História I Need You - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Lobos, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 2.067
Palavras 4.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa tarde.
Desculpa demora pessoal, eu estou com alguns problemas e totalmente desprovida de tempo.

Capítulo 4 - Gostar de Você


 

I Need You

 

Os lábios estavam colados movendo-se em um beijo agitado, sôfrego, cheios de paixão e  volúpia. De repente o espaço havia ficado pequeno e os dois estavam queimando em desejo, Sakura se mexia inquieta e afoita no colo do moreno se sentindo desesperada. Sasuke grunhiu agarrando as nádegas da garota em um aperto firme a fazendo soltar um longo gemido em sua boca.

— Sasuke. — ela chamou em um chiado baixo.

— Não se mexa. — ele implorou sofrido.

Sakura choramingou tentando arrancar a dor que começava a sentir em partes mais intimas. Era a primeira vez que se sentia daquela forma com um homem e isso chegava a assustar.

Sasuke colou suas testas fitando os olhos verdes brilhantes que tanto o alucinava, sentindo a respiração ofegante da mesma próximo aos seus lábios que estavam próximos. Aproveitou a sensação maravilhosa de tê-la tão próxima agarrada em seu corpo como se precisasse dele.

Queria sentir mas daquilo, mas ele sabia que não poderia deixar a fera que vivia dentro de si o dominar agora, não podia tomar sua garota, não ali naquele momento. Sakura estava confusa e infelizmente ainda não estava pronta, tudo que ele menos queria na vida era machuca-la de alguma forma.

E quão rápido ele a puxou para seu colo a empurrou para longe tentando controlar sua respiração pesada e seu animal interior que rugia, louco para se fundir a sua companheira. Sakura o olhava aturdida e sem fala, ofegava tentando buscar todo fôlego que lhe fora roubado. Seu coração batia forte em seu peito a deixando encabulada. Não sabia o que estava acontecendo, mas queria sentir mais daquilo.

— O..quê..foi isso? — gaguejou atordoada.

Nunca sentiu algo tão intenso e arrebatador em sua vida. Sasuke a deixou de pernas bambas e sem fôlego.

Sasuke não respondeu, sua mandíbula estava travada e a respiração pesada. Agradecia aos deuses por não ser noite de lua cheia caso contrário não conseguiria controlar sua fera. Pois quando a lua estava totalmente visível na terra a mesma causava um efeito nos lupinos onde o desejo de acasalar do lobo era avassalador, a fera ficava fora de si e era inevitável parar.

Inspirou fundo apertando o volante com força voltando a ligar o carro apressado.

— Sasuke. — insistiu nervosa.

— Fica quieta, pelo o amor dos deuses Sakura apenas fique quieta. — rosnou atordoado.

Ela apertou os lábios piscando os olhos verdes com força, se encolheu no banco sentindo-se confusa e usada. Seu peito agora doía, ela não conseguia nem ao menos olhar nos olhos de Sasuke ou gritar exigindo respostas. No fundo do seu intimo ela guardava um sentimento forte por ele, sentimento que estava tentando evitar a muito tempo. E agora não sabia o que fazer ou pensar, ele havia mostrada indícios que poderia sentir o mesmo por ela a deixando mais confusa ainda.


Quando ele parou em frente a sua casa Sakura abriu a porta rapidamente saindo do carro apressada, tropeçando nos próprios pés conseguindo se manter em pé desajeitadamente. Seus olhos ardiam e ela queria gritar, tirar todo aquele furacão de sentimentos confusos de seu peito. Bem longe de Sasuke é claro.

Ele a observou se afastar se sentindo mal, estava relutante em ir atrás dela pois sabia que se fosse não se seguraria mais. Mas por fim resolver sair dali, precisa esfriar a cabeça e outras coisas a mais e ficar perto dela não ajudaria me nada.

Sakura se trancou em seu quarto escorando-se na porta ofegante. Não estava acreditando no que tinha acontecido, havia beijado Sasuke, seu primeiro beijo, foi perfeito e só a deixou mais desejosa.

— O que esta acontecendo comigo? — lamuriou angustiada chutando os saltos que usava para longe.

Tirou o vestido que tanto chamou atenção naquela noite o jogando ao cesto de roupas sujas próximo a porta e logo se enfiou debaixo dos seus lençóis, sem nem ao menos ter coragem de colocar uma roupa.

