tomei um gole da minha bebida e depois de alguns minutos, um ser humano se sentou ao meu lado, obstruindo a minha visão de camarote para o centro do sexo que era o banheiro. Ele era um tanto mais alto que eu e não estava com uma cara muito boa. Seus fios loiros estavam irritantemente partidos no meio e seu visual era de chamar atenção: uma calça jeans escura e rasgada bruscamente nos joelhos, uma camisa preta com um dragão em branco desenhado na frente e um tênis preto. Seus lábios eram cheios e os olhos negros faziam o rapaz, que aparentava ter a mesma idade que eu, tomar um ar de pessoa séria, olhinhos puxados como um coreano comum, mas sua beleza era fora do normal, suas bochechas rosadas e seu perfume, ah, aquele perfume maravilhoso.

 

- Um licor de pêssego, por favor.- disse o estranho e, meu Deus, que voz - Obrigado.- agradeceu com um falso sorriso quando o barman lhe entregou a bebida. Deu uma grande golada e depois, deitou sobre seu braço que estava encostado no balcão; eu o observava descaradamente e infelizmente não percebi..., mas ele sim. - Posso ajudar? – Perguntou olhando em meus olhos e franzindo o cenho

 

- Ah, n-não. – Disse meio atrapalhada, o fazendo me lançar um pequeno riso soprado

 

- Certeza que não? Do jeito que me olhava, parecia que precisava de algo... – disse e eu arregalei os olhos e ele sorriu. QUE SORRISO. Seus olhos sumiram com o sorriso enorme e fofo que ele deu, me dando uma vontade quase que incontrolável de apertar aquelas bochechas – Estou brincando. Prazer, meu nome é Park Jimin, mas pode me chamar de Jimin – se apresentou e estendeu a mão

 

- Me chamo Agatha. – disse e ele sorriu. Apertei sua mão e pude sentir o quão macia era; tão macia que gostaria de arrancar e guardar em um potinho para sentir a macies todos os dias

 

- Está acompanhada?

 

- Não. Resolvi vir sozinha para relaxar um pouco – Aaaah, que isso Agatha? Vai começar os comentários desnecessários? Puta que pariu mano, o cara não te perguntou porra nenhuma.

 

- Relaxar... faz tempo que não sei como é isso. – Abaixou a cabeça e deu o ultimo gole em sua bebida. Fiz o mesmo.

 

- Algum problema? – Perguntei, depois de o observar por alguns longos minutos de cabeça baixa.

 

- Sim, mas nada que a bebida não cure... – pediu outro licor – aceita? – Afirmei com a cabeça e ele pediu um para mim – Então Agatha, o que faz da vida?

 

- Sou advogada – disse e o rapaz arregalou os olhos – o que foi?

 

- Você parece ser tão nova. Quantos anos?

 

- Vinte e seis. Mas me diga, e você? O que faz?

 

- Absolutamente nada. Meus pais faleceram a alguns anos e deixaram dinheiro suficiente para que eu não precisasse fazer nada pelo resto da minha vida.

 

- Sinto muito.

 

- Não sinta, não me dava muito bem com eles. Claro que foi um choque quando recebi a notícia, mas com o tempo, me acostumei com a ausência deles – eles não deviam se dar bem mesmo; ele falava com uma frieza total

 

- Qual sua idade?

 

- Estou completando vinte e oito hoje – disse e deu um sorrisinho sem graça

 

-Sério? Meus parabéns Jimin! – disse e ele me olhou. Suas bochechas ficaram vermelhas e seus olhos sumiram de novo com o lindo sorriso que ocupou seus lábios – Mas por que está sozinho no seu aniversário?

 

- Isso é bem íntimo, mas como tenho a leve certeza de que nunca te verei mais depois de hoje, posso te contar. – Ele respirou fundo e logo voltou a falar – Minha namorada estava me traindo a mais de dois meses e eu descobri quando vi uma mensagem dele no celular dela...

 

- A minha situação também não é diferente.

 

- Mas como um homem é capaz de trair uma mulher como você? Tão linda e interessante... se fosse comigo, nem deixar você sair de casa eu permitiria – senti meu rosto queimar e provavelmente eu estava vermelha, porque ele me encarou e riu. – Me desculpe por esse comentário desnecessário

 

- Não precisa se desculpar. – Disse meio sem graça e terminei minha bebida.

