História I Need You - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Lobos, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Exibições 307
Palavras 4.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - Mãe


 

I Need You

 

Chiyo se lembrava muito bem a última vez que haviam se visto. Foi a quarenta anos atrás, ainda era jovem. Tsunade estava fugindo da vila da grama, Chiyo ofereceu abrigo mas a loira recusou. Ela estava abalada pelo massacre de seu clã, havia prometido a si mesmo que se vingaria. E o fez, se vingou de todas as bruxas, lobas e vampiras que destruíram sua família, matou uma por uma e não sobrou um fio de cabelo para contar história.

— Não vai me convidar para entrar? — A loira perguntou quebrando o silêncio.

Chiyo saiu de seus pensamentos e deu espaço para a loira. Tsunade deu um leve sorriso e pegou uma pequena mala que estava ao seu lado, a loira entrou passou pela bruxa parando no centro da sala. Chiyo fechou a porta e franziu o senho olhando para a mala da loira.

— Bela casa. — Tsunade comentou analisando a casa.

Chiyo assentiu e esperou sua visita falar alguma coisa, ela sabia que a loira não viera apenas para elogiar sua casa.

— O que faz aqui Tsunade? — Chiyo perguntou parando no meio da casa com os braços cruzados.

— Não posso visitar uma velha amiga? — A voz da mesma saiu irônica.

— Em Konoha. — A bruxa corrigiu.

Tsunade soltou um suspiro e o pequeno sorriso que tinha em seus lábios desapareceu. Agora seu olhar era sério e decidido. Chiyo sabia que havia algum problema.

— Vim ajudar minha filha. — Disse firmemente olhando para a bruxa que abriu levemente a boca.

Chiyo piscou os olhos e prendeu a respiração.

— Não me diga que....

— Sim Chiyo, a garota que você criou é minha filha. — A loira murmurou analisando o rosto surpreso de Chiyo.

— Mas como? você não queria filhos, você só queria saber de vingança.

— Eu me vinguei, e eu realmente não queria filhos mas Sakura foi um descuido da minha parte. — A loira respondeu soltando um suspiro.

— Kami, mas como ela veio parar aqui em Konoha? Sasuke Uchiha a encontrou jogada na neve com o corpo de uma mulher morta ao lado. Que loucura foi essa Tsunade? — Chiyo perguntou estérica, ela só queria entender, era muito para sua cabeça.

— Sim eu me lembro, aquele não foi um dos meus melhores dias. — A loira resmungou e olhou para o sofá a sua frente. — É melhor se sentar por que a história é longa.

— Eu vou fazer um chá. — Chiyo murmurou indo em direção a cozinha.

— A casa é sua. — A loira murmurou se sentando no sofá.

Tsunade olhou em volta e seu olhar bateu em um porta retrato no criado mudo ao lado. Pegou o mesmo sorriu admirando a imagem de sua filha. Ela deveria ter uns doze anos, suas mãos estavam atrás das costas e seu corpo estava tombado para o lado, os cabelos batiam na cintura e a mesma tinha um pequeno sorriso.

— Ela é linda. — Chiyo a tirou de seus pensamentos parando em sua frente com duas xícaras.

— Muito. — A loira concordou colocando o porta retrato de volta no lugar, pegou uma das xícaras de Chiyo e bebericou o chá.

— O que você fez todo esse tempo? — Chiyo perguntou curiosa.

— Muitas coisas Chiyo, muitas coisas. — A loira soltou um suspiro cansado.

— Por que abandonou Sakura?

— Eu não abandonei. Tudo que eu fiz foi para protege-la. — A loira se defendeu.

— O que você quis dizer com ajudar minha filha? — Chiyo perguntou se sentando ao lado da loira.

— Eu iria vir quando a mesma completasse dezoito anos pois seus poderes iriam surgir no dia do seu aniversário, mas eu tive um imprevisto e não consegui, acabou que depois de meses eu fiquei sabendo do que aconteceu com a Akatsuki e vim aqui para ajuda-la com seus poderes.

— Então Sakura já fez dezoito anos? — Chiyo pergunto, ela sabia que o aniversário da garota não era 20 de dezembro.

— Sim, ela nasceu em 28 de março.

— Os poderes dela surgiram a um mês atrás, pensei que ela estava adiantada mas pelo que estou vendo ela esta atrasada pois já faz nove meses que ela completou dezoito. — Chiyo respondeu pensativa.

