História I love you, I need you - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, BtoB, Miss A, Red Velvet
Personagens Ilhoon, Irene, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Joy, Jungkook, Lisa, Peniel, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Seulgi, Suga, Sungjae, Suzy, V, Wendy, Yeri
Tags Bts, Colegial, Drama, Família, Jungkook, Namjoon, Romance
Exibições 17
Palavras 2.235
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom dia meus amores, estão todos bem??
Espero que sim.
Eu não estou bem, mas vai passar eu sei que vai.

Capítulo 11 - Dead Leaf


”Caindo como essas folhas secas

Estou caindo sem força, meu amor

O seu coração está se afastando cada vez mais, eu não consigo te pegar

Eu não consigo te pegar

Eu não consigo te segurar

Essas folhas caídas que parecem ser tão inseguras, parecem que estão olhando para nós

Se eu tocar sua mão, mesmo que seja só uma vez, parece que tudo vai se transformar em migalhas

Eu só pude olhar suas palavras e expressões que se tornaram frias

Eu consigo ver a nossa relação desaparecendo

Uma relação vazia como o céu de outono

Uma diferença ambígua, se formos comparar com a nossa relação de antes

Hoje, a noite está muito mais silenciosa

Uma folha que deixou de ser agarrada a um ramo

Ela está se quebrando, eu vejo o fim

As folhas mortas viraram secas

O silêncio dentro do seu coração distante

Por favor, não me deixe

Por favor, não me deixe desmonorando nas folhas mortas”

 

 

 

Fui embora com Suga deixando V sem entender a situação. Eu não tinha como explicar eu também não estava entendo.

- Por que Namjoon não veio me buscar já que ele quer ser tão bom?

- Ele não veio por que ele não sabe.

- Como?

- Ele não sabe que eu vim buscar você na verdade ninguém sabe a não se eu. Depois do que aconteceu ontem eu fiquei preocupado.

- Com o que? Você já fez coisa pior!

- Nanmi eu...

- Você é pior do que ela, como você conseguiu permanecer ao lado de Namjoon todos esses anos sabendo que estava mentindo para ele? É você que ele deseja matar todos os dias sabia? É você que Namsoo quer ver preso e morto!

- Para Nanmi! Eu sei! Você não sabe como foi para mim todos esses anos, todos os dias eu queria contar a verdade, mas eu não podia. Eu não tinha coragem.

- Você desgraçou a minha e agora quer dar uma de que esta preocupado?

- Nanmi me perdoa, por favor?

- Eu não consigo perdoar você, no entanto eu desejo você como da ultima vez. – ele me olha assustado.

- Como?

- Eu sei que parece esquisito. Mas eu sonho todos os dias com o seu toque, eu preciso dele Yoongi. Eu quero que você faça de novo.

- Eu não posso, há anos eu não durmo direito pensando no que eu fiz, eu não posso fazer de novo.

- Yoongi naquela época eu não queria, eu era muito jovem eu não sabia, agora eu sei. E eu quero que você me toque.

- Você só pode estar ficando louca.

- Eu preciso Yoongi. – me aproximei dele, e o beijei. Ele não demorou a corresponder, começou a apertar minha cintura, e me puxou para mais perto dele, eu já conseguia sentir o tamanho de seu desejo. Mas estávamos na rua não podíamos fazer isso ali, tínhamos que ir para outro lugar.

Ele parou o beijo como se tivesse caído em si sobre a besteira que estava fazendo.

- É melhor pararmos por aqui.

Isso é frustrante.

- Pare de pensar Yoongi. – o puxei novamente. Eu vou conseguir o que eu quero hoje.

 

 

Pov Jungkook

- Que coincidência encontra-lo aqui senhor Jeon. Como anda seu trabalho?

- Esta... Indo bem.

- Não vejo a hora de ver o que o senhor preparou. CEO. – disse irônica. – Faça um bom trabalho em sua empresa, só não se esqueça de que o senhor tem trabalho para me entregar no mês que vem, espero que ele já esteja pronto, eu odiaria ter que reprovar o senhor. – depois saiu.

- Mulher venenosa.

 

Pov Nanmi

- Você continua o mesmo.

- Eu não quero falar sobre isso.

- Sei que não. Eu odeio ser rejeitada.

- Eu disse que não faria de novo.  

- Esta bem,... Eu preciso ir. O senhor Kim deve estar preocupado.

- Vai lá. Até mais.

- Idiota! - Eu estava brava com ele.

 

 

Abri a porta e o Sr.Kim já veio ao meu encontro.

- Nanmi graças a Deus! Namjoon ele...

