História I Need You - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Lobos, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 1.071
Palavras 1.891
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como prometido aqui esta o primeiro capitulo, é um prólogo curto e o próximo será maior.
Eu agradeço a todos que me apoiaram e quero dizer que eu só quero o melhor para vocês.

Pra quem não viu meu avisto hoje cedo e não esta entendendo o que esta acontecendo aqui esta:

Pessoal é o seguinte, eu estava dando uma revisada na história e não me agradei nadinha do que vi, sério não sei como vocês ainda acompanham isso, ta um horror gente, muito erros ortográficos, coisas sem sentindo e eu senti falta de muitos detalhes que eu poderia sim ter feito para melhorar essas escrita.

Essa fanfic esta me dando um desanimo ultimamente e deve ser por essa coisa horrível que eu escrevi. E não estou satisfeita e não consigo mas me conectar a história como fazia antes.

Eu vou ser breve para não tomar o tempo de vocês, eu irei reescrever a história, eu necessito disso, eu sei que é chato mas eu sinto que essa história esta morrendo e eu não posso deixar isso acontecer. I Need You foi meu primeiro amor e eu tenho um carinho muito especial por ela, eu realmente necessito reescreve-la e trazer algo melhor para vocês.

Isso é chato para os leitores que já acompanharam até aqui por isso eu estou avisando, quem estiver cansado e não quiser mas acompanhar tudo bem, mas eu prometo trazer algo melhor para todos.

A história ira mudar muita coisa mas não vai perder a essência da antiga.

Eu agradeço muito o carinho de todos que acompanharam até aqui, vocês me dão muita força para continuar é por isso que eu irei rescrever pois se não eu excluiria a fanfic, eu não tinha mais nenhuma inspiração para continuar daquela forma.

Boa Leitura.

Capítulo 1 - Prólogo


 

I Need You


           Os grunhidos de dor ecoavam pelo quarto e a mulher apertava os lençóis  abaixo de si com uma força que chegava a rasga-los. Aquele parto estava sendo mais difícil do que pensara. 

— Mais força Senhora.

Como ela estava irada, sua amada filha tão esperada estava nascendo, o que seria um dia de glória e celebrações havia se transformado em caos, uma chacina a sua volta.

A gritaria do lado de fora estava a desconcentrando. Como ousam invadir seu reino? sua filha escolhera uma péssima hora para vir ao mundo.

O choro infantil ecoo por todo quarto fazendo um sorriso se formar em seu rosto. 

Ela era uma luz em meio a escuridão.

— Nasceu Senhora, e é linda. — a parteira pegou a pequena criança fazendo um breve procedimento de limpeza.

Depois de limpa a mulher embrulhou a menina em um manto entregando para a mãe que a pegou a olhando encantada.

Sua filha era perfeita.

— Olha a hora que você escolheu para nascer meu amor, não se preocupe a mamãe não vai deixar nenhum verme colocar as mãos em você. — sussurrou fazendo carinho nos pequenos fios de cabelos cor de rosa.

A porta foi aberta bruscamente e uma das suas guarda-costas mais leais  entrou no quarto fazendo uma breve reverencia.

— Senhora Tsunade, elas são bruxas e estão lançando feitiços imunizando nossos poderes, muitas de nós já foram mortas e agora elas estão invadindo o palácio. — a mulher disse com a feição séria tentando esconder o pavor.

A expressão da loira se contorceu e ela se levantou da cama ignorando o incomodo que sentia pelo corpo. Estava exausta pelo parto demorado mas o que lhe causava incomodo estava se curando aos poucos sobre seus poderes de cura.

Se aproximou de sua grande sacada observando o caos formado em seu reino, tudo estava destruído e o fogo estava por toda parte.

As bruxas estava dominando tudo.

— Precisamos sair daqui imediatamente. — Shizune alertou.

— Não vou fugir Shizune, essas bruxas vão pagar caro por isso. — a loira rosnou engolindo a dor que sentia ao ver suas companheiras sendo mortas daquela forma.

Era jogo sujo, estavam sendo derrotadas sem terem chances de se defender já que seus poderes estavam sendo sugados.

— Sua vida e a da princesa correm perigo Senhora, se algo acontecer com vocês...acabou. — Shizune alertou tentando se manter calma.

Tsunade respirou fundo e entregou seu bebê para Shizune que a segurou temerosa, a loira pegou sua capa vermelha e a vestiu sem pressa.