— As vezes os poderes só florescem quando se estiver em uma situação tensa, a raiva ajuda muito. — Tsunade comentou.

— Ela se estressou com o Uchiha, foi ai que descobrimos seu poder, mas ela não têm controles sobre eles. — A bruxa comentou.

— Eu sei que ela não têm controle sobre eles e eu estou aqui para treina-la e protege-la de uma certa pessoa. — A loira disse séria e Chiyo apertou sua xícara.

— Ela esta em perigo? — A bruxa perguntou desconfortável.

— Ela esta em perigo desde que nasceu, eu achei que dando a uma humana ela iria ficar segura mas nada adiantou. Para minha felicidade o lobo a encontrou e eu sabia que a mesma estaria segura com ele, e com você também é claro.

— Você estava lá quando ele a encontrou? — Chiyo perguntou confusa.

— Sim, não consegui chegar a tempo e mataram Mebuki. — Havia frustração na voz da loira.

— Mebuki seria a humana a quem você deu Sakura?

— Sim, estavam atrás de Sakura e ela fugiu para a floresta acabou que um capanga dele a matou. — Disse com desgosto.

— Dele? quem é ele? — Chiyo perguntou cautelosa.

— Um desgraçado que conheci a muitos anos, fui idiota o bastante para me envolver com ele pois ele queria apenas meus poderes. Quando descobri tivemos uma pequena discórdia e eu fui embora, mas ele não desistiu e me encontrou anos depois, Sakura havia nascido na época. — Havia ódio nas palavras da loira.

— Não vai me dizer que ele...

— Não, ele não é o pai dela. — Tsunade respondeu rapidamente.

— Mas se ele queria seus poderes então ele era um bruxo. — Chiyo comentou estreitando os olhos.

— Sim ele é um bruxo, na verdade aquele louco é o bruxo mais poderoso que já conheci. — A loira disse sugestivamente e Chiyo balançou a cabeça.

Ela deu um sorriso irônico e fechou os olhos. Não podia ser quem ela estava pensando. Mas se fosse elas teriam muitos problemas.

— Não, eu não acredito nisso. — A voz da bruxa saiu frustada e ela se levantou começando a andar de um lado para o outro.

— A culpa disso é minha. — Tsunade murmurou com o semblante triste.

— Sim a culpa é sua, o que você tem na cabeça? como você pode ter se metido com aquele homem? mas que ódio Tsunade você é louca?. Aquele homem é simplesmente... — Chiyo disse amarga perdendo a voz tentando controlar a raiva.

— Orochimaru. — A loira respondeu amargamente.

— Arg você sabe no problema que se meteu? ou melhor que meteu Sakura? aquele homem mexe com magia negra Tsunade, ele tem um poder sobre humano, ele pode fazer qualquer coisa até ressuscitar os mortos. Ele é o bruxo mais poderoso de todos os tempos. E sem contar que é um psicopata por poder. — A bruxa gritou perdendo a cabeça. Sakura estava correndo perigo.

— Não precisa gritar, eu aprendi com meu erro. — A loira cruzou os braços emburrada.

— Não precisa? por que essa calma toda se tem um psicopata atrás de sua filha? acha que pode contra ele? se ele quiser ele pode tomar todos os seus poderes até não sobrar uma gota. — A bruxa rosnou piscando o olho em um tique nervoso.

— Como sabe tantas coisas sobre ele? — Tsunade perguntou erguendo uma sobrancelha.

— Eu já trabalhei pra ele. — Respondeu respirando fundo.

— Já trabalhou pra ele? quando? — A loira perguntou confusa.

— Isso não vem ao caso, temos um grande problema pela frente. Sera que minha menina não pode ter tranquilidade? — Chiyo murmurou frustada e se sentou no sofá.

— A culpa disso tudo é minha Chiyo, posso lhe garantir que ele não vai machucar minha filha, nem que eu precise morrer para protege-la. — A loira disse seriamente arrancando o suspiro de Chiyo.

Ficaram em silêncio e Chiyo colocou a mão no rosto respirando fundo.

— Ele não esta sozinho, além de seus capangas existe alguém por trás dele. — Tsunade quebrou o silêncio.

A bruxa soltou um resmungo.

— Como sabe de tudo isso? — Chiyo perguntou sem olha-la.

