História I Make Mistakes. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Cecesunshine, Fanfic, Gace, Harry Potter, Melhor Squad, Najas' Squad, Noaros, Shadell
Visualizações 31
Palavras 1.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Pansexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 1 - 1991 - Inocência


1991

Estavam todos ansiosos e agitados, o comboio estava lotado de estudantes, alguns mais velhos e outros mais novos. Gabriel Bezzen era um meio-sangue, sua mãe era uma bruxa nascida-muggle e seu pai era um sangue-puro. Os Bezzen eram uma família muito respeitada no mundo bruxo, mas não se comparavam aos Andrews ou aos Matthews.
 Gabe andava sozinho pelo trem, a procura de um compartimento vazio, quando ele encontrou se sentou e tentou dormir. Tentou.
 Mas havia alguém que fazia muito barulho do outro lado, era Abby Belente. Indignado, Gabe se levantou e abriu a porta.

—Oi, com licença, tem gente a tentar dormir aqui. —Gabe disse chamando a atenção da menina, que corou instantaneamente. Na sua companhia estava um rapaz, que tinha a mesma idade que eles.
  —Perdão, lamento imenso ter incomodado seu sono, sou Abby Belente, filha de Anna Sinno e Francis Belente.
—Legal. —Gabe disse não dando muita atenção. —E tu és?
  —Vladimir, Vladimir Perrein, mas prefiro Vlady. Estamos procurando um compartimento vazio, podemos sentar no seu? 
—Por mim, tudo bem. Entrem.

No compartimento ao lado estavam sentados alguns que já tinham feito amizade.
 Joseph Victor Willem, Matt Greken e Oliver Nikolaus falavam sem parar, explicavam muita coisa  ao Victor que era nascido-muggle. Eles falavam sobre a criança Porter, Porter era uma espécie de celebridade, havia sobrevivido a Lord Voldemort, e então carregava uma cicatriz nas costas, era uma espécie de seta para cima, com três letras embaixo, que formava a palavra "Top". A criança tinha sido adotada mas ninguém sabia por quem, nem se sabia o género da criança.

—Mas afinal, a criança já veio pra Hogwarts? —Victor questionou os bruxos. 
  —Ele deve vir esse ano, eu estou tão ansioso! Será que ele vai ser nosso amigo? —Oliver disse enquanto sonhava acordado. —A criança Porter fazendo parte do nosso grupinho!
 —Ou talvez a criança seja arrogante e caia nos Slytherin. 
  —Vocês gostam de falar que os Slytherin são maus né? —Uma voz masculina surgiu, a voz tinha um sotaque carregado, seria russo? bulgáro? 
    —E você é? —Perguntou Victor.
 —Noah Lucius Vanderstaal Dorminik.
   —Dorminik? Como Nikolaindrey Dorminik? O famoso jogador de Quidditch? —Uma luz apareceu nos olhos de Matt, o grande Dorminik era um dos seus jogadores favoritos.
 —Ele mesmo, meu pai.

Antes que alguém pudesse dizer algo, apareceu mais gente, e uma rapariga puxou Noah e o levou de volta a mesa, mais algumas garotas também lá estavam.
 Foi anunciado que em breve chegariam a Hogwarts e muitos murmuros surgiram, sobre as casas e a criança Porter.
 Um gigante chamado Hagrid levou os novatos de barco até Hogwarts, e depois os entregou a professora Romina Ramona, que os levou até um salão grande. Ela explicou as quatro casas e a história de cada uma até que, enfim, a seleção começou.

