História I Love By Chance - Jimin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Rap Monster
Tags Aventura, Jimin, Kitsune, Romance
Visualizações 55
Palavras 3.217
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, Magia, Sobrenatural, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá bolinhos

Vocês acharam que eu iria deixar o aniversário do bolinho rei passar em branco?

Kitsune é uma lenda japonesa

Kitsune traduz para algo parecido com Espírito de Raposa

Espero que gostem

Capítulo 1 - Um acaso muito prazeroso


Fanfic / Fanfiction I Love By Chance - Jimin - Capítulo 1 - Um acaso muito prazeroso



- SAIA DE ONDE ESTÁ ESCONDIDA ! - Escuto ele gritando.

- Porquê? Você não vai conseguir me ver - Provoco.

- VADIA - Gritou jogando bolas de fogo para todos os lados.

- Você sabe que isso não vai me ferir - Falo apertando o cabo da minha katana, estava quase no momento certo eu só precisava que ele se virasse para o lado oposto.

- HUMANA INSIGNIFICANTE - Berrou se virando.

Bingo!

Sai de trás do pilar que eu estava me escondendo e corro em direção ao homem alto que estava de costas pra mim, uso alguns objetos que estavam no chão para pular e acerta no lugar certo.

- Eu não sou humana - Falo desferindo um ataque certeiro no pescoço do homem, o corpo caiu sem vida no chão e a cabeça rolou para longe.

Coloco a katana na bainha e e me aproximo da cabeça a pego segurando pelos cabelos e caminho em direção à saída, eu estava em algum lugar abandonado bem longe da cidade, abro a porta de trás do carro e coloco a cabeça enrolada em vários sacos para que nada ficasse sujo.

Ligo o carro e vou em direção a cidade, eu poderia ir direto para casa mas era preciso entregar a cabeça para receber o meu dinheiro  então fui até o Instituto, assim que entrei vi o Namjoon de costas para o balcão e mesmo sem ver oque ele estava fazendo eu sabia oque fazia ele ficar tão concentrado, me aproximei tentando nao fazer barulho e coloquei a cabeça no balcão vendo ele dar um pulo na cadeira e se virar assustado.

- Você demorou S/N.

- Tive um imprevisto - Falo tentando segurar a risada - Você não me avisou que  ele lançava fogo.

- Pensei que isso não fosse um problema.

- Normalmente não é mas hoje estou de mal humor, tive que me concentrar ou não iria receber o meu dinheiro.

- Bom você sabe como funciona, amanhã o dinheiro já vai estar na sua conta, vai querer mais um hoje?

- Esse desgraçado me tomou muito tempo - Falo me referindo a cabeça - Preciso de um tempo pra descansar.

- Nos vemos amanhã então.

Aceno com a mão e me viro para ir embora, eu estava realmente cansada de tanto seguir aquele cara, eu precisava saber um pouco sobre ele é a ficha que o Namjoon havia me entregado quando aceitei o trabalho só tinha informações básicas e o motivo para alguém querer ele morto nada além disso, por conta disso tive que descobrir sozinha algumas informações até finalmente conseguir levar ele para um lugar onde nenhum inocente iria se ferir e acabar com aquele trabalho, agora eu só queria voltar para deitar na minha cama e não sair de lá por um bom tempo.

Infelizmente não consegui seguir com os meus planos pois o som do meu celular tocando me fez acordar, peguei o aparelho e vi a hora antes de atender, haviam me acordado cinco horas antes do que eu previsto.

- Oque quer Somin?

- Acabou de voltar de um trabalho?

- Ainda pergunta.

- Enfim abaixe a barreira.


- Você está aqui?

- Sim.

- Você quase nunca vem até a minha casa.


- Preciso te mostrar um coisa .