— Acha que fiz o que todos esses anos? eu pesquise muito, consegui descobrir vários esconderijos dele.

— Acha que ele atacara?

— Sim mais não agora, ele é cauteloso deve estar bolando alguma estratégia.

— Precisamos avisar o Uchiha, vamos precisar de ajuda, muita ajuda. Se Orochimaru atacar Sakura os lobos vão se intrometer e ai sim teríamos uma guerra de verdade, e dessa vez muitos sairiam mortos. Ele tem capangas de todas as espécies, vampiros, bruxos e até lobos. Todos eles são renegados. — Chiyo disse séria.

— Os lobos não podem se envolver nisso seria um massacre. Orochimaru sabe que Sakura é protegida do Uchiha, mas Orochimaru só quer a Sakura por causa de seus poderes. Não terá nenhuma batalha pois eu não irei permitir, eu vim aqui para treinar Sakura e deixa-la preparada para se defender caso precise, e para ficar próxima a ela por um tempo. Eu vou matar Orochimaru antes que ele chegue perto dela Chiyo. Ele não vai tocar na minha menina.

— Você acha que sera fácil assim? — A bruxa soltou um rosnado.

— Acho que você se esqueceu dos meus poderes Chiyo. Eu sou uma Portadora do Byakugou, acho que será fácil fazer ao menos um arranhão naquele desgraçado. E além do mais, eu passei os últimos tempos treinando para aumentar meus poderes. — Tsunade disse debochada.

— Vai contar a ela sobre os riscos que esta correndo? — A voz de Chiyo saiu cautelosa.

— Não, eu vou passar essas últimas semanas com ela, eu quero conhece-la e ama-la mesmo que for em tão pouco tempo. Quando ela imaginar que estar correndo perigo eu já terei matado Orochimaru. — A loira disse convicta.

— E se você não conseguir? — Chiyo apertou os dedos com força.

— Eu vou conseguir. — Disse convicta.

— E se não conseguir?

— Não existe essa palavra no meu vocabulário, se for preciso eu luto até a morte.

— Isso é suicídio Tsunade. E os capangas dele? acha que dará conta de todos?

— Esta me subestimando Chiyo? que horror, só para lhe acalmar posso lhe dizer que eu consigo destruir toda essa vila com apenas um soco. — A voz loira saiu risonha.

— Tudo bem, vou torcer por você. — Chiyo soltou um suspiro.

— Obrigada. Agora será que posso ficar aqui até eu ir embora?

— Claro, quando pretende ir?

— Daqui duas semanas.

— Tudo bem. — Respondeu e o silêncio voltou.

— Chiyo eu não quero que ela saiba que sou sua mãe. — Ela disse séria arrancando uma expressão surpresa da bruxa.

— Mas Por que? — Perguntou não entendendo a atitude da loira.

— Por que ela vai me odiar, vai fazer perguntas que eu não vou poder responder. É melhor ela achar que a mãe dela esta morta mesmo. — Disse dando um sorriso triste.

— Mas. — Chiyo não entendia o por que esconder aquilo, Sakura ficaria tão feliz em saber que sua mãe estava viva.

— Ficarei pouco tempo e talvez eu não volte quando tudo acontecer. — A voz da loira saiu fria.

O ar ficou tenso e Chiyo respirou fundo.

— Certo.

oOo

O desejo era mais forte do que os dois, não conseguiam mais se controlar. Estavam entorpecidos e cheios de amor reprimido. Hinata já estava presa a cintura do loiro sendo prensada na parede ao lado, o beijo era quente e necessitado.

As mãos do loiro percorriam cada parte do corpo da morena desesperadamente. As respirações estavam descompassadas e Hinata reprimia os gemidos para não acordar sua irmã.

As unhas da Hyuuga o arranhava por inteiro arrancando gemidos roucos do loiro.

Logo eles estavam deitados no colchonete do Uzumaki. Naruto arrancou a camisola do corpo da morena em uma velocidade absurda, os olhos estavam em chamas analisando cada parte do corpo da Hyuuga.

Sua boca desceu pela pele da morena dando leve mordidas, Hinata mordeu os lábios com força sentindo o loiro apertando suas coxas com certa força. Revirou os olhos sentindo a língua dele em seus seios e soltou um gemido reprimido.

— Naruto. — Um gemido sofrego saiu da boca da morena.