Abraçou seu travesseiro fechando os olhos com força, tentava pensar em algo que não fosse o moreno que era quase como um irmão mais velho.

— Esqueça Sakura.

Era uma lástima não conseguir dominar seus pensamentos e seus sentimentos conturbados, não conseguiu dormir aquela noite. Mas ela não se importava, não se importava com as olheiras em seus olhos e nem com a dor de cabeça absurda pois já estava acostumada com isso, apenas temia encontrar com o causador de sua noite mal dormida tão cedo. 

Precisava de uma certa distancia de Sasuke por um tempo até que conseguisse entende o que tinha acontecido dentro daquela maldita caminhonete.

Mas ele não estava lá como no dia anterior. Mikoto estava sentava sozinha na mesa da cozinha lendo algo no jornal da cidade. Mesmo não querendo vê-lo se sentiu decepcionada com a possibilidade do mesmo voltar a evita-la.

— Tudo bem querida? — Mikoto perguntou erguendo o olhar para Sakura que se sentou a sua frente.

— Só uma dor de cabeça. — respondeu com o olhar fixo na toalha azul da mesa.

A morena se levantou soltando um suspiro, ela sabia que os problemas estavam começando mas escolheu não se intrometer naquele assunto pois se tratando dos seus filhos ela não queria escolher um lado para apoiar. 

— Como foi a noite? — perguntou entregando um copo de água e uma cartela de comprido para a garota.

Sakura comprimiu os lábios tomando o analgésico sem nenhuma emoção.

— Legal. — respondeu desanimada.

— Estou vendo, vejo que se divertiu. — a mulher jogou o jornal que estava lendo na mesa onde a imagem da rosada estava na primeira página ao lado do filho do xerife.

Sakura abriu a boca olhando surpresa para a imagem onde a legenda dizia: "O novo casal de Konoha!"
 
— Quem fez isso? eu não...merda estou começando a me arrepender de ter ido aquela festa. — a  garota soltou uma lufada de ar.

— Você por acaso gosta desse garota filha? — Mikoto a analisou.

— Claro que não mãe, foi só uma dança e nós nem ficamos juntos por muito tempo eu... — sua frase morreu ao se lembrar de Sasuke.

Mikoto assentiu entendendo.

— Tudo bem, eu fiz panquecas. — mudou de assunto ao ver que Sakura estava ficando desconfortável.

— Obrigada.

Quando chegou a escola os olhares estavam todos em si, ela deveria saber que todos viriam sua dança com o filho do Xerife, entretanto não imaginou que fosse algo tão importante ao ponto de tamanha falação e olhares cheios de segundas intensões. Mas claro que não foi apenas a dança, a maldita foto no jornal onde alegava que ela e Sai provavelmente teriam um caso contribuiu para tamanha falação.

Se antes as garotas viravam as caras para ela, agora a olhavam com ódio e inveja. Mas Sakura não se importava com isso, não tinha tempo e nem paciência para perder com invejosas.

— Pensei que tinha dito que não iria aquela festa. — seu amigo apareceu a sua frente a fazendo parar.

Sakura ergueu o olhar para Shino que diferente de sempre estava sério. Seu olhar parecia acusador e decepcionado o que a fez apertar a alça de sua mochila com força.

— Acabei mudando de ideia. — respondeu com desgosto.

Se arrependimento matasse ela já estaria morta.

— Pelo visto também mudou de ideia em relação aquele cara, eu pensei que você fosse melhor que isso. — Shino disse decepcionado dando as costas para a garota que o observava partir incrédula.

Ela queria gritar e desaparecer ao menos por um dia.


(...)


              Mikoto entrou na academia sendo cumprimentada pelos membros da alcatéia com respeito e reverencia. Ela já não mais tinha o título de mulher do Alpha e nem direito de dar ordens desde que seu marido morreu, mas ainda tinha o respeito dos membros da alcatéia e  como Sasuke ainda não estava com sua companheira para comandar as mulheres da alcatéia Mikoto continuava a fazer isso.

— Bom dia dona Mikoto. — Tenten a cumprimentou com um pequeno sorriso.

— Bom dia Tenten, meu filho esta? 

A morena mais nova assentiu fazendo uma leve careta.

— Sim, mas ele esta naqueles dias ruins. — sussurrou baixo e Mikoto soltou um suspiro olhando em volta.

