História I like you (Imagine Kim Namjoon) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, Rap Monster
Exibições 77
Palavras 2.810
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Me desculpem por não ter postado ontem (terça-feira) o celular da minha mãe que eu escrevo as fanfics, ent.... Eu quebrei, mas relaxem, consertei hoje e meu tbm, então acho que amanhã tem cap novo porque eu não consegui terminar.

Boa leitura ^^

Capítulo 4 - Bônus Part. 3 Escolha


Fanfic / Fanfiction I like you (Imagine Kim Namjoon) - Capítulo 4 - Bônus Part. 3 Escolha


A praça de alimentação estava lotada, então eu e Jinyoung preferimos ir procurar algum lugar foram do shopping, mas antes tínhamos que guardar as coisas no carro.

- Ei, tem um restaurante logo ali. - Disse apontado pro lugar.

- Ótimo, não vou precisar andar tanto com você bêbada. - Falou sorrindo e travou o carro.
Fomos andando até o lugar que aparentemente estava vazio para uma sexta-feira, mas presumi que era por causa da hora, entramos e logo avistamos uma mesa perto da janela, nos sentamos e pedimos algumas garrafas de soju e aperitivos para acompanhar.

- Então, como você virou podre de rico sendo que você roubava os almoços dos nerds da escola porque não tinha dinheiro pra comprar um biscoito? - Era uma triste realidade, os pais do Jinyoung morreram quando ele era muito novo, os avós nunca deram a cara então ele teve que ser criado pelos tios que usavam o dinheiro que o pai dele deixou para ele com os três primos do próprio, o deixando a maioria das vezes sem dinheiro pra comprar almoço.

- Bom, você sabe que... Meus tios pegaram todo o dinheiro que meu pai deixou pra mim e gastaram neles e nos meus primos. - Assenti e coloquei os cotovelos na mesa com as mãos na bochecha enquanto ele falava. - Eles gastaram todo o dinheiro a ponto de ficarem sem nada, os pais do meu pai, meu avós no caso, nunca souberam de mim, disseram que nunca haviam recebido as cartas que eu mandei nem nada. - Cartas que eu o ajudava, mesmo ele sendo um babaca eu tinha pena dele. - Resumindo, meu avô é um dos sócios do escritório de advocacia do senhor Kim e CEO da JYP. - Após ele falar os nosso pedidos chegaram, o garçom colocou tudo na mesa e seguiu para outra.

- E seus tios? - Indaguei colocando as carnes na grelha já que aquele era o tipo de restaurante que você faz sua própria comida.

- Nesse momento eu acho que eles estão fechando o micro-negócio de vender peixe na praia e bolachas de arroz no sinal. - Rimos. - Eu sei que é crueldade, mas eles merecem.

- E você não pensa em ajudar eles? - Continuei a assar as carnes.

- Eles gastaram 3 milhões de dólares, ________ isso é muito dinheiro, quando se põe no banco a cada 1 milhão você recebe meio, 500 mil dólares por mês de juros que o banco paga a você por estar depositando tanto dinheiro assim, converte isso em wones e vê quanto dinheiro eles queimaram por nada. - Ergui as mãos para fazer as contas e acabei me perdendo. - Não adianta contar, é muito dinheiro. - Disse pegando minhas mãos, mas logo se afastou.

- Uau, isso é realmente trágico. - Eu ri mais foi sem querer.

- Ainda bem que meus avós me acharam antes de eu entrar para a faculdade, fiz administração de empresas e agora trabalho da JYP, uma das The3 da Coréia. - Ele parecia se vangloriar.

- Parabéns. - Bati palmas e coloquei alguns pedaços de carne assada no prato dele.

- E você, é bióloga? - Indagou e colocou um pedaço inteiro de carne na boca.

- Sim, queria muito fazer medicina, mas... É muita responsabilidade, então eu virei bióloga, para cuidar das plantas.

- Uma médica de plantas? - Ele me interrompeu.

- Sim. - Sorri e coloquei soju no meu copo e no dele.

- A que vamos brindar? - Indagou levantando o seu copo.

- Ao começo de nossas carreiras? - Indaguei pensativa.

- Que elas sejam bem sucedidas. - O mesmo chocou o seu copo contra o meu virando-o em seguida, e eu fiz o mesmo.

                                 [...]

