História I Need You - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 337
Palavras 3.521
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente bonita, tudo bem? Adivinha quem está pobre e não vai ir ao show do Bangtan? Euzinha mesmo T-T A vida tem dessas não é mesmo?!

Boa leitura!

Capítulo 15 - Capítulo XV


Sakura acordou relativamente cedo no dia seguinte. Espreguiçou-se e, após usar o banheiro, esticou seu vestido que estava bastante amarrotado no momento. Seguiu para a sala, onde ficava a maior parte da decoração natalina e também ocorreu a festa da noite anterior. Notou que a mesma continuava levemente bagunçada, mesmo que tivessem dado uma geral durante a madrugada. Suspirou pensativa, estava decidia a arrumar tudo aquilo, seria um agradecimento pela maravilhosa noite que Kushina e Minato proporcionaram a ela com aquela festa.

Avançou até a cozinha e observou que a porta que dava acesso à dispensa e o quintal da casa estava destrancada, sendo assim teve facilidade ao encontrar os produtos dos quais precisava para a limpeza. Primeiro Sakura tratou de catar alguns embrulhos espalhados nos cantinhos dos sofás e atrás da árvore natalina, depois optou por varrer toda extensão e, por fim, passou um pano molhado e outro seco no primeiro andar. Como ainda estava cedo demais, a garota decidiu abrir as janelas e deixar a luz do sol – brilhante e quente como em um dia de verão mesmo que ainda fosse inverno – entrar tal como o ar fresco vindo diretamente do mar. Iria preparar o café se não tivesse encontrado Kushina no pé da escada a observando com um sorriso na face.

_ Vejo que você acordou sacudida! – Brincou a ruiva se aproximando e abraçando a rosada logo após. Usava um vestido branco com estampa floral muito bonito. – Feliz natal, Sakura!

_ Feliz natal, Kushina! – Cumprimentou a rosada ao retribuir o abraço da mesma. – Posso ajudar com mais alguma coisa?

_ Oh, eu agradeço, mas a senhorita já fez mais do que devia por aqui. Muito obrigada, querida!

As duas se dirigiram para a cozinha, toda azulejada em porcelanato branco e móveis de mesma cor. Possuía uma pequena mesa no centro para quatro lugares e um balcão separava o ambiente da sala de jantar e televisão. Ligaram a televisão ao qual transmitia um programa matinal que mais parecia uma música de fundo sem muita importância.

Kushina parecia decidia sobre o cardápio do café já que sem muita demora colocou água para ferver em uma cafeteira e pegou diversos sacos de pães amanhecidos, os preparando, portanto, para o que supôs Sakura uma deliciosa rabanada.

_ E então? – Sorriu a Uzumaki agora molhando as fatias de pão em uma mistura de leite e leite condensado. – O que achou da festa de ontem?

Sakura estava sentada em um banco próximo do balcão, apoiando seus cotovelos na superfície do mesmo. O cheiro do café já se fazia presente no ambiente, deixando tudo mais aconchegante.

_ Foi tudo ótimo, eu realmente me diverti! Foi meu primeiro natal em uma festa assim, tão animada! Sabe, me senti como naqueles filmes de natal! – Brincou ela arrancando risos da ruiva a sua frente.

_ Não tem uma pessoa que não me diga isso! – Riu ela ainda mais. – Isso realmente me deixa feliz e mais ainda por você ser a garota do Sasuke! Aquele menino, finalmente se ajeitando!

Sakura corou consideravelmente após aquele comentário. Sorriu sem graça e enquanto pensava sobre o que responder foi surpreendida por Itachi, que chegou de supetão na cozinha.

_ Bom dia... – Sussurrou com a voz rouca e os olhos ainda meio fechados. Sakura riu internamente, Itachi era realmente um cara divertido mesmo que não pretendesse ser.

_ Bom dia! Feliz natal! – Respondeu Kushina.

_ Oh... É verdade, feliz natal Kushina. Feliz natal cunhada. – Espreguiçou-se o moreno sentando-se ao lado de Sakura.