— Eu preciso de você. — O loiro gemeu colando os corpos fazendo a mesma senti o quanto ele estava excitado.

Voltou a beija-la com desespero levando as mãos aos seios da morena começando massageá-los.

Ela arfou o virando ficando por cima do mesmo arranhando seus braços e descendo beijos pelo seu peitoral. Seus olhos brilhavam de desejo.

Nunca havia tocado em um homem antes, não sabia o que estava fazendo, só queria acabar com aquela dor no meio de suas pernas. Ele agarrou suas nádegas a puxando para ele fazendo os dois gemerem juntos.

— Sente o quanto eu estou louco por você? — Ele grunhiu no ouvido da garota fazendo a mesma arfar.

As bocas se colaram em um beijo ardente. A mão do loiro desceu até a calcinha da garota fazendo a mesma gemer seu nome.

Ele voltou a ficar por cima dela e levou as mãos a fina calcinha a tirando de seu corpo. Seu coração disparou e eu sou lobo rugiu dentro de si. Se abaixou entre as pernas na morena devorando sua intimidade com os olhos.

Balançou a cabeça e escultou um gemido alto da Hyuuga quando sua língua tocou em seus clitóris. Penetrou sua intimidade com a língua e lhe deu um chupão.

— Annh. — Ela gemeu mordendo os lábios com força.

Aquela sensação era deliciosa, nunca havia sentido aquilo na vida, poderia ir ao céu e voltar.

Ele se deliciava com o gosto da garota e gemeu quando a mesma o puxou pelos cabelos rebolando em sua boca.

Hinata balançava a cabeça desesperadamente, seu rosto se contorcia em prazer. Não demorou muito para que a mesma se derramasse na boca do loiro que bebeu todo o seu gozo.

Ele retirou sua cueca rapidamente e se apoiou em cima da garota, precisava estar dentro dela urgentemente ou não suportaria. O rosto da mesma estava vermelho e ofegante. Ela o encarou nos olhos e o puxou para mais um beijo.

Eles se olharam profundamente e ela assentiu.

Encaixou as pernas dela em seu quadril e trincou os dentes a penetrando em um único movimento, gemeu junto ao grito de dor da garota. Ele era grande demais para ela. A mesma era tão apertada e molhada.

Os olhos dela lacrimejaram e a mesma trincou os dentes sentindo a dor de sua virgindade indo embora. Era a melhor dor de sua vida.

Ele começou a penetra-la como se sua vida dependesse disso, nunca sentiu tamanho prazer em sua vida.

Corações acelerados, gemidos enlouquecidos, gritos de prazer. Estavam completos.

— Hinata. — Grunhiu a penetrando cada vez mais fundo.

— Naruto. — Revirou os olhos entorpecida.

As mãos se uniram por cima de suas cabeças e os gemidos foram contidos por beijos desesperados.

— Eu te amo. — Ele sussurrou no ouvido da garota que ofegou o abraçando.

— Ahnnn eu te amo. — Ela gemeu com dificuldades.

Ela o amava não podia negar tal sentimento. O loiro entrou em sua vida e a virou de cabeça para baixo a fazendo sentir sensações jamais sentidas.

Ele as puxou para ele descendo o rosto pelo pescoço da garota o mordiscando por inteiro.

Sua língua desceu aos seios da mesma e começou a brincar com eles. Hinata não conseguia mais segurar os gritos. Ele iria a matar de prazer.

— Naruto. — Gritou o nome do loiro perdendo a voz.

Uma onda de prazer se chocou pelos dois corpos e o loiro aumentou as investidas sentindo choques por todo seu corpo. Logo os dois gemeram alto chegando ao ápice juntos.

Aquele foi o primeiro de muitos naquela noite, eles não iriam parar tão cedo. estavam famintos, desesperados, cheios de desejo reprimido. Precisavam um do outro.

Hinata se perguntava como poderia desejar tanto uma pessoa, se perguntava como poderia ama-lo daquela forma avassaladora. Ela finalmente se sentia em casa. Se sentia amada.

O loiro se deixou cair ofegante abraçando a morena. Haviam gozado quantas vezes? cinco? talvez mais. Perdeu todo a sua sanidade.

Ela era viciante, eles estavam viciados um no outro, não conseguiam mais parar. Ficaram abraçados em silêncio ouvindo o barulho de suas respirações descompassadas. Hinata acariciava as costas do loiro enquanto o mesmo inalava seu cheiro.

