História I love you, I need you - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, BtoB, Miss A, Red Velvet
Personagens Ilhoon, Irene, Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Joy, Jungkook, Lisa, Peniel, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Seulgi, Suga, Sungjae, Suzy, V, Wendy, Yeri
Tags Bts, Colegial, Drama, Família, Jungkook, Namjoon, Romance
Exibições 19
Palavras 2.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom dia amoras, está ai mais um capitulo quentinho para vocês
Bjoos de chocolate!

Parabens ae pra quem vai conseguir ir no show, por que eu sinceramente sem chance ( estou chorando litros aqui )
Mas fazer i que a vida não é justa para algumas pessoas.
Principalmente para Nanmi.

Capítulo 12 - Mama


Fanfic / Fanfiction I love you, I need you - Capítulo 12 - Mama

Hey, MAMA!

Agora você pode confiar em mim, estarei sempre ao seu lado

Hey, MAMA!

Por você ter se doado para mim e ter sido meu suporte

Hey, MAMA!

Agora você pode acreditar no seu filho, você pode sorrir

Hey, MAMA!

Hey, MAMA!

 

Hey, MAMA!

Desculpe-me, mamãe!

Agora eu conheço sua bondade sem limites, mamãe

 

Hey, MAMA!

Muito obrigado, mamãe!

Você se tornou minha carne e meu sangue, mamãe

 

 

Voltei para sala, apenas Jimin estava me esperando e eu sábia por que.

- Onde está V?

- Eu não sei. Eu já liguei para ele, mas ele não me atende não responde minhas mensagens. Será que ele está bem? Ele não é de faltar desde que eu o conheço ele nunca perdeu aula.

- Calma Jimin talvez ele esteja a caminho. Imprevistos acontecem ele pode ter perdido a hora tenho certeza que daqui a pouco ele vai estar a ai.

Eu disse convicta.

A aula já iria começar e nada de Taehyung chegar. Eu estava começando a ficar preocupada. Já estava próximo do horário de intervalo e não tínhamos noticia.

Quando a aula terminou Jungkook estava parado na porta esperando que eu fosse falar com ele. Passei direto e ele segurou meu braço.

- Nem tente Nanmi, você vai poder ficar pertinho de mim.

- Você já soube.

- Eu sempre sei.

- Me deixa em paz Jeon. Eu tenho problemas maiores pra me preocupar. – me desvencilhei de sua mão e sai correndo. Suga estava me esperando do lado de fora. Jimin apareceu em seguida resolvi que daríamos uma carona para ele até o Perguiné.

- Já conseguiu falar com ele?

- Não.  Ele não atende. Será que aconteceu mesmo alguma coisa?

- Eu não sei.

- Pra quem vocês estão tentando ligar?

- Para o Taehyung um amigo meu.

- Taehyung? Quem é esse?

- Meu amigo. Você foi me buscar na casa dele.

- V? – ele perguntou espantado.

- Sim - respondi sem entender.

Suga faz a volta com o carro e nos fomos para casa de V, eu não entendo esse susto repentino, mas eu achei certo ir. Pelo menos saberíamos se esta tudo bem.

Desci do carro e fui até a porta chamá-lo. Ninguém me atendeu.

- Estranho. O que faremos?

- Vamos voltar para o Perguiné mais tarde você liga de novo.

- Está bem.

Entramos o carro

 

Pov Senhora Kim (mãe de V)

Flashback On

 

Eu estava ocupada arrumando a bagunça de Taehyung, ele adora deixar as coisas dele espalhadas. Foi quando a companhia tocou.

- Já vou! – gritei.

Corri até a porta e a abri, me espantei com a visita.

- Nanmi? O que faz aqui? Taehyung não esta!

- Não é com Taehyung que eu preciso falar. – ela disse imperativa. Eu a encarei. – Posso ao menos entrar?

- Sim, pode entrar. – ela parecia bastante estranha.

Ela já chegou se jogando no sofá.

- Sente-se aqui. – apontou para a poltrona a sua frente. Eu obedeci. – Eu não sou de fazer rodeios, então eu irei direto ao ponto.  O Jeon tem uma coisa que eu procuro e eu quero que você a traga para mim.

- Como? Jeon?

- Não se faça de desentendida. Eu sei que você trabalha para o Jeon.

- Eu não posso fazer isso, se ele me despedir eu não terei como sustentar meu filho. E nunca mais conseguirei outro emprego.

- Se não fizer isso, eu mato V. Você escolhe.

- Você prometeu que não iria tocar nele.