Aquilo estava estranho, Somin era ocupada assim como eu e por conta disso eram raras as vezes que íamos uma na casa da outra, antes de abaixar as proteções peguei a minha catana, se algo aconteceu seria melhor eu já estar preparada para me defender, fiz um gesto com a mão e logo todas as barreiras que protegiam a casa estavam desativadas, fico em pé na cama e me concentro para tentar ouvir alguma coisa mas só ouvi o barulho que os saltos da Simon faziam ao bater contra o chão, ela abriu a porta do quarto e me olhou com uma sobrancelha erguida.

- Você é tão desconfiada de tudo.

- Sou prevenida é diferente.

- Não precisa de tanto.

- Tanto faz, mas oque veio fazer aqui?

- Vim te ajudar a se arrumar.

- Me arrumar pra que?

- Nós vamos sair hoje é não adianta me olhar assim - Falou me olhando seriamente.

- Eu não vou.

- Vai sim - Falou seria e vi seus olhos mudarem de cor ficando em um tom de roxo.

- Somin.

- Vamos S/N, nós nunca temos tempo para sairmos juntas.

- Eu estou cansada do meu último trabalho.

- Eu também estou mas quero passar um tempo com a minha melhor amiga.

- Aonde nós vamos?

- Surpresa - Falou animada - Coloque um vestido.

- Vestido?

- Sim, vou te esperar na sala.

Somin era muito persistente e eu sabia que se não concordasse com ela a mesma acabaria jogando tudo para o ar, essa era a pior parte de ser amiga de uma feiticeira.

Caminhei até o meu guarda-roupa e o abri procurando um dos últimos vestidos que eu ainda guardava, despois que me tornei uma mercenária tive que deixar de usar algumas coisas como vestidos e saias, tive que deixar de ser tão feminina mas uma das coisas que me recusava fazer era cortar o cabelo.

Depois de revirar todo o guarda-roupa  finalmente achei o vestido, ele era preto não era muito curto e tinha alguns detalhes com renda , não era chamativo, perfeito, eu sabia que a Somin iria insistir para eu colocar um salto então coloquei um não muito alto da mesma cor que o vestido, um maquiagem básica e em pouco tempo eu já estava pronta.


- Vamos S/N você precisa se soltar - Somin falava tentando me levar para dançar, uma balada, era essa a surpresa dela.

- Estou bem solta aqui - Falo dando mais um gole na minha bebida.

- Aish, tão teimosa - Resmungou desistindo e se afastando.

Ri da reação dela e me virei para o bar outra vez mas quando olhei para frente vi um homem me encarando, ele não aparentava ter mais de 22 anos e tinha um brilho cinza nos olhos, estranho , nenhum ser sobrenatural tinha os olhos daquela cor.

- Oque uma gata como você está fazendo sozinha aqui? - Sou tirada doa meus pensamentos com uma voz atrás de mim me fazendo virar.

- Com certeza não estava procurando por você - Falo ao ver o homem que estava atrás de mim, ele estava vestido formalmente de mais para ir até uma balada e tinha uma marca na mão, marca de aliança.

- Difícil, quero ver se é assim na cama - Falou tentando se aproximar mas o afastei.
- Sua esposa deve estar lhe procurando.

- O...Oque? Co...Como? - Gaguejou, mais uma vez eu havia acertado.

- Você tem a marca de aliança e a julgar pela forma que está vestido você ligou para ela e disse: "Me desculpe mas estou com muito trabalho vou chegar mais tarde hoje".


- Ela te contratou para me seguir?

- Não.

Ele saiu apressado sem dizer nada e eu ri baixo.

- Você é vidente ou muito boa de chute - Escutei alguém falando e logo vi o mesmo homem de olhar acinzentado do meu lado.

- Apenas sou uma ótima observadora.

- Interessante, Jimin - Falou estendendo a mão.

- S/N - Falo também estendendo a mão.

Assim que nossas mãos se tocaram senti como se um onde de eletricidade percorresse o meu corpo e pela forma que me olhou percebi que ele também havia sentido isso.

