História I Love You, But You Don't Love Me - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lu Han, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, V
Tags Adeus, Bts, Chanbaek, Drama, Exo, Hunhan, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjin, Última Carta, Vhope
Exibições 61
Palavras 1.888
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Grand Piano


Fanfic / Fanfiction I Love You, But You Don't Love Me - Capítulo 5 - Grand Piano

 

Capítulo 5 - Grand Piano

 

–– Jimin? –– chamou alguém.  

Jimin demorou um tempo até identificar quem era... Era o vendedor da floricultura. "Qual é o nome dele mesmo?" Pensou Park. "Ahh BaekHyun!

–– É Jimin, não é? O que aconteceu? Não deu certo? 

–– Sim, sou eu. Eu não quero falar sobre isso. –– disse com um pouco de dificuldade. 

–– Eu vou te levar pra minha casa. E sem não! 

–– Uhum. –– concordou. Não queria discutir. Estava de saco cheio, sem contar que sua cabeça rodava.
 
 

BaekHyun abriu a porta do pequeno apartamento. Levando o ruivo, que estava apoiado em si, até o sofá.  

–– Oi amo... Hã? –– um Chanyeol, com cabelos pretos desarrumados e com o rosto inchado, apareceu na pequena sala um pouco confuso. 

–– Ah, oi Chan!  

–– O que é isso, Baek? 

–– Ele é um cliente meu. É uma longa história! O nome dele é Jimin. Ele vai passar essa noite aqui. Enche a banheira pra mim, por favor. –– pediu depositando um selinho nos lábios do namorado. –– Jimin?  

–– Hm.  

–– Você consegue tomar banho sozinho?

–– Acho que sim.  

–– Eu vou pegar umas roupas e uma toalha. Espera ai!  

Foi ao seu quarto e voltou com as coisas que citara, entregando-as pro ruivo, que andou, um pouco tonto, em direção ao banheiro, seguindo as coordenadas do florista. Entrou no cômodo, trancando a porta do mesmo. Despiu-se logo, entrando na banheira.  

Aquela água quentinha e relaxante, por um segundo o fez esquecer de tudo e sorriu relaxado. Porém este logo se desfez, dando espaço para as lágrimas. O momento em que Tae brigou com ele ficou repassando em sua mente. Aquilo fora como um tiro.  

Afundou a cabeça na água. Aquela sua vida miserável não valia muito a pena. Os pessoas que amavam ou estavam chateados com ele ou estava num viagem – vulgo seus amigos e pais –. Mas ele tinha total consciência de que era tudo sua culpa. Ele afastou todos. O ar já lhe fazia falta. Ele estava se sentindo tão sozinho. Ele precisava de bebida.  

Ele precisava de JungKook. 

–– JIMIN! –– Baek gritou agudamente, tendo Chan atrás dele demasiadamente preocupado e assustado.  

O moreno correu e pegou o ruivo o tirando da banheira, levando o para o quarto, botando-o na cama, sem se importar se estava completamente molhado.  

Apertava/pressionava a barriga do garoto, que abriu os olhos tossindo demasiado. Assim que parou, percebeu sua situação, olhou para os dois rapazes a sua frente e olhou pra baixo. Estava nu. Seu rosto de branco fora pra vermelho. Logo o casal reparou e saiu rapidamente do quarto, entregando as roupas pro garoto. Vestiu-se suspirando. 

–– Idiota. Estúpido. Babaca. Filho da mãe. –– xingava-se puxando os fios de seu cabelo. Tapeava seu rosto.  

––  JIMIN! JIMIN! PARA! –– gritava Baek, que tentava segurar as mãos do ruivo. –– Ei, ei! Se acalma. –– falou, direcionando o garoto a cama de casal que tinha no quarto  

–– Eu sou um babaca. 

–– O que aconteceu? Ele te deu um fora? Te rejeitou? 

–– N-não. Eu estraguei tudo! 

–– Me explica isso direito! 

–– Eu e JungKook éramos amigos, só que eu acabei me envolvendo com gente que não deveria ter me envolvido. Eu humilhei ele. E ele se suicidou. Agora ele tá no hospital... Em... Em coma... –– e voltou a chorar –– O problema é que eu escondi a coisa mais imortante de mim mesmo. 

–– Qual? 

–– Que eu o amo. –– confessou, secando suas lágrimas. 

