História I need a Omma - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun, Suho
Tags Bebê, Casamento Arranjado, Chanbaek, Exo, Hunhan, Kaisoo, Mpreg
Exibições 1.401
Palavras 1.629
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha Quem Veioooo!!!!
Oiiie Amores, não era pra mim estar postando, mas ontem eu sai, me diverti e fiquei feliz e isso foi o bastante pra mim desestressar um pouquinho e ter animo para escrever um capitulo de INO.
Siiim o vestibular é Domingo e de vez a dona aqui estar estudando, hj fiquei o dia inteiro na internet me atualizando e que se dane o mundo pq Jesus to bem não com Wings do BTS, sério não consigo para de ouvir o álbum inteiro.
Bom chega de conversa e vamos ler! Go!Go!Go!

Capítulo 16 - Capitulo 16


Solto um baixo resmungo por ter acordado depois de uma noite tão boa, havia dias que eu não conseguia dormir direito por causa da residência e das coisas que precisava fazer em casa, por isso continuo com os olhos fechados na esperança que meu sono irá voltar e meu despertador não irá tocar. Respiro fundo suspirando irritado logo após por saber que eu não irei conseguir voltar a dormir, e no meio desse ato pude sentir o conhecido cheiro de medicamentos e produtos de limpeza. Abro os olhos lentamente, sendo cegado pela branquitude do quarto que era iluminado pelo sol que adentrava a janela:

- Bom dia Soo. – Jongin adentra no quarto segundos depois de eu ter aberto os olhos. – Daqui apouco estarão trazendo seu café, acredito que esteja com fome já que ontem você nem jantou. – diz calmamente.

O moreno se aproxima e deixa um selar em minha testa antes de se sentar na beirada da cama:

- Tudo bem? – pergunta estranhando meu silencio.

Ele segura uma de minhas mãos acariciando-a em quanto eu observava o contraste de nossas peles:

- Tudo. – finalmente respondo com a voz rouca por causa do pouco uso. – Onde está Kihyun?

- Está com Luhan, Sehun e Hansu.

Ao ouvir isso rapidamente me levanto, retiro o soro do cabide e o ergo acima da minha cabeça com o braço desocupado:

- O que está fazendo? – o mais alto pergunta observando meus movimentos.

- Vou ver meu afilhado.

Após calçar meus sapatos corro em direção aos quartos na aera da maternidade, ansioso para ver a carinha de joelho do meu afilhadinho:

- Yah não corra. – sinto a mão grande do maior segurar meu pulso. – Não sei se você se lembra, mas você desmaiou ontem e está num hospital. – Repreende ele tomando o soro de minha mão e carregando para mim em quanto eu tinha um bico emburrado nos lábios.

Quem ele pensa que é? Eu que sou o médico aqui! Ao avistar a porta com o nome de Luhan apresso meus passos fazendo o moreno ao meu lado me acompanhar. Ao entrar me deparo com Luhan com um pequeno bebe gordinho em seus braços, Kihyun estava sobre a cama sentado ao lado de Luhan, observando Hansu mexer os bracinhos e Sehun se encontrava sentado na poltrona no canto do quarto sorrindo observando a cena. Me aproximo lentamente de Luhan que abre um sorriso ao me ver. Observo o pequeno recém-nascido que mexia suas mãozinhas sem parar, como se procurasse algo para segurar, Kihyun ria quando pequeno agarrava seu dedo com força e não queria soltar:

- Posso pegar Hyung? – pergunto e a pós um aceno, seguro Hansu em meus braços. – Veja ele não tem cara de joelho. – digo surpreso.

- Não são todos os bebes que tem cara de joelho Kyung. – afirma Luhan revirando os olhos.

- É, mas esse daqui tem cara de porta. – rio. – Tem a cara do Sehun, agora eu me pergunto se é melhor ter cara de porta ou de joelho, porque se fosse eu juro que preferia ter a cara de um joelho bem feinho do que a ter a cara igual do Sehun.

