História I Love You, Idiot Elf! - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Personagens Ezarel, Jamon, Keroshane, Leiftan, Mery, Miiko, Nevra, Personagens Originais, Valkyon
Tags Eldarya, Ezarel, Nevra, Personagens Originais, Romance, Valkyon
Exibições 219
Palavras 1.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


HELLOOO pães de mel huuuummm pão de mel é bom ^////^
Tá parei hehe
Desculpe a demora, mas fiquei bem ocupada essa semana, agradeço aos comentários e favoritos e como eu sei que vcs ficaram bem nervosos e tristes com o cap anterior, resolvi recompensá-los com esse <3
Já digo que a Lua ñ vai ser nada legal com o Ez no próximo cap ^3^
Boa leitura

Capítulo 7 - O Consolo Da Pessoa Ideal


Fanfic / Fanfiction I Love You, Idiot Elf! - Capítulo 7 - O Consolo Da Pessoa Ideal

O leve ruído da porta sendo fechada foi o banstante para Lua, assim que soltou a fria maçaneta se pôs a correr no máximo que suas pequenas pernas permitiam. Sem conseguir segurar deixou que as lágrimas caissem pela sua face furiosamente turvando sua visão, não sabia para onde estava indo, tudo que tinha conhecimento era ter a sensação de correr sobre escadas a levando para um lugar repleto de escuridão, seu peito parecia estar se rasgando deixando amostra grandes feridas doloridas.

Ezarel.

Como puderá dizer tais palavras tão maldosas?

A garota exausta parou deixando-se cair de joelhos no solo úmido permitindo, mesmo que vergonhosamente, que suas lágrimas continuassem a rolar. Fora uma idiota. Acreditando que o elfo teria consideração pela "humana imprestável". No momento tudo que desejava com fervor era estar nos braços de sua mãe, dizendo que tudo ficaria bem e que ela precisava ser forte. Uma sombra gigastesca nublou sua visão e levantando a cabeça lentamente percebeu a figura que a observava calado com seus penetrantes olhos dourados.

- V-Valkyon? - perguntou numa estranha voz chorosa. Ao notar o terrível estado que se encontrava a faeliena se levantou num pulo secando as lágrimas com a palma da mão.

- Não precisa fingir que está bem, Lua. - disse o rapaz com expressão tranquila e preocupada ao mesmo tempo - Até os mais bravos guerreiros demonstram suas emoções por meio de lágrimas.

A albina olhou profundamente em seus olhos antes de ficar novamente a mercê do choro, desta vez, porém, manteve-se em pé com a cabeça baixa.

- E-Eu pensei q-que... E-Ele gostasse d-de m-mim... 

- Quem? Nevra? 

- Ezarel. - o nome encheu seus lábios com um gosto amargo, como algo nojento e repugnante. O Chefe da Guarda Obsidiana se aproximou e hesitante colocou uma mão sobre seu ombro.

- Ele disse algo que te magoou? Fez mais uma de suas piadas? Não se encômode com isso, Ezarel não faz com intenção de ferir alguém.

- Não, Valkyon! - berrou ela tremendo - Ele disse que me odeia, que tem nojo de mim, disse tudo isso seriamente. Como eu pude ser tão idiota a ponto de acreditar que seriamos amigos?

O guerreiro emudeceu e fez a única coisa que passou pela sua cabeça: enlaçou a garota trazendo-a junto a si, num abraço reconfortante e cheio de proteção.

Lua engasgou-se com o ar mas mesmo relutante deixou que o rapaz a abraçasse, enlaçando também seus braços ao redor de si. Por mais que houvesse diferença de tamanho e hesitamento de ambos a garota não deixou de sorrir, completamente grata por ter alguém ao seu lado num momento tão ruim. Quase tão rápido quanto um ataque de Black Dog, Valkyon agarrou as pernas de Lua a levantando em seus braços como se fosse uma boneca de pano, causando um grande rubor nas bochechas da mesma.

- Mas o que... 

- Você não está em estado de subir todas essas escadas, ainda mais com essas pernas tão pequenas. - a albina arqueoou as sombrancelhas em dúvida e virando a cabeça reconheceu o lugar que se encontravam, as masmorras. Um chiado escapou por sua boca, não se lembrava de ter chegado ali.

- Eu não sou pesada? Ainda mais pelo fato que você vai acabar se cansando subindo tudo isso. - justificou-se tentando descer do colo do guerreiro.

- Acredite, já carreguei coisas bem mais pesadas que você. - sorriu Valkyon, o Chefe se pôs a subir as imensas escadas e por mais que a garota reclamasse não a soltou de jeito nenhum. Enquanto subiam sua cabeça girava em diversos pensamentos, no qual como o elfo tiverá a audacia de fazer alguém tão doce como Lua chorar ou qual forá o motivo dela acabar nesse estado. Se lembrava que ao sair das Forjas avia visto a mesma correr em direção as Masmorras com o rosto molhado pelas lágrimas, a visão o deixará perturbado e por mais que não tivesse o hábito de conversar com Lua sentiu que deveria ajudá-la no que fosse. As lembranças e perguntas invadiam sua mente e sem perceber chegará ao começo das escadarias. - Você está bem? - perguntou de relance ao estranhar o silêncio da mesma.