A academia estava vazia e as poucas pessoas que estavam ali se mantinham em silêncio. Ninguém se atrevia a fazer nenhum barulho.

— Ele viu o jornal? — ela perguntou e Tenten assentiu.

— Assim que chegou e esta puto da vida.

— Esse garoto só me da dor de cabeça. — Mikoto bufou seguindo em direção ao escritório a passos pesados sobre os olhares das pessoas a sua volta.

— Acho que as coisas vão melhorar. — Tenten murmurou aliviada.

— Eu já posso mastigar minhas batatas? — Choji sussurrou levando um tapa de Kiba.

— Vá procurar o que fazer.

— Calem a boca. — Tenten brigou.

Mikoto empurrou a porta do escritório a fechando ao entrar na sala. Avistou seu filho olhando para um ponto fixo na mesa, uma carranca tomava conta de suas expressões faciais.

— Eu já falei que não quero ninguém me perturbando caralho. — ele ralhou. 

— Olha a boca menino, é melhor desmanchar essa carranca ou eu vou te fazer engolir essa sandália. — a mulher brigou.

Sasuke ergueu o olhar  encontrando sua mãe logo a frente com os braços cruzados e uma espressão séria.

— O que faz qui mãe? — perguntou soltando um suspiro.

— Vim me certificar de que não fez nenhuma besteira, sabe que é só uma foto com especulações falsas. — a mulher disse calmamente pontando para o jornal despedaçado que estava jogado do outro lado da sala.

Sasuke cerrou os dentes não respondendo.

— Sakura não acordou bem hoje, o que você fez com ela? 

Ele virou o rosto para a janela, a noite passada foi uma tortura, como também a mais inesquecível, ainda se segurava para não ir atrás de Sakura e cometer alguma loucura.

— Não quero falar disso agora.

— Anda logo menino. — a mulher disse impaciente.

Apertou os olhos soltando um grunhido.

— Eu a beijei. — confessou.

— Beijou? e vocês  por acaso fizeram algo a mais? — Mikoto o analisou curiosa.

— Não, foi só um beijo depois de uma briga, não suportei vê-la com outro e brigamos, eu me irritei e gritei com ela a arrastando a força para fora da festa. Sakura deve estar achando que eu sou louco agora. — balançou a cabeça se odiando por ter agido feito um louco descontrolado.

— Será que eu vou ter que te ensinar como se trata uma mulher? — sua mãe repreendeu.

Ele negou passando as mãos pelos cabelos que já estavam bagunçados de tanto puxar os fios, nervoso.

— Eu não aguento mais isso mãe, estou pirando. — confessou com a voz dolorosa.

Mikoto suspirou vendo dor nos olhos do filho. Ela entendia o que ele sentia, quando um lobo encontra sua companheira é difícil se manter afastado, ele a quer mais que tudo e a distância é dolorosa.

— Você esta a deixando confusa desse jeito. — a mulher disse mais calma.

— Eu sei, não consigo pensar direito quando estou perto dela.

— Você disse que contaria tudo quando ela fizesse 18 e isso acontecerá no final de semana, acho que a hora da verdade esta próxima. Sakura gosta de você e já tem maturidade suficiente para entender e tomar suas próprias decisões.

— Eu sei mas isso não vai empedi-la de pirar.

— Não será fácil mas precisa tentar.

— Temo que ela se afaste de mim. — murmurou temeroso.

Se ela se afastasse ele não saberia o que fazer, mas não a forçaria a nada.

— Ela não vai fazer isso. — disse certa.

Mikoto afagou os cabelos do filho e se afastou.

— Estou indo agora, é melhor aparecer para o almoço. — a mulher avisou saindo da sala.

Sasuke fitou a porta de madeira por algum tempo e logo abaixou olhar para sua mesa abrindo uma das gavetas. Pegou uma caixinha de veludo que estava guardada ali a algum tempo e a abriu observando a joia que estava dentro.

— Isso é mais difícil do que eu pensava.


(...)


          Sakura não tentou se explicar para Shino, ele a ignorou durante todas as aulas e ela fez o mesmo, estava estressada e não tinha paciência para discussões sem sentindo. Havia se sentindo ofendida com as palavras de Shino, ele nunca tinha a julgado daquela maneira tão hostil. Não havia gostado da atitude dele e aguardara pacientemente um pedido de desculpas.