Sehun se levanta após ouvir isso e vem em minha direção tentando tirar o filho de meus braços, mas eu desvio ouvindo Jongin resmungar algo sobre ter cuidado com o soro que ele ainda segurava:

- Me dê o Hansu antes que ele se assuste com essa sua cara de pinguim e com esses olhos medonhos.

- Yah isso é modo de falar com seu Hyung? – pergunto indignado. – Agora sim Hansu vai ficar comigo, onde já se viu. – olho para o bebe que me olhava curioso. – Ouviu neném do tio, não seja igual ao seu pai, você pode ter a cara de porta que nem dele, mas seja mais legal ok?

Em quanto converso com o pequeno Oh escuto as risadas de Luhan e Kihyun que estavam se divertindo assistindo um Sehun com um bico nos lábios e um Jongin que ficava andando atrás de mim que nem um cachorrinho em quanto reclamava que seu braço estava ficando cansado de tanto segurar aquele soro:

- Imaginei que você estaria aqui Kyung. – ouço a voz de Baekhyun que havia acabado de entrar no cômodo. - O doutor Jung quer falar com você.

- Onde ele está? – pergunto entregando finalmente Hansu para Sehun.

- Na sala dele.

Após a informação eu e Jongin fomos para em direção a sala do meu chefe, por um segundo havia esquecido dos pensamentos aterrorizantes que passaram pela minha mente ao notar o tanto de dias que estava passando mal:

- Tudo bem Soo? – ouço a voz do moreno ao meu lado, ele parecia preocupado, notando meu nervosismo.

- Só espero que não seja o que estou pensando. – digo.

O Kim faz uma expressão confusa, mas antes de me explicar a porta em nossa frente se abre saindo de lá uma enfermeira que nos cumprimenta e depois se retira. Entro na pequena sala em silencio:

- Olá Kyungsoo. Eu havia ido ao seu quarto, mas você não estava lá.

- Ah sim. – repondo sem jeito. – Queria ver o filho do meu amigo que nasceu ontem anoite.

- Bom, ontem anoite pelo que eu ouvi do seu marido. – diz ele direcionando o olhar por um momento para o moreno ao meu lado. – Você estava passando mal, tendo dores de cabeça, enjoos e tonturas á mais ou menos uma semana.

Sinto os dedos do meu marido se entrelaçarem com os meus, transmitindo uma calma que apenas ele era capaz:

- Sim. – confirmo. – Ontem anoite eu provei a sopa que havia feito para o jantar, no inicio o gosto estava normal, mas depois de um tempo senti meu estomago embrulhar e corri para o banheiro. – relato.

Vejo-o anotar algo em seu bloco de papel:

- Quando você chegou fizemos um exame de sangue.

Ele olha para mim e Jongin antes de sorrir e jogar uma bomba em cima de mim:

- Parabéns, você está grávido.

Fecho os olhos suspirando, em quanto escuto Jongin se engasgar e começar a tossir pego totalmente desprevenido:

- Mas, e minha residência? Meus Jesus e meus pacientes? Como vou conseguir concluir tudo? Eu vou continuar no hospital né? Ai Meu Deus eu to pirando. – por perguntar tão rápido acabei embolando com as palavras e agradeci pelo Doutor Jung ter entendido a maioria das coisas que saíram da minha boca.  

- Não se preocupe Kyungsoo, por você estar grávido acredito que não poderá ajudar mais na emergência e nem em cirurgias, por isso tentarei colocar você como o médico responsável pelos pacientes em coma e os pacientes regulares que apenas precisam de medicação e uma boa alimentação.

- Mas isso não dará problemas? – pergunto relutante brincando com meus dedos.

- Não, você é um ótimo médico Kyungsoo e quero mantê-lo aqui por um bom tempo, por isso prezo a sua saúde e principalmente desse ser que está dentro de você.

Suspiro aliviado, quando o pensamento de estar grávido passou pela minha cabeça, imaginei milhares de coisas, como ser demitido ou pior ser obrigado a continuar a passar por todo o estresse que já estava passando com os sintomas de uma gravidez.

