História I Need You - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Lobos, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 263
Palavras 4.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 18 - Portadora do Byakugou


 

I Need You

 

O brilho dos olhos verdes era intenso. Sasuke estava hipnotizado a olhando sem conseguir fazer um único movimento. Era como se o seu corpo estivesse sendo controlado por ela.

— Você vai se acalmar e não fara nem um mal a Sai. — A voz da garota saiu firme. Sasuke abriu a boca e assentiu com a cabeça.

Chiyo colocou Sai sentado na escada e franzi-o o senho indo até Sakura. Não estava acreditando no que estava vendo. Sasuke Uchiha estava sendo dominado por uma garota. Chiyo  olhou para o olhar hipnotizado de Sasuke e depois se virou para Sakura arregalando os olhos com a visão a sua frente.

— Sakura? — Falou o nome da garota e a rosada piscou os olhos fazendo o mesmo perder o brilho voltando ao normal.

— O que? — Ela murmurou um pouco confusa pelo o que tinha acontecido. Havia sentindo uma sensação diferente, uma onda de força em seu interior. Olhou para Sasuke e ele piscou os olhos um pouco mais calmo conseguindo se mexer.

— Como você fez isso? — Chiyo perguntou se aproximando da garota.

— O que eu fiz? eu só pedi pra parar. — Ela respondeu apertando os dedos da mão.

— Seus olhos estavam brilhando. — Sasuke disse admirado a olhando nos olhos.

— Eu não acredito no que estou vendo. Inacreditável— Chiyo disse analisando Sakura inteiramente. — Acho que agora faz todo sentindo você ser a marcada de um lobo. — Chiyo disse abismada.

— Do que esta falando vovó? — A garota perguntou nervosa.

— Você não é Humana Sakura. — A mulher respondeu deixando todos surpresos.

A garota abriu a boca arregalando os olhos. Sasuke estreitou os olhos bagunçou os cabelos sentindo uma confusão em sua mente. Ela não era Humana? como não pode ter percebido antes? Era inacreditável.

— E pensar que você viveu debaixo do meu nariz esses anos todos e eu nunca percebi nada. — Chiyo disse pensativa. — Se você for o que eu estou imaginado o que eu acho surpreendente, seus poderes devem estar despertando agora pois você esta prestes a completar 18 anos. 

— Não pode ser. Eu sou normal, isso é loucura. — A garota começou a andar balançando a cabeça nervosamente.

— Pequena. — Sasuke foi até ela  a segurando pelos ombros.

— Eu sou normal, esqueçam isso. Precisamos ajudar o Sai. — A voz da mesma saiu em um sussurro e ela abaixou a cabeça se soltando de Sasuke começando a ir na direção de Sai.

Sasuke ficou parado observando-a tocar no rosto do garoto que quase matou. Sentiu o ódio voltando, mas de uma forma inexplicável não estava conseguindo ataca-lo, era como se algo o impedisse. Olhou para Chiyo a procura de resposta e a mesma soltou um suspiro.

— Vou ajudar o garoto, depois conversamos sobre assunto. — Chiyo disse e ajudou Sakura a levar Sai para dentro da casa.

Sasuke ficou parado do lado de fora com os pensamentos a mil e os punhos apertados. Iria enlouquecer daquela forma. Bufou e entrou na pequena casa fechando a porta e encontrando o filho do Xerife deitado no sofá com a cabeça no colo da rosada. Sakura limpava os ferimentos dele e Chiyo estava na cozinha fazendo um remédio.

Sasuke deu alguns passos até o sofá parando em frente a eles. Não gostou nada daquela cena, Sakura não tinha que esta cuidando dele. Não depois do que ele fez. Mas o Uchiha sabia que ela não tinha gostado do seu descontrole, a prova disso era o olhar sério e irritado no rosto dela.

— Ele beijou você. — Disse quebrando o silêncio.

— Foi só um encostar de lábios, nem foi um beijo. Eu o empurrei. — Ela respondeu  sem ao menos olha-lo. Ela estava o ignorando e ele odiava ser ignorado.

— Não importa, ele tocou em você e isso já é motivos suficientes para mata-lo. — A voz do mesmo saiu em um rosnado e a cena que viu mais cedo voltou a sua cabeça.

— Não se resolve nada na agressão física. — Ela retrucou sem tirar a atenção dos machucados de Sai.