- Sim, obrigada. - sorriu ela, fracamente. O rapaz de cabelos prateados parou a observando novamente antes de retribuír o sorriso. Deixaria para saber o motivo depois, não queria ve-lá chorar novamente, ainda mais quando finalmente conseguirá faze-lá sorrir.

***

Era doença. Só podia ser. O coração do elfo doia nas fortes batidas levando o mesmo a levar uma mão ao peito afim de amenizar a dor agonizante. Ezarel fechou os olhos e automaticamente a lembrança de Lua fechando a porta enquanto um única e solitária lágrima descia pela sua face retornou para atormenta-ló. A fizerá chorar. E desta vez forá o próprio  causador delas. As palavras ditas por si pareciam gravar em sua mente enquanto a expressão de incredulidade da jovem tapava sua visão. 

- O que eu fiz?... - murmurou a si mesmo. Sem perceber se encontrava saindo pela porta do Laboratório. Precisava encontrá-la. Pedir desculpas. Dizer que não a odiava e que foram apenas palavras sem verdades. Dizer que... 

Seus passos travaram ao ver a figura que caminhava com uma garota nos braços. Os cabelos prateados. Era Valkyon e Lua. As mãos de Ezarel se fecharam em punhos e uma sensação estranha invadiu seu peito. Era a doença. Só podia ser. 

- Por que ele está com a Lua? - sussurrou, pensativo. Descendo as escadas foi atrás do casal querendo saber onde iriam. Os dois pararam em silêncio na porta do quarto da mesma e o coração do elfo deu um pulo assustado, queria saber o que se passava. Ao olhar para a jovem cabisbaixa seu pensar se encheu de culpa, a doença parecia se alastrar fisicamente e mentalmente.

- Você vai ficar bem? - ouviu Valkyon indagar, levemente preocupado. O elfo apurou suas orelhas pontudas.

- Sim... Vou sobreviver. - a jovem soltou uma risadinha sem humor antes de abrir a porta do quarto. - Valk... Obrigada por tudo. Nem sei o que faria sem você para me ajudar.

 Antes que pudesse entrar o guerreiro segurou seu braço com delicadeza, sua expressão era de dúvida, como se pensasse se o que faria fosse o certo ou não. 

Se aproximando Valkyon despejou um suave beijo em sua testa para logo depois acariciar o topo de sua cabeça, saindo após em passos rápidos. Ezarel cerrou os punhos sentindo a estranha sensação lhe dominar, era um formigamento e calor sem explicação. A garota ainda parada a porta corou fortemente mas logo depois voltou a sua expressão vazia e chorosa entrando no recinto rapidamente, durante todo esse tempo o elfo não saiu do seu lugar .

***

- Ezarel? - chamou uma voz repleta de autoridade, o elfo virou-se para a Kitsune sem qualquer expressão embora interiormente sentisse raiva pelo atrapalhamento de seus pensamentos. - Gostaria de falar com você, a sós.

O Chefe da Guarda Absinto assentiu com a cabeça para logo depois segui-lá até a Sala do Cristal. A moça parecia tensa, cada passo seu demonstrava dureza mais insegurança, como se estivesse preocupada com algo. Ao chegarem um longo silêncio perdurou até que a mesma abriu a boca, olhando fixamente em seus olhos.

- Pois bem, vou direto ao assunto. O vilarejo de Manzana foi atacado ontem por um bando de Black Dogs, por não terem armas suficientes vários moradores acabaram morrendo ou gravemente feridos. - a espécie de raposa soltou um suspiro antes de prosseguir - Testemunhas constaram que as criaturas estavam em comando de alguém, infelizmente sua identidade não foi vista.

- Manzana sempre foi um vilarejo pacato, quase impossível de criar rijas com vilas próximas. - criticou Ezarel surpreso com as palavras de Miiko.

- Parece que esse foi o motivo para atacarem justamente essa vila, por isso quero que você com mais um representante de sua guarda vão até Manzana levar novos medicamentos e aparelhos para primeiros socorros. Leve o máximo que der de ervas medicinais, pois não sabemos a gravidade dos ferimentos de cada habitante.

Ezarel emudeceu pensando na pessoa que levaria, sabia que deveria escolher alguém capaz e atencioso com os afazeres e o que não faltava eram pessoas assim na Absinto, porém quanto mais pensava, mais seus pensamentos voltavam a uma certa garota irritante de cabelos cor de neve. 

- Vocês sairam daqui a uma hora, se apressem para chegar lá o quanto antes. Tropas de patrulhamento estarão a sua disposição mas saiba que os guerreiros estão em prou de garantir a segurança dos moradores. - finalizou a Kitsune - E então, já sabe quem vai levar?

- Sim. - sorriu Ezarel - Sei a pessoa perfeita para essa missão.


Notas Finais


Taram o q acharam?
O Valk é tão Kawaii ^////^
Kiss de Prata |}


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...