 

Ficamos conversando sobre alguns assuntos variados, entrando e saindo de uma conversa toda hora; ele era gentil, atencioso, engraçado e, mesmo com tudo isso, ainda mantinha um sorriso sincero nos lábios. Por incrível que pareça, até me esqueci do motivo por eu ter ido até aquele local; nosso papo estava tão interessante, que nem se quer me deu vontade de ir procurar alguém para chifrar meu namorado... que dizer, ex. Jimin havia posto na minha cabeça que eu era uma pessoa tão ‘incrível’ que não precisava de alguém como Taehyung e podia ser feliz com outro; então, decidi que tomaria coragem para terminar com ele.

 

O tempo passou voando, quase três da manhã e a boate ainda fervendo em plena virada de quinta para a sexta.

 

- Já está tarde... quer uma carona para casa?

 

- Não precisa, meu motorista vem independente da hora que eu ligar, mas mesmo assim, muito obrigado

 

- Por favor, eu insisto – não sei o porquê mas sentia que podia confiar nele então decidi aceitar, afinal, o que poderia acontecer de mais? Sexo? Talvez..., mas não foi por isso que vim aqui?

 

- Eu moro meio longe daqui... tudo bem para você?

 

- Sem problemas!

 

Nos levantamos e fomos para o lado de fora da boate; ele me guiou até seu carro e, meu Deus, UM LOTUS SPIRIT 2016 CINZA PARADO A MINHA FRENTE? (N/A - Se vocês não sabem que carro é esse, pelo amor de Yoongi, pesquisem... tenho certeza de que vão se apaixonar) Independentemente de quem fossem os pais dele, tinham muito dinheiro. Esse carro é uma fortuna. Dei meu endereço para ele, mesmo que não fosse uma boa ideia, e logo entramos no carro. Seu cheiro maravilhoso estava por todo o carro; peguei meu celular dentro da pequena bolsa que eu havia trago e observei a tela por um tempo até que finalmente decidi abrir minhas mensagens e digitei apenas duas palavras, mas que mudariam tudo daqui para frente.

 

- Envia – a voz de Jimin se fez presente e me senti mais confiante em mandar a mensagem. Enviei e respirei aliviada – Se sente melhor agora?

 

- Bem melhor – sorri e ele retribuiu

 

Sua mão saiu do volante e pousou em minha coxa, acariciando a mesma e me causando um arrepio enorme; a mão, que antes estava em minha coxa, subiu até a minha, entrelaçando nossos dedos e apertando levemente. O que eu fiz? Absolutamente nada... apenas me deixei levar por sua mão macia como veludo que não parava de acariciar a minha. Depois de alguns minutos, soltou minha mão e voltou para o volante; passamos o caminho todo até meu apartamento sem dizer uma palavra. Chegamos em frente ao meu apartamento e ele saiu do carro, passando para o outro lado e abrindo a porta para que eu saísse. Me despedi com um simples beijo na bochecha dele e antes de eu entrar, sua voz maravilhosa me parou.

 

- Agatha... eh, será que vou poder te ver de novo? Quer dizer, disse tinha quase certeza de que não aconteceria, mas será que gostaria de sair comigo no domingo? – Disse coçando a cabeça e com o rosto totalmente vermelho de vergonha

 

- Podemos sim. Domingo às sete? – Perguntei e ele assentiu

 

- Espero que passe rápido – disse e se aproximou de mim, ficando com seu rosto a centímetro do meu – Boa sorte! – Segurou meu rosto com a mão direita e sua mão esquerda pousou em minha cintura, me trazendo mais para perto e selando nossos lábios. Seus lábios macios e carnudos encostados nos meus, me deram uma sensação única, até que ele pediu passagem com a língua e, sem demora eu cedi; sua língua explorava minha boca e a minha fazia o mesmo. O beijo era calmo e gostoso, dava vontade de continuar para sempre, mas como tudo não é perfeito, veio a falta de ar e nos separamos. – Até domingo – disse, me deu mais um selinho e voltou para seu carro, saindo dali e me deixando como uma estátua em frente ao prédio

 

Sério que aquilo tinha acontecido? Uau, que sensação maravilhosa. Eu ia pegar meu celular para ver se Taehyung já havia visto a mensagem, mas... Puta que pariu, acho que esqueci no carro do Jimin. Tenho que dar um jeito nisso... só de lembrar dele, a sensação de seu beijo voltava e me extasiava por completo. Quando finalmente voltei para a terra, entrei no prédio e fui direto para o meu apartamento, mas me deparei com uma cena que arrancou toda a felicidade de mim assim que abri a porta.