_ Feliz natal cunhado! – Respondeu rindo, era realmente divertido ter um cunhado como ele, afinal ambos estavam criando um laço muito forte e amistoso. Sentia como se Itachi também fosse seu irmão mais velho e isso era uma sensação realmente gostosa de apreciar.

Itachi ficou um bom tempo parado, analisando precisamente as mãos de Sakura, ou melhor, analisando a aliança de compromisso ao qual usava na mão direita. Parecia surpreso no início, contudo terminou sua pesquisa com um sorriso na face.

_ Acho que agora entendi o sumiço de Sasuke ontem, quando fomos pescar. – Concluiu despertando a curiosidade das duas mulheres presentes no local.

_ Como assim, Itachi? – Questionou Sakura.

_ Sasuke comprou essas alianças ontem, eu tenho certeza disso. – Sorriu um pouco mais. – Essas alianças só podem ser produzidas em um joalheiro conhecido aqui da cidade... Bom, irei usar o banheiro e depois vou ir para casa me trocar. Você quer ir também e pegar uma muda de roupas para meu irmão?

Sakura assentiu ainda surpresa com a descoberta. Uma aliança, por mais especial que seja o momento de usá-la, é produzida em diversas cidades. Não conseguia compreender o motivo de Sasuke ter esperado ambos terem chegado a sua cidade natal para compra-las, a menos que a mesma tivesse um valor sentimental ou não fosse algo planejado por ele com antecedência. Assim que Itachi se afastou o suficiente a rosada chamou a atenção da senhora Uzumaki.

_ Kushina, desculpa a pergunta, mas tem algum valor sentimental nessa aliança que eu não esteja sabendo?

_ Hum, deixe me ver. – Kushina deixou os pães em um canto e aproximou-se do balcão ao modo que Sakura esticava sua mão direita para que a mesma pudesse analisar melhor. – Oh, sim, realmente há um grande valor sentimental nessa aliança, minha querida.

“Quando Fugaku, pai de Sasuke, pediu Mikoto, mãe de Sasuke, em namoro ele deu uma aliança idêntica a essa que você está usando. Mikoto ficou tão feliz na época que mesmo depois que se casou ela nunca retirou a aliança. Acredito que Sasuke tenha ido ao mesmo joalheiro que seu pai foi e tenha pedido para que fizesse uma cópia para você! Tão romântico!

Sakura ficou boquiaberta com a história. Definitivamente havia muito mais sentimentalismo naquele anel do que jamais poderia desconfiar e isso realmente a deixou feliz, pois se sentiu de fato especial para o moreno.

_ Eu não sabia... – Sussurrou num fio de voz.

_ Relaxe, minha querida. Falar sobre os pais para os dois é realmente delicado e há muitas histórias que você irá descobrir com ao longo do tempo. Pode sempre contar comigo! – Piscou Kushina voltando a se dedicar no preparo da rabanada.

Itachi voltou um tempo depois, agora mais desperto e de melhor humor. Despediram-se da senhora Uzumaki e seguiram para a casa da frente. Enquanto o moreno tomava um banho, Sakura aproveitou para separar as mudas de roupas para Sasuke – uma calça jeans escura e uma camiseta polo azul marinho – assim como suas próprias. Aproveitou também para ligar para seus pais, desejando-lhes feliz natal e contar a grande novidade.

_ Quanta cortesia desse rapaz, minha filha! É muito raro encontrar garotos que ainda se dão o trabalho de pedir as moças em namorado. – Observou Mebuki no telefone.

_ Concordo plenamente. – Respondeu Kizashi no telefone, revelando que o celular estava provavelmente no viva-voz.

_ Sim, eu fiquei realmente surpresa... – Sakura suspirou pensativa, o que não passou despercebido pela sua família.

_ Sakura, minha princesa, você não me parece feliz com isso. O que foi? – Kizashi questionou em um tom preocupado o suficiente para despertar a garota de seus devaneios.

