História I Love This Angel Of History - Capítulo 24


Escrita por: ~ e ~MeivisYang

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Armin, Castiel, Lysandre, Nathaniel, Rosalya
Tags Cast, Lys, Mei, Nat
Exibições 5
Palavras 1.240
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpem a demora~
Não desistam dessa fanfic.
Amo vocês.
Obrigado(a).

Capítulo 24 - Vacilos não são bem-vindos


Point of view Natalia Angel Black.

Hoje é outro dia,é o que eu tenho certeza após acordar dessa noite que eu tive que engolir um quilo de sopa porque Castiel disse que ia me fazer bem. O que só me causou ânsia de vômito.

Mas,que não esquecemos um detalhe,meus caros...Hoje é o final de semana,dia do meu encontro. Comemoro internamente,enquanto entro no quarto do ruivo falsificado. O idiota não havia acordado,reviro os olhos subitamente ao ver a figura esparramada na cama,com a coberta no chão.

Passo pelo cobertor,fazendo uma careta e passo meus olhos pelo ruivo. Ele tinha os cabelos ruivos grudados na cara,enquanto roncava como um porco. Continuei meu olhar,percebendo a camisa levantada mostrando um pouco da barriga,coro violentamente e respiro profundamente. Desvio o olhar e caminho até estar perto do ruivo o suficiente para gritar no seu ouvido.

Lembro que antigamente quando namoramos,eu vinha o acordar de manhã,eu chutava a porta do quarto dele e vinha o acordar delicadamente... A cena passava pela minha mente,enquanto olhava seu rosto.

Se tudo não estivesse acontecido,se eu não tivesse terminado,se eu... Em uma onda feita pelas memórias que se formavam,minha mão se levantou e tocou seu rosto. Sua pele macia,despertou lembranças passageiras,arregalo os olhos,sentindo minha respiração se desregular pelas lembranças que me atacavam como monstros. Monstros que não deviam estar vivos...

Minha mão em uma auto-defesa instintiva se afastou do lugar,gerando dois passos para trás junto. Eu sei que desde o início estar perto de Castiel,é como ter uma máquina do tempo que sempre me fará pensar no passado. Passo as mãos pelo meu rosto,sentindo minha pele e me acordando instintivamente,algo gritou na minha mente que essa sou eu atualmente. Com as pernas virada em um gelatina só,eu me aproximei do ruivo novamente,inspirando novamente seu cheiro único e venenoso para meus pensamentos.

  — Ei,ruivo! ACORDA!— Grito sentindo minha garganta doer,meu olhar se fixa no seu rosto que se contorce dizendo que está incomodado.

— Cale a boca,idiota..Estou sonhando com a bunda da Debrah...— Murmura,se revirando na cama e afundando a cara no travesseiro. Respiro profundamente e me aproximo mais. Por que Castiel tinha que ser tão pervertido e babaca?

— OLHA AQUI,SEU RUIVO PERVERTIDO...ESQUECEU DO SEU COMPROMISSO?—Levanto minha mão e acerto sua cabeça com força,completamente irritada.

Se estivéssemos em um anime,com toda certeza sua aura estaria gritando que queria me matar,eu sinto isso. Até porque é o que ele quer fazer agora,pelo modo que se virou tão bruscamente,com o rosto dizendo que iria explodir a qualquer segundo a mais.

— Eu não vou mais.

Uma coisa que Mei sempre soube sobre eu mesma,é que eu me magoo facilmente,nem que seja com quatro palavras pequeninas,sempre foi assim a minha sensibilidade.

— ÓTIMO!—Grito,com o intuito de disfarçar que estava sem jeito pelo cancelamento de última hora.—NEM QUERIA IR MESMO,ESPERO QUE SONHE MAIS COM A BUNDA DA DEBRAH!—Aponto para ele,que mantinha seu olhar dizendo um grande "não me importo".

Giro meus pés com agilidade e me viro andando com passos enormes até a porta. 

  — SONHAREI!— Ouço seu grito de volta,quando fechei a porta com um estrondo impulsivamente raivoso. 

Sinto minhas bochechas ficarem vermelhas pela raiva de minutos atrás,como se a adrenalina tivesse passado. Eu não deveria ficar tão irritada facilmente,eu deveria ficar o dia todo meditando,pelo menos faço algo.

Castiel idiota...Castiel babaca... Eu estava tão animada para tomar sorvete,esse...esse...idiota.

Viro meus olhos rapidamente para a direita,sentindo-me ficar tensa por uma presença surpresa. No caso a presença de Numb,esse é o nome de um treinador meu desde...muito tempo.