Umas 15 garrafas de soju depois eu já estava completamente embriagada, Jinyoung pagou a conta e como havia previsto teve que me carregar até o carro.
Não que eu quisesse mais eu acabei falando tudo o que tinha acontecido no meu dia, incluindo o acontecimento com a senhora Kim, desabafei tudo confesso, e ainda chorei um pouco. Apenas me lembro de dormir e acordar com Namjoon me pondo na banheira de água quente.

- Oppa? O que está fazendo aqui? - Indaguei o mirando, ainda estava com a visão embasada e sentia meus olhos pouco inchados.

- Estou dando banho em você, não está vendo? - Falou passando a mão por todo meu corpo.

- Como vim para aqui?

- Eu te trouxe, tirei suas roupas e te carreguei até aqui. - Sorriu.

- Safado, fez isso só pra me ver nua. - Virei o rosto pro lado.

- Também, seu corpo a cada dia está mais bonito. - Sorriu novamente. - As vezes é difícil me controlar perto de você.

- Apenas me dê um banho e me leve pra cama, estou com sono. - Reclamei em um tom pouco manhoso e ele assentiu.
Depois de um tempo eu já estava na cama, seca e vestida com uma camisola pouco reveladora que Namjoon escolheu alegando que era a única que tinha achado. Tentei ficar acordada para ao menos conversar com ele, mas o sono foi maior que meu corpo de 1,61 então eu dormi.

POV's Namjoon ON

Saí do escritório mais tarde do que imaginava, minha mãe veio com essa história de casamento pra cima de mim e agora não larga do meu pé. Ela pôs na cabeça de Miho que eu abandonaria a _________ pra casar com ela porque a senhora Kim Hyejung quer. Agora entendo a pressa de Kyunjoon para sair de casa. Fui até o apartamento da _________ toquei a campainha milhares de vezes mas ninguém atendeu então presumi que ela não havia chegado em casa, estava pesando em mandar uma mensagem quando vi ela sendo carregada por alguém que eu não consegui ver o rosto, mas quando chegou perto tive certeza de quem era.

- Park Jinyoung? - Indaguei parando-o.

- Namjoon-ah olá! Quanto tempo, pode me ajudar a levar a ________? - Indagou sorridente, como se houvesse algum palhaço na frente dele.
Peguei a ________ e ele voltou para o carro, a levei pra o apartamento e a deitei no sofá. Quanto aquele cara a embebedou? Será que ele fez alguma coisa com ela?
Ouvi a campainha tocar então fui atender.

- Ela esqueceu as roupas. - Ele me entregou quatro sacolas.

- O que você quer? - Indaguei.

- Apenas conversar. - Respondeu colocando as mãos no bolso.
Entendi o que ele provavelmente queria então deixei as sacolas dentro do apartamento e fechei a porta com a chave que continha a senha do mesmo dentro de um chaveiro.

- Pode falar. - Me encostei da porta. - Seja breve.

- Enfim, eu comprei um colar e duas alianças para a _________, e esses presentes vão que chegar a ela por mim e por você.

- O que está querendo dizer? - O interrompi.

- Você irá ter que escolher um desses dois para dar a _________, se escolher o colar significa que você irá se casar com Miho, a nora que sua mãe tanto deseja. Se escolher as alianças terá que se casar com a _________. - Disse na maior cara de pau do mundo.

- E quem garante que eu irei fazer isso? - Indaguei arqueando uma das sobrancelhas.

- Não vê o sofrimento por qual sua namorada está passando? Um namorado ausente, uma sogra que a despreza e agora arruma uma garota para ser noiva de seu filho. Acha mesmo que vai iludir seus pais com o Kyunjoon fez? - Ele sorriu sarcasticamente. - Namjoon, não existem argumentos para te salvar nesta situação.

- Ela me ama, esse é o importante, ela me ama e eu a amo. - Ele realmente acha que que a _________ vai me largar por um babaca que a encheu a vida toda? Ata, ela vai sim.