— Sakura. — ouviu a voz de Sai lhe chamar quando as aulas acabaram.

Parou se virando para o moreno, ele acenou para ela e a mesma desviou o olhar para o lado encontrando Shino. O Aburame passou por ela com a expressão fechada e jogou seu skate na calçada deslizando para longe da escola sem ao menos olhar em sua cara ou se despedir.

Não entendia a atitude do amigo e pela primeira vez o repudiou, ele estava agindo igual as pessoas que o julgavam apenas por ser o filho de uma prostituta, estava fazendo com ela o mesmo que ele sempre odiou nos outros. A julgando sem nem ao menos entender seus motivos. Ou era apenas ciumes, mas ela resolveu descartar a última opção.

 — Você sumiu ontem, te procurei em todos os lugares e o segurança disse que te viu entrando em um carro com um homem. — a voz de Sai a tirou de seus devaneios.

— Não estava me sentindo bem, meu irmão veio me buscar. — mentiu.

Tudo que menos queria era dar explicações a Sai, e muito menos ficar perto dele depois de descobri dos boatos que estavam rondando pela cidade sobre os dois serem um casal.

— Por que não se despediu? fiquei chateado e senti sua falta. — o garoto a olhou com decepção.

Sakura soltou um suspiro exausta de tantas complicações.

— Olha Sai foi legal ser sua companhante mas foi apenas isso, você ouviu os boatos e eu não estou contente com isso. — disse séria deixando o garoto surpreso.

— Mas eu pensei que você gosta-se de mim como eu gosto de você. 

Ela balançou a cabeça olhando em volta vendo algumas pessoas ouvindo a conversa curiosas.

— Sinto muito. — disse por fim dando as costas para o garoto.

Odiava quando isso acontecia, se sentia culpada mas não poderia corresponder os sentimentos de todos os garotos que nutriam algo por ela. Era loucura mas seu coração de alguma form já tinha dono.

Quando chegou em casa foi direto para o quarto onde largou sua mochila vermelha sobre a cama, tirou as roupas as deixando jogados pelo chão do quarto seguindo caminho para o banheiro. 

Mas um de seus defeitos, Sakura não era nada organizada o que causava horas de broncas de Mikoto.

Depois de um banho tomado saiu do quarto devidamente vestida com uma calça jeans branca e uma blusa de mangas vermelha. Sentiu o aroma deliciosa da comida de sua mãe assim que chegou ao andar debaixo e sua barriga roncou.

— Cheguei mamãe estou com fome. — murmurou entrando na cozinha.

Parou no lugar surpresa engolindo em seco ao encontrar Sasuke em seu costumeiro lugar na mesa, quis dar meia volta e correr para longe dali.

Foi inevitável não se lembrar da noite anterior, arfou se recordando dos toques firmes pelo seu corpo levando rastros de fogos por onde passavam, a urgência e desejo que seus lábios foram  tomados, a euforia e paixão enlouquecedora que sentiu por cada gesto.

— Já iria te chamar, sente-se a comida esta servida. — Mikoto mandou colocando uma jarra de suco no centro da mesa.

Suas pernas fraquejarem e sua respiração pesou, mordeu os lábios com força sentindo o olhar intenso do Uchiha percorrer pelo seu rosto e corpo. Firmou os passos caminhando em direção a mesa sentindo seu corpo tenso tentando não surtar.

Se sentou o mais longe possível dele tomando cuidado para não manter contato visual. Mas parecia que ele não pensava da mesma forma pois não parava de encara-la e isso aconteceu durante todo almoço.

O clima estava tenso e ninguém ousava abrir a boca, o corpo de Sakura estava tenso e suas mãos apertavam os talheres com força se segurando para não furar os olhos de Sasuke o obrigando a parar de encara-la. Mikoto estava alheia a toda situação mas não ousou dizer nada ficando na sua.

— Estava ótimo mãe. — Sakura murmurou quando terminou de comer recolhendo os pratos da mesa.

Mikoto assentiu a ajudando quando viu o nervosismo da garota que quase derrubou os pratos no chão.

— Sakura eu preciso conversar com você, pode vir comigo? — a voz do moreno ecoo a deixando mais nervosa ainda.

— Não vai dar, vou arrumar a cozinha e depois irei para floricutura. — respondeu meio atordoada.

— Eu cuido aqui pode ir. — Mikoto interferiu.

— Não mãe eu preciso trabalhar. 

