História I lived to love you - Capítulo 28


Escrita por: ~ e ~stefanylopes02

Postado
Categorias Arrow, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Detetive Joe West, Dra. Caitlin Snow, Iris West, John Diggle, Laurel Lance, Malcolm Merlyn, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Quentin Lance, Roy Harper (Arsenal), Thea Queen
Tags Snowbarry
Visualizações 94
Palavras 2.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Primeiramente: nos desculpem!
Eu e a Mi, estávamos com um bloqueio MEGA grande. A Mili principalmente. Eu fiz esse capítulo pra não deixar vocês na mão e também, porque eu detestaria ter que deixar essa fic em Hiatos. Sim, nós pensamos em Hiatos, mas eu não conseguiria fazer isso.
Eu não teria coragem, amo essa fic demais, mesmo não tendo escrito ela desde o começo, mas amo.
Eu tenho outras fanfics (sendo elas do Justin Bieber) e junto com essa, são meus xodós, não abandonaria por nada. Então, mas uma vez nos desculpem❤

Capítulo 28 - Mundo alternativo: Parte 1


Fanfic / Fanfiction I lived to love you - Capítulo 28 - Mundo alternativo: Parte 1

            P.o.V Barry Allen

Merda Barry! De novo?! Isso! Eu estou em outra Terra ou no futuro... Eu não sei!

Mais que droga! Será que eu só faço merda?

Tá, calma Barry, vamos pensar, primeiro eu tenho que descobrir onde eu estou.

Eu achei um jornal jogado no chão, então eu peguei e vi a data, ótimo eu estou em 2017. Eu, provavelmente, só estou em outra Terra. Então eu corri até o lugar aonde o laboratórios Star se encontrava, mas ele não estava lá. Então eu entrei no banco de dados da delegacia mais próxima, baixei um programa que o Cisco me encimou a usar para buscar pessoas em qualquer Terra e comecei a procurar pelo o Cisco e a Cait. Pelo o que eu consegui encontrar, Cisco é o prefeito?! Mas antes de ser prefeito ele era professor do ensino médio! Ok, muito estranho. então eu comecei a procurar por mim mesmo dessa Terra, e... O que?

Eu sou um ator de cinema, formado em bioquímica? Estranho!

Tudo que eu consegui achar sobre Cait é que ela é professora da 3° série, e mais nada, nem endereço, nem telefone, absolutamente nada.

Isso está muito estranho.

eu vou procurar o "meu" endereço dessa Terra. Comecei a pesquisar na minha ficha.

- Achei! - Disse a mim mesmo.

Será que é uma boa ideia ir lá? Eu acho melhor não. Eu vou tentar voltar sozinho, mas antes eu preciso comer alguma coisa, se não eu não vou ter forças para voltar. Vi que tinha alguns dólares no bolso, dava para comer um cachorro-quente, tomara que essa Terra aceite dólares.

Eu estava em um parque nessa Central City, então provavelmente teria algum carrinho de cachorro-quente em algum lugar. Estava andando normalmente pelo parque procurando um carrinho de cachorro-quente, até que eu esbarrei com um cara.

- Me desculpe. - disse olhando para ele. Mas quando eu percebi,  ele era o "meu" eu dessa Terra.

- Você é exatamente igual a mim. - Disse após me analisar. - Você é o meu dublê? - perguntou o meu "eu" dessa Terra.

- Não! - Disse praticamente gritando. - Quer dizer, eu acho que não sabe? - Coçei a nuca em forma de nervosismo.

- Ham, ok então, bom eu tenho que ir, tchau cara.- falou ele indo embora.

Essa foi por pouco.

Bom agora eu vou comer e ir embora.

Por sorte essa Terra aceita dólares, então eu comprei um cachorro quente, comi e fui para uma rua deserta e comecei a correr. Mas não estava funcionando. Eu tentei umas 50 vezes e nenhuma vez deu certo. Ótimo eu vou precisar de ajuda! Eu vou procurar o meu "Eu" dessa Terra, e vou pedir ajuda para ele, por sorte eu lembro do endereço.

Fui até o seu endereço e bati na porta. Esperei alguns segundos e a Íris dessa Terra atendeu surpresa.

- Você é algum dublê ou algo do tipo? - perguntou ela, visivelmente confusa ao me ver.

- É... Sou sim, eu poderia falar com o Barry por favor? - Pedí.

- É claro, entre, fique a vontade eu vou lá em cima chamá-lo - Íris disse subindo as escadas.

Eu comecei a olhar em volta, a casa é linda, digamos que ela é bem luxuosa.

Alguns minutos depois Barry descrias escadas junto com Íris.

- Bom Barry, eu já vou, até logo. Ah! Tchau dublê do Barry. - Falou Íris saindo.