Finalmente estavam juntos, finalmente estavam ligados um ao outro. Naruto agradecia por estar inteiro, dessa vez ela não o jogou em nenhuma parede.

Logo ele saiu de dentro dela se levantando, vestiu sua cueca e foi até a cozinha onde pegou um canivete, voltou onde estava a garota e ela vestia sua camisola. Hinata olhou a pequena faca em suas mãos e entendeu o que ele iria fazer quando se sentou ao seu lado.

Eles ficaram se olhando em silêncio e o loiro cortou o pulso levando a boca da garota que bebeu algumas gostas de seu sangue. Ela estendeu o braço e ele fez um pequeno corte, logo o levando a boca.

Estava selado.

— Para sempre. — Ele sussurrou alisando o rosto da garota.

— Sempre. — Sussurrou de volta o olhando intensamente.

Nunca tomou uma decisão tão sábia em sua vida.

Dormiram juntos aquela noite. A melhor noite de suas vidas. E seria a primeira de muitas.

oOo

Era um novo dia, todos estavam ocupados fazendo o que sabiam de melhor, trabalhar. O inverno ainda se habituava em todos os lugares, flocos de neve caiam dos céus e as crianças brincavam em meio a eles.

Sakura as observava com as mãos no bolso de sua blusa de frio, estava parada no centro do acampamento observando tudo ao seu redor. Estava cansada de ficar sem fazer nada e ali olhando a todos trabalhar lhe dava uma imensa vontade de se juntar a eles.

— Tia Sakura quer brincar conosco? — Uma garotinha loira parou em sua frente lhe mostrando seu sorriso banguela.

Sakura sorriu e olhou para as outras crianças que faziam guerra de bolas de neve.

— Não sou boa nessas coisas.

— É só fazer uma bola de neve e jogar no oponente. Com você no nosso time ganharíamos. — A menina disse animada fazendo Sakura sorrir.

— Prefiro ficar só observando.

— Tudo bem, se mudar de ideia venha para o nosso time. — A menina disse voltando a correr em direção aos amigos.

Sakura balançou a cabeça e olhou em volta, seu olhar parou em uma figura ruiva que a observava mais a frente com os braços cruzados. Depois do ocorrido não tinha mais visto a ruiva, ela havia desaparecido por alguns dias. Mas agora lá estava ela, a olhando com um olhar mortal, algo parecido com repulsa e nojo. Mas tinha algo a mais, tinha um pequeno sorriso venenoso.

A expressão de Sakura ficou séria e ela começou a andar para longe dali, o olhar daquela mulher sobre si não estava a agradando. Não era acostumada a ser odiada pelas pessoas.

Estava indo em direção ao escritório de Sasuke, precisava conversar com ele sobre sua vontade de trabalhar, desde que terminou o Ensino médio estava sem fazer absolutamente nada e isso estava a deixando frustrada.

Algumas pessoas a cumprimentavam pelo caminho e ela acenava de volta, todos pareciam gostar dela e sempre a tratavam bem. Chegou em seu destino e deu uma leve batida na porta, a abrindo e colocando metade de seu corpo para dentro.

Seu olhar parou nos dois homens que se abitavam ali, conheceu o namorado de Tenten, já havia trocado poucas palavras com o homem. Ele não era de falar muito.

— Sakura? — Sasuke a chamou e ela parou o olhar nos olhos negros que a deixava entorpecida.

Ele estava sentado em sua mesa e Neji estava em pé a sua frente. Estava sério e lindo como sempre.

— Desculpa atrapalhar, eu volto depois. — Disse rapidamente prestes a ir embora.

— Pode ficar, já estou de saída. — Neji disse indo em direção a porta e Sakura entrou dando espaço para o homem que deu um leve aceno para ela antes de sair e fechar a porta.

— Seus cabelos estão úmidos, suas roupas também. Não me diga que estava outra vez parada no meio daquela nevasca? — Ele a repreendeu e ela deu de ombros se aproximando.

— Estou entediada. — Respondeu rodeando a mesa parando ao lado do mesmo que a puxou a fazendo se sentar em seu colo.

Ele apertou sua cintura e afundou o rosto na curvatura de seu pescoço. Ele amava o cheiro dela, era entorpecente.