 Apenas quando estávamos voltando para o quarto de Luhan que percebo que Jongin estava quieto, seu semblante era sério, as sobrancelhas unidas em quanto seu olhar mirava o chão, totalmente perdido em devaneios e confesso que isso me preocupou:

- Hey. – chamo sua atenção.       

Ele me olha e sua expressão suaviza, desentrelaço nossos dedos para que minhas mãos possam acariciar seu rosto. Retiro a franja de frente de seus olhos, deixando totalmente exposto aquele olhar profundo e carinhoso que eu tanto amava:

- Está tudo bem? – dessa vez sou eu que pergunto.

Suas mãos vão para a minha cintura e ali fazem um carinho singelo:

- Eu estou bem.

- E porque está tão sério, não me diga que você não...

- Não, não é nada disso. – ele me corta. – Eu apenas estava pensando que preciso falar com o Myungsoo.

Meu coração trava ao ouvir o nome citado, eu ainda não consegui entender aonde ele queria chegar e por que iria querer falar com Myungsoo:

- Apenas acho que devemos parar com isso. Essa perseguição dele e a chantagem. – explica ele notando minha expressão confusa.

- Jongin...

Ele sorri, um sorriso claro e sincero, ele se aproxima selando nossos lábios rapidamente:

- Vamos ter um neném agora Amor. – Ele me abraça enfiando seu rosto em meu pescoço. – Nada pode nos atrapalhar. Por você, por Kihyun e pelo nosso baby, vou acabar com essa história que já deveria ter acabado há muito tempo.

Sempre ouvi Luhan dizer que quando Sehun o chamava de Amor, seu coração se preenchia de algo que ele não conseguia explicar, ele dizia que era como a sensação de voar e ao mesmo tempo correr, eu e Baekhyun nunca entendemos sua explicação tão sem lógica e sempre dizíamos que o amor enlouquecia as pessoas, mas ao ouvir Jongin me chamar assim eu pude em fim sentir essa louca sensação, como se estivesse em corrida, minhas pernas parecem tão moles como se eu tivesse corrido por horas seguidas, o coração acelerado e o frio na barriga de como estivéssemos voando, além de uma sensação tão libertadora, sei que não entenderá essa explicação sem lógica, mas quando sentir seu coração preenchido da mais bela felicidade você saberá o que eu estou falando e tentando falhamente explicar, pois essa sensação foi feita apenas para sentir e não ser posta em palavras.

Jongin continua a me abraçar, acaricio seus cabelos também colocando meu rosto entre seu pescoço e ombro inalando seu perfume que tanto me agradava, em quanto bem baixinho eu sussurrava diversas vezes próximo ao seu ouvido a palavra Amor.


Notas Finais


GENTE!!! tenho novidade!!!
Bem muitas pessoas que leem minhas fics podem ver que sempre que eu queira ler algo e não acabo encontrando eu mesmo escrevo a fic, foi assim que houve com INO, VML e BE. Então esses dias eu queria uma fic bem fofinha pra ler, mas eu queria uma fic focada na familia Kaisoo e eu achei mas infelizmente não era bem o estilo que eu queria, pq eu queria uma fic que já começava com eles como uma familia e qeu os filhos ainda fossem pequenos, pq quando eu encontro uma fic Kaisoo ou conta a história do Kai e do Soo e termina com um bebe ou os filhos já são adolescentes ou até adultos. Entãoooo a linda pessoinha aqui decidiu fazer uma segunda temporada de I Need a Omma focada na familia Kaisoo e seu filhos pequenos!!!!!!! E ai o que acharam????? Vai ser bem fofinho, cheio de coisinhas frufrus kkkkk
E outra já tem algum tempo que uma MARAVILHOSA LEITORA veio falar comigo informando que a autora de Vizinhos repostou a fic mas ela repostou no Wattpad, vou deixar o link pra vocês, caso vcs não viram.
https://www.wattpad.com/story/75104784-o-vizinho

Bom por hoje é só isso, comentem sobre o que acham de INO ter uma segunda temporada ok, a opinião de vocês é bem importante.
Thanks por lerem^.^ Beijooocas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...