_ Não, eu realmente estou feliz sobre isso. É que essa aliança tem um valor sentimental muito forte para o Sasuke. Contaram-me que ela é uma réplica da aliança que o pai dele deu para sua mãe. – Suspirou mais uma vez enquanto olhava diretamente para aliança em seu dedo. – Eu sinto como se não estivesse demonstrando real interesse por todo esse sentimento sabe... Não sei quase nada sobre sua família...

Seus pais ficaram em silêncio por um tempo até que Mebuki pareceu de fato compreender o que tanto angustiava sua filha: tinha medo que Sasuke pensasse que a mesma não se importava com seu passado, porém também temia a reação do moreno ao tocar em um assunto tão delicado. Pigarreou antes de dar seu veredito.

_ Sakura, como sua mãe posso lhe aconselhar, mas cabe a você se pretende seguir ou não. Sasuke parece realmente decido a ter um compromisso sério com você e creio que para ele seja muito difícil de fato falar sobre os pais. Porém, agora vocês são um casal e um casal compartilha de momentos bons e momentos ruins. Minha filha, se você estiver se sentindo como alguém sem interesse você deve chama-lo e dizer tudo o que se passa em seu coração.

_ Faço as palavras de sua mãe as minhas. – Completou Kizashi.

_ Vocês estão certos, mas me contem como foi o natal por aí? – Suspirando desviando um pouco do assunto.

Depois de rir muito com seus pais no telefone – que optaram por passar o natal com Rock Lee e seu noivo Norberto em uma festa muito divertida – Sakura se despediu e mandou mensagens de natal para Ino, a quem morria de saudade secretamente. Quando Itachi desocupou o banheiro tratou de avisar a garota, que rapidamente seguiu para o mesmo com a pretensão de um bom banho.

A água não estava nem quente e nem fria, deixando seu corpo descansado e ao mesmo com novas energias para mais uma dose de festa, já que teria um almoço com o que havia sobrado da ceia. Lavou seus cabelos com calma, sentindo-se renovada com a sensação de frescor que ganhou no couro cabeludo. Assim que saiu do banho e secou seus cabelos por cima, vestiu a roupa que antes havia separado: um aconchegante vestido vermelho e branco de manga três quarto. Optou por uma maquiagem básica, pois tinha a intenção de apenas retirar as olheiras da noite mal dormida.

Após terminar de se arrumar, Sakura voltou com Itachi para a casa dos Uzumaki, sentindo-se renovada para continuar o dia. Ao chegarem, Kushina já havia terminado de preparar o café, arrumando a mesa de jantar com uma bandeja de rabanada, um prato com bolo, cestas de pães doces e salgados, uma garrafa de café e outros alimentos. Minato encontrava-se ajudando sua esposa ao mesmo tempo em que Naruto jogava vídeo game com Sasuke na sala.

O café da manhã ocorreu de modo divertido, deixando todos satisfeitos pela comida saborosa e algumas horas de conversa boa. Sasuke e Naruto foram se ajeitar assim que o restante se dividiu para organizar novamente a casa e começar os preparativos para o almoço.

Sakura precisava admitir que o moreno estava extremamente lindo nas roupas que havia escolhido para o mesmo usar naquela ocasião, podendo ele se passar facilmente por um modelo ou quem sabe um artista. Sasuke pareceu ler os pensamentos da Haruno e se aproveitou da situação para ficar abraçado a ela.

Os convidados do almoço eram bem poucos se comparados com a festa da noite passada, já que até o momento só havia chegado à família de Hinata, Kakashi e Jiraya. O ambiente estava bem mais tranquilo e separado também, afinal os adultos deram preferência à cozinha e os jovens para um campeonato de vídeo game na sala.

_ Eu aposto que eu ganho de você! – Retrucou Neji para Naruto.

_ Dá um tempo cara, você já perdeu três vezes! – Emburrou-se Naruto.

_ Irmã, por que meu controle está desligado? – Vociferou Hanabi, irmã mais nova de Hinata que por sinal era muito parecida com a morena, tendo exceção apenas para os tons de cabelos castanhos que lembravam Neji.