— Quer matar seu tédio comigo? — Perguntou baixo começando a beijar o pescoço da garota.

Sakura sorriu mordendo os lábios, ele era insaciável. Todas as noites se entregava a ele e quase todas as manhãs.

— Na verdade estava pensando em trabalho. — Respondeu soltando um suspiro.

— Trabalho? — Ele franziu o senho levantando o olhar.

— Sim, faço dezoito a algumas semanas e já esta na hora de arrumar um emprego. — Disse brincando com os fios de cabelo do moreno.

— Você não precisa trabalhar. — Ele tentou argumentar, mas já estava decidido ela não mudaria de ideia.

— Eu quero. — Ela disse olhando no fundo de seus olhos e ele respirou fundo.

— Tudo bem. Mas onde você vai arrumar um emprego?

— Vou procurar algo na vila. — Respondeu com um olhar perdido.

Sasuke ficou a encarando por um tempo, sabia o que ela queria de verdade. Queria cursar medicina e mesmo que ela tivesse desistido do seu sonho por ele, ele podia perceber que ela estava um pouco triste. Se sentia mal por isso, ele estava a prendendo a ele . Mas ele não podia fazer nada, Tóquio era distante e ele tinha uma alcateia para cuidar. Não suportaria ficar longe dela por tanto tempo.

— Você se arrepende de ficar comigo? — Perguntou fazendo a mesma piscar os olhos surpresa.

Como ele poderia fazer uma pergunta como aquela?

— Jamais. — Respondeu convicta. Nunca se arrependeria, Sasuke a mostrou um mundo desconhecido e lhe mostrou o que era amar alguém e fez ama-lo como nunca. Sim ela o amava, amava tanto que chegaria a doer.

Ele deu um leve sorriso e a puxou pela nuca colando seus lábios, iniciaram um beijo cheio de paixão e desejo. Sakura puxou os cabelos do moreno entre os dedos, e ele a apertou contra seu corpo fazendo a mesma soltar um gemido baixo em meio ao beijo.

— Eu quero você. — Ela sussurrou rebolando em seu colo e o Uchiha trincou os dentes se levantando com a mesma nos braços.

— Kami garota não me enlouqueça dessa maneira. — Sussurrou a sentando na mesa tirando todo pedaço de pano que se abitava no corpo da garota.

Logo ela estava apenas com um lingerie preta, sentindo as mãos do moreno passeando pelo seu corpo. A velocidade do mesmo em tirar suas roupas a deixava surpresa.

— Sasuke. — Gemeu baixo fechando os olhos sentindo seu corpo inteiro latejar em desejo.

Ele desceu beijos e mordidas por todo corpo da garota arrancando gemidos e suspiros da mesma. Ela cravou as unhas em seus ombros e tombou a cabeça para trás sentido a língua do moreno no vale de seus seios.

Ele arrancou o sutiã da rosada o jogando em um algum lugar, sua boca logo tomou os seios medianos os chupando e mordiscando com desejo. Sakura mordia os lábios com força tentando conter os gemidos, o que não agradava o Uchiha que amava vê-la gritando seu nome.

— Não se segure, gema, grite pra mim pequena. — Ele grunhiu no ouvido da rosada mordendo o lobolo de sua orelha.

— Annn vão nos ouvir. — A voz da mesma saiu sofrega sentindo a língua do Uchiha deslizar por todo seu corpo.

— Ninguém ira nos atrapalhar. — Passou o braço na mesa derrubando tudo o que tinha ali e a deitou na mesma.

Abriu as pernas da rosada passeando suas mãos pela coxas grossas da garota, parou em sua intimidade arrancando um gemido sofrego da garota. Ela estava quente e molhada, desesperada para tê-lo dentro de si.

— Tão molhada, tão linda. — Sussurrou rasgando a calcinha da garota.

Sakura ofegou e revirou os olhos sentindo a língua do mesmo em sua cavidade. Gritou arranhando com força a madeira da mesa com suas unhas, estava entorpecida.

Ele a agarrou pelas nádegas a puxando mais para ele, Sakura mexeu o quadril pedindo por mais.

— Sasuke. — Gritou sentindo seus dedos dos pés embolarem e uma contorção em seu ventre.

Ele lhe deu uma leve mordida seguida de um chupão, aquilo foi o extremo para a rosada que gozou em sua boca fazendo o mesmo beber tudo.