- Oque você é? - Perguntei.

- Eu ia perguntar a mesma coisa pra você, venha comigo - Falou se levantando indo em direção a saída e eu o segui.

Quando sai do local percebi que a tua estava deserta e não vi o Jimin e nenhum lugar, olhei em volta e senti uma presença atrás de mim, levei uma das mãos até a barra do vestido e o levantei discretamente tirando uma pequena faca que eu escondia em baixo do mesmo preso na perna, me virei e em um movimento rápido lancei a faca sem olhar quem ou pque estava atrás de mim e me afastei pronta para lutar caso não tivesse acertado.

- Ai - Escutei e quando olhei percebi ser o Jimin.

- Te machuquei? - Perguntei e vi ele tirar a faça que estava no seu ombro.

- Não, desculpa ter lhe assustado.

- Eu não estava assustada apenas me defendi.

- Enfim, eu te chamei aqui fora para te mostra uma coisa.

- Oque?

- Isso - Ele falou e começou a emanar uma energia avermelhada junto à uma luz que era muito forte ap ponto de eu ter que desviar o olhar e cobrir o meu rosto com a mão , quando senti que o luz havia voltado ao normal tirei  mão e me surpreendi ao ver ele.

Não era possível, não poderia ser, ele era igual a min, ele era um Kitsune.

- Você... - Tentei falar mas as palavras sumiram.

- Sim eu sou um Kitsune e sei que você também é.

- Como isso é possível? Sempre me disseram que eu era a única.

- Eu também ouvia isso.

==========×××××××××××××××=======

Depois daquela noite eu e Jimin começamos a sair, ambos queriam aprender um pouco mais sobre o outro e principalmente do que  éramos capazes pois não existiam muitas informação sobre os Kitsunes.

- Quantas  caudas você disse que tem mesmo? - Jimin perguntou outra vez, estávamos na casa dele.

- Três eu já te disse isso - Falo me deitando na cama dele.

- Eu não entendo.

- Oque?


- Nas histórias nos sempre temos nove caudas, isso não faz sentido.

- Só vamos ter as nova caudas quando completarmos 1000 anos, é isso que diz na lenda.

- Isso vai demorar muito - Falou de forma manhosa se jogando ao meu lado.


- Eu sei, vamos ter que esperar para descobrir se é verdade - Assim que terminei de falar escuto o meu celular tocando e atendo após ver que era o Namjoon.


- Mais um?
- Sim, esse vai ser fácil.
- A última vez que você falou isso eu quase morri.
- Mas não morreu, bom você ouviu falar do estuprador da Avenida Atalanta ?
- Sim, vou ter que matar ele?
- Isso, garota esperta - Zombou.
- Aish, em menos de duas horas eu vou estar ai com a cabeça dele.
- Ok.

- Mais trabalho? - Jimin perguntou assim que eu desliguei o celular.

- Sim - Falo levantando da cama.

- Eu quero ir com você.

- Tem certeza disso?

- Sim, se você estiver correndo perigo eu vou estar lá pra te salvar outra vez.

- Você não cansa de falar disso.

- Não.

Como a avenida era um pouco longe tivemos que ir de carro e Jimin estava dirigindo, nós  estávamos nos encontrando quase todos os dias, talvez fosse por acreditarmos que éramos os últimos da nossa espécie e não queríamos que o outro morresse, eu tentava me fazer acreditar nisso mas não era verdade, não da minha parte, Jimin havia me chamado muito a atenção naquela balada e depois de conhecer ele percebi o quanto ele era encantador, seria mentira se eu dissesse  que ele não mexia comigo pois sempre que ele me tocava mesmo que sem querer eu sentia aquela eletricidade percorrer o meu corpo e o meu coração quase saia pela boca, saio dos meu pensamentos quando sinto o carro parar.

- Pode ficar no carro eu não vou demorar - Falei abrindo a porta do carro e saindo.