  — Numb,que devo essa honra de sua visita?— Cruzo meus braços,enxergando de primeira seu sorriso sempre gigante,depois sua cabeleira laranja.

— Sempre simpática.— Brinca,se aproxima com um risinho pequeno,quase inexistente.— Como anda?— Desmancha o sorriso,me analisando com seus olhos castanhos. Reviro os olhos e solto um suspiro.

— O que faz aqui?

— Não é justo! Está respondendo com outra pergunta..— Resmunga,com um biquinho.

— O que o conselho quer dessa vez,Numb?— Deixo minhas costas tocarem na parede,vendo sua feição mudar para uma sem jeito.

— Bem... Você me descobriu..~— Cantarola,deixando seu sorriso cair.—Sua moradia com Castiel,Natalia... Essa parte foi resolvida.—Fecho meus olhos,processando a informação com total alívio.

  — Ótimo,outra notícia?— Me mantenho inexpressiva.

— Eles querem que eu te treine novamente.— Um sorriso toma conta do seu rosto,fecho meus olhos com força,reprimindo minha vontade de gritar.

— É por que o Sr. Black,está me incomodando aparecendo do nada,Numb?— Desencosto minhas costas da parede e descruzo meus braços,assumindo a pose tensa novamente.

— Sim,Natalia.— Mantém seu sorriso irritante e suspiro desviando o olhar,viro as costas e começo a caminhar para meu quarto.— Onde vai!?— Pergunta de longe,paro de andar e me viro para ele,com um sorriso pequeno.

— Hoje não tem treino,só venha amanhã,hoje preciso...fazer algo.— O rosto de Numb se torna uma expressão divertida.

 —Tente não se apaixonar...—Diz,rindo alto,reviro os olhos e volto a andar para frente.

— Experimente um curso para parar de ser babaca,treinador.— Um sorriso pequeno surge no canto dos meus lábios,e rapidamente sua presença se dissipa no ar.

— Parece que vai começar a treinar.— A voz de Castiel ressoa no ambiente um pouco abafada,mas rapidamente se torna mais presente,quando abre a porta do quarto dele bruscamente.

  — Parece que lembrou de acordar.— Retruco em um ato revoltado,abro a porta do meu quarto,largo a mão da maçaneta e ando para dentro,com centímetros calculados para eu fechar a porta. Viro-me e fecho a porta,começo a andar em direção da minha caminha que chamava,pisando no chão macio por conta do tapete.

 Passos largos,bruscos e rápidos,é isso que descreve o quanto eu identifico que é Castiel que está vindo para cá. Me jogo na cama a tempo que Castiel invadisse minha privacidade.

  — Engraçadinha você..— Resmunga irritado,abrindo a porta bruscamente. Reviro os olhos,rolando na cama,grunhindo preguiçosamente.

— Que foi agora,Castiel?— Pergunto,abraçando meu travesseiro que tem a forma de um sapo.

—Vai voltar a dormir? E o meu café da manhã? —Se aproxima da cama,sinto seus passos chegarem até a cama e a beirada da cama ser afundada. Ótimo,agora ele está sentado aqui.

—Tá feito,aproveita e chama a Debrah pra tomar café com você.—Debocho retrucando rapidamente. O ruivo fica em silêncio.

—Se você quer tanto que eu peça desculpas por não ir no encontro,então fale. —Fala em um tom indiferente do normal.

—Eu não quero! —Exclamo,virando meu corpo para enxergar alguma expressão sua. Seu rosto fita o chão,inexpressivo. —Por que aceitou se ia vacilar,idiota? —Minhas palavras soam mais agressivas.

—Você é estúpida,Natalia? Se eu não querer ir,eu não vou. Mas,isso não muda o fato que ainda quero saber o que houve nesse tempo todo. —Ele inclina seu rosto,para olhar nos meus olhos —agora tinha seu rosto carrancudo.

—Quem disse que vou contar? —Retruco,com a sobrancelha direita franzida.

—Eu vou lhe oferecer algo em troca obviamente. —Revira os olhos.

—O que seria?

—Eu te livro do conselho por um bom tempo,em troca das informações. —Joga sua cartada,em resultando me dando um baque gritando "aleluia".

—Trato feito. —Respondo rapidamente e vejo ele sorrir de canto.

—Mais rápido do que pensei. —Ele estende a mão, desmanchando o sorriso,com a expressão se transformando em descontente.

—Não vou tocar na sua mão. —Digo em contragosto,encarando sua mão.

—E você acha que estou contente? —Seu tom soa descontente.

Solto um suspiro alto,estendo a mão até alcançar a sua,nossas mãos se entrelaçam em um acordo. Aqui mesmo com sua mão gelada e confortante,nós temos um trato.



Notas Finais


Até mais~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...