— Nunca vou me cansar de sentir o seu gosto. — Grunhiu a beijando com desespero.

Sakura ofegou enroscando as pernas no quadril do moreno o puxando desesperadamente para si, gemeu sentindo o quanto ele estava excitado. Levou as mãos a camisa do mesmo tentando tira-la com rapidez, acabou que a rasgou em dois pedaços.

— Ou calma gata selvagem. — Sasuke murmurou ofegante meio surpreso tirando os restos de sua camisa.

— Eu preciso de você agora. — Ela grunhiu levando as mãos a calça do mesmo.

Ele a ajudou e logo suas calças estavam no chão com cueca e tudo. Ele a pegou no colo a prensando na parede ao lado pois sabia que aquela mesa não os suportaria.

— Eu te amo. — Ela sussurrou ofegante o olhando nos olhos. Explosões de sentimentos passaram pelos dois.

Ele precisava saber, precisava saber o quanto ela o amava. Sasuke arfou surpreso sentindo seu coração se aquecer e a puxou para um beijo desesperado cheio de paixão.

— Eu também te amo pequena, amo tanto que chega a doer. — Sussurrou a penetrando.

Gemeram juntos extasiados de prazer.

Ele segurava firme a cintura fina da garota estocando cada vez mais fundo dentro da mesma. Sakura rasgava suas costas com as unhas enquanto mordia o ombro do mesmo tentando controlar tamanho prazer.

— Grita pequena, grita meu nome. — Gemeu ofegante beijando o vale dos seios da garota.

— Sasuke...Sasuke — A garota entortou a cabeça para trás gemendo desesperadamente.

Os gemidos dela eram músicas para seus ouvidos. Como amava aquela garota. Só ela o dava tamanho prazer, somente ela.

Mordidas, beijos, chupões. Eles podiam sentir o quanto se amavam, eles eram perfeitos um para o outro.

Foram questões de segundos para que os dois gozassem juntos. Sakura o abraçou ofegante e o mesmo beijou seu pescoço demoradamente.

— Eu nunca vou me cansar de você. Nunca. — Ele sussurrou beijando os lábios vermelhos da garota.

— Eu te amo. — Ela sussurrou outra vez lhe dando um singelo selinho.

Sasuke voltou a se mexer dentro da mesma arrancando gemidos dos dois, começariam tudo de novo se batidas na porta não os impedisse. Sasuke soltou um gemido frustado e saiu a contra gosto de dentro da garota a soltando no chão.

Ela se apoiou em seus braços para não cair mole no chão, mal sentia suas pernas. Se vestiram rapidamente e Sasuke se sentou em sua cadeira, Sakura ficou em pé ao seu lado com o rosto corado.

— Entre dobe. — Sasuke tossiu falso e a porta se abriu.

— Já acabaram? — O Uzumaki perguntou entrando com um sorriso malicioso.

Sakura abaixou o rosto procurando um lugar para se esconder. Estava morta de vergonha.

— O que você quer? — Sasuke perguntou se segurando para não quebrar os dentes do amigo.

— Chiyo esta aqui e tem uma mulher com ela. Elas querem ver Sakura. — O loiro disse e Sakura levantou o olhar rapidamente.

— Mande elas entrarem. — Sasuke ordenou apoiando o rosto sobre as mãos.

Naruto assentiu e saiu fechando a porta.

Sakura mordeu os lábios nervosa e olhou para a porta onde o loiro havia saído, em poucos segundos a porta é aberta mais uma vez e por ela se passa Chiyo com uma expressão séria, mas não é em sua avó que Sakura prende o olhar, seu olhar é preso na mulher que entra logo em seguida.

Loira, alta, seios fartos, olhos castanhos e um losango lilás se destacando em sua testa. Os olhos castanhos se encontraram com os esverdeados. A loira a olhava com um sorriso aberto e os olhos cheios de sentimentos.

Sakura sentiu algo apertar em seu coração e ofegou olhando para Chiyo que a olhava serenamente.

— Sakura, essa é Tsunade Senju. — A bruxa disse fazendo a rosada prender a respiração.

Arregalou levemente os olhos e apertou os punhos sentindo seu coração parar. Se lembrava claramente do nome daquela mulher, a mulher que era a última Portadora do Byakugou, a mulher que podia ser sua....mãe.

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...