História I missing you - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga
Tags Namjin
Visualizações 0
Palavras 1.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Inicio


Fanfic / Fanfiction I missing you - Capítulo 1 - Inicio

Eu estava sentado em uma mesa próxima a janela de uma cafeteria,eu trabalhava ali e como cheguei cedo tirei um tempinho pra tomar um cafézinho, eu olhava pra rua e pensava  o quão arrependido eu sou,claro que não me arrependo de ter amado Suga ou até mesmo de ter tido meu bebê,eu me arrependo de ter apressado as coisas,me pergunto como será que eu estaria se tivesse usado preservativo ou até mesmo tivesse deixado pra depois, será que Suga estaria comigo?pois se eu não estivesse engravidado  ele não teria ido correndo até o hospital e acabado morto atropelado por uma moto. Podíamos ter terminado os estudos juntos ter nossa casinha e assim seria o momento certo de ter o kook,dar um lar pra ele e devida atenção, ele teria uma vida melhor,moraria em uma casa de verdade ao invés de um apartamento no subúrbio de três cômodos,teria roupas lindas ao invés de roupas de promoção ou doadas pelas colegas de trabalho,teria pais presentes,estudaria em boas escolas sem eu precisar fazer serviços pras mesmas  para que ele continue lá,eu teria alguém por mim pra cuidar de mim não seria eu sozinho. 

suspirei saindo de meus devaneios vendo que já estava em meu horário. Me levanto e faço o de sempre,limpo mesas,sirvo café,ofereço cardápios, fico no caixa,limpo e almoço depois tudo de novo.a tarde busco meu filho e o deixo comendo alguma coisa enquanto fico vestido de sushi oferecendo panfletos de uma nova loja de comida japonesa. 

Quando retorno pra casa já é tarde,ajudo Kook nos deveres de casa,lhe dou um banho e o coloco na cama. Após lavar a louça é minha vez de dormir. Sempre foi bem corrido assim,vez ou outra a avó paterna do Kook faz umas caridades pra gente e facilita o mês,porém tem vezes que é só na graça de deus que conseguimos comer,eu acho muito desesperadora nossa situação,não me importo de ficar sem comer vez ou outra pra poder dar um MC lanche feliz pro Kook ou comprar algo que a escola pede ou até mesmo um brinquedinho em seu aniversário oque me dói é ver meu pequeno um pouco triste quando o busco na escola,ver como ele olha os brinquedos legais de outras crianças,quando me pergunta o por que de não ter uma casa bonita como a dos coleguinhas,ou quando sem jeito me pede um tênis que acende luizinha e eu respondo"quando eu puder eu compro" sabendo que não vou poder comprar nunca um negoço desses. Quando a gente ta na merda a gente faz de tudo pra sair dela. Conheci  um cara, Maike o nome dele,super gentil que me tratava super bem,nós nos conhecemos mais e eu com esperança comecei a namorar,moramos juntos e tudo. Ele ganhava mais do que eu,paparicava o Kook e era doce comigo...bom...no começo ele era, depois ele mostrou o lado dragão dele. Embora eu apanhasse de vez em quando,fosse humilhado e até mesmo tenha virado aquelas dona de casa escravizada Kook era feliz,pois Mike sempre fora bom para o garoto lhe ajudava nas tarefas,lhe dava presentes melhores,lanche pra escola todo dia e até tinhamos um apezinho mais confortável...não era lá um paraíso mas era melhor do que quando dormiamos nós 3 juntos em um colchão inflável na sala/cozinha/lavanderia.

Minha desgraça não acaba aí. Eu fui demitido do meu trabalho porque o café fechou,fiquei sem chão onde eu iria arrumar outro emprego? Nem me lembro quantas noites fiquei em claro vendo jornais ou qualquer anúncio de emprego,fui em muitos lugares pra entrevistas e nada,quando eu já estava entrando em desespero Maike me deu uma proposta de emprego que eu até fiquei um pouco ofendido,trabalhar em um bar de strip frequentada por gente muito estranha..foi uma decisão difícil mas era o jeito. Por incrível que pareça eles me aceitaram ali,eu era o garçom... ainda bem ne, trabalhava de segunda a domingo todas as noites,oferecia bebidas e era todo amavelzinho mesmo quando tinha um jumento passando a mão "sem querer" em mim. Ali eu descobri que tinha gente estranha mesmo,gangues,pessoal barra pesada,galera que ganha grana jogando corpo no rio. 

 As noites eram agitadas e foi em uma dessas noites que eu conheci aquele doido varrido,vou lhes contar tudinho.

Eu estava de boa voltando do trabalho quando sou atropelado,ao invés e ser levado pro hospital como uma pessoa normal faria eu fui jogado em um porta malas,eu nem sei pra onde estava sendo levado,só sei que acordei nos braços de um escroto de cabelos descoloridos pronto pra ser jogado da ponte, agarrei em seu pescoço e acabou que nós dois fomos juntos pro rio,sorte a nossa que a ponte nem era tão alta e água absorveu bem o impacto,tirando a parte que o louco tentou me afogar sem sucesso foi tranquilo. 

-Você é louco seu animal?

-Eu louco?é você que  jogou a gente  na água.

-Eu não teria me jogado se você não tivesse me atropelado.

-A culpa foi sua,ninguém mandou ficar na calçada quando eu estava dirigindo.

-Você está de brincadeira? Eu deveria processar você

-Você não teria coragem

-E por que não?

-Porque você não ia aparecer vivo no dia seguinte bonitinho.

Engoli em seco...ótimo um delinquente.

-Tá olha esquece isso,eu tenho um filho pra cuidar e não tenho tempo pra mimimi de gente que nem você.

-Hump gente que nem eu,também tenho uma cria e não o uso de desculpa.

-Você não me conhece! então não vem falar coisa de mim seu doido.

-Olha...eu não vou perder meu tempo vou embora bye

Disse o asqueroso me dando as costas,olhei em volta e eu nem sabia onde estava.

-Vai me deixar aqui?

-Vou.

-N..não,me dá uma carona por favor?

-Eu não,fica longe de mim senhor do processo.

-Por favor! 

Quase chorei desta vez, olhando em volta dava pra ver que eu ia acabar abusado e morto jogado numa lata de lixo se fosse voltar pra casa apé,acho que ele se compadeceu porque se virou pra mim e vez um "vem" com a cabeça,sorri agradecido e o segui até o carro. No caminho ficamos calados,eu o olhava vez ou outra vendo seu olho de peixe morto,pensava em como será que vou explicar tudo isso pro Mike. 

 -Qual seu nome?

Perguntei pra quebrar o silencio..estava me incomodando.

-Namjoon e o seu?

-Eu sou o Jin

-Prazer Jin...eu já sabia

-E como sabia?

-Seu crachá do uniforme

-Ah ta...espertinho.

Conversamos coisas banais no caminho,foi divertido nem parecia que ele tinha me atropelado horas atrás e tentado me jogar da ponte.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...