— Estou mandando Sakura, depois não venha reclamar que Sasuke não anda mais com você.

Sakura respirou fundo e se afastou da pia encarando Sasuke que a fitava próximo a porta. O olhar sério e inexpressivo, não poderia fugir para sempre e teria que encara-lo em algum momento.

— Ta. — respondeu rendida saindo apressada da cozinha.

Não o esperou mas sentia a grande presença dele logo atrás de si.

— Onde vamos? — perguntou assim que saíram de casa.

— A praia. — ele respondeu passando por ela seguindo para a caminhonete estacionada mais a frente.

Sakura o fitou surpresa, a praia era seu lugar preferido, quando criança  Sasuke costumava leva-la para ver o mar e sempre acabava enterrado na areia pela rosada. Eles vistavam a praia com frequência mas com o tempo isso parou de acontecer.

Sakura apertou os olhos com força e o seguiu em silêncio, não disse nada, nem quando ele abriu a porta para ela que não ousou olha-lo. O caminho foi silencioso, Sakura estava sufocando, esta dentro daquele veículo fechado ao lado de Sasuke onde acontecerem coisas inexplicáveis na noite anterior não era legal.

Foi a primeira a pular para fora do carro quando chegaram a praia, o tempo estava fechado e o lugar estava vazio. Ela sorriu tirando as sandálias ao pisar na areia molhada, o vento trazia uma sensação relaxante e a mesma se segurava para não sair correndo feito uma criança.

Amarrou os cabelos para o alto se aproximando do mar agitado. Parou em uma distancia próxima se setando na areia observando as ondas que iam e voltavam.

— Faz algum tempo que não viemos aqui. — Sasuke se sentou ao seu lado.

Sakura suspirou fechando os olhos.

— O que quer? — conseguiu forçar sua voz a sair.

— Quero conversar. — murmurou a olhando com cautela.

Percebia cada gesto da garota, sabia o quanto ela estava nervosa e o quanto ela também o queria. 

— Conversar o que? — se fez de desentendida.

Sasuke se aproximou e Sakura soltou um muxoxo procurando um meio de fugir.

— Não quero que fique chateada, peço desculpas pela forma rude que a tratei. — disse sério.

Sakura humideceu os lábios tentando apagar os pensamentos conturbados.

— Ta. — respondeu em fio de voz o encarando.

— Não precisa ficar nervosa. — ele riu de lado.

Por um momento Sakura o admirou, mas logo se irritou ao achar que ele estava se divertindo a suas custas.

— Era só isso? — forçou a voz a sair firme.

De inicio Sasuke não se moveu desfrutando a deliciosa sensação que era estar perto dela, sentindo seu cheiro e admirando suas expressões conturbadas. Mas ao notar o desconforto da garota ele se afastou relutante, rindo internamente quando a mesma soltou o ar pela boca.

Ficaram em silêncio por um certo tempo apenas observando as águas violentas.

— Na verdade não. 

Sakura se assustou quando ele se levantou abruptamente com uma expressão divertida, não teve tempo de pensa em nada pois ele a ergueu em seus braços sem dificuldades. 

— O que? não. — ela arregalou os olhos o vendo seguir em direção ao mar.

— Vamos dar um mergulho.

— Não faça isso. — gritou mas já era tarde.

Estremeceu ao sentir o contato do seu corpo com a água fria e nadou tentando não afundar. 

— Você me molhou toda idiota. — brigou frustrada jogando um jato de água em direção ao Uchiha que estava a sua frente.

— A água esta ótima. — o moreno retrucou divertido tirando a água dos cabelos molhados.

Sakura o olhou hipnotizada tentando se manter irritada.

— Então fique ai sozinho. — bufou dando as costas para Sasuke mas ele a segurou antes que ela pudesse dar dois passos.

Sakura ofegou sentindo sua respiração pesar descendo o olhar para as mãos do Uchiha em volta de suas cintura sobre o tecido da sua blusa molhada, o corpo grande e forte estava colado ao seu a fazendo sentir todo calor que ele emanava. Estremeceu ao senti-lo tão perto começando a sentir coisas que não deveria, se segurou para não cair feito uma gelatina mole.

Gritou mentalmente ao sentir a respiração quente de Sasuke em seu pescoço.

— Olha pra mim pequena. — sussurrou em um rosnado.
 