_ Impressão sua Hanabi! – Sussurrou Hinata sem graça.

_ Sério que vão me deixar vencer de novo? Vocês são patéticos! – Riu Sasuke, fazendo Sakura revirar os olhos para depois rir também.

_ Quando iremos jogar algo que eu e Hinata entendemos? – Suspirou a rosada, mas sendo ignorada pelos rapazes.

_ Eu já desisti disso Sakura, eles são uns chatos mesmo! – A morena cruzou seus braços, entretanto as duas caíram na risada segundos depois.

Karin foi à última a chegar para o almoço, tornando-se a mais animada no local. Tomou o controle de seu primo e deu uma verdadeira surra em Neji e Sasuke, sendo aclamada pelas meninas que acharam mais que bem feito para os meninos.

_ Agora, se vocês me dão licença, preciso roubar a namorada de vocês por um tempinho. – Piscou Karin agarrando cada uma por um braço e as arrastando para a varanda de frente para a sala. – Meninas é o seguinte: precisamos organizar nossa festa de ano novo.

Sakura subitamente se lembrou de que depois do natal vinha outra festa para que se comemorasse a chegada do novo ano. Riu consigo mesma, afinal como conseguia se esquecer de algo tão óbvio assim? Riu de si mesma, torcendo para que Hinata e Karin não tivessem percebido, afinal seria vergonhoso demais explicar seu desligamento com as datas comemorativas.

_ Por mim passávamos por aqui mesmo, na praia, mas infelizmente nossas aulas começam logo depois e não daria tempo de chegar no dia. – Lamentou-se Hinata enquanto apoiava seus braços na sacada. A morena usava um macacão jeans e camiseta branca, deixando-a com um visual extremamente fofo.

_ Exato! Ainda não superei isso! – Karin também se apoiou no parapeito, entretanto escondendo seu rosto entre os braços. Soltou um grito abafado de frustação. – Soube que a Akatsuki vai dar uma festa daquelas, mas não consigo suportar aqueles caras mais.

A rosada engoliu em seco. Sempre que tocavam no assunto “festa” e “Akatsuki” na mesa frase a faziam se lembrar dos acontecimentos que, literalmente, mudaram sua vida naquele ano. Não se sentia mais culpada por Deidara e muito menos Sasori, visto que o mesmo parecia não respeitar sua decisão em manter um relacionamento sério com o Uchiha. Contudo, era fato que provavelmente seus novos amigos não queriam ir à festa da tal república por acontecimentos que ela mesma causou, deixando-a de certo modo em dívida com eles. Ao menos se ela tivesse uma ideia para ajuda-los...

_ Nós poderíamos passar na praça central. Parece bobo, mas é realmente divertido lá. Fica um telão passando o Kohaku¹ e depois ocorrem as 108 badaladas² com muita farra. Ino e eu sempre passávamos lá depois que nos mudamos para Konoha. – Sugeriu a rosada rezando para que as mesmas se interessassem.

Karin se levantou pensativa sobre o assunto. As inúmeras correntes que usava em volta do pescoço faziam um barulho divertido tal como suas pulseiras quando se mexia, realçando suas vestes pretas e a tornando presente no ambiente.

_ Nossa, sabe que eu tinha até me esquecido dessa praça?! A ideia não me parece ruim Sakura! Vou ligar agora mesmo para Suigetsu e Juugo. Você ligue para a sua amiga Ino. – Disse apontando para Sakura animada. – Hinata você avisa a Tenten e o resto do pessoal!

A ruiva saiu animada da varanda, deixando a Haruno aliviada pela a mesma ter gostado da ideia. Mal podia esperar para contar as novidades para Ino. Hinata tratou de fazer as ligações que precisava tal como Sakura. Naruto, Neji e Sasuke pareceram felizes com a ideia também, deixando a ansiedade para o dia 31 ainda mais forte.

O almoço foi servido não muito tempo depois. A comida parecia ainda mais gostosa que a noite anterior e a Haruno começava a se preocupar com os prováveis quilinhos que tinha ganhado naquela viagem. Quando já era quase fim de tarde, as pessoas começaram a se despedir, não sendo diferente com os Uchihas – que logo foram para sua casa acompanhados por Sakura.

Itachi suspirava cansado quando de fato estavam acolhidos pelo silêncio de sua casa. Pediu licença e se retirou para um descanso em seu quarto, já que teria de levantar cedo no dia seguinte para seu trabalho, deixando Sasuke e Sakura sozinhos na sala.

Sasuke conduziu Sakura para o sofá com certa urgência de um abraço e um beijo apaixonado. Quando o ar pareceu faltar se separaram um pouco ofegantes.

_ Em fim estamos a sós... – Sorriu ele. – Estava com saudade de passar um tempo sozinho com você.

_ Eu também! – Sakura encontrava-se corada, perguntando-se quanto tempo demoraria a se acostumasse com as declarações que constantemente recebia do moreno. Passou a acariciar as bochechas do Uchiha calmamente um tempo depois. – Sasuke, posso perguntar uma coisa?

_ Sim, o que quiser. – Sussurrou o moreno levemente apreensivo, o que não passou despercebido pela rosada.

_ Eu sei que é um assunto delicado para você, mas como eram os seus pais? – Sasuke arregalou levemente seus olhos pela surpresa daquela pergunta. Talvez, pensou a Haruno, ele não esperava por um questionamento assim. – Você conheceu meus pais e eu inclusive te contei a história deles, mas eu não sei muito sobre meus sogros. Poderia me contar?

_ Bom... Isso realmente me pegou desprevenido! – Riu secamente ele. O moreno se ajeitou melhor no sofá, deixando um espaço vago em seu colo que logo foi preenchido por Sakura. – Para ser sincero eu não me recordo muito, mas Itachi costumava me contar um pouco sobre eles. Vejamos...

Sasuke levou algum tempo antes de prosseguir sua fala, provavelmente revirando suas mais profundas memórias para responder a garota.

_ Meu pai se chamava Fugaku, ele também trabalhava no departamento policial da cidade. Exercia o cargo de delegado, que hoje pertence ao Minato. Minha mãe se chamava Mikoto e ela era professora de uma escola primária. O Itachi me contou que eles se conheceram quando meu pai foi até a escola que minha mãe trabalhava para fazer uma campanha para as crianças sobre segurança. Foi amor à primeira vista e todos os dias ele a esperava sair da escola para acompanhá-la até em casa.

_ Ele era bastante romântico então! – Comentou a rosada pensativa. Sasuke assentiu antes de continuar.

_Ficaram nisso por muito tempo até que Minato e Kushina incentivaram meu pai a chamá-la para sair e logo no primeiro encontro ele a pediu em namoro! – Riu o moreno de modo triste. – Inclusive, ele deu a ela uma aliança que é igual a sua. Ela nunca tirava esse anel do dedo, acredita? Nem mesmo depois que se casaram...

Sakura decidiu que não contaria a ele que Kushina já havia lhe adiantado uma parte da história e demonstrou surpresa com a “descoberta” que acabara de fazer. Sasuke fazia um calmo cafuné nos emaranhados cabelos cor rosa da menina enquanto falava. Ao ver de Sakura, aquele gesto dava forças para que ele continuasse a falar.

_ Eu me lembro de mamãe me dizer que o amor deles era muito intenso e por incrível que pareça meu pai a pediu em casamento muito antes de Minato pedir a Kushina, sendo assim foi o primeiro a se casar. Itachi não demorou muito a nascer e eu vim um tempo depois, quando Kushina esperava Naruto também. Meus pais costumavam falar que eu e Naruto já estávamos marcados a sermos amigos desde antes de nascer. Cada uma que eu ouvia... Mas no fim estavam certos. Devo muito a ele, sabe?!

_ Muito bonita a história deles, Sasuke! – Sakura o encarou nos olhos, sentia que o moreno, por mais que tivesse sido ele a correr atrás dela, era uma verdadeira muralha quando se tratava de expor seu passado. Contudo, sentia também que aquela muralha estava sendo derrubada pouco a pouco e isso a deixava feliz por confiar nela mesmo que gradativamente. – Realmente você e Naruto possuem uma amizade muito bonita, me faz lembrar de minha amizade com a Ino. Mas por que você deve muito a ele?

Sasuke desviou o olhar de repente, fazendo com que a garota ficasse receosa. Tudo indicava que a muralhava havia sido reconstruída novamente e provavelmente não seria hoje que ela iria entender o que tanto o angustiava.

_ É melhor deixar isso para outro momento. Amanhã será nosso último dia aqui, não?! – O Uchiha falava com certa urgência em mudar o assunto. Era visível isso em seu gesto brusco de quando se encostou no estofado. Contudo, seu tom de voz permanecia ainda calmo.

_ Sim, infelizmente... – Suspirou a garota por fim derrotada. – Eu gostei daqui, não queria ir...

_ Eu também não. – Respondeu ele. Massageava suas pálpebras móveis com a mão livre.

O silêncio permaneceu por muito tempo entre eles. Era verdade que Sakura cada vez mais se irritava com aquilo e se contorcia internamente pela curiosidade em saber mais sobre o passado do Uchiha. Mas era verdade também que confrontar Sasuke seria um tiro no pé e apenas o faria se fechar ainda mais, o que obviamente ela não queria. O jeito seria deixar de lado novamente o assunto.

_ Sasuke... – Chamou por fim.

_ Sim?

_ Quero visitar o túmulo de seus pais amanhã. – Soltou fechando os olhos. O moreno permaneceu imóvel.

_ Faz muito tempo que eu não vou lá... É doloroso. – Suspirou a observando.

_ Eu sei... Mas quero conhecê-los e fazer minhas orações a eles. Poderia me levar? – Sakura se apoiou no peitoral do namorado de modo que ficaram perdidamente próximos. – É importante para mim. Por favor... – Sussurrou a garota.

_ Acho que há coisas que eu não posso mesmo vencer você. – Suspirou ele sorrindo de lado apesar da incerteza que seus olhos transmitiam. – Levarei você lá amanhã.

_ Obrigada Sasuke. – Sakura o abraçou fortemente, de modo que pode de fato encerrar o assunto naquela noite. Era verdade que no seu mais profundo intimo desejava um pouco das carícias da noite retrasada. O cansaço, apesar disso, era maior e não tardou até que os dois dormissem ali mesmo no sofá.


Notas Finais


¹ Kohaku ou Kohaku Uta Gassen é um show musical transmitido pela emissora NHK na véspera de ano novo lá no Japão. O programa fica transmitindo os artistas que mais se destacaram no ano e ainda promovem uma competição entre os meninos e as meninas, tipo o Show Da Virada aqui. Tem mais informações aqui: http://www.japaoemfoco.com/show-musical-nhk-kohaku-uta-gassen/
² Lá no Japão, no ano novo no lugar de se soltar fogos de artifício às 0h eles fazem 108 badaladas de um ritual budista que significa a purificação dos 108 pecados/desejos mundanos do homem para o próximo ano. Tem mais informações aqui: http://www.japaoemfoco.com/tradicoes-de-ano-novo-no-japao/

(Eu acho bem interessante a cultura asiática e por isso gosto de compartilhar por aí sobre isso ^.^)

Oi de novo! Estou com um pouco de sono, não reparem kkkkk. Queria dizer que eu me identifico muito com a Hanabi nesse capítulo, pois quando eu era criança, sempre que eu ia jogar com alguém me deixavam com o controle desligado (e eu sempre achava que era a pessoa que estava ganhando)! Vocês também passaram por isso? É muita crueldade hahaha

Bom, sem mais delongas eu espero de coração que tenham gostado do capítulo e logo estarei postando a continuação. Como sempre peço que se tiver algum erro para vocês desconsiderarem. Sempre reviso, mas sempre escapa alguma coisa também (o que me deixa frustada as vezes kkk).

Beijos seus lidos e até semana que vem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...