— Estava na hora desse moleque aprender uma lição e olhe pra mim enquanto eu estou falando, não aja como se esse maldito fosse mais importante do que eu. — A voz do mesmo saiu alterada e Sakura ergueu o olhar para ele.

— No momento ele é mais importante, se você não estivesse feito esse estrago nele eu não estaria aqui o ajudando. E se ainda não percebeu esta me atrapalhando, se você pudesse se afastar eu agradeceria. — Ela disse seriamente voltando o olhar para Sai. 

Sasuke estreitou os olhos e soltou uma risada irônica não acreditando no que estava ouvindo. Se afastou deles indo até a parede do outro lada da sala onde encostou o braço e apoiou o rosto fechando os olhos. Não estava acreditando no que estava acontecendo. Onde esta a sua autoridade? ninguém nunca falara daquela forma com ele, e justo ela era ousada o suficiente para trata-lo daquela forma. Ele nunca obedeceu ordens de ninguém e ela a primeira a acabar com sua sanidade.
 
         Havia pegado pesado mais se recusava a admitir pois o garoto mereceu. E em vez de agradecer ela estava lá cuidando daquele maldito. Estava puto de ódio, parece que seus problemas vieram todos em um único momento para acabar com seu alto controle. Mas era ela, tudo culpa dela. Ela estava o deixando louco e ainda tinha o fato da mesma não ser humana. De fato ele realmente iria enlouquecer.

— Esse chá vai ajudar. — Chiyo disse aparecendo na sala com um copo na mão. 

— Ele precisa acordar para beber o remédio, ele só ajudara nas dores mas as marcas ainda ficarão. Vamos ter um grande problema com Xerife. — Chiyo disse dando um suspiro cansado.

— Não a nada que possamos fazer? — Sakura pergunta aflita.

Chiyo a olhou pensativa, foi ai que teve uma ideia. Ela  colocou o copo na mesinha ao lado e se aproximou de Sakura se abaixando em sua frente.

— Minha menina, você não pode fugir da verdade. Você não é Humana e se minhas suspeitas estiverem certas você pode curar seu amigo. — Chiyo disse séria.

Sasuke se virou para elas com o senho franzido e Sakura entortou os lábios. 

— Como assim curar? — Ela perguntou olhando para Sai.

— Eu não sei muito bem como funciona mas vou tentar ajudar. Leve as mãos aos ferimentos dele e se concentre. De sua atenção só a ele e esqueça de tudo ao seu redor, tente imaginar esses ferimentos desaparecendo, sinta a vontade de ajuda-lo. — Ela disse calmamente e Sakura mordeu os lábios.

Ela olhou para as mãos e acanhada as levou até o rosto do garoto. Fechou os olhos e respirou fundo tentando se concentrar, ficou em silencio por alguns segundos e quando abriu os olhos uma luz verde saia de suas mãos. Ela arregalou os olhos deixando as mãos paralisadas no rosto do garoto. Chiyo abriu a boca constatando de que estava certa. Sasuke se aproximou rapidamente se surpreendendo pela segunda vez no mesmo dia.

Sakura sentia uma energia forte em seu interior e seu coração acelerou. Não sabia o que estava fazendo, só fazia.

 A luz foi se apagando aos poucos e ela levantou as mãos olhando surpresa para o rosto de Sai. Não existia nenhum machucado, era como se o mesmo nunca tivesse levado uma surra.

— O que eu fiz? — A garota perguntou admirada.

— Você curou ele. — Sasuke disse surpreso e com raiva ao mesmo tempo. Ela não tinha nada que o curar ele havia merecido aquela surra.

— Ele esta acordando. — Chiyo comentou olhando para Sai que abria os olhos aos poucos.

O garoto apertou os olhos e ergueu o corpo se sentando no sofá. Passou a mão no rosto e olhou para os outros que estavam presente. Seu olhar parou no do Uchiha que o olhava com a cara fechada, rapidamente se levantou se lembrando da surra que havia levado. Passou a mão no rosto não sentindo nem uma dor e franzi-o o senho.

— O que aconteceu?...eu me lembro da briga. — Ele disse confuso olhando de Sakura para Sasuke.

— Não aconteceu nada Sai. — Sakura disse se levantando.

— Como assim? eu beijei você e você me deu um tapa quando percebi ele estava em cima de mim socando a minha cara. — Ele disse levando a mão no nariz se lembrando da dor que sentiu.