–– Você vacilou feio, mas quem sabe quando ele acordar ele ainda ame você. 

–– Eu não sei... O amigo e a tia dele me xingaram feio. Mas eu não os culpo, eles estão certo. 

–– Deixe o tempo passar. Eu vou te deixar sozinho, pra você pensar melhor. –– disse e saiu do quarto dos hóspedes. Fechando a porta. 

Deixou um suspiro escapar de seus lábios escapar. Seu coração estava doendo. Mas sua cabeça também. Nunca bebera tanto na vida.  

Apanhou sua mochila e pegou a caixa de madeira, abriu-a. Tantos objetos. Tantas coisas importantes. Fechou os olhos e tateou a caixa, pegando o primeiro objeto que tocara.   

Um pedaço de teclado de piano. 
 

FlashBack ON 

  27 de Junho de 2013 
 

–– Bem vindo ao primeiro show de talentos da Korean Amoris. Pais e estudantes... PREPARADOS? 

–– SIMMM! 

–– Primeiro candidato: Steven Jacob, com a música Good Feeling. 
 

 

Vários alunos já haviam tocado. A quadra da escola estava cheia. Tinha muitos pais, parentes de alunos. A música soava alta. Jimin não queria estar ali. Estava de saco cheio. Seus "amigos" não foram a essa droga de apresentação. Apenas um estava lá, o Min-Jun, porém este estava em qualquer cabine do banheiro masculino pegando um vadia. 

O ruivo revirou os olhos ao se lembrar disso. Estava sozinho. No completo tédio. Seus pais, mais uma vez, estavam viajando a trabalho. Queria ter participado. Sozinho, talvez. Ou, quem sabe, com JungKook. Ele havia chamado o mais velho. Alegando que cantariam Paradise.  

Eles cantavam essa música toda hora. Sempre que saiam pra pedalar ou quando estava no carro de Sun Hee.  

Antes que Jimin pudesse pensar em mais alguma coisa, Yumi, a representante do projeto, apareceu gritando animadamente. 

–– Eai?! Como estão? 'Tão se divertindo? 

–– SIMM. –– gritou novamente a plateia. 

–– Então vamos pro próximo candidato. Com vocês: Jeon JungKook, com a música Grand Piano. 

Os olhos de Jimin se arregalaram demasiado ao escutar o nome do moreno. "Como assim? Ele não ia cantar Paradise?" Pensou Jimin, estava meio confuso, levantou e foi se aproximando do palco, de um modo que desse pra observar claramente Jeon, porém que ele não o visse. Viu o garoto se sentar na frente do piano.  

Seu pomo de adão aparecia. Viu o mais novo fechar os olhos e pressionando-os com força. Jeon estava nervoso, mas ele estava ansioso. Abriu os olhos procurando alguém especificamente no meio da multidão. Parecia que iria tocar para alguém. 

Os dedos longos do moreno pressionaram as teclas do piano de cauda. O som delicado das notas foram preenchendo o ambiente. A pessoas, que antes estavam extremamente agitadas, estavam em silencio. Algumas dançando suavemente e quase despercebível*.  

" I'm just a fool 

Blind and stupid for loving you 

Am I just a silly boy? 

So young and naive to think you were the one  

Cold hearted shame 

You'll remain just afraid in the dark " 

(Eu sou apenas um idiota 

Cega e estúpida por te amar 

Sou só uma garota boba? 

Tão jovem e ingênua por pensar que você era o cara certo 

Uma vergonha sem coração 

Você permanecerá amedrontado no escuro)  
 

O coração de Jimin pulsava numa velocidade que quase não dava pra senti-lo. Aquela música era triste, entretanto a mesma pareceu mais tocante ainda na voz do mais novo, pois parecia que o mesmo estava tocando com toda sua alma e dor.  
 

" And now the people are talking, the people are saying 

That you have been playing my heart like a grand piano 

The people are talking, the people are saying that you 

Have been playing my heart like a grand piano 

So play on, play on, play on. Play on, play on, play on 

Play on, play on, play on. Play on, play on " 

(E agora as pessoas falam, as pessoas estão dizendo que 

Você está tocando meu coração como um piano de cauda 

E agora as pessoas falam, as pessoas estão dizendo que 

Você está tocando meu coração como um piano de cauda 

Então continue tocando, tocando, tocando, tocando 

Tocando, tocando, tocando, tocando, tocando) 
 

Tinha algumas pessoas chorando. A voz daquele garoto tão frágil e dócil soava lindamente e profundamente. Jimin se esticou um pouco pra ver se achava Sun Hee. E avistou-a. Não dava pra ver o que ela vestia. Mas deu para ver as lágrimas pretas, por causa do rímel. 
 