- Ok, vamos lá, do que você precisa? - Perguntou ele sentando no sofá à minha frente.

- Bom, eu preciso que você tenha uma mente aberta. Lá vamos nós. - Eu comecei a falar tudo o que aconteceu para ele. Desde a explosão do acelerador de partículas até agora.

- Deixa eu ver se eu entendi... Existe várias Terras no universo. E em uma delas você é um velocista que é considerado um herói. E com a ajuda dos seus amigos dos laboratórios star você salva o mundo, e agora você precisa da minha ajuda e do meu conhecimento para voltar para a sua Terra. é isso? - Ele perguntou.

- Basicamente. - Respondi, então eu olhei para o lado e vi uma fotografia, nessa fotografia estava Cait e eu.

Será que nessa Terra nós também namoramos?

- Você conhece uma mulher chamada Caitlin Snow? - Perguntei. - Ela é minha namorada no meu mundo.

- Caitlin? Caitlin Snow? - ele perguntou atordoado.

- Sim, minha namorada, e futuramente minha noiva. - Disse sonhador. Eu quero muito casar com Caitlin, muito mesmo.

- Bom, é uma longa e trágica história, mas se você quiser eu te conto. - Assenti com a cabeça. - Bom, esse foi um dia que me assombra até hoje. Era uma fria noite de inverno...

~flashback on~

P.o.V Narrador (a)

Era uma fria noite de inverno. A neve estava caindo lentamente pela janela, na casa dos Allen's. A senhora Allen havia feito chocolate quente com chantilly e marshmallows.

O chocolate quente perfeito, na visão do senhor Allen.

O casal estava imensamente feliz, pois faltavam pouco menos de um mês para o nascimento do seu primeiro filho, bem, primeira filha na verdade. Claro, o senhor Allen queria um menino, mas ficou muito feliz com a notícia de ser uma menina, ela seria sua princesinha.

Era incrível, depois que eles se casaram Caitlin começou a cozinhar imensamente melhor, Barry estava sentado no sofá, esperando a sua mulher, sua esposa, Caitlin já estava de 8 meses, últimos momentos da gravidez, Caitlin então chegou com duas xícaras de chocolate quente fumegante nas mãos.

- Espera que goste, querido. - Disse Cait com um sorriso lindo nos lábios. Como Barry era apaixonado por aquele sorriso. Cait se sentou no colo do marido enquanto ambos tomavam um pouco dos seus chocolates quentes.

- Eu sempre gosto, afinal, é minha linda esposa que o faz. - Barry beijou os lábios de sua esposa de forma suave e apaixonada. - E como vai minha princesa? - Perguntou se aproximando da barriga de 8 meses de sua amada.

- Bem, ela está quieta hoje. Nem parece filha do grande Barry Allen, o melhor ator do momento. - Ironizou Cait. Barry riu do comentário de sua mulher e beijou sua barriga, logo começando a acariciar a mesma de forma tão carinhosa. Caitlin amava ver o carinho que seu marido tinha por sua filha.

- Oi querida, é o seu pai. - Começou Barry a "conversar" com sua filha. - Sua mãe está linda não é? Ela sempre foi na verdade, desde a primeira vez que a vi. Tão linda. Ainda lembro de como os cabelos dela voavam conforme ela pulava e corria pela grama do parque.

Naquele momento os ares na casa dos Allen era de pura alegría e amor...

Mas aquilo não ia durar muito tempo.

Um estrondo ecoou pela casa, fazendo com que os Allen se assustarem.

- Barry, o que foi isso? - Perguntou Cait ao seu amado.

- Vá para cima Cait... - Antes que Barry terminasse, a sala foi invadida por três homens mascarados, todos de preto.

- Mãos pra cima os dois! - Gritou o mais alto dos três. Barry automáticamente se pôs na frente de Cait, tentando a proteger. O casal recuou dois passos pra trás enquanto os bandidos começam a vasculhar e pegar todos os itens de valores na casa. - Onde fica o cofre? - O casal apenas pensava no bebê, eles tinham que manter sua filha a salvo. - ONDE FICA O COFRE? FALEM OU MATO A VADIA GRÁVIDA!

- Lá em cima. - Barry disse rapidamente. - No nosso quarto, e-eu abro pra vocês, mas por favor! Não machuquem minha esposa. - Barry temía mais que tudo pela sua família, pelas suas mulheres. Eles não podiam machucá-las.

- Nos mostre! - Eles começaram a andar, mas o mais gordo dos três os parou na escada.

- A mulher fica.

- Não eu...