 

- Taehyung? O-o que está fazendo aqui a essa hora? –Fechei a porta atrás de mim. Não me surpreende o fato de ele estar aqui, afinal, ele tem uma cópia da minha chave

 

- Eu que te pergunto aonde estava até agora... e outra, foi você quem disse que queria conversar comigo – disse e me lembrei da mensagem que enviei ‘’precisamos conversar’’.

 

- Mas não precisava vir a essa hora. – Comentei e tirei o vestido e o salto, ficando apenas com meu conjunto intimo roxo

 

- Vai falar ou eu vim aqui para nada? – Seu tom debochado foi a última gota, então, com toda minha paciência, comecei a falar

 

- Tudo bem então. – Respirei fundo – Olha Tae, isso não está mais dando certo... e-eu quero terminar com você!

 

- Tá de brincadeira né?

 

- Não Taehyung. Eu cansei de ser trouxa, cansei de sofrer sozinha e, a cima de tudo, cansei de você...

 

- Sabe Agatha, existe uma coisa chamada interesse e outra chamada amor... interesse era o que eu sentia por você. Nunca gostei de você de verdade, então, terminar comigo não é uma coisa ruim... é mais um favor que você me faz – disse e antes que pudesse se levantar do sofá onde estava sentado, andei em passos largos até ele e depositei um tapa um sua cara

 

- Sai daqui agora... – disse baixo tentando conter meu choro e apontando para a porta – SAI! – vi que ele não iria sair, então me aproximei, peguei a cópia da chave que ficava com ele que estava dentro de seu bolso, o puxei do sofá com toda minha força e o empurrei para fora – Nem pense em aparecer aqui de novo ouviu? – ele só eu olhava com um sorriso sínico no rosto

 

- Só espero que, do fundo do meu coração, você deixe de ser lerda como é...

 

Desferi outro tapa em seu rosto, mas dessa vez, mais forte. Aquilo foi o suficiente para que Kim Taehyung partisse para cima de mim; Socos, tapas, empurrões... nunca achei que ele fosse capaz de fazer isso. Meus olhos estavam fechados e meu corpo totalmente dolirido, até que senti o peso de Tae sendo tirado de cima de mim e abri os olhos. Ele estava caído no chão e fiquei surpresa ao ver quem havia o derrubado.

 

- Vem rápido!

 

Estendeu a mão para mim e eu a segurei. Ele e pegou no colo e descemos até o estacionamento no prédio, onde ele me pôs em seu carro no banco de trás e entrou junto comigo. Retirou sua camisa com dificuldade devido ao tamanho do carro e a estendeu para mim, que logo a vesti. A cena dele sem sua camisa era a oitava maravilha do mundo, aquele peitoral, aquela barriga... infelizmente fui tirada de meus pensamentos quando senti uma fisgada em meu rosto

 

- Ai...

 

- O que foi Agatha? Aonde está doendo?

 

- Meu rosto... – ele então com carinho chegou perto e deu um beijo onde eu havia dito e puxou minha cabeça para seu peito, onde deitei e senti sua mão fazer um carinho maravilhoso em meus cabelos– O que está fazendo aqui?

 

- Você esqueceu sua bolsinha no carro, então voltei aqui e perguntei ao senhor da limpeza qual era o número do seu apartamento.

 

- Obrigado por ter vindo – agradeci e deixei uma lágrima cair.

 

- Ei... – levantou meu rosto com suas mãos – Não chore ok? Vai ficar tudo bem. Vou te levar para o meu apartamento e pode ficar por lá por enquanto

 

- Aceitaria mesmo uma estranha no seu apartamento? Quero dizer, nos conhecemos a pouco mais de sete horas e...

 

- Não tem problema, só quero ajudar.

 

- Muito obrigado.

 

Ele saiu da parte de trás do carro e foi para o banco do motorista, dando a partida. Me encolhi de vergonha no banco de trás por estar somente com meu conjunto íntimo e a blusa de Jimin. Ele me olhou pelo retrovisor e sorriu soprado ao ver o quanto eu me encolhia e meu rosto começou a queimar no mesmo instante.