— Vai embora e nunca mais toque na Sakura, caso contrário não terá tanta sorte na próxima vez. — O Uchiha disse ameaçadoramente. Sai balançou a cabeça e deu um último olhar a Sakura antes de sair da casa.

— Que ideia idiota foi essa? Por que a fez cura-lo? — O Uchiha perguntou entre dentes olhando para Chiyo.

— Acho que você já tem problemas demais com Xerife não é mesmo? — A voz da mulher saiu acusadora.

— Não importa, ele mereceu cada soco. — Retrucou emburrado.

— Não quero atrapalhar a discussão de vocês, mas caso não perceberam eu estou com alguns probleminhas. — Sakura ironizou tentando chamar a atenção para si. 

— O que ela é? — Sasuke perguntou para Chiyo.

— Sempre achei estranho os cabelos rosas dela, tentei ignorar mas agora eu entendo tudo. — Chiyo indagou e foi a passos lentos parando em frente a Sakura.

— Tudo o que? — A garota perguntou nervosa.

— Estou surpresa pois esses seres já foram extintos a milhares de anos. Só conheço uma que ainda esta viva e agora você. — Chiyo disse tocando no rosto da garota.

— Desembucha logo. — Sasuke disse impaciente se aproximando delas.

— Ela é uma Portadora do Byakugou. — Chiyo disse ignorando a grosseria do Uchiha.

— Portadora do que? — Sakura perguntou confusa.

— Acho que já ouvi falar. — O moreno disse pensativo.

— Posso dizer que as Portadoras do Byakugou eram os seres mais poderosos que já existiram. Eram todas mulheres, elas viviam na vila da grama. Todas tinham uma beleza inexplicável, eram chamadas de Deusas pelos homens. Por causa de seus poderes elas controlavam tudo, todos os seres. — Chiyo disse olhando para os dois. Sakura abriu a boca e se sentou no sofá.

— Controlavam tudo. — Sasuke repetiu se lembrando da forma que ela controlou seus movimentos.

— Além do poder de cura, elas conseguem controlar as pessoas, controlar as ações e as emoções. É como Hipnotizar, elas conseguem fazer com que as pessoas fazem tudo o que elas quiserem. Muitas usavam seus poderes para controlar os homens, praticamente todos caiam de amores por elas e muitos morriam por isso. — Chiyo disse dando pequenos passos, seus olhos estavam perdido nas lembranças.

— Isso não é bom. — Sasuke disse baixo a olhando de canto.

Sakura se mexeu desconfortável no sofá. Ela controlar um homem? com certeza ela não conseguiria. Pelo menos achava que não.

— E por último e não menos importante. Elas tem uma força sobre Humana capaz de fazer uma enorme cratera no chão com apenas um soco. — Ela disse olhando para Sakura que arregalou os olhos olhando para suas pequenas mãos não acreditando em tal força.

— Impossível. — Sakura sussurrou.

— Bom como disse elas foram extintas pois as vampiras, bruxas e lobas cansadas e com inveja, de alguma maneira que eu não sei como, destruíram toda a vila da grama e mataram todas. Mas uma sobreviveu, ela é conhecida como a princesa das lesmas. Tsunade Senju. — Chiyo disse e olhou atentamente para Sakura.

— Se elas foram extintas por que Sakura é uma delas? — Sasuke perguntou tentando entender.

— Isso que eu também queria saber. — Chiyo disse olhando para a garota.

O local ficou em silencio e todos se olharam perdidos em pensamentos. Sasuke olhava para a garota incomodado pois com certeza agora seria mais difícil de lidar com ela. Tinha que confessa que estava surpreso pelo o que a bruxo havia falado. Não conseguia imaginar sua pequena matando ninguém.

— E agora? — Sakura quebrou o silêncio. Estava confusa, sua cabeça estava a mil.

— Agora você precisa aprender a usar seus poderes. — Chiyo disse se sentando ao lado da garota.

— Eu não acho isso necessário. — Sasuke comentou passando as mãos nos cabelos.

— O que foi Uchiha? esta com medo? — Chiyo perguntou com um sorriso debochado.

— Medo? medo do que? — Ele perguntou mal humorado.

— Convenhamos de que você não vai poder mais controla-la como se ela fosse uma boneca. Sinto muitíssimo em lhe dizer isso mais ela é mais forte do que você e pode destruir seus orgãos internos com apenas um soco. — A Senhora disse maldosa.