- Tudo bem amor, tudo bem. - Barry tentou acalmar a esposa quase soluçando de tanto chorar. - Tente ativar o alarme perto da porta da cozinha. - Ele sussurrou no ouvido da amada e depois começou a subir rumo ao quarto do casal junto aos outros dois ladrões. Ele adentrou no quarto e foi até o quadro em cima da cama com a foto do casal na torre de Paris, onde os mesmos estavam passando a lua de mel, Barry retirou o quadro e em seguida a madeira falsa colada na parede, revelando o cofre. O moreno digitou a senha e assim que feito a porta do cofre se abriu, mostrando as pilhas de dinheiro, não só de dólar, mas de várias outras como Euro, real, etc. - Aqui. Por favor peguem tudo, mas deixem eu e minha esposa em paz.

- Cala a sua boca engomadinho. - O cara mais baixo disse. - Vamos logo, pegue tudo. - Assim que o último monte de dinheiro foi colocado na mochila um alarme ensurdecedor ecoou pela casa, assim como o barulho de um tiro.

- CAITLIN! - Barry começou a correr até a sala sem se importar com os ladrões atrás dele. E assim que pôs seu pé no chão, foi como se ele nem tivesse mais em cima dele.

Barry não acreditava, não podia ser!

Não, não, não!

A imagem de sua esposa caída no chão com um amontoado de sangue no lado esquerdo de sua barriga era assustador!

Ela havia levado um tiro!

Quando os bandidos passaram por ele quase o derrubando, Barry finalmente "acordou" e correu para sua esposa.

- Meu Deus, não! Não, não, não, por favor!

- O QUE VOCÊ CARA? - Gritou o mais alto para o baixinho que olhava o casal apavorado, fora ele quem atirou nela. Mas caramba, ela tentou fugir! Pensou o ladrão. Agora já era tarde demais pra se lamentar. - VAMOS EMBORA ANTES QUE A POLÍCIA CHEGUE! - Os ladrões saíram correndo pelos fundos da casa de onde entraram, deixando apenas o casal na sua casa.

- C-chame a ambulância, Barry. - Sussurrou Caitlin, eles tinham que salvar a sua filha, ela era a única que importava. - Por favor, ligue pra ambulância. Nossa filha, Barry, ela precisa ser salva.

Barry assentiu e pegou o seu telefone que só agora havia notado que estava no seu bolso. Ele discou o número enquanto sussurrava palavras reconfortantes para a sua esposa.

(...)

Horas haviam se passado desde que os Allen haviam dado entrada no hospital. Caitlin tinha sido levada para uma sala de cirurgia imediatamente, mas horas se passaram e nenhuma notícia havia chegado a Barry. Ele estava destruído, só queria sua esposa e filha a salvo.

Será que é pedir demais, meu Deus?

Pensou enquanto batia freneticamente os pés no chão.

- Vai ficar tudo bem, Barry. - Íris, sua irmã, o consolava.

- E-eu não quero perdê-las, Íris.

- Você não vai, ok? Vai ficar tudo...

- Responsáveis por Caitlin Allen? - O médico surgiu e rapidamente Barry levantou da cadeira, mas a expressão na face do médico fez com que Barry sentisse que devia sentar novamente.

- Eu sou o marido dela, Barry Allen.

- Eu sinto muito senhor Allen, nós tentamos salvar as duas. Mas a bala havia acertado a bebê, ela já nasceu morta. - O médico disse cabisbaixo, era difícil pra qualquer médico dizer aquilo. - Eu sinto muito mesmo.

- Não...

~Flashback Off~

P.o.V. Barry Allen

- Caitlin e eu nunca mais fomos os mesmos. - O meu segundo eu suspirou. - Ela não conseguia olhar na minha cara, ela simplesmente não conseguia ficar no mesmo lugar que eu sabe? Então ela pediu divórcio e nunca mais apareceu na minha vida. Ainda é muito doloroso pra mim lembrar, mas eu segui em frente sabe? Tô tentando, claro que minha filha sempre vai estar na minha memória, mas eu tenho que viver. E eu queria que fosse com a Caitlin, só que ela mal olha na minha cara. Eu me sinto culpado e...

- A culpa não é sua! - O repreendi. - Olha, eu posso te ajudar. Tipo, com ela, se você ainda quiser ela é claro.

- Mas é claro que sim! E-eu ainda amo a Caitlin, apesar de tudo, eu ainda amo ela.

- Então eu vou te ajudar. Vamos reconquistar sua Caitlin!


Notas Finais


O que será que o Barry esta planejando? E essa história mega triste do outro Barry? Juro que escrevi esse capítulo com o coração apertado❤

Bom, como eu havia dito no capítulo anterior, nós mudamos algumas coisas na fic. Como o nome, Titulo e sinopse. E é só isso mesmo kkk
Não sei direito quando vamos postar outro capítulo, talvez só na sexta mesmo. Enfim, espero que nos entendam, também temos vida social kkkkkk
Até mais meus amores😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...