- E não vou se você colaborar comigo.

- Nanmi é meu emprego.

- Esta preocupada com seu emprego ao invés da vida de seu próprio filho?

- Eu... – Aquela sim era a verdadeira Nanmi, ela resolveu se mostrar para mim. – O que eu irei ganhar com isso?

- Como?

- Para ajuda-la eu preciso ganhar algo em troca.

Ela ri macabramente.

- Você acha mesmo que vai ganhar alguma coisa em troca? A vida do seu filho não é o suficiente? Ou seus segredinhos podres não são o suficiente? Qual será a reação de Taehyung quando ele descobrir que a mãe dele era amante do pai de Jungkook? Será que ele vai continuar a respeitando tanto assim?

- Você não se atreveria.

- pague pra vê.

- Eu mato você se... – ela não me deixou terminar sacou a arma e apontou para mim, eu me rendi.

- Me matar? Assim como você fez com o pai do Jeon?

- Você... Sabe... – ela continuava com a arma apontada para mim.

- Você não achou que eu iria vir aqui sem me precaver antes, não é? Eu sondei você, você morre de medo de ser pega e que machuquem o Taehyung. Pois bem, eu sou sua realidade agora. Eu posso mata-lo e posso matar você também. Não tente nenhuma gracinha eu não gosto de palhaçada. Faça o que eu estou mandando. Ou V nem precisara voltar para casa.

- Esta bem, eu consigo o quer.

- Ótimo eu venho buscar amanhã cedo. Aguarde minha visita. – ela colocou um papel em cima da mesinha. – aqui está o que precisa encontrar, você tem pouco tempo, então se apresse. Não será tão difícil assim, não é? Somos quase irmãs, de assassina para assassina.

- Eu não sou igual a você.

- Não é mesmo. Você deve ter matado por idiotice, por isso se arrepende. Eu mato por prazer, o meu nome do meio é morte.

Ela me provocou arrepios. Saiu da minha casa rapidamente sem olhar para trás, ela possuía um ar totalmente diferente de antes, como se esse lado tivesse adormecido e voltado das cinzas para me assombrar.

Eu preciso conseguir o que ela quer, eu não quero que o meu passado seja revirado agora, ou eu estarei morta literalmente.

Flashback off

 

No peg

Eu estive a tarde toda preocupada com V. Ele não respondia minhas mensagens e nem atendia ao telefone. Namjoon toda hora me repreendia por conta do celular. Ele sempre me pegava em flagrante ao telefone. Mas o que eu poderia fazer. Quando eu encontrar V eu vou dar uma surra nele por ele ter me deixado tão preocupada.

Eu trabalhei até tarde, quando eu e Joon fomos embora já era quase 1hora da manhã, Namsoo não estava em casa, havia feito uma viajem de negócios por sinal muito estranha.

Namjoon continuava daquele mesmo jeito, frio, áspero e impenetrável.  Eu continuei ligando para V no carro ele gostando ou não, V era meu amigo. Eu tinha que ter notícias dele.

Já estávamos em casa quando o telefone tocou.

- Eu atendo. - Eu disse

- Claro que atende. Você está do lado do telefone, você não quer que eu saia daqui para ir atender não é?

Ignorei Namjoon e atendi ao telefone era Jimin.

- Alô?

- Nanmi?  - Ele estava com uma voz rouca, parecia que estava chorando - V.

- O que tem V? Você recebeu notícias?

- Ele desapareceu. O hospital eles disseram que ela...

- Hospital? Como assim Jimin?

- Nanmi a mãe de V morreu.

- O que? - minhas palavras foram quase que inaudíveis. Senti as pernas fraquejarem. A mãe de V? Impossível! Esse não era o trato.

- É por isso que ele sumiu o hospital estava tentando localizar algum parente. Mas os parentes de V moram muito longe daqui.

- Jimin onde é o hospital?

- Eu não sei... Eu estou com medo Nanmi de que possa ter acontecido alguma coisa com ele.

- Não se preocupe a polícia vai encontrá-lo eu sei que vai.

- É o que eu espero.

 

Desliguei o telefone. Joon me olhava de um jeito interrogativo. Sem rodeios respondi sua pergunta.

- A mãe de V morreu. E ele está desaparecido.

- E o que você tem a ver com isso? Até onde eu sei você nunca foi muito ligada a preocupações alheias.

- Você é um idiota. - Sai da sala indo direto para o meu quarto. Não queria acordar o Sr.Kim mais seria tão bom conversar com ele agora, ele é sempre tão dócil e prestativo como um pai deve ser. Será que todos os pais são como o Sr.Kim? Ou só eu tive essa sorte? Por que as pessoas boas tendem a morrer?