" Am I queen of fools? 

Wrapped up in lies and foolish jewels 

What do I see in you? 

Maybe I'm addicted to all the things you do 

Cuz I keep thinking 

You were the one who came to take claim of this heart 

Cold hearted shame 

You'll remain just afraid in the dark " 

(Sou a rainha dos tolos? 

Embrulhada em mentiras e joias ridículas 

O que eu vejo em você? 

Talvez esteja viciada nas coisas que você faz 

Pois eu fico pensando 

Você foi o único que veio reivindicar meu coração 

Uma vergonha sem coração 

Você permanecerá amedrontado no escuro) 
 

E lá estava, as lágrima de JungKook. Elas caiam. Porém apenas caiam. Não atrapalhava sua voz. Todavia era carregada de tristeza. Tentava fazer com que a música chegasse a Park.  

O ruivo tentava segurar suas lágrimas. Mas já não era muito possível. Aquela música era triste. Porém não tanto a ponto de fazer o ruivo derramar lágrimas. As gotículas caiam. Não tinha um motivo especifico. Elas apenas escorriam por suas bochechas, molhando, às vezes, sua blusa.  
 

" The people are talking, the people are saying 

That you have been playing my heart like a grand piano 

The people are talking, the people are saying that 

You have been playing my heart like a grand piano 

So play on, play on, play on. Play on, play on, play on 

Play on, play on, play on. Play on, play on " 

(E agora as pessoas falam, as pessoas estão dizendo que 

Você está tocando meu coração como um piano de cauda 

E agora as pessoas falam, as pessoas estão dizendo que 

Você está tocando meu coração como um piano de cauda 

Então continue tocando, tocando, tocando, tocando 

Tocando, tocando, tocando, tocando, tocando) 
 

Jimin secou suas lágrimas, não queria ficar muito tempo ali. Queria que ninguém percebesse sua presença. Saiu empurrando algumas pessoas a sua frente, sem se importar. 

Jeon procurava o mais velho. Tinha esperança que o mesmo visse/escutasse como se sentia. Queria que o mesmo visse sua dor, suas lágrimas.  

Mas, infelizmente, não achara o menor. Não estava no meio da multidão. A decepção tomou conta dos olhos do maior, que antes estavam esperançosos. O Park viu o garoto o procurando, mas era covarde, fraco, orgulhoso demais para aparecer.  
 

~~~~
 

11:34. Não sabia que iria durar tanto. Só estava ainda na escola porque precisava de ponto, e os professores dariam-os, se os alunos participassem.

Saiu do local. Sua cabeça doía. Ainda dava para escutar o som alta da música agitada. Suspirou ao não conseguir mais escutar a música. Todavia seu alívio logo foi embora ao escutar gritos. Correu em direção aos berros. E viu uma cena que não queria ter visto. Homens desconhecidos espancando JungKook.

Ficou perplexo. Ficou um tempo ali, "assistindo" Jeon apanhar. O coração do ruivo doía. Não conseguia pensar direito. Os seus olhos encontraram o do mais novo, que chorava pedindo ajuda, com seus lindos escuros olhos. JungKook segurava fortemente um pedaço de teclado.

Foi ai que o ruivo se tocou. Aquele piano era de sua mãe. Se lembrava de quando o moreno havia dito que sua omma adorava tocá-lo. E então, ele percebeu. Tinham destruído/quebrado, o piano de cauda. Os gritos de JungKook iam cada vez ficando forte. Aquilo era a pior coisa... Jimin apenas virou-se e continuou seu caminho pra casa. 

Sem olhar pra trás.
 

FlashBack OFF 
 

Ah, aquela lembrança doía em Park. Aquele dia mostrava o quão fraco e idiota ele foi. Jeon havia cantando tão profundamente. Kookie havia cantando pra Jimin, que apenas deu as costas. Ele havia pedido ajuda e o ruivo, copiosamente, deu as coisas

–– Me desculpa. –– o alaranjado sussurrou. Sentindo suas lágrimas descendo. Só sabia fazer aquilo. Chorar. 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...