História I Like That - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Eren Jaeger, Levi Ackerman "Rivaille"
Tags Ereri, Riren, Sofrência
Exibições 435
Palavras 1.138
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Aehooo, aqui está minha one Ereri. Ficou curta? Pra caralho. Eu gostei do resultado? Mééh. Me arrependo? Claro que não, monamú.

Capítulo 1 - "I Like You, I Love You" - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction I Like That - Capítulo 1 - "I Like You, I Love You" - Capítulo Único

Eren encarava a foto que queimava diante de si, aonde um moreno alto abraçava a cintura e beijava um outro garoto de estatura levemente mais baixa. Lágrimas desciam como água em uma cachoeira pelos seus olhos, lembrava do momento em que colocara o temporizador na câmera e tirara a foto, que agora se tornara parcialmente cinzas. Mas ele não se arrependia. Sempre conversava com seus amigos e sempre recebia as mesmas respostas: "Você foi se apaixonar justamente por um babaca. Francamente, Eren", "Ele não te merece, você é melhor que isso". Mas Eren não queria escutar seus amigos, queria ficar ao lado do "amor de sua vida", como o chamava.
— Você nunca estará satisfeito comigo, esse é o tipo de pessoa que você é. — as lágrimas pareciam escorrer com mais voracidade enquanto encarava a foto que se dissolvia lentamente em chamas, deixando uma fumaça com um cheiro insuportável para trás — Eu odiei ter te conhecido, Levi.
   O moreno sabia que aquele ódio não duraria, era só o francês bater em sua porta qualquer dia que Eren iria se derreter. Eren odiava a si mesmo, mas acima de tudo, amava Levi.
   O mais alto até fingia não notar quando o menor mandava piscadas ou acenos para outras pessoas quando saíam em um encontro. Fingia não perceber todas aquelas conversas duvidosas no celular do pequeno, e até mesmo quando escutava gemidos vindos do quarto de Levi sempre que passava para visitá-lo, porém não podia reclamar, apesar de sempre receber juras de amor do menor, nunca haviam assumido um compromisso sério. "Eu gosto de você, eu te amo" ele dizia, e Eren sempre voltava para si.
   Escutou batidas na porta e foi tirado de seus devaneios, o moreno então deu descarga no resto da foto que não havia queimado e se levantou do chão do banheiro, caminhando em direção à sala.   Não se surpreendeu quando viu seu pior pesadelo em forma de gente parado na porta, com um olhar necessitado, logo envolvendo o pescoço de Eren com os braços fortes.
— Eu preciso de você, Eren. — disse em um tom manhoso, começando a empurrar o mais novo para dentro da casa, chutando a porta com o pé para fechá-la.
— Levi, por favor... — perdeu o fio da meada quando sentiu os lábios delicados do citado contra os seus de forma lenta e romântica. Sempre apreciou essa qualidade em Levi: o mesmo dono de beijos tão doces conseguia dar beijos fortes e lascivos, tão efetivos quanto. Só teve tempo de perceber o pequeno segurar suas costas e o fazer envolver suas pernas envolta da cintura de Levi. Mas Eren não reclamou, deixou o menor subir as escadas consigo, ainda sem quebrar o beijo, e o jogar na cama com brutalidade, retirando sua camisa, e logo depois, se colocar entre as pernas do maior. O mais alto iniciou outro contato labial, dessa vez um mais afoito, mostrando todo o desejo que sentiam um pelo outro, sentiu sua camisa de botões ser aberta e retirada de seu corpo pelas mãos ágeis do menor.
   Levi decidiu ser mais ousado e desceu os beijos até a clavícula descoberta de Eren, dando um chupão que claramente ficaria roxo daqui a pouco, arrancando um gemido de excitação do mais novo.
Suas mãos logo foram parar nas calças de moletom que o moreno usava, uma vez que estava em casa e poderia ficar mais à vontade. Assim que retirou a peça, suas mãos passearam livremente pelo ventre alheio, arrancando suspiros e gemidos variados, em tons de súplica. O de cabelos negros voltou à dar atenção aos lábios do moreno, mordendo carinhosamente o lábio inferior alheio, terminou dando uma leve puxada só para provocar. Pôde então finalmente terminar de arrancar a cueca do mais alto, iniciando uma massagem lenta e prazerosa no falo que já se encontrava pulsante. E foi escutando os gemidos arrastados e viciantes de Eren que retirou sua própria calça e cueca, com certa pressa pela vontade que tinha de tomar o moreno para si.
   Levi retirou sua mão do membro alheio somente para colocar a camisinha em seu próprio membro, pois estava afoito demais para fazê-lo somente com uma mão, e como se para provocar, Eren levantou seu próprio tronco e iniciou uma série de mordidas envolta do pescoço do mais baixo. Quando finalmente conseguiu cobrir seu falo com o preservativo, deitou novamente Eren na cama, colocando as pernas do moreno em seus ombros. Passou um pouco do lubrificante que geralmente ficava encima da cômoda por toda sua extensão e sem cerimônias, penetrou Eren.
   O moreno gemeu alto porém logo foi calado com um beijo lascivo, cheio de chupões e mordidas. As mãos do maior encontraram seu caminho até as costas alheias, começando uma série de arranhões intensos, fazendo Levi arfar e aumentar ainda mais a velocidade das estocadas. Os gemidos começaram à entrar em uma sintonia prazerosa, tanto para os participantes quanto para qualquer um que fosse escutar. Eren não conseguia deixar de sentir prazer com as investidas completamente insanas e rápidas de Levi, que por sua vez sentia a dor de ter suas costas arranhadas se combinar com o prazer de estar dentro do moreno.
   O mais baixo observou carinhosamente a marca que deixara em Eren mais cedo começar à criar cor, e se dirigiu até o pescoço alheio, dando outro chupão de mesma proporção, com o intuito de mostrar que Eren era seu, de mais ninguém. Somente seu. Falando no moreno, este sentia que poderia desmaiar de prazer à qualquer momento, a excitação que estava sentindo era quase palpável, era sempre assim quando transava com Levi, sentia que estava nas nuvens, ou melhor, no espaço.
— L-Levi, eu vou... Mmm! — mal conseguira terminar a frase já que o mais baixo aumentou consideravelmente a velocidade das investidas, acelerando o processo de ejaculação do mais novo, que não tardou à chegar. Levi durou apenas mais alguns minutos até ele próprio se desmanchar dentro do maior, gemendo o nome de Eren de um jeito arrastado e rouco. Encarou a figura um pouco abaixo de si: o moreno estava com os olhos fechados, ofegante, com a boca semi-aberta, provavelmente em busca do oxigênio que seu nariz não poderia lhe trazer. Levi sorriu de canto e lhe beijou calmamente, logo depois se jogou ao lado de Eren na cama, entrelaçando seus dedos. O moreno moveu sua cabeça até que esta se encontrasse encima do peitoral de Levi.
— Eu gosto de você, — começou o mais velho — eu amo você.
   O maior suspirou e fechou seus olhos, sentindo uma lágrima solitária se desprender e cair em direção ao peito do francês, ditando em voz baixa:
— Dentre todas as mentiras que eu já ouvi esse ano, essas são as melhores. Eu gosto disso.


Notas Finais


Gente, desculpa qualquer erro, n revisei.
P.S.: Levi é um canalha mesmo, não me batam
Beijos, até a próxima :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...