Deitei na cama sem sono. Eu estava encarando minha foto quando vi uma sombra passando sobre ela, eu encarei estava formando um desenho, era V.

Ele estava chorando muito. Eram tantas lágrimas que começaram a inundar meu quarto. Eu me levantei rápido tentando abrir a porta do quarto, mas a mesma estava trancada. Gritei por Namsoo e Namjoon e nenhum dos dois respondeu. A água quebrou minha janela e começou a entrar por ela, meu teto sumiu e uma chuva começou a cair lá dentro, eu não tinha para onde fugir e comecei a me afogar em toda aquela água, todo meu passado estava vindo à tona e eu estava sentido a morte puxar meus pés mais uma vez.

Não adiantava gritar, ninguém iria me ouvir.

Dentro daquela água antes de apagar eu vi uma silhueta conhecida, não podia ser. V estava se afogando. Eu queria chegar até ele, mas era impossível.  Eu também estava morrendo, a água estava me sufocando, por mais que eu tentasse lutar ele não reagia. Ele já havia se entregado.

Acordei assustada e ofegante.

- Eu sei onde você está.  - levantei da cama ás pressas olhei no relógio eram três da manhã, eu teria que sair para ir atrás dele. Não tinha outra saída. Fui até o quarto de Namjoon verificar se ele estava dormindo. Corri até o meu quarto e troquei de roupa, peguei a mochila, desci as escadas devagar para não fazer barulho.

Segurei a maçaneta e tentei gira-la devagar, mas fui surpreendida.

- Aonde você pensa que vai?

Virei-me rapidamente.

- Eu... Eu

- Está fugindo de casa? Se for pode ir eu invento qualquer coisa para o papai será um alívio para todos nós.

- Eu não estou fugindo. Eu estou indo atrás de V.

- V, V, V não seja mentirosa. Você nunca se importou com ninguém desde quando se preocupa com esse garoto?

- Namjoon ele precisa da minha ajuda só eu sei onde ele está.

- Provavelmente foi você quem o colocou lá.

- Joon para de me atormentar. - Eu não queria discutir eu só queria salva-lo.

- Eu não estou atormentando você. Ainda. Você acha que é assim você pode chegar e ser fingir e boazinha quando bem entende, enganando todos eles? Você não me engana, eu sei a verdade há muito tempo.

- Para de falar! Para! - Eu comecei a chorar de raiva, que ódio. - Se você não vai me ajudar não me atrapalha Namjoon. Pelo amor de Deus me deixa ir atrás dele. - implorei. - por favor.

Namjoon me encarou desconfiado

- Eu vou te levar. Se você tentar alguma gracinha você já sabe não é.

Eu assenti

Entramos no carro de Namjoon.

- A onde ele está?

- Eu não sei

- Você não disse que sábia?

- Eu sei. Mas não sei como chegar lá eu só sei que é uma praia deserta e tem uma estrutura no meio.

- Francamente como você quer chegar a um lugar que você nem sabe onde é sua imprudente?

- Olha aqui se você vai ficar me recriminando então me deixa ir sozinha.

- Fica quieta. Tem uma praia dessas aqui perto, praia do anzol é uma reserva. Eu duvido que ele tenha mesmo ido pra lá.

- Não pode ser lá sim. Vamos pra lá.

- Eu estou até com medo de fazer essa pergunta, mas como você sabe que ele está lá?

- Eu vi no sonho.

Namjoon freio o carro.

- Como?! Você está de brincadeira? Num sonho? Vou voltar eu não do pra isso.

- Não Joon, por favor, confia em mim pelos menos dessa vez. A vida dele está em risco.

Ele continuou o caminho ainda desconfiando com um misto de incredulidade e surpresa.

- Vou estacionar aqui.

- É aqui? - Sai do carro correndo para conseguir ver a encosta.  - Sim é aqui!

- Espera Nanmi! - Joon gritou vindo atrás de mim.

- Taehyung? – avistei as coisas dele - Aí meu Deus onde ele está? - eu estava cega e desesperada.

- Nanmi olha. - diz Joon apontando para a estrutura.

- Não pode ser. - V estava lá em cima, se preparando para pular. - V não! - Sai correndo até ele, mas eu não sei nadar e eu tenho medo de água. - V! – gritei o mais alto que pude.

Ele olhou para mim no fundo dos meus olhos e pulou.

Meu mundo parou.