—Abby Belente! —Ramona chamou Abby, que sorriu para Gabe uma última vez antes de se chegar a frente, se sentou e fechou os olhos. A mãe de Abby era de Hufflepuff, e seu pai era um Slytherin, e a jovem bruxa não tinha a certeza em que casa iria ficar.
  —Gryffindor! —Nesse momento, um sorriso de orelha a orelha apareceu no rosto da menina, que saiu correndo e se sentou na mesa dos Gryffindor.
 —Tomás Daros Darrens! —Mais uma pessoa se sentou, Daros parecia confiante. Por um momento todos acharam que Daros iria para os Gryffindor.
  —Hufflepuff! —O Chapéu Selecionador exclamou, e Daros andou com confiança até a mesa da sua casa.
—Elisabeth Hipolitone! —Ramona chamou. E Elisabeth lançou um olhar de morte a professora.
 —Antes de mais é Shadow ou Elisa. Segundo se diz Hypolitone, e não Hipolitone. —Shadow repreendeu a professora e lá se sentou no banco. Assim que o Chapéu tocou a cabeça da bruxa ele já sabia o lugar dela.
 —Ravenclaw! 
—Eloah Cardasso! —Assim como Shadow, um simples toque na cabeça e ele já sabia o lugar de Eloah.
  —Slytherin! 
—Gabriel Bezzen! —Ramona chamou, e um rapaz cheio de charme chegou-se a frente, no meio dos estudantes se ouviu "Que sapão!", mas ninguém percebeu quem era dono ou dona da voz.
   —Hufflepuff! —A mesma voz pode ser ouvida, e desta vez tudo o que disse foi "Que desperdício".
   —Hellen Silvereste. —Uma garota bonita, dona de si mesma, uma louca, uma bruxa se sentou de perna cruzada, mandando beijo para a mesa de Ravenclaw, e por um momento, Hell jurou ter visto Shadow corar.
 —Slytherin!
   —Joana Matthews! 
 —É Cece, professora. —Cece sorriu ao olhar para a mesma dos Slytherin, onde Hell e Eloah acenavam. 
  —Slytherin! —Assim que o chapéu terminou, Cece saiu correndo super orgulhosa de si mesma.
—Joseph Victor Willem! —Victor deu um "high-five" em Oliver antes de se sentar. O chapéu demorou 10 minutos para colocar Victor e, algum lugar, ele tinha um pouco de cada casa.
  —Gryffindor!
  —Kessy Pleiboie. —Kessy se sentou no banco, enquanto olhava fixamente para a mesa dos Hufflepuff.
   —Slytherin! —Kessy se sentou ao lado de Hellen e as duas sorriram e se abraçaram.
—Mackenzie Andrews!
  —Slytherin!
—Matheus Greken! 
  —Gryffindor! 
—Noah Dorminik! —Várias pessoas murmuravam coisas sobre o último nome do rapaz, ele estudavam com o filho de um dos melhores jogadores de Quidditch de sempre.
 —VEM PRA CÁ DORMINIK! —Um rapaz dos Hufflepuff gritou, era um aluno mais velho, devia estar em seu quarto ou quinto ano.
 —Slytherin! —As pessoas começaram a vaiar os Slytherin's, que começaram a gritar desalmadamente, até que Yasmin e Hell tiveram de ser seguradas antes de se espancarem uma a outra.
—Oliver Nikolaus! —Oliver se sentou, os olhos dele pareciam fuzilar cada mesa, iria para os Slytherin ou para os Ravenclaw? Seria corajoso o suficiente para ir para os Gryffindor?
  —Ravenclaw! —As palavras ecoaram de uma maneira na mente do bruxinho, iria ele desiludir os pais? A mãe de Oliver, Mharessa era uma Slytherin, enquanto o seu pai, Ricardo, ou Ricardão, como era conhecido na cidade era um Gryffindor.
 —Vladimir Perrein! —Vlady era o penúltimo a ser sorteado, ele era um nascido-muggle, mas tinha 100% de certeza que iria cair nos Ravenclaw.
   —Ravenclaw! —Vlady estava certo.
     —Yasmin Dorcoli. —Ela era nascida-muggle e estava ansiosa por saber qual era a sua casa. Tudo parecia estar em câmara lenta, e ela jurava conseguir ouvir seu próprio coração.
 —Hufflepuff! —Foi a última palavra dita pelo chapéu, Yas se sentou e comprimentou Gabriel.

Ramona guardou o chapéu, e se colocou em frente a um pódio com uma jovem mulher de seus 21 anos, atrás de si. Era a diretora, Phoebe Nebula, as vestes azuis-escuras ornavam com o seu cabelo loiro escuro, parecia marrom queimado em lápis de cor.
 Ela deu as boas-vindas a todos os alunos, e fez uma mágia que fez aparecer comida.
 Na mesa dos Slytherin, Noah viu uma cicatriz no pescoço de Eloah. Ele levantou a mão para tocar, mas sem olhar para o bruxo, Eloah agarrou no pulso dele com a força de dois ursos pardos.

—Nem. Pense. Nisso.


Notas Finais


NAJA'S SQUAD DONO DOS ORIGINAIS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...