— Vai pro inferno. — Ele rosnou a fuzilando com os olhos. Odiava o atrevimento de Chiyo.

— Mais por que Postadora do Byakugou? — Sakura perguntou quebrando o clima assassino que estava no ar. 

— Byakugou é o selo em formato de losango que manifesta na testa das portadoras. É onde acumula todos os seus poderes e força, quando o selo é liberado ele sai com força total. — Chiyo explicou.

— Como sabe de tudo isso vovó? — Sakura perguntou ainda processando  tudo.

— Digamos que fui uma grande amiga de Tsunade, acabou que depois de uns acontecimentos perdemos o contato. — Chiyo disse com o olhar perdido nas lembranças do passado.

— Essa mulher...você disse que ela foi a única que sobreviveu. — Sakura disse tentando ligar os fatos.

— Sim até agora. — Chiyo respondeu.

— Se ela é a última.... a única maneira deu ser uma delas, teria que ser filha de uma. — A voz da garota saiu exitante.

Todos entenderam o que ela queria dizer. De fato ela tinha razão, a única maneira de Sakura ter nascido uma portadora seria a mesma ser filha de Tsunade.

— Não faria sentindo, sua mãe estava morta ao seu lado...só se ela não fosse sua mãe. — Sasuke disse tentando encontrar a verdade.

— Não vamos nos precipitar com esse assunto, conhecia Tsunade o bastante para saber que a mesma nunca teria filhos. — Chiyo disse com um olhar sério.

O silencio voltou a reinar na sala. Sakura estava nervosa, confusa, com raiva e medo. Viveu uma mentira a sua vida inteira. E toda a verdade veio com tudo em uma única vez. Chegou a conclusão de que eles queriam acabar com ela. Queriam a deixar louca.

— Já está na hora de irmos. — Sasuke quebrou o silencio e Sakura deu um suspiro se levantando.

— Obrigada por tudo vovó, eu volto logo para lhe visitar. — A garota disse indo abraçar a Senhora.

— Volte mesmo, e qualquer problema é só me procurar. — Chiyo disse retribuindo o abraço.

— Tudo bem, até mais. — Sakura concordou e a soltou.

— Até. — Chiyo se despediu e Sakura se virou passando por Sasuke que estava parado na porta a esperando.

Ele deu um último olhar a Chiyo e saiu da casa seguindo a rosada. Ela estava de cabeça baixa e andava a passos apressados. Sasuke soltou um suspiro e a seguiu em silencio, ninguém ousou dizer nada o caminho todo. Era muito para suas cabeças.

 Assim que chegaram Sasuke abriu a porta e esperou Sakura entrar, entrou logo em seguida e fechou a porta.

— Sakura — Sasuke a chamou quebrando o silencio, mas ela o ignorou indo em direção ao quarto.

Ele odiava ser ignorado, ainda mais por ela.

— Pare de agir dessa maneira. — Ele disse com pouca paciência a puxando pelo braço.

— Quer que eu aja como? eu vivi uma mentira todos esses anos. Acabei de descobrir que não sou humana. E estou com raiva muita raiva de você. — A garota se alterou o fuzilando com os olhos.

— Raiva de mim? mais que diachos eu fiz? — Quem estava irritado agora era ele.

— Você quase matou o Sai. — Ela disse entre dentes.

— Então é isso? esta com pena do seu amiguinho? não precisa ficar assim você mesmo o curou não é? Agora pode ir atrás dele para poderem viver felizes para sempre. — A voz do moreno saiu irada e cheia de deboche.

— Você esta agindo como um idiota. — Ela retrucou apertando os punhos com força. 

— Eu sou idiota? aquele imbecil te beija e eu sou idiota? aliás, o que ele fazia lá? — Ele perguntou entre dentes segurando os ombros da garota.

— Agente tinha um trabalho pra fazer, ele foi me buscar antes do almoço e me deixou agora a pouco. — Ela disse sustentando o olhar furioso do mesmo. Não se sabia quem estava mais irritado.

— Então você mentiu pra mim dizendo que iria a casa da sua a vó, quando na verdade foi se encontrar com aquele infeliz? — A voz do moreno saiu incrédula.

— Não, eu tinha esquecido do trabalho e ele foi lá me buscar para fazermos na casa dele. — Ela disse tentando manter a calma.