          Sakura virou o rosto ergueu o olhar encontrando a imensidão negra de seus olhos a devorando, arfou ansiosa com a possibilidade de voltar a sentir todas aquelas sensações maravilhosas.

Os braços dele rodearam sua cintura em um aperto firme a virando totalmente para ele, Sakura prendeu a respiração quando o rosto do Uchiha curvou sobre seu pescoço aspirando o cheiro que o enlouquecia. Estremeceu a sentir os lábios do mesmo em sua pele a deixando quente e desejosa.

Semicerrou os olhos se deliciando com a sensação maravilhosa que era a língua do moreno em seu pescoço, os beijos quentes em sua pele a deixava tonta a fazendo soltar leves suspiros.

Deslizou as mãos pela nuca de Sasuke arranhando as unhas ali puxando os fios negros com certa precisão. Ele arfou e suas bocas se encontraram famintas e ansiosas, era apaixonante  a forma que suas línguas se encontravam em sincronia lutando por espaço.

Sakura gemeu encabulada com todas aquelas sensações intensas que ele a fazia sentir sem nem fazer esforço para isso. 

— Gosto de você. — Sasuke sussurrou deixando um beijo demorado no pescoço da garota.

Sakura fechou os olhos afundando o rosto no peito do moreno, não conseguindo controlar o riso incrédulo e as batidas desenfreadas do seu coração.

— Eu também. — sussurrou de volta inerte o sentindo envolve-la no calor de seus braços ainda mais se possível.

Se era um sonho ou uma alucinação ela não sabia, mas queria ficar ali para sempre, ele era seu porto seguro.  Sasuke era uma incógnita que ela ainda não havia conseguido desvendar, mas estava disposta a faze-lo.


(...)


          Atravessou os portões da vila a passos firmes e vagarosos, os olhos perolados analisavam tudo a sua volta inexpressivos. A garota parou erguendo o olhar para os céus ao sentir as primeiras gotas de chuva começarem a cair molhando seu rosto pálido, mas não se importou. 

 A chuva havia se tornado sua melhor companheira em meio a tanto sofrimento. Estava satisfeita e ansiosa por finalmente ter conseguido chegar naquele lugar depois de vagar sozinha por algum tempo. Não mediria esforços para alcançar seus objetivos, nunca pensou em querer tanto a morte de uma pessoa, mas era tanto ódio e dor que chegava a doer.

Achou que ao tentar destruir a causadora da sua ruína fosse se sentir vingada, mas tudo se tonou ainda mais interessante quando descobriu que a mesma tinha uma filha, ela faria questão de tirar o que a loira mais amava assim como a mesma fez ao eliminar toda sua família.

Um sorriso morto surgiu em seus lábios ao sentir a presença de lobos se aproximando, não mediu esforços ao joga-los longe apenas com um estralar de dedos.

Seus brilharam quando mais lobos se aproximaram a cercando e rosnando em sua direção, a mesma se manteve quieta observando todos com cautela.

— Se afastem é uma bruxa. — Kakashi entrou na roda de lobos e não escondeu o espanto ao encarar a garota a sua frente.

Observou as vestes escuras e sujas voltando a fitar os olhos perolados e os cabelos longos de um tom preto azulado.

— Quem é você? — perguntou cauteloso.

A garota a encarou sem nenhum emoção.

— Hinata Hyuuga. — murmurou e Kakashi constatou o que já sabia.

— Pensei que todos os Hyuugas tivessem sido exterminados.

— Pensou errado. — respondeu seca.

— O que quer aqui? — ele foi direto.

A garota ficou em silêncio por alguns minutos observando a todos.

— Vim em paz. — respondeu abrindo um sorriso torto.

Kakashi olhou para dois lobos que mancavam tentando se manter em pé depois de terem voado alguns metros e quebrado algumas árvores. 

— É isso que você chama de paz? — ele a olhou desconfiado.

— Foi mal, força de hábito. — a garota deu de ombros.

Kakashi a fitou sério e fez um movimento com a cabeça para o resto da matilha antes de se virar.

— Venha comigo.

Hinata o seguiu sendo companhada de perto pelos outros lobos, fez uma careta se segurando para não chama-los de fedorentos, agora entendia por que seu pai não gostava daqueles "cachorros". Ela não gostava de lobos e agora muito menos.

"Papai, mamãe eu irei me vingar por vocês."

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...