 

Acabei pegando no sono, pois ele morava bem mais longe, mas quando acordei, estava deitada um uma cama gigante e macia. A cama era toda branca e os lençóis e travesseiros tinham o cheiro dele; me descobri e levantei, indo em direção a porta de madeira do quarto, mas me deparei com o banheiro, então, lá fui eu para a outra porta e, sim, finalmente a saída do quarto. Desci as escadas depois de passar pelo longo corredor e dei de cara com jimin, sentado no sofá da gigante sala vento tv.

 

- Finalmente acordou! Bom dia dorminhoca... – se levantou e foi para a cozinha, que era do outro lado da enorme sala

 

- Dia? Eu dormi tanto assim?! Nossa – fui até a cozinha e assim que cheguei no local, ele me estendeu um copo de café – obrigada... – dei um gole e voltei minha atenção a ele – Jimin, eu tenho que ir pra casa. Não posso ficar aqui

 

- Tem certeza que quer se arriscar a voltar lá?

 

- Aish – pus a caneca de café no balcão e escondi meu rosto em minhas mãos – pode me dizer onde fica o banheiro?

 

- Vai no do meu quarto, nele tem banheira – disse e assim fiz mas o chamei assim que cheguei na metade das escadas – o que foi?

 

- Não tenho roupas... pode me emprestar uma?

 

- Closet é a porta do lado da do banheiro.

 

- Obrigado! – subi o resto das escadas e passei no closet primeiro. Separei uma blusa larga dele toda preta com cinza, uma box preta dele e uma calça de moletom. Não estava frio, mas também não estava calor, então, a calça não seria uma má ideia. Deixei a roupa em cima da cama e rumei para o banheiro; não queria demorar, então, deixei de lado a idéia da banheira e resolvi tomar um banho normal mesmo. Depois de pouco mais de dez minutos, saí do box e... senhor, esqueci a toalha e as roupas em cima da cama. Não posso sair do banheiro pelada, e minhas roupas íntimas estão molhadas já que as lavei. Não tinha outra opção a não ser aquela...

 

- JIMIIIIN!

 

-OI!- gritou em resposta

 

- PODE VIR AQUI POR FAVOR?

 

- JÁ ESTOU INDO – ouvi ele correndo até o quarto – Agatha?

 

- Estou no banheiro e esqueci as roupas e a toalha em cima da sua cama. Pode me dar por favor? – um silêncio tomou o lugar durante longos segundos e eu estranhei – Jimin?

 

- Ah sim... claro! Mas como vou entregar a você?

 

- Eu vou entrar no box e você bota em cima da pia... – a idéia não era ruim, já que o box era escuro e não dava pra ver o que havia atrás do vidro

 

- A porta está destrancada? – disse que sim e corri para dentro do box, escutando em seguida a porta ser aberta – Pronto!

 

- Obrigada! – disse ainda de dentro do box e ouvi o barulho da porta sendo fechada. Esperei um pouco e quando finalmente decidi sair do box, meu rosto queimou e corri para onde estava de novo – TÁ MALUCO GAROTO? TEM COMO ME DAR LICENÇA? – Ele ficou em silêncio, mas depois de alguns segundos, a porta do box foi aberta e a figura do lindo garoto parado na minha frente fez com que eu recuasse até bater com as costas na parede. Tentei esconder meu corpo com as mãos mas foi em vão, já que ele se aproximou e retirou-as da frente – j-jimin...

 

- Não precisa se esconder, você é linda! – disse e me puxou pela cintura, fazendo nossos corpos colarem – não farei nada que você não vá querer – roçou os lábios nos meus – posso? – Sussurrou e eu, parada como uma estátua, me deixei levar por seus lábios carnudos e seu cheiro embriagador e assenti levemente; ele tomou meus lábios já pedindo passagem com a língua e eu cedi; uma de suas mãos subiu até minha nuca, aprofundando o beijo e eu abracei seu pescoço. Era incrível a sensação de êxtase que ele me causava e os arrepios constantes que percorriam do topo da minha cabeça até a ponta dos pés. Jimin me pegou em seu colo e foi para o quarto, onde me pôs na cama e iniciou uma série de beijos por todo meu pescoço, me fazendo morder os lábios para não gemer. Ele desceu seus beijos ainda mais, passando por meus seios, barriga e passou direto por minha intimidade, parando em minha coxa. Ele abriu minhas pernas e distribuiu beijos leves em minha intimidade, me fazendo arquear as costas, mas quando fiz, ele parou e eu o olhei em reprovação – Eu disse não faria nada que não quisesse – deu alguns beijos no interior de minha coxa e sua respiração batendo em minha intimidade estava me deixando louca – Você quer? – pensei um pouco e taquei logo um foda-se. Fiz que sim com a cabeça – Quero ouvir de você...