— Você foi pra casa dele? eu não acredito nisso. — Ele a soltou apertou os punhos com força.

— Pare de falar como se eu tivesse feito algo errado.  — Ela gritou vermelha de raiva.

— E você fez Sakura, você me traiu. — Ele gritou fora de si.

— Não trai, aquilo não foi nem um beijo e ele que me agarrou. — Ela gritou erguendo as mãos em desespero.

— Estou falando do fato de você ter ido pra casa dele sem me avisar. O que aconteceu lá em? vocês se beijaram? fizeram algo a mais? — Ele estava fora de controle e não media suas palavras.

Sakura o olhou incrédula, precisou de muito alto controle para não socar a cara dele. Ele achava que ela era uma vadia? agora ele tinha pegado pesado.

— Quer saber? fizemos sim. Fizemos muitas coisas e ele tocou em cada parte do meu corpo. — A voz da mesma saiu desafiadora assim como o seu olhar. 

Os olhos dele ficaram vermelhos e o mesmo a prensou na parede, levou a mão ao queixo da garota e o apertou.

— É melhor esta mentindo ou eu vou arrancar cada membro do corpo daquele infeliz. — A voz dele saiu assustadora. Sakura estremeceu por um momento no entanto deixou a raiva falar mais alto.

— Acha que eu sou uma vagabunda para cometer tamanha traição? por que se acha é melhor sair da minha frente, por que eu vou embora e você nunca mais vai me ver. — A garota disse séria. Nunca havia se sentindo tão ofendida.

Os olhos do Uchiha voltaram ao normal e ele soltou o queixo da garota, olhou nos olhos que tanto amava sentindo arrependimento.

— Não você não é vagabunda. Eu fiquei irritado com aquele branquelo azedo e acabei descontando em você....Desculpa. — A voz dele saiu baixa, tinha que passar por cima do próprio orgulho para se desculpar.

— Você realmente me ofendeu. Acha que eu sou o que? — A voz da garota saiu decepcionada assim como seu olhar.

— Não me olha assim. Eu não queria falar isso mas você não ajuda. — Ele disse soltando suspiro.

— Acho que tudo isso foi precipitado. — Sakura disse mordendo os lábios. Era um tique que a mesma tinha todas as vezes que ficava nervosa.

— O que? — Ele perguntou desconfortável.

— Eu ter vindo morar com você. Eu nem sei o que somos e já estamos vivendo como se fossemos casados. Isso não é certo. — Ela disse sentindo o rosto esquentar.

— Se o seu problema é casamento eu caso com você agora mesmo. — Ele respondeu a deixando surpresa.

— Não é isso, estou falando do fato de não nos conhecermos. — Ela disse desviando o olhar.

— Eu te conheço como a palma da minha mão, você esta nervosa agora por isso esta mordendo os lábios. — Ele deu um pequeno sorriso acariciou os lábios que tanto amava.

O coração da garota disparou e ela ofegou sentindo todas aquelas sensações voltarem. A proximidade dele a deixava desconcertada. Se achava uma boba por isso. Viu o mesmo aproximar o rosto do seu e fechou os olhos esperando o beijo que não veio, pois foram interrompidos por batidas na porta.

— Tsc. — O moreno resmungou irritado ao sentir o cheiro da pessoa estraga prazeres.

— Não vai atender a porta? — Sakura perguntou confusa quando ele a abraçou e curvou o rosto em seu pescoço começando a cheira-la.

— Não. — Respondeu beijando o pescoço da garota.

— Por que? — Perguntou sentido os pelos da nuca se arrepiarem.

— Não quero nada com aquela bruxa. — Disse a contra gosto.

— É a Hinata? — Ela perguntou o empurrando.

— É mas e... — Ele começou a falar mas ela se soltou dele indo em direção a porta. — Sakura o que pensa que esta fazendo? — A voz do mesmo saiu em repreensão quando a garota levou a mão a maçaneta da porta.

Sakura abriu a porta dando de cara com a morena, que a olhou sentindo um incomodo no peito. Não tivera oportunidade de explicar a Sakura o por que de ter feito aquilo e estava se sentindo mal por isso, precisava contar a verdade a ela.

— Podemos conversar? — A voz da morena saiu baixa.

Sakura não respondeu, apenas ficou a encarando. A rosada procurava maldade no olhar da morena, tentava imaginar o por que de tamanha traição. Hinata já estava perdendo as esperanças quando Sakura abriu mais a porta e lhe deu espaço para entrar.