- Ama tanto que me olha com desejo. - Ele riu e deu as costas. - Pense com cuidado Namjoon, e escolha com sabedoria.
Ele continuou andando até sumir pelo corredor.
Aquelas palavras ecoavam na minha cabeça o tempo todo, e continuaram depois que a __________ foi dormir, ela teria que escolher um de nós e Jinyoung estava em vantage porque querendo ou não, ele a conhece a mais tempo que eu, mesmo ele a importunando no ensino médio assim como me importunando também, eles tem uma coisa que não pode ser comparada com alguns anos de convivência, precisava de algum plano.
Lembrei-me de meu hyung, Yoongi, desde que ele saiu em turnê com sua banda eu mal o tenho visto e nem falado com ele, o mesmo sempre me deu bons conselhos, com certeza ele poderia me ajudar agora.

- Monster! Quanto tempo! - Falou animado após atender o telefone.

- Sim hyung, soube que está em Santiago, como vai o tempo aí? - Indaguei saindo do quarto em que a ________ estava dormindo.

- Está um pouco frio, mas nada que o bom aquecedor não resolva. - Sorri.

- Você deve estar feliz já que não está reclamando que está cansado ou que eu tenha te acordado.

- Na verdade você me acordou, mas não tem problema, queria escutar a voz de alguém conhecido a anos. - Ele riu.

- Preciso de ajuda. - Falei após ver que ele parou.

- Problemas no paraíso?

- Sim, um babaca ta querendo ficar com a _________ já que minha mãe arrumou uma noiva pra mim, ele pediu pra eu decidir se vou ficar com ela ou não, e se eu ficar vou ter que pedi-la em casamento. - Coloquei a mão livre que tinha no bolso e comecei a andar pela sala.

- E qual o problema? Você não quer se casar? - Indagou.

- Claro, é o que eu mais quero, porém eu não sei se ela vai aceitar, já conversamos sobre casamento e ela sempre deixa bem claro que não quer se casar cedo e nem forçada. - Suspirei.

- Ela é do tipo de garota que tem um tempo, entendo, mas mesmo assim eu tenho uma idéia. - Yoongi costumava ter vagas idéias que precisavam de ajustes, mas ainda sim eram uma grande ajuda.
Ele explicou todo o seu plano e depois teve de desligar porque um garoto o chamou pra comer. Nos despedimos e eu voltei pro quarto, a __________ ainda dormia calmamente, me deitei do lado dela e a abracei.

- Onde estava? - Indagou com a voz pouco rouca.

- Na sala, não conseguia dormir. - Respondi acariciando sua cabeça.

- Então durma agora, hm? - Ela me abraçou fortemente e dormimos ali mesmo, daquele jeito.

POV's Namjoon OFF

POV's ___________ ON

Acordei com um cheiro delicioso de frango assado, na Coréia não costumamos comer carne vermelha no café da manhã, e por isso quando o Namjoon faz ele sempre assa frango, faz arroz e ainda compra uma sopa de algas no mercadinho que tem aqui perto de casa. Quando cheguei na cozinha não o vi, apenas um bilhete em cima da mesa escrito "Vou voltar as 11:30 se arrume pois vamos almoçar juntos." Entendi quem ele queria almoçar comigo pra descontar tanto tempo longe, mas eram oito da manhã de um sábado, eu queria ficar na minha cama assistindo alguma coisa, comi tudo e lavei os pratos que eram poucos, Namjoon quando cozinha sempre limpa sua bagunça, mesmo quebrando uns pratos as vezes.
Fui pro meu quarto, me deitei na cama e liguei a TV, fiquei assistindo até umas dez horas, reclamei mentalmente por ter que me arrumar pois sabia que Namjoon iria me levar em algum lugar de luxo, então nem pensei muito peguei uma das roupas de comprei com Jinyoung, na verdade ele que comprou pra mim, vesti a que me dava mais ar boa moça, no caso o vestido com o blazer vermelho, e uma sapatilha bege. O cabelo graças ao bom e justo Deus Namjoon tinha lavado, só ele tem paciência de lavar. Então eu dei um jeito de deixar ele solto, borrifei um pouco de perfume no meu corpo e as onze eu estava pronta. Sentei no sofá e mandei mensagem pra Namjoon.

[Eu] Oppa, vai demorar muito pra chegar?

[Oppa ♡♡] Já estou no elevador, tenho uma surpresa pra você.

Depois de um tempo ouvir a campainha tocar, peguei a pequena bolsa que carregava e fui atender.

- Você é a namorada do hyung? - Vi uma criaturinha doce de jovial segurando a mão de Namjoon. Ele era tão fofinho que eu não resisti.