Eu gritei.

O som ensurdecedor de desespero, eu não consegui conter as lágrimas o meu corpo estava pesado como se não estivesse mais sobre meu comando eu estava vendo toda acena em câmera lenta.

Eu vi quando Joon se jogou na água e depois de alguns minutos trouxe alguém em seus braços.  Era Taehyung.

Eu me esforcei para retomar o controle do meu próprio corpo e corri ate eles.

Joon estava tentando reanima-lo, mas ele não reagia. Então eu fiz respiração boca a boca. Eu não tinha alternativa eu estava desesperada.

V começou a tossir e a vomitar. Aos poucos ele estava voltando a si.

- V. - Eu disse o abraçando e chorando de desespero, eu não podia perdê-lo.

Ele me encarou meio grogue e sorriu. Depois começou a chorar.

- Por que você não me deixou morrer?

- Por que um amigo não pode deixar o outro morrer, é isso que amigos fazem.

- Mas ela morreu Nanmi minha vida acabou. Tiraram minha mãe de mim eles a mataram a tiraram de mim.

 - Eu sei. Mas ouça, você acha que era isso que ela ia querer? Que você tirasse sua vida? Ela ti amava V. Ela queria que você fosse feliz.

- Eu nunca serei feliz sem ela.

- Não diga isso V, sua mãe sempre vai estar com você. - toquei seu rosto com delicadeza e beijei sua testa. Depois o puxei para mim, encostando sua cabeça em meu peito e acariciando seus cabelos eu só queria que ele se acalmasse, eu sabia que ele não mudaria de ideia de uma hora para a outra, mas eu queria estar com ele para apoia-lo.

Depois que V se acalmou e dormiu, eu e Joon o colocamos no carro, Namjoon não partiu logo, ficamos do lado de fora algum tempo. Eu caminhei até a beira da praia e fiquei olhando o mar, me atrevi a se sentar para sentir melhor a areia em minhas mãos.  Joon se aproximou de mim e se sentou ao meu lado.

- Isso que você fez hoje foi... Foi muito bonito.

Eu não respondi

- Quer dizer, tirando a parte que vocês estavam muito próximos por acaso ele é seu namorado?

- Não. Somos só amigos mesmo.

- Eu nunca achei que você fosse ser amiga de alguém de verdade.

- As coisas mudaram.

- As coisas são as mesmas. Quem mudou foi você Nanmi.  Você mudou muito.

- Isso é bom não é?

- Seja sincera comigo.

Eu o encarei

- Depois do que você fez hoje, bem se eu não ti conhecesse como eu conheço eu diria que você é uma garota de Ouro.

- Mas você não me conhece Joon, eu ainda sou a mesma pessoa, ainda quero ser odiada.

- E por quê?

- Por que é mais fácil. – eu disse me segurando para não chorar.

- Então o que aconteceu entre você e Wendy realmente?

- Eu menti. E fiz Wendy menti também.

- Por que Nanmi?

- Porque a Irene não iria acreditar numa estrangeira de bosta como eu, por que tentar mudar o pensamento dela se ela me odeia? Isso seria perca de tempo. Eu deixei que ela e você. - o encarei. - Acreditassem que eu era culpada. Eu pedi para que ela mentisse.

- Você vem mentindo desde quando?

- Desde sempre.

Nós dois permanecemos em silencio por mais alguns minutos.

- Nanmi, você não é uma estrangeirazinha de bosta.

- Diga isso para quem se importa.

Ele me encara apreensivo. Depois ficou pensativo.

- Acho melhor irmos, já esta muito tarde para estarmos na rua.

- Vamos. - Me levantei e sai andando na frente. Percebi que Joon não estava me seguindo então virei para ele, ele estava me observando. – o que houve?

- Eu sei que aquela Nanmi esta ai dentro.

- Sabe que está errado. Depois que eu morri, eu nunca mais fui mesma.

- Você diz umas coisas estranhas.

Eu não sabia o que ele estava pensando. Mas não importava, o importante era que eu tive a chance de salvar V.

Eu ainda queria que Namjoon me odiasse.

 


Notas Finais


Epa! Parece que minha pequena Nanmi tem um coração afinal ou não? Eu não sei dizer
Esse capitulo foi realmente estranho para mim, ter uma protagonista com a Nanmi tentando ser uma boa pessoa é extremamente incomum, mas espero que vocês tenham gostado.
Meus sentimentos para a mãe do V, sei que ela cometeu erros no passado, mas eu juro que gostava dela

Bjokas Crianças, até o próximo cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...