 

- J-jimin, e-eu...

 

- Você?...

 

- Eu quero!

 

Abriu um sorriso super malicioso e atacou minha intimidade de uma forma rápida e forte, eu gritava de tanto prazer... Já não tinha como prender meus gemidos; senti sua língua me penetrando até onde podia e voltando várias vezes, em quanto seus dedos brincavam com meu clitóris, minhas costas estavam arqueadas e meus dedos brincavam com seus fios loiros. Já não estava aguentando mais, então me desfiz. Jimin me olhou satisfeito e se aproximou de minha boca, selando nossos lábios; retirei sua camisa e arranhei seu abdômen ate chegar a bermuda que ele usava e desabotoar. Ele se levantou e retirou a bermuda, deixando visível sua ereção que, sinceramente, estava até me assustando pelo tamanho e pelo quão duro ele estava; Jimin se posicionou em cima de mim de novo e me beijou com selvageria.

 

- Desculpe, não aguento mais... – retirou sua box preta e se posicionou no meio de minhas pernas e fez a pergunta pela qual eu já esperava – Posso?

 

- Pod... AAH – gritei quando senti seu membro dentro de mim. Ele começou alguns movimentos lentos e a cada estocada eu ia pro paraíso e voltava. – Jimin... M-mais rápido...

 

Assim fez. Entrelacei minhas pernas em sua cintura e quando fiz, recebi um gemido alto e rouco do loiro; seus cabelos estavam grudados em sua testa e o quarto já estava ficando quente demais. Uma...Duas...Quinze e mais algumas estocadas e gozamos juntos, ambos soltando um gemido alto e gostoso de se ouvir. Ele se jogou ao meu lado com a respiração descompassada assim como a minha e me puxou para perto, sussurrando em meu ouvido:

 

- Podemos repetir?

 

 

        ....................

 

 

          TRÊS ANOS DEPOIS

 

 

Bom, o que tenho a dizer sobre os dias atuais? Sou casada com Jimin a quase dois anos e estamos a espera de uma princesinha... ainda estamos escolhendo os nomes, Sophia ou Manuella. Nunca mais ouvi falar de Taehyung, mas quando voltei para meu apartamento depois de terminar com ele, tudo estava destruído, mas felizmente, nada de muito importante. Meu pedido de casamento foi tão lindo que sempre que me lembro do dia eu choro.

 

FLASHBACK ON

 

- Pode abrir os olhos meu amor!

 

Assim que os abri, percebi que estava em um terraço de um prédio super alto e assim que dei mais alguns passos para frente, jimin me agarrou pelas costas e eu observei a vista

 

- O que está tramando Jimin? – ele não disse nada. Apenas olhou para o céu azul e sem nenhuma nuvem e levantou meu rosto para que eu olhasse também.

 

Quando olhei, um helicóptero estava passando em cima do prédio mas havia algo preso ao helicóptero.

 

- Chega pra trás..

 

Fiz e vi que o que estava preso ao helicóptero era um ENORME faixa que continha as seguintes palavr

  Quer ser minha para sempre                                      Agatha?

 

Comecei a chorar e quando olhei para jimin, ele estava ajoelhado ao meu lado com uma caixinha de alianças aberta.

 

- Jimin... – tentei secar as lágrimas que desciam desesperadamente de meus olhos

 

- E então? Aceita?

 

FLASHBACK OFF

 

 E foi assim que meu Chimchim conseguiu fazer de mim a pessoa mais feliz do mundo.

 

 

 

      Eu preciso do seu amor

    Eu preciso do seu tempo

                    Quando tudo dá errado, você faz dar certo

                  Me sinto forte, me sinto viva

 Eu preciso ser livre com você esta noite

 Eu preciso do seu amor

 

                                                                                                                O FIM?.....


Notas Finais


https://spiritfanfics.com/historia/imagine-jimin--incesto-6244322

siiiim, é baseada um incesto e já estamos no cap quarenta. até a proxima meus queridjus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...