- Não se preocupe. Eu não estou brava com ele.

- Não?

- Yoongi conversou comigo. Tudo não passou de um mal entendido...

- Mas Namjoon ainda não voltou para casa.

- Não?

- Eu estou preocupado. Eu nunca imaginei que os meus filhos chegassem a esse ponto. Irmãos não deveriam ser unidos?

- Nós não somos irmãos de verdade.

- Claro que são!

- Não. Não somos

- Pai! – gritou Namjoon.

- Namjoon? Até que fim! Vocês dois parem de matar o pai de vocês, ou vão ficar órfãos!

Namsoo saiu da sala, me deixando sozinha com Namjoon.

- Você fez isso de propósito para que ele se preocupasse com você.

- Pense o que quiser.

- Você é uma cobra, não é minha irmã.

- Eu sei disso, pare de ficar repetindo. – Namjoon segura meu braço com força.

- esse jogo vai acabar Nanmi, você é louca e se você encostar um dedo no meu pai eu mato você. Eu só vou sossegar quando eu torcer o seu pescoço!

- Primeiro você não vai conseguir, segundo antes que você tente, eu já terei matado você também.

- É por isso que você esta aqui, veio se vingar não é? Você nos quer mortos! Não é culpa nossa. – Namjoon começou a chorar. – Nós não queríamos que isso acontecesse com você, nós amamos você. Você não percebe isso?

- Eu não quero perceber isso. – Joon me encara. – Me odeie Namjoon, não se apegue a mim, eu não presto e não mereço que me ame. – fui para o meu quarto.

 

 

No outro dia, fui para a escola.

Estava andando em direção a minha sala quando me lembrei de uma coisa eu estava sentada ao lado do Jeon.

Resolvi ir até a sala dos professores, bati na porta e um deles me deixou entrar. Cumprimentei todos e me dirigi até a mesa de nossa coordenadora de sala.

- Com licença professora, eu não quero atrapalhá-la a senhora teria um minuto?

- Sim, se sente.

Puxei a cadeira a minha frente e me sentei. Ela estava com os exames aplicados na semana passada em mãos e o primeiro era o meu.

- Mas que coisa feia senhorita, você veio a minha sala apenas para xeretar sua nota?

- Não. Me desculpe. Não é isso.

- Ouça Nanmi, quando seu irmão estudou aqui conosco ele representou a nossa escola, ele não só representou Busan como também foi o primeiro da nossa nação. Eu não estou dizendo que você deva ser igual a ele, o que eu quero dizer é que você precisa priorizar o que é importante para você. Aqui se você permanecer com essas notas você não vai conseguir nada na sua vida, você vai precisar ser pelo menos mediana só para conseguir arrumar um emprego, é um país diferente as regras são diferentes.

- Eu entendo tudo isso professora, ultimamente aconteceram coisas que me tiraram o foco.

- Há algo errado em sua família? Ou na escola?

- Não. São problemas internos, é por isso que eu vim pedir para a senhora me trocar de lugar, eu sento na última carteira eu acredito que se eu me sentar mais a frente eu possa ter um desempenho melhor.

- Dedicará mais atenção à aula?

- Sim.

- É eu também acho que isso ajudaria, mas com um trabalho em andamento eu não poderei atendê-la no momento.

- Um trabalho?

- Você não estava nem sabendo não é?

Afirmei com a cabeça.

- Há um projeto programado para o semestre inteiro, você e sua dupla devem elaborá-lo da melhor maneira possível.

- Eu e minha dupla?

- O seu amigo do lado.

- Eu não posso trabalhar com ele. A senhora não pode me trocar de dupla?

- Infelizmente não, todos os outros alunos já iniciaram seus projetos, eu não posso interferir isso irá atrapalhar o desempenho de vocês.

- Mas por que este projeto é tão importante assim?

- Por que é um projeto ambientalista que para nos é muito importante, envolve a maioria das matérias e influência os alunos e toda nossa população a ter consciência em relação ao meio ambiente.

- Eu nunca vou conseguir fazer um projeto desses.

- Não limite sua inteligência Nanmi, o que atrapalha você é sua consciência. Nenhum ser humano é tão inútil que não possa ter suas próprias ideias, a tipos diferentes de inteligência e é isso que nos torna notáveis. Você não deve se restringir a limites bobos, você deve ter foco. Eu não sou uma orientadora ruim, eu poderia lhe pedir para fazer 500 trabalhos para recuperar sua nota em vez disso eu só estou pedindo para que você se dedique em um. Eu percebo que você é totalmente fechada, no geral alguns alunos são excluídos por não conseguirem se enturmar e nos temos que intervir nesses casos. O seu caso é totalmente diferente, você não quer que eles se aproximem de você. Você se isola. Você não pode ser assim.