- Tome cuidado - Falou em um tom preocupado.

- Não se preocupe você vai ter que me aturar por muito tempo ainda.

Ele sorri e eu começo a me afastar do carro, todas as notícias que eu li sobre quem eu teria de matar falavam que o homem se escondia em algum dos becos esperando que alguma mulher passasse pelo local, eu havia pedido para o Jimin estacionar um pouco longe para não chamar atenção então eu teria que caminhar até estar realmente na avenida.

Assim que entrei na avenida senti como se tivesse atravessado uma barreira  mágica, continuei a caminhar enquanto pensava sobre a barreira, apenas alguns feiticeiros  conseguiam fazer barreiras grandes o suficiente para cobrir um avenida inteira, escondi a katana no sobretudo que eu usava, se esse estuprador tivesse um feiticeiro como cúmplice isso seria um problema. Eu caminhava lentamente como se não estivesse com medo ou presa pra voltar para casa, passei por um beco e comecei a ouvri passos atrás de mim, me virei e dei de cara com um homem que aparentava ter trinta anos ou mais, era ele.


- Garota idiota, não viu os noticiários.

- Eu vi por isso estou aqui.


- Você estava me procurando?

- Sim, digamos que a sua cabeça está valendo muito dinheiro.

- Você não é humana - Falou dando um passo para trás.

- Talvez, está com medo?

- SUN HEE - Gritou e vi uma garota se materializar ao lado dele.

- Oque temos aqui? - Perguntou com a voz enjoativa.

- Eu sabia, uma barreira deixa muito na cara que tem uma feiticeira aqui.


- Oque é você? Trabalha para o Instituto?

- Quer mesmo descobrir oque eu sou? - Falo pegando a minha katana, aquilo iria acabar em um briga feia.

- Uma katana? - Riu de deboche - Acha que estamos em uma lenda?

- Saia da frente, preciso levar a cabeça dele ainda hoje.

- Criança idiota - Riu e com um simples gesto com a mão me fez voar para longe.

Bati com as costas contra a parede de uma das lojas e cai no chão, essa era a pior parte de lutar contra um feiticeiro, eles te machucam se ao menos encostarem em você, tento me levantar mas sou suspensa do chão e os meus pulmões começaram a pedir desesperadamente por ar, essa vaca estava me sufocando, se ela não parasse logo eu iria desmaiar e então morrer.

Sinto o meu corpo amolecer e cai no chão, com a visão embaçada vi a feiticeira também caída no chão e atrás dela alguém que eu não conseguia ver o rosto mas vi o brilho do seu olhar, cinza, Jimin havia me salvado mais uma vez, senti as minhas forças voltando e então me levantei segurei a minha katana forte e caminhei até a feiticeira pronta para lhe corta a cabeça mas quando me aproximei vi que Jimin estava diferente, aquele não era o Jimin fofo, carinhoso e brincalhão que eu conheci, aquele era o espírito selvagem dele, a raposa havia tomado o comando do seu corpo.

- Jimin - O chamei e vi seu olhos cinzentos me fitarem - Jimin sou eu - Seus olhos aos poucos voltaram para o castanho.

- S/N você está bem? - Perguntou ficando na minha frente preocupado.

- Estou bem.

- Fiquei preocupado.

Antes que eu pudesse falar algo somos arremessados mais uma vez para longe, com oque aconteceu acabei esquecendo que a bruxa ainda estava viva.

- Eu já cansei disso, Jimin você está bem? - Me virei e vi que ele estava com um machucado no braço e estava perdendo sangue por causa disso.