— Vamos Shizune. — seguiu com passos firmes e confiantes para a saída do quarto com sua escudeira logo atrás.

Podia se ouvir os gritos de suas servas por todo palácio.

Como ela desejava matar aqueles que estavam trazendo sofrimento ao seu povo.

— Olha o que encontramos aqui. 

As bruxas apareceram no corredor soltando risadas escandalosas. Tsunade apertou os olhos olhando fixamente para as inimigas que perdiam os sorrisos aos poucos.

A luz que iluminava o olhar da loira era hipnotizante e mortal.

— Se matem. — a rainha rosnou passando pelas inimigas que começaram a brigar entre si.

Ao chegarem no salão principal encontraram centenas de inimigas fazendo o caos em seu palácio. 

E foi naquele momento que a rainha tomou a decisão mais dolorosa de sua vida.

— Shizune fuja pelos tuneis e leve minha filha para longe daqui, a deixe na cidade vizinha em algum lugar seguro e depois volte. — ordenou tirando o pingente que usava no pescoço.

— Mas Senhora. — a morena tentou protestar recebendo um olhar rigoroso da rainha.

— Esta tudo acabado Shizune é o fim das Portadoras, mas eu vou eliminar todos esses vermes até não sobrar nenhuma alma viva na terra. É perigoso demais para minha pequena aqui, se certifique de deixa-la com uma boa família. Quando ela despertar seus poderes eu irei traze-la de volta.

— Senhora.

— Um dia eu irei te busca minha filha, cresça feliz e seja uma mulher forte, você é o nosso futuro Sakura. — sussurrou as palavras dolorosamente colocando pingente no pescoço da menina deixando um beijo nas pequenas mãozinhas.

— Eu vou cumprir a missão de deixar a princesa segura e darei minha vida se for preciso. — a morena disse firme com lágrimas nos olhos.

— Eu confio em você Shizune, agora vá. 

O último olhar foi dado e a morena saiu apressada ouvindo o estrondo que se formou atrás de si. Tsunade já havia começado, as bruxas iriam conhecer o poder da fúria de uma Portadora do Byakugou.

Elas se arrependeriam amargamente por toda aquela destruição.

Haviam túneis por baixo de todo reino, tuneis esses que levaram Shizune e a pequena princesa para fora da vila da grama em segurança. 

A caminhada até a cidade vizinha foi longa, a morena teve que fazer algumas paradas para descansar e alimentar a bebê chorona. 

Era como se ela sentisse o que estava acontecendo.

Shizune estava aos pedaços e a dor em seu peito a destruía por dentro, mas ela se manteria em pé, cumpriria aquela missão e voltaria o mais rápido possível para proteger sua rainha. Temia a perda de Tsunade mas sabia que a rainha não se entregava facilmente.

Ela era durona demais e ninguém era pário para ela.

Depois de mais alguns quilômetros andando a mulher apertou o manto sobre seu peito ao parar na entrada de Konoha. A vila da folha era território de uma matilha de lobos, uns dos mais temidos da região. 

A alcateia Sharingan.

Mas os lobos não eram inimigos das Portadoras do Byakugou e Shizune soube que ali Sakura estaria segura, nenhum inimigo invadiria aquele território e ninguém descobriria que a princesa estava ali.

— Você ficará segura aqui princesa.

Caminhou pelas ruas desertas procurando o lugar ideal para deixar a pequena que se mexia em seu colo soltando alguns resmungos, foi então que avistou uma grande casa do outro lado da rua, tinha um imenso jardim e um cesto de roupas próximo a porta chamou sua atenção.

— Será aqui. — murmurou decidida caminhando em direção a casa.

Deixou a menina dentro do cesto de roupas e fez uma breve oração aos deuses pedindo proteção antes de partir.

— Seja feliz princesa.


(...)


            A mulher fazia graça para o bebê em seus braços admirando sua beleza, era uma garotinha adorável.

A porta foi aberta e seu marido passou por ela com a postura séria de sempre, a morena se levantou com a menina nos braços e se aproximou do marido.

— Encontrou alguma coisa? — perguntou fazendo um leve carinho no rosto alvo da pequena.

— Não, quem quer que tenha deixado-a aqui já esta longe. — respondeu com os olhos fixos na menina.

— Olha como ela é adorável Fugaku. — a mulher sorriu mostrando a bebê ao marido.

— Eu sei o que você esta pensando mas nós nãos podemos ficar com ela. — o homem alertou.