— Eu quero muitas explicações Hinata.


oOo


              A garota havia acordado em um quarto totalmente diferente de sua cela. Soltou um grunhido sentindo sua garganta seca, começou a tossir desesperadamente e soltou um rosnado caindo aos tropeços da cama.

— Me tira daqui. — Ela gritou socando as paredes. Precisava saciar sua sede pois sentiria que morreria a qualquer momento.

Ouviu passos se aproximando e começou a gritar mais alto. De repente a porta se abre e dela entra Kisame. Hanabi trinca os dentes olhando com ódio para o vampiro, porem um cheiro forte de sangue que vinha de um corpo morto que estava nos braços do vampiro chamou a atenção da garota.

Sem perceber a mesma abriu a boca onde presas afiadas surgiram. Em questões de segundos a menina estava em cima do corpo sugando seu sangue. 

— Acho que vamos precisar de mais comida. — Kisame murmurou olhando a garota sugando o sangue do homem como se dependesse disso. 

Revirou os olhos e saiu do quarto trancando a porta. Ainda estava com raiva da menina pelo pego que havia acertado em seu olho. Talvez ele deixaria ela sentir aquela dor insuportável por sangue.


            Na sala Principal.

A enorme porta foi aberta e Zetsu foi ao chão quando passou pela mesma. Estava exausto e sentia muita dor, mas o ódio e o desejo de vingança o mantinha vivo.

— Mais o que é isso? — Sasori indagou seriamente.

Zetsu começou a se rastejar pelo enorme tapete vermelho. Aquela cena era ridícula aos olhos dos vampiros que estavam ali presentes.

— O que aconteceu com ele? — Deidara murmurou pra si mesmo.

— Tobi acha que ele foi transformado em cobra. — Tobi disse apontando para Zetsu.

— Os braços dele foram quebrados. — Deidara disse ignorando Tobi.

— Ele precisa morrer, você precisa mata-lo Sasori. — A voz de Zetsu saiu entre dentes e dois guardas vampiros o levantou fazendo que todos vessem os olhar de ódio do meio bruxo.

— O que aconteceu? — Sasori perguntou mantendo a calma.

— Sasuke Uchiha. Ele quer te encontrar daqui a dois dias. — Zetsu disse começando a cuspir sangue.

Sasori se levantou e fixou o olhar nos braços quebrados de seus informantes. Apertou os punhos com força capitando a mensagem de seu inimigo. Ele estava o desafiando. 

— Maldito Uchiha, sempre querendo dar a última palavra. Sele acha que pode me desafiar dessa maneira, ele esta muito enganado. — A voz do ruivo saiu em um rosnado.

— Ele esta lhe desafiando Sasori. — Hidan disse com um olhar sério.

— Cachorro fedorento. — Sasori começou a andar de um lado para outro e parou olhando para Hidan.

— Junte todos que conseguir, amanhã faremos uma visitinha a Konoha. — A voz do ruivo saiu séria.

— O que? não podemos Sasori. — Deidara se manifestou.

— Claro que podemos. — O ruivo disse calmo voltando a se sentar.

— Sasori não podemo quebrar as regras. — Konan que até agora esta em silencio se manifestou.

— Ele quebrou as regras primeiro quando se juntou a uma humana que a essa altura já deve saber do nosso segredo. Ele é o único que esta errado. — O ruivo respondeu com um sorriso vitorioso.

— Tem razão. — Hidan concordou.

— E eu? — Zetsu perguntou com dificuldades.

Sasori o olhou por um tempo e fez um sinal com a cabeça para os guardas.

— Podem fazer sua refeição, não preciso mais de informantes. Ainda mais esse incompetente. — O ruivo disse sem interesse fazendo Zetsu arregalar os olhos.

— Você não pode fazer isso comigo. — Ele gritou se debatendo.

— Tirem esse imbecil da minha frente, ele esta me cansando.— Disse e Zetsu trincou os dentes.

— Desgraçado, tomara que morra. Ele vai te matar. Ele vai te matar. — Zetsu gritou e suas palavras ficaram se repetindo na sala como um ego.

— O único que vai matar aqui sou eu. Acabou Uchiha. — As palavras do ruivo saíram frias e convictas. Chegou a hora de acabar com seu inimigo de uma vez por todas.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...