Aos poucos a raiva foi tomando conta do meu corpo e sem pensar duas vezes peguei a katana que estava do meu lado, pela primeira vez em anos deixei que o meu espírito tomasse conta do meu corpo, senti as minhas presas se tornarem maiores assim como as minhas unhas que agora aparentavam serem garras, escutei Jimin me chamando inúmeras vezes a vontade de me virar era grande mas a raiva era maior segurei forte a arma e corri numa velocidade sobrenatural contra a feiticeira, antes que  pudesse me jogar algum feitiço seu corpo caiu no chão e a cabeça rolou batendo contra a minha bota, Jimin agora gritava o meu nome mas eu ainda não tinha terminado o meu trabalho, por ter me transformado os meus sentidos se tornaram mais aguçados e em pouco tempo eu já sabia onde estava o desgraçado que me fez vir até aqui.


- Wow raposinha a quanto tempo não te vejo assim.

- Não me provoque Namjoon - Falo colocando as duas cabeças no balcão e me virando para ir embora.

- Não vai querer outro trabalho?


- Tenho que cuidar de alguém.


Desço as escadas correndo sem me importar com os olhares sobre mim, não é sempre que você vê uma garota raposa por ai, entro no carro e saio apressada, Jimin havia se ferido feio e eu tinha a obrigação de ajudá-lo.

- Você está bem?

- Sim - Falou baixo - Você ainda está na forma de raposa.

- Estou.

- Você conseguiu ficar mais bonita do que já é, pensei que isso fosse impossível.

- Jimin.

============×××××××××××=========

- Aí - Reclamou. 

- Desculpa - Falei voltando a limpar o machucado.

- Não faça isso tão despreocupada.

- Oque? - Pergunto e então percebo que eu estava muito próxima dele - Desculpa - Falo me afastando após terminar o curativo.

- Não precisa se desculpar - Disse me puxando de forma que eu caísse sentada no seu colo.

- Jimin.

- Eu não aguento mais - Disse acabando com o espaço entre nós.

Seus lábios eram macios assim como eu imaginava e ele tinha um gosto viciante de morango, sua língua explorava cada canto da minha boca enquanto suas mãos deslizavam por baixo da minha blusa levantando e a peça logo foi em direção ao chão.

- Pequena você não imagina como esperei por esse momento.

- Eu também esperava por isso.

Disse e o puxei para mais um beijo, deslizei as minhas mãos até a barra da sua blusa e logo a puxei para cima me livrando da peça e deixando seu abdômen a mostra, passei as minhas unhas deixando pequenas marcas na sua pele e ouvi um arfar baixo vindo dele.

Ele me jogou no sofá ficando em cima de mim logo depois, suas mãos subiram até os meus seios que logo foram libertos do sutiã e ele começou a apertar um enquanto mordiscava o outro, minhas mãos foram até o cos da sua calça jeans e comecei a tira- lá lentamente, Jimin voltou a me beijar de forma afoita e com um movimento rápido tirou a minha calça junto à calcinha me deixando totalmente exposta, ele se afastou por alguns segundos e vi seus olhos brilharem mais uma vez acizentados.

Ele se levantou e tirou as peças de roupas que ainda estavam no seu corpo de forma apressada e se sentou em uma das poltronas da sala bateu a mão na sua coxa me chamar para sentar ali e eu morri o lábio levantando e andando até ele logo em seguida.

- Desculpa amor mas eu preciso muito de você.

Falou e então ajeitou o seu membro na minha entrada investido com força me fazendo gemer alto, logo ele começou a estocar rápido e forte me fazendo delirar e praticamente gritar de prazer, seus lábios estavam no meu pescoço deixando marcas e as vezes leves mordidas eu arranhava os seus braços tentando libertar todo o prazer que ele me proporcionava.


- Bebê estou quase - Antes que ele terminasse a sua fala senti o líquido me preencher mostrando que ele havia chamado no ápice coisa que não tardou a acontecer comigo.


Ele selou os nossos lábios mais uma vez e saiu de dentro de mim se levantando comigo no colo indo em direção ao banheiro.


A nossa noite apenas começou 




Notas Finais


Gostaram?

Desculpa qualquer erro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...