- Sim, sou a namorada do seu hyung. - Respondi sorridente me inclinando em direção a ele. - Prazer, meu nome é ________. - Falei apertando a pequena mãozinha dele.

- Meu nome é Kim Heejoon, é um prazer conhece-la noona. - Ele apertou minha mão e logo a soltou.

- Então, podemos ir? - Namjoon indagou e nós dois assentimos. Fechei a porta e peguei a mão de Heejoon indo para o elevador.
Não me lembro de Namjoon ter me contado de ter um irmão mais novo, que eu saiba ela era o irmão mais novo de Kyunjoon.
Como eu tinha previsto ele nos levou a um restaurante de luxo, a maior parte do tempo Heejoon preferiu ficar perto de mim alegando que seu hyung quebra as coisas e põe a culpa nele. Foi fofo quando Namjoon tentou brigar com o irmão, mas o ambiente em que nos encontrávamos não propício para esse tipo de comportamento.
Depois do almoço Namjoon nos levou a um parque de diversões que tinha perto do restaurante, Heejoon ficou muito animado e queria de todo jeito que o hyung largasse sua mão e por isso eu tive que segurar ele para que fugisse.
Fomos em muito brinquedos e finalmente o pequeno ficou cansado, ainda não estava escuro já que eram quatro da tarde, mas ele deitou-se em meu colo e dormiu.

- Você não me disse que tinha um irmão mais novo oppa. - Disse chamado a atenção de Namjoon.

- Você nunca perguntou. - Ele sorriu.

- Quantos anos ele tem? - Indaguei tirando os fios de cabelo do rosto do pequeno.

- Vai fazer sete semana que vem. - Respondeu me encarando. - Ele não é meu irmão se sangue, depois de mim minha mãe não pôde ter mais filhos.

- Então ele...

- É adotado. - Ele me interrompeu. - Meu pai queria outro filho e como minha mãe não pôde ter mais filhos eles adotaram o Heejoon, ele era muito pequeno quando chegou, e minha mãe nunca deixou ele sair de casa e nem nunca mostrou ele quando alguém ai lá.

- Ele tem os seus olhos Nammie... - Heejoon querendo ou não me lembrava Namjoon, tanto seu sorriso quanto seu jeito de agir.

- Precisamos ir, vamos passar o fim de semana com o Heejoon, minha mãe viajou pra Paris com a Miho e meu pai ainda está nos Estados Unidos. - Disse se levantando.

- E o Kyunjoon?

- Ele vai ficar cuidando do escritório. - Ele pegou Heejoon no colo e eu peguei os brinquedos que o mais velho havia ganhado para nós dois.
Fomos até o carro e como Namjoon não é nada delicado eu coloquei Heejoon na cadeirinha e sentei ao lado dele para que ele não se sentisse sozinho quando acordasse, eu acabei dormindo também e só acordei com o pequeno me chamando.

- Noona, noona acorde, já chegamos. - Ele me balançava suavemente.

- Já vou Heejoon. - Falei me levantando e ele pegou me mão e me guiou até fora do carro.
Não estávamos no estacionamento do meu prédio e sim em frente a um casa com um jardim enorme. A casa era pouco pequena e tinha uma entrada pro carro. Eu não conseguia me localizar, nunca fui naquele lugar e muito menos conhecia. Quando ia perguntar a onde estava ouvi Namjoon sair da porta principal dizendo:

- Bem-vindos a nossa casa por dois dias. - Disse sorridente e abrindo os braços.

- Eba! Vou passar o fim de semana com o hyung! - Heejoon soltou minha mão e foi até seu irmão.

- Um pergunta, precisamos de algumas roupas não? - Indaguei me aproximando dos dois.

- Tem uma mala de roupas minhas e do Heejoon no meu carro, eu posso ir no seu apartamento e pegar algumas roupas. - Falou pegando o mais novo no colo.

- Eu fico com a noona, você vai pegar algumas roupas pra ela hyung. - Heejoon falou olhando pro mais velho.

- Posso? - Namjoon me indagou e eu assenti.
Peguei minha chave na bolsa que estava e a entreguei na mão dele, Heejoon veio para meu braço e após o mais velho partir com o carro nós dois entramos na casa e começamos a andar pela mesma.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, não tenho previsão pra quando o próximo deve sair, mais mesmo assim até ^3^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...