 

Naquele momento eu olhei no fundo dos olhos da professora, e senti algo realmente esquisito. Eu não estava sentindo ódio dela na verdade uma sensação estranha me incomodava como um imenso abismo, eu estava começando a sentir saudade de alguma coisa e eu nem sabia o que era. Essa professora fez pacto só pode. Ela acabou de me fisgar e eu nem sei como ela conseguiu. Me levantei da cadeira bruscamente.

- Eu prometo à senhora que irei melhorar irei me esforçar para fazer um bom projeto e me dedicarei aos estudos.

- Eu vou guardar o resultado de suas palavras. Agora vá a aula já vai começar.

- Com licença.

 

 

Voltei meu caminho até a sala.

- Nanmi? – alguém me chamou e eu me virei para trás para ver quem era, era Sungjae. – Eu posso falar com você?

Nos afastamos das salas.

- Eu só quero te agradecer. O que você fez foi um ato heroico, acho que você tem coração afinal.

- Eu nunca disse que não tinha. Já acabou?

- S-sim, desculpa.

Eu o encarei, parece um idiota bonito.

- Por que você se preocupa tanto com ela?

- O que?

- Por que se preocupa com ela Sungjae? Você gosta dela?

- Eu...

- Para de enrolação.

- Esta bem você venceu, eu gosto dela, eu a amo. Eu não me importo com o que as pessoas dizem sobre ela, eu não me importo com o jeito que ela se veste eu tenho tanto dinheiro que eu compraria o shopping se ela quisesse, e se ela não quisesse eu compraria a Nike, eu só quero protege-la.

- Se você a ama tanto por que não diz isso a ela?

- Por que eu sou casado. – ele diz com lágrimas nos olhos.

- Casado? Seu pervertido!

- Nanmi não é isso. Eu me casei obrigado com a prima de Wendy, Suzy. Eu não a amo, eu a odeio Nanmi. Ela é insuportável, ela tramou tudo isso por causa do meu dinheiro. E eu tenho que aguenta-la até o contrato acabar.

- Contrato?

- Ela estava gravida e perdeu a criança, eu preciso aguentar mais seis meses e então eu me separo dela.

- Sungjae e a Joy?

- Joy é um passatempo, não rola nada sério entre nós, ela que não sai do meu pé.

- Entendi. Boa sorte pra você então, você deve estar precisando. – o deixei sozinho.

 

 

Pov On Wendy

- É aqui. – bati na porta. Eu deveria estar na escola, mas isso é mais importante.

- Wendy! Que prazer em vê-la! Você tem hora marcada?

- Não, mas eu precisa muito falar com o doutor Namsoo.

- Claro querida, venha entre. Eu vou avisar que você está aqui.

Não demorou muito para que ela voltasse trazendo a resposta que precisava.

- Pode entrar Wendy!

- Obrigada.

Dentro da sala.

- Senhorita Son Seung-Wan, sente-se no que posso ajuda-la?

Eu comecei a chorar, era mais forte do que eu.

- O senhor precisa me ajudar senhor Kim, eu descobri quem é culpado.

- O que?

- Eu descobri há dois anos, mas eu não tive coragem de contar, agora está perto de mim, muito perto.

- Quem é o culpado Wendy? – ele estava transtornado, esse era o caso que o atormentou por anos, ele trabalhou lado a lado com a policia para me fazer lembrar o que aconteceu naquele dia, que fosse útil na investigação.

- Diga Wendy.

- Foi a sua filha, Kim Nanmi! – Eu disse chorando.

Namsoo se joga na cadeira espantado.

- Não pode ser.  – ele me encara pasmo, parecia até que já sabia. – Você disse isso para alguém?

- Não.

- Então guarde isso com você.

- Como?

- Eu vou resolver tudo isso Wendy, eu confesso que desconfio de Nanmi, mas não posso acusa-la sem provas, você é minha única testemunha, não conte a ninguém, juntos vamos pega-la.

- Há mais uma coisa! – ele espera que eu comece a dizer, contei para ele tudo que aconteceu, espero que ele realmente saiba o que fazer. Estou confiando em você Namsoo.

 

 

Pov On Jungkook

Eu estava andando normalmente pelos corredores da escola quando de repente tropeço em alguém, eu não sou de pedir desculpas, na verdade eu só ia me recompor e passar direto se não fosse por um detalhe.

- Chaeyoung?

- Surpresa Oppa! agora eu vou estudar com você!

- Ah não, fudeu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...