Mikoto olhou para a menina com pena.

— Eu sei, mas ela já me encantou. — murmurou contrariada.

— É perigoso não podemos deixar uma humana crescer debaixo do nosso teto.

— E eu não posso deixa-la abandonada.

— É contra as regras Mikoto você sabe disso. — elevou o tom de voz lançando um olhar repreendedor para a mulher.

— Quem se importa com regras quando estamos falando de uma vida? — a mulher retrucou o desafiando.

O moreno soltou um suspiro cansado, sua mulher era uma grande cabeça dura.

A porta foi aberta e o filho do casal entrou em casa parando ao começar  a se sentir estranho.

Era como se seu ar estivesse sido sugado e seu coração batia desgovernado em seu peito.

— O que esta acontecendo aqui? — perguntou fitando o embrulho nos braços de sua mãe.

Parecia que algo estava o puxando para perto.

— Olha querido deixaram essa bebê adorável em nossa porta. — a mulher sorriu se aproximando do filho.

E quando ele olhou aquela menininha nos braços de sua mãe sentiu uma explosão de sentimentos o invadir e seu animal interior gritar dentro de si. Tudo a sua volta desapareceu quando ela abriu os olhinhos verdes e brilhantes o fitando com uma intensidade admirável .

E então aconteceu.

— Esse bebê é meu. — sussurrou tomando a menina dos braços da mãe.

A olhava admirado vendo a mesma soltar burburinhos desconexos balançando as mãozinhas em sua direção.

— Como assim seu? não me diga que andou engravidando alguma menina por ai? eu te mato Sasuke Uchiha. — a mulher rosnou lançando um olhar mortal para o filho.

— Não mãe...eu não sei, eu só sinto, é como se eu já a conhecesse, como se eu precisa-se dela. — as palavas saíram admiradas de sua boca enquanto olhava fascinado para a menina.

Ela era linda.

Mikoto estreitou os olhos e desviou o olhar para o marido que observava tudo em silêncio com uma expressão contorcida no rosto. A mulher observou por um tempo a forma que o filho fitava a menina e entendeu o que tinha acontecido.

— Não me diga que... — começou a dizer perdendo a fala.

Sasuke olhou para a mãe voltando a atenção para a bebê que havia pegado seu dedo o apertando  deixando o mesmo encabulado. 

— Ela é minha. — murmurou em transe.

— Você ta me dizendo que essa bebê é sua predestinada? — a mulher o olhava incrédula.

— Sim. — respondeu deixando os pais surpresos.

— Impossível ela é um bebê humano. — Fugaku protestou.
 
          — Se é impossível ou não eu não sei, mas que ela é minha eu tenho certeza. — sorriu para a menina pegando o pingente de ouro em formato de coração pendurado no pescoço da mesma.

As letras eram escritas em boa forma.

SAKURA.

O silêncio reinou na casa e o casal se entreolhou conversando silenciosamente enquanto Sasuke estava entretido com a menina em seu colo.

— Bom uma regra pela outra, não pode impedir que ela fique conosco agora Fugaku. — Mikoto sorriu para o marido que balançou a cabeça.

— Deve haver algum mal entendido. — ele disse meio confuso.

— Não há  nenhum mal entendido só é algo novo, a menina ficará conosco e será cuidada com muito amor e carinho. Ela não precisa saber quem nós somos, quando chegar a hora certa Sasuke revelará tudo a ela e quanto ao fato dela ser humana, Sasuke pode transforma-la e problema resolvido. — Mikoto disse certa olhando sugestivamente para Fugaku que assentiu em rendição.

Afinal, não tinha muito o que fazer em uma situação como essa. Não podia impedir seu filho ou qualquer outro membro de sua matilha a se separar de sua predestinada.

— Agora me da meu bebê porque ela deve estar faminta. — Mikoto cantarolou.

— Ei. — Sasuke protestou quando a menina foi arrancada de seus braços.

— Não seja grudento, você vai amamentar ela? não, então desencosta que por enquanto ela é minha. — Mikoto brigou indo para cozinha com a menina enquanto fazia graça para ela.

Sasuke seguiu a mãe apressado deixando Fugaku sozinho perdido em seus devaneios. O homem andou pela sala fitando o cesto onde a garota fora deixada.

— Uma humana, como isso aconteceu?

Eles apenas não sabiam que de humana aquela menininha não tinha nada.


Notas Finais


Foi isso pessoas, nos